Por que assisto novelas japonesas, mas não assisto as brasileiras?

Olá novamente a todos! Sim, estou de volta, depois de 9 dias doente em Campinas, voltei para Manaus na segunda-feira, mas como volto às aulas nessa segunda-feira, resolvi deixar o post novo para esse domingo mesmo. Muita coisa aconteceu nesse meio tempo; novas estreias no Animax, novos mangas, ideias, projetos; com um tempo tudo vai ser apresentado por aqui. Porém, antes de começar o post de hoje, queria deixar um Feliz dia dos pais para todos, especialmente para o meu (não que ele leia meu blog, mas enfim)!

Naruto_anime_007

Eu tinha planejado um post para hoje que infelizmente não foi possível fazer, espero que para a próxima semana eu consiga, vai ser bem interessante. Mas nem por isso vamos ficar sem algo legal hoje, esse era um post que já havia pensando há um certo tempo: Por que assisto novelas japonesas, mas não assisto novelas brasileiras?

hanakimi01 500px-Hazard_X.svg novela(imagens meramente ilustrativas)

Há aproximadamente um ano e meio, após voltar de uma viagem à São Paulo, uma amiga me emprestou dois dvd’s que continham os 11 episódios do dorama Ichi Rittoru no Namida. Essa seria minha primeira experiência com uma novela japonesa (ok, na verdade eu já havia assistido ao 1º episódio de Life, mas nem conta). A verdade é que nessa época eu andava um pouco desanimado com animes, assistindo-os meio que arrastado. Lembro que em pouco tempo vi os 11 episódios, me emocionando de tal maneira que ficaria semanas lembrando da história, além de rever mais duas vezes. Pouco tempo depois, foi a vez de assistir ao dorama My Boss My Hero, uma ótima comédia que outra vez terminei com bastante rapidez. Depois disso, estava viciado em doramas, as novelas japonesas. Não que eu seja um expert em doramas hoje em dia, longe disso, até agora foram apenas nove, muito longe dos 152 animes que assisti até hoje, mas é apenas questão de tempo para que esse número aumente consideravelmente.

nami200003ye

Durante esse meio tempo eu acabei me perguntando do porquê desse vício nas novelas japonesas, afinal, apesar de já ter acompanhado algumas partes de novelas brasileiras e mexicanas, nunca fui um noveleiro, na verdade, nunca acompanhei uma novela inteira. Seria pelo simples fato de ser japonesa? Afinal, tenho grande apreço pelas coisas japonesas, especialmente do entretenimento pop. Possivelmente isso explique por que comecei a assisti-las, mas não por que continuo assistindo. Desta forma, depois de refletir um pouco, reuni alguns pontos que talvez expliquem por que assisto novelas japonesas, mas não assisto novelas brasileiras.

• Duração

Recentemente, ao ler o caderno de TV de um jornal local, me deparei com um comentário mais ou menos assim; “A novela Caminho das Índias está chegando ao seu fim, autora afirma que faltam mais ou menos 30 episódios”. Enquanto as novelas brasileiras facilmente passam dos 150 episódios (a novela Duas caras, de 2008, teve 210 episódios), dificilmente um dorama passa dos 13 episódios, ficando normalmente entre 9~11. Entre ficar quase um ano inteiro vendo a mesma história e ver outra direta e em poucos episódios, prefiro a segunda opção.

• Tema

Ao meu ver, as novelas brasileiras normalmente não têm um tema definido, e quando falo em tema, não estou falando de comédia ou drama, mas sim do que trata a história. Por exemplo, qual era o tema da novela Chocolate com pimenta? E Duas caras? Mesmo Caminho das Índias divide o núcleo indiano com outros com temas diferentes. Em doramas normalmente o tema é bem definido. Além disso, são bem mais variados. O dorama Ichi Rittoru no Namida trata do sofrimento de uma adolescente ao descobrir que tem uma doença degenerativa incurável, você já viu algo assim? My Boss My Hero é uma comédia sobre um Yakuza que precisa voltar à escola, inusitado, não? Sem contar a diversidade de públicos alvos, com doramas para adolescentes, para homens, para mulheres, para um público mais velho, das mesma forma que ocorre com os animes e mangas.

• Foco

Muito próximo do item “tema” está o foco que é dado para a história. Nos dois casos são apresentadas tramas paralelas para que a principal não fique saturada, mas enquanto nas novelas brasileiras essas tramas paralelas ganham atenção quase que igual à principal, nos doramas elas são apresentadas e resolvidas rapidamente, não perdendo o foco da principal. Na verdade, muitas vezes essas subtramas são resolvidas em um único episódio, até pelo curto espaço de tempo.

crackii

Para mim esses são os três pontos fundamentais que diferenciam as novelas japonesas das brasileiras. Eu poderia citar ainda a união entre o mundo da música e as novelas, algo muito mais frequente no Japão com seus artistas multi-tarefas, que vão de dubladores-atores a atores-cantores, mas não acredito que isso seja tão fundamental. Outro ponto que pode ser levantado é quanto ao nível das atuações. Há um certo tempo atrás eu afirmava veemente que japonês não sabia atuar, conceito que eu abandonei. Acredito que em ambos os casos os níveis de atuações são medianos, com alguns bem abaixo e alguns bem acima.

E você? Por que vê os doramas, mas não vê as novelas brasileiras? Ou prefere as novelas brasileiras aos doramas? Deixe seu comentário e vamos discutir mais!

Esse post foi publicado em Artigo, J-doramas e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

22 respostas para Por que assisto novelas japonesas, mas não assisto as brasileiras?

  1. Jana disse:

    gostei do post, ótimo tema, etc, sempre tive certa repulsa a doramas e a pessoas que gostam de doramas porque pra mim essas pessoas só gostavam dessas novelas porque eram estrangeiras. (não consigo mais formar uma frase com lógico, fazeroquê.)
    um dia ainda vejo esse dorama que mudou sua vida! até porque só vi uns dois primeiros episódios e achei um tanto quanto bobos. (e com má atuações, hih.)

    • Pessoal tem preconceito. Sabemos que atores Japoneses podem não ser dos melhores, mas a desculpa mais ridícula pra não se ver tokustasu é que é coisa de criança ou que a atuação é ruim. O comentário na verdade beira ao confronto com as próprias produções Japonesas em geral. sendo que obras como as estrelas cantam, Katakawa shoujo e etc seriam excelentes temas de doramas. Existe uma seleção infinita dessas novelas e não acho que elas sejam bobas.

      Katakawa fala sobre um jovem com arritmia (a visual Novel) e As estrelas cantam (que virou dorama) fala sobre uam doença terminal. Os temas estão longe de ser bobos ou mal fundados. Ainda mais quando pelo que vejo o julgamento foi feito simplesmente por bater o olho. Me incomoda quando alguém diz elogiar o texto e logo depois crítica adjetivando as produções sem dar uma análise ao tema. Isso é no mínimo perverso e muito conveniente.

      Não que goste de doramas. nada disso. Tem muitos doramas fracos. Muitas pessoas dizem ser fracos, mas não é a fonte nem a base deles que os torna fracos. afinal quantas visual Novels e mangás excelentes não viram doramas? Acho muito controverso comentar algo assim apenas para visibilidade. Nem me darei ao trabalho de negativar um comentário que me pareceu mais maldoso que qq outra coisa. Posso estar errado. Quem sabe.

      Cada um com sua opinião. aliás foi apenas uma opinião, mas colocada do modo como foi colocada soou infeliz. ngm é obrigado a gostar de nada. Assim como ngm é obrigado a ouvir críticas negativas jogadas ao léu sem fundamentos claros.

  2. Juba disse:

    Cara,

    Esse sempre será um tema polemico, nas novelas japonesas, os elencos sao enxutos, são séries semanais, muitas delas baseados em quadrinhos.

    Mesmo que as novelas brasileiras e japonesas tenham se inspirado na mesma fonte a Soap Opera, novelas de rádio, a forma que se desenvolveram pelas décadas foram totalmente diferentes.

    Sem menosprezar os brasileiros, as novelas atuais julgam nossa inteligencia, as vezes deixando obvio o quanto é a diferença cultural entre nós brasileiros e como em vão a novela tenta “nivelar” essa diferença, caindo o roteiro de paraquedas.

    Desisti de ver novela brasileira e troquei pelas japonesas e coreanas. Ando estudando a diferença das duas produções e já comprei livros sobre o assunto, como Hollywood Brasileira.

    Quero comprar um livro americano sobre os doramas, mas infelizmente só achei no Amazon e então devo comprar mais pra frente.

    Vale lembrar que enquanto nossas novelas tiveram raizes de novelas cubanas, as japonesas seguiram um caminho oposto se enraizando na literatura e nos quadrinhos.

    Porém existem novelas tão longas como as brasileiras no Japão, e são as epoca q são exibidas especialmente pela NHK passando de manha no Brasil.

    Isso é um assunto longo sendo até já estudado em Tokyo. Um professor brasileiro publicou uma tese comparado as duas produções e com certeza vale uma lida.

    abraços

  3. Madoka disse:

    Bom tema! Prefiro dorama pelas coisas que ele abrange, o romancezinho puro(besta) e engraçado, e o que vc citou mesmo, o modo de focar o assunto em um único dorama. Bem, ainda falta vc acompanhar os doramas do NHK que existem muitos com mais de 100 epis mas a duração sempre é até 15 min XDD Tem uns bons desse tipo curtinho que não encontro pela internet, mas se der pra assistir alguns valem a pena ^^
    Quanto a novela brasileira, teve uns tempos que as novelas daqui eram bacanas mas caiu a qualidade ao passar dos anos, mesmo querendo colocar assuntos de culturas de outros países.

    bai o/

  4. Crvn disse:

    Gosto das novelas brasileiras old-school. Muitos da nossa geração preferem Roque Santeiro, A Indomada, e até O Clone, por aí vai, às obras de agora. Talvez seja algo ligado às memórias de infância. Você que entende dessas coisas. :D

    O professor Narciso Lobo, do meu curso, morto recentemente, tem um trabalho sobre identificação cultural brsaileira e novelas. Você me inspirou a lê-lo. :D

    A minha professora de japonês disse uma vez que as nossas novelas são muito complicadas. A cada semana a história muda totalmente. xD

    • Engraçado que vejo o mesmo. Essas novas novelas são muito sem sal e pasteurizadas. aquelas novelas mais históricas baseadas no teatro Brasileiro ou na própria literatura. Aquelas novelas antigas com tom de farsa que não se levavam à sério e tinham um que de teatro. Aquilo era muito bom assistir. E geralmente eram curtas. Não se fazem mais novelas como essa. Infelizmente.

  5. PunKie disse:

    Eu tive que responder essa mesma pergunta há algum tempo. A minha resposta, basicamente, foi exatamente igual à sua, com a adição do comentário do Juba de que elas “Não afrontam a minha inteligência.”

    Gosto de dorama pq é curto, sem enrolação – não gosto e nem tenho tempo sobrando pra isso. Nada de esperar 150 capítulos pros mocinhos ficarem juntos e o vilão se dar mal.

    Também gosto pela variedade de temas. É só escolher o que mais me agrada naquele momento – romance, comédia, drama, policial, o que seja. É como escolher um filme ;D

    Infelizmente, é difícil se livrar do estigma das novelas brasileiras. Todo mundo estranha, não importa quantas vezes se explique…

  6. Denys Fantasma Almeida disse:

    @Jana

    Texto estranho mesmo. Como citei no post, acho que comecei a ver doramas por já assistir animes e ler mangas, ter essa afinidade por coisas japonesas, mas se não tivesse qualidade eu dificilmente veria tantos. E tente dar uma chance à Ichi Rittoru sem esse olhar contra doramas, mas pode ser que você não goste, faz parte.

    @Juba

    Tem isso também, as novelas brasileiras não investem em enredos mais elaborados e dificilmente se tem surpresas no fim.
    Admito que não tenho base teórica pra falar sobre o assunto, só tendo minhas percepções, mas é um tema interessante, gostaria de ler essa tese, está publicada em algum site?

    @Madoka

    Existem essas maiores, mas geralmente não é assim. E também vejo dorama pelos romances, são mais ingênuos e interessantes, focam mais no desenvolvimento dos relacionamentos.

    @Crvn

    Pior que também lembro das novelas mais antigas serem melhores, não sei se realmente tinha uma qualidade maior ou se é uma questão de saudosismo.

    Dá uma lida e depois comenta sobre isso comigo.

    E isso é verdade, elas mudam demais, são muito influenciadas pela audiência.

    @PunKie

    Questão de preconceito sempre existirá, infelizmente. Se pelo fato de você ver uma novela ou por você ver uma novela japonesa. Já tentei emprestar um dorama para uma amiga e a resposta da mesma foi “Mas é japonês? Como eu vou entender?”.

    • Engraçado como a maioria entra no mundo dos doramas pelo Ichi Rittoru no Namida, assim como eu, haha. Além de Ichi, ja vi Naru e Hatsu (espero q o nome esteje certo, sempre troco), Densha Otoko e Hana Yori Dango.

      Nao acho que seja questão de saudosismo, realmente parecia que tinha maior cuidado, também os atores eram melhores, só havia fera. Por exemplo, ultimamente passo a tarde no SBT vendo todas as novelas da tarde. Vejo Pícara Sonhada por ter alguns personagens bem cômicos, além de saudosismo já que havia visto quando estreiou.

      Depois vem “Fascinação”, que continham vários atores renomados, alguns “futuros” também como o Caio Blat ( “Um Anjo Caiu do Céu”, lembram?), Mariana Ximenes e Regiane Alves no papél principal da “heroína” (ela deve tá na novela das nove atualmente) ). Eu to revendo a novela e curto por causa dos personagens e também de ver como a protagonista sofre, tudo por que lá no inicio se apaixonou por um filho de uma dama da sociedade, esta culpada por tudo que está acontecendo até agora. Por sua armação, ela foi pega sendo beijada, á força, com outro homem, perdendo a confiança do amado. Estava grávida dele, foi expulsa de casa pelo pai, que deve ter morrido a odiando sem motivos, parou numa casa de “mulher da vida”, apesar que só fez uso da profissão uma única vez com o seu “amado”, conseguiu uma testemunha para provar a armação contra ela mas ela foi “silenciada”, teve seu filho vendido à um casal, conseguiu se casar com um “cliente” que viu que ela era inocente nisso tudo, já sabendo que estava perto de morrer. Teve que suportar a morte do recém-marido mais a humilhação da própria mãe, do amado, da nora e afilhada, praticamente todos os seus conhecidos… me atrai esse show de desgraça sobre a personagem, no momento que parece que as coisas parecem melhorar, e tudo por causa de uma única pessoa e como esta afetou direta e indiretamente comportamento e histórias de outros personagens. Certamente é uma de minhas favoritas.

      Aí agora está passando a dupla Maria do Bairro/Marimar, a ultima já acabando. Mas o que me chama atenção na ultima é o jeito de como os papéis de “vilão/mocinha” meio que se invertem: a “mocinha”, depois de ser humilhada, desaparece, descobre que seu pai é um rico e volta sob outra identidade. Herda a herança do seu pai falecido e começa a se vingar de todos que a humilharam, inclusive o homem que ama e a rejeitou, chegando ao ápice de tomar a fazenda da família, deixando-os à própria sorte. Teve uma novela parecida na Globo, “A Favorita”, que nao acompanhei muito mas reparei que o início a “principal” tava bancando o papel da mocinha e a antagonista a de vilã, mas quase indo pro meio da novela, é mostrado o porque da antagonista ser a “do contra” e ao mesmo tempo a verdadeira face da protagonista revelada, assim havendo uma troca de posição que é mantida até o final.

      A última novela que assistir com gosto foi Senhora do Destino. Ela era divertida, personagens carismásticos e principalmente porque a “principal” nao era uma lesada queque levava desaforo de todo mundo (foi épico ver a Nazaré sendo bicada no rim e chorando no chão /evil)

      Mas também depois só veio porre atrás de porre e me desencanei de ver novela brasileira, nao tá valendo mais a pena, principalmente porque é o mesmo raio de história! Não importo passar meses para ver a conclusão de algo, desde que se reinvente. É nesse ponto que um dorama ganha, tem de vários assuntos, assim posso escolher o que me agrada mais e nao vai dá aquele sentimento de deja-vu. Enquanto nao houver uma reformulação ao modo de se contar uma história e variações de temas principais e secundários (se possível até drástica), vou deixando-as no canto e vou me aproveitando dos doramas.

  7. decottignies disse:

    Detesto novela brasileira, são todas iguais com final feliz e o vilão morre no final. Aquele romance ridiculo de indecisões.
    Enfim, eu vejo mais dorama hoje como uma série comum. Ainda mais da origem de se basear num mangá ou até livro. E são curtas, que num passa aquela sensaçao de acontecer a sempre a mesmas coisas. É o que acho. XDD

  8. sakae disse:

    assisto bastante doramas mas acho que por ser japa sou suspeito de falar, mas algo de diferente nas novelas japonesas principalmente está, eh o fato de ser um assunto que realmente aconteceu e o dorama serve também para passar uma mensagem. Outra coisa que chama muito a minha atenção eh que pelos personagens nao ficarem se pegando o tempo todo você sempre fica na expectativa a cada reação ou movimento, o que prende mais atenção a estória. Sem falar que parece ser algo mais puro. Um dorama legal de se assistir eh o akai ito

  9. pedro disse:

    as novelas brasileiras nâo podem ser comparadas com as japonesas. ESSES três pontos que você sitou são interesantes, mais não podemos nos esquecer que, até mesmo os japoneses assistem novelas brasileiras, uma dessas que é muito famosa no japão é A ESCRAVA ISAURA. AS novelas brasileiras são longas mais viciantes, e bem produzidas, vale a pena dizer que , a rede GLOBO DE TELEVISÃO é a maior produtora de teledramaturgia do mundo. A otima qualidade dos cenarios ,atores é interpretações inpecaveis. NOS BRASILEIROS TENDO DISPONIVEL EM TV ABERTA ESTA RIQUESA, ASSISTINDO CAPITULOS INEDITOS TODOS OS DIAS, ENQUATO O MUNDO COMPRA NOSSAS NOVELAS PARA RÉPASSALAS EM SEUS PAISES, DIFULGANDO NOSSA CULTURA. AS DORAMAS SÃO OTIMAS MAIS NÃO SE COMPARAM COM AS NOSSAS NOVELAS .DEVEMOS APROVEITAR A MARAVILHOSA TELEDRAMATURGIA BRASILEIRA ADIMIRADA PELO MUNDO.

  10. Denys Fantasma Almeida disse:

    Bem, eu não concordo. Não acho as novelas brasileiras essas maravilhas que você aponta e nem acredito que o resto do mundo ache também, mesmo sendo bem exportada realmente. “Escrava Isaura” é uma novela antiga, o post se baseia nas novelas brasileiras atuais.
    Não nego que as novelas brasileiras tenham suas qualidades (talvez mais do que eu ache e menos do que você ache), mas pelos pontos que eu coloquei, como já diz o título do post, eu assisto as japonesas e não as brasileiras.

    Gyabbo!

  11. PERES MANAGEM disse:

    Vocês ai são os meus fã gostei da maneira que realizam essa
    cena, gostaria de conhecer pessoalmente

  12. Martinho Nishijima disse:

    Denys,

    Gostei muito da sua avaliação dos doramas japoneses.

    Eu nunca tinha assistido a uma novela japonesa até o início deste ano.

    Por coincidência, a primeira foi justamente o Ichi Ritoru Namida que experimentei de tanto ouvir as minhas irmãs falarem. Conclusão: assisti aos 11 capítulos em dois dias.

    Depois disso já vi outras 7 ou 8 novelas, todas da mesma maneira ou seja, quando começo ver não consigo parar. Por quê será?

    Eu penso que os doramas japoneses ainda mantém um certo clima de ingenuidade, as relações familiares e de amizade são mostradas de maneira muito pura sem ser piegas. Além disso, não se vê altos e baixos entre os capítulos; o ritmo nunca cai.

    Ao contrário, nas novelas brasileiras o que se vê são traições, adultérios, deterioração das relações humanas e das famílias, sexo fora de contexto, etc. Estou querendo fugir da realidade?

  13. Wee-Kun disse:

    Cara eu si só assisti dois doramas,Ichi rittoru no namida (foi o primeiro e achei muito bom) e densha Otoko (esse todo otaku tem que ver),não mais do que isso porque não tive oportunidade ainda,mas acho doramas muito melhores mesmo,pelo fato de ter poucos episódios e por ter tramas muito melhores,só com esses dois doramas eu percebi o potencial que os doramas tem.Eu também achava que eles atuavam mal,mas mudei meu conceito também,eles não são pessimos atores apenas se expressão de uma maneira diferente,alias tudo no Japão é diferente,só é preciso se acostumar com o modo deles atuarem e pronto você vai achar perfeito.

  14. @aaaniinha_carol disse:

    Bom, doramas são incrivelmente mais envolventes, inclusive por termos mais opções de escolher o tema como comédia romântica, drama, etc…
    E acho tbm a atuação mto bem feita, e aliás como eu vejo através de download, posso assistir no meu ritmo sem depender de horários estipulados por emissoras, e não ter q interromper por exemplo estudos, ou trabalho para não perder um capítulo que não será reprisado, maas o que mais me atrai é o conteúdo, definitivamente melhor, e não fútil!

  15. Roberta disse:

    Olha que legal, eu também entrei no mundo dos doramas através de Ichi Rittoru no Namida.

    Gostei dos pontos que você ressaltou e concordo. Para mim, doramas é equivalente aos seriados americanos.

    A qualidade das novelas brasileiras atuais caiu bastante e isso se deve ao fato de que Glogo dificilmente renova seu elenco de autores e quando o faz, colocam (quase) sempre autores sem experiência alguma com dramaturgia, o que resulta em grandes bombas.

  16. Feiquiboy disse:

    Eu acho injusto comparar Dorama com Novela. Seria mais justo comparar com Mini-séries ou seriados pois, se assemelham aos doramas tanto na duração quanto no foco.

  17. Maki disse:

    Bom, como sou nikkei assisto j-drama desde cedo por influência da minha família, mas só passei a gostar de novelas japonesas depois de assitir Nobuta wo Produce. Tenho a mesma opinão da maioria das postagens publicadas, pois não tenho paciência de ficar meses pela finalização das novelas brasileiras. Na minha opinão atualmente elas exploram exageradamente temas como adultério, gravidez e traição. Geralmente histórias deste tipo me causam tanta aversão que chego a sair da frente da TV quando essas cenas específicas entram no ar.

    Particularmente, também não gosto como as novelas brasileiras são influenciadas pela opinião do público, pois muitas vezes perdem completamente sua proposta original. Entretanto, acho que a útlima postagem publicada também tem razão, ao comparar os j-dramas com as minisséries, pelo menos na questão do foco, pois diferente de uma novela convencional as histórias das minisséries não são tão influenciadas pela audiência e pela opinão do público. Entretanto, pelo fato se sempre serem exibidas mais tarde, seu enredo se torna mais adulto, às vezes violentos demais, enquanto os j-dramas possuem um bom leque de opções, passando por comédia, suspense, romance, entre outros, como já foi citado por alguém aí em cima.

    Não tenho a pretensão de discutir a qualidade das novelas brasileiras e japonesas, pois pra mim é uma questão de gosto. Se existem pessoas que gostam de ficar meses acompanhando uma história que mistura tudo ao mesmo tempo, existem também àquelas que gostam de histórias rápidas que falam uma coisa de cada vez, e eu me encaixo no segundo grupo.

    Jya ne!

  18. Pingback: 1 ano de Gyabbo! – Os três posts que mais gostei de escrever |

  19. アンドレ disse:

    Adoro as novelas japonesas, porque são legais, emocionantes e interessantes. Estes doramas, passaram a deixar minha vida mais feliz!

Os comentários estão encerrados.