A morte do Animax

Hi folks! Como vão? Eu estou indo… só na espera pelas férias, preciso urgentemente delas, ficar em casa sem grandes preocupações é tudo que eu preciso no momento! Mas, enquanto ela não vem, eu continuo na rotina acadêmica, acompanhando o Flamengo (que acredito que será o campeão!) e vendo um anime aqui e ali.

E como esse é motivo do Gyabbo!, vamos falar de anime. Meia hora atrás eu consegui assistir ao último episódio de Death Note pelo canal Animax. Por isso hoje eu pretendo analisar esse canal e o que vem acontecendo com ele.

Animax2

O Animax é um canal fundado em 1998 no Japão, para transmitir animes e outros programas relacionados. Além da Sony, outros participantes dessa fundação incluíram a Sunrise, a Toei Animation, a TMS Entertainment e a NAS, empresas tradicionais nesse mercado. No dia 31 de Julho de 2005, o Animax chegou na América Latina, logo, no Brasil.

Com séries de sucesso como Fullmetal Alchemist, Wolf’s Rain, Hellsing, o canal iniciou aquilo que poderia ser um sonho para todos os fãs de animação japonesa. Infelizmente o começo foi meio atrapalhado, poucas pessoas tinham acesso ao canal, principalmente por ele não fazer parte da Net. Ainda lembro bem do dia em que o canal foi liberado aqui em casa, a simples ideia de um canal com 24 horas de animes era algo fantástico, me fazendo assistir até Hungry Heart (ainda bem que depois da empolgação inicial eu parei de ver isso). Além dos animes ainda era possível ver clips de JMusic entre um programa e outro, o que mais poderíamos pedir?

Infelizmente aquilo que era um sonho acabou por virar um pesadelo. Se lembro bem (muito desse post está sendo feito de cabeça, me corrijam se eu estiver errado), o início do fim começou com a entrada do bloco Reciclo e dos informerciais. O primeiro, um bloco exclusivo para filmes mais velhos… Como alguém da Sony pensou que isso poderia dar certo, eu realmente não sei. Enquanto o público pedia por movies de animes, por uma grade mais diversificada, com shoujos, joseis e seinens, eles deram Godzilla. Não que eu fosse contra a exibição de produções ocidentais, nunca fui tão purista, me divertia bastante com o peculiar “Distraction”, mas a imagem que ficou é que nenhuma desses estreias foi realmente estudada. O público fiel ao canal não queria filmes ocidentais, aqueles que não viam o canal dificilmente começariam a ver por causa de filmes velhos.

Além disso, tivemos a famigerada faixa do informerciais, mais especificamente, o Medalhão Persa. Aqui a coisa vai além do canal, visto que essa faixa existe em outros canais. Ao pagar por uma tv por assinatura, estamos financiando também todos os canais. Em troca do dinheiro que o cliente pega, quem presta o serviço deveria prezar por dar entretenimento aos assinantes. Lucrar utilizando não somente comerciais, mas faixas inteiras da programação é algo que o PROCON deveria estar em cima, vai totalmente contra o consumidor. Infelizmente uma movimentação dessa é muito difícil de acontecer, especialmente no meio de animes e mangas, visto que os “canais de mídia” desse meio procuram muitas vezes se atacarem do que se unir.

Se isso tudo era péssimo, as estréias dos peso-pesados Bleach, Evangelion e posteriormente de Death Note deram uma sobrevida ao canal e manteve a esperança de muitos, incluindo a minha. E na verdade as coisas pareciam tranquilas, apesar da estréia de Lost, o canal mantinha seu propósito e trouxe animes como Bokurano e Fate/Stay Night e apesar dos problemas da adaptação desse último, ainda era um bom sinal.

O grande problema foi a chegada de novembro. Sem que nenhum anime no estreasse, nada menos que nove programas ocidentais foram marcados para tomar a maioria dos horários. Sem respeito algum com seus clientes, animes que ainda estavam sendo exibidos pela primeira vez tiveram seus horários alterados, o que, sinceramente, causou a minha revolta pela primeira vez contra o canal.

Faltando apenas dois episódios para terminar Death Note, mudaram seu horário das terças para as sextas. Sem contar com Fate/Stay Night que foi parar nas manhãs de sábado. A verdade é que o Animax deixou de ser um canal voltado para animação japonesa a muito tempo, mas a punhalada veio mesmo esse mês.

A pergunta que fica é “o que faltou para que o Animax tivesse sucesso?”. A verdade é que faltou inteligência. Será mesmo que um mercado que não consegue se consolidar em lançamentos de dvd’s está preparado para receber um canal desse tipo? Prefiro acreditar que a Sony fez suas pesquisas antes de iniciar seu canal por aqui, logo, percebeu que valia a pena.

Mas então o que deu errado? Muito difícil dizer, mas na minha opinião o primeiro problema foi ter iniciado suas operações sem estar dentro da Net, principal tv por assinatura do país. Junto a isso, diversas escolhas duvidosas como Humanoid Monster Bem, dificultaram até mesmo que os fãs de anime realmente se empolgassem com o canal. Quando animes que realmente chamavam atenção começaram a estrear no canal, já era tarde, os executivos do grupo Sony já haviam perdido a paciência e se desesperaram atrás de ibope.

Mas o que será do canal? Muito provavelmente a tendência é que cada mais teremos menos espaço para os animes. Se o canal terá sucesso nesse novo formato, difícil dizer, mas o Boomerang está aí para mostrar que talvez esse seja o caminho certo.

E você? O que acha que vai acontecer com o Animax?

Fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Animax#Latin_America

http://pt.wikipedia.org/wiki/Animax_Brasil

http://www.jbox.com.br/2009/10/02/animax-esculhamba-de-vez-em-novembro/

http://www.anmtv.com.br/search/label/Animax

Esse post foi publicado em Animes, Artigo, Mercado brasileiro de animes e marcado , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para A morte do Animax

  1. Leandro Nisishima disse:

    Recentemente descobri que tinha o Animax aqui em casa (demorei para perceber, mas tudo bem). E fiquei extremamente decepcionado com o canal. Sempre que parava para ver o que tava passando me deparava com algum filme ou seriado americano.

    Foram poucas as vezes que me deparei com um anime, e quando isso aconteceu, eram séries antigas como Evangelion, Samurai X e Full Metal Alchemist, que já passaram em outros canais.

    Hoje mesmo parei no Animax as 8 da manhã e finalmente estavam passando anime. Se não me engano era Jigoku Shoujo, depois Hellsing e Solty Rei. O único problema é que é ridículo ver um canal de animes passando seriados no “sabadão a noite” e animes no domingo de manhã, quando provavelmente ninguém (exceto eu) estará acordado para assistir.

    Sobre a sua análise concordo que o primeiro erro tenha sido da própria direção do canal, mas também culparia o próprio mercado e o consumidor. A verdade é que a maioria das séries que o Animax traz para cá são títulos já exibidos nos EUA, o que automaticamente limita muito a variedade de possíveis animes. Até não me surpreende que séries antigas estivessem sendo exibidas para “tapar buraco”.

    O outro problema é o próprio consumidor brasileiro, que convenhamos, é muito limitado perto do norte-americano e europeu. Não vejo muito sucesso para shoujos ou jouseis por aqui, normalmente só shounen se destaca, e seinen vai naquelas. É bem diferente do pensamento europeu, americano ou mesmo coreano. Claro que todo povo tem a sua cultura e algo que é popular por lá, pode não ser por aqu.

    Talvez os indices de audiência tenham sido baixos para a maioria das séries e por isso o Animax alterou o horário de animes como Death Note e Fate/Stay Night. Não tem por que alterar se tivesse com ibope alto. A verdade é que mesmo meio mundo reclamando, as séries americanas provavelmente fazem mais sucesso do que os próprios animes. E por isso colocaria culpa no consumidor. Não necessariamente nos fãs de anime, mas imagino que tenha muita gente que não goste de animes, e acabe vendo o Animax por acaso graças aos seriados americanos, que ainda tem muito mais penetração no mercado do que os seriados japoneses.

    Enfim. Se quer saber, na minha opinião o Animax já perdeu a sua indentidade faz tempo. Deveriam até mudar o nome do canal. E não sei até quando vai durar, afinal os animes estão cada vez piores e sem presença e seriados americanos podem ser encontrados em qualquer outro canal.

  2. bomberman disse:

    Bom, apesar disso tudo, é preciso saber pelo menos a quantidade de fãs que assistem animax. Pensa bem. Tem o fator audiência que o canal possui em certos programas ou animes também. E outra, tv por assinatura não é barato e nem todas as pessoas possuem. ISso pode estar acontecendo devido ao poder que a internet possui. A maioria dos animes que a Animax possui existe disponível para downloads de varios e vários sites. Seja disponibilizado por link direto ou torrent. Concorrer com a massa que são os downloaders é complicado. Essa é minha opinião.

  3. asdel disse:

    O problema é a falta de tradutores, o que faz demorar as dublagens dos animes

  4. yagamisan disse:

    Cara,ng ker saber se c ñ gosta de Hungry Heart ou de outros animes,mas td e qqer Animax TEM de ser 100% anime querendo ou ñ,esse teu post deu a parecer que quis dizer que c apoia parte da palhaçada feita desde ano passado,por essas e outras que dou graças aos céus de tê-lo perdido em abriel do ano passado qd o canal ainda era decente u.u

  5. Denys Fantasma Almeida disse:

    @Leandro Nisishima

    Infelizmente virou isso mesmo, Leandro, muitas séries americanas e muita repetição nos animes, principalmente FMA.
    Essa inversão é pra mim a maior mostra do fim do Animax como canal de animes, principalmente depois que passaram Fate/Stay Night, que mal havia estreiado, para o sábado de manhã.

    Como eu disse, parte do fracasso está no mercado nacional, não acredito que ele seja forte o suficiente para um canal assim. O que talvez possa ser visto com bons olhos para um canal misto, mesmo com mais séries americanas, talvez aqui e ali possamos ter novos animes. Dos males o menor.

    Aqui eu meio que discordo por que estamos falando de Tv por assinatura, onde se trabalha com margens de audiência menores. Se pensarmos que o meio de animes/mangas é formado principalmente por fãs de shounen (principalmente na grande massa), e que esse público do shounen certamente baixa seus animes pela internet ou compra dvds piratas, não faz muito sentido investir nesse lado. Mas um público mais velho, de joseis e seinens, que paga a tv por assinatura do seu bolso, certamente valorizaria ver seus animes no conforto da televisão e sinal digital. Acho mais interessante.

    Certamente, não dá pra pensar que a Sony continuaria a investir em programas americanas se a audiência não fosse maior (ou se os custos não forem menores, se pensarmos no preço para comprar animes, traduzir, que devem ser maiores que os de séries americanas de baixo escalão como as que são colocadas no canal).

    @bomberman

    Eu concordo, discordando. Heroes por exemplo era o programa mais visto da tv por assinatura brasileira, mas era largamente baixado pela internet. A questão aí é a abrangência do programa, que os animes não tem, o que poderia justificar um canal misto.

    @Asdel

    Eu realmente não acho que esse seja o problema. As traduções são feitas relativamente rápidas, muitos animes ficam na espera das vontades dos canais. E não daria pra ficarem fazendo estreias toda semana.

    @yagamisan

    Bem, eu queria falar sobre não gostar de Hungry Heart, e fazendo parte do canal, faz sentido comentar no post. Pensando pessoalmente eu gostaria de que o Animax fosse 100% de animes, mas não sou iludido, é preciso analisar o retorno financeiro, a Sony não é um fansuber, “de fã para fã”, eles querem ganhar dinheiro.

  6. marcello disse:

    Sou mto fan de animes e tal sempre ouvi falar na animax q era massa mas quando fui assistir vi mais seriados americanos ainda mais q eu saiba so tem 1 canal de animes e esses seriados tem varios outros canais pra passar.
    A animax vai falindo por q tambem muitos animes repetem como bleach por exemplo se a animax tivesse investindo mais em animes do q em seriados dublando novos episodios aposto q ia ter + fãns da animax, mas mas n investe muito em seriados americanos entom por q o nome de “animax” neah podia ser outro nome a questão é animax esta deixando de ser um canal apropiado para animes.

    Bom e issu!!!!Se tiver errado me corrijam

    AHH mais uma coisa me falaram q vai lançar um canal de animes online!!! Acho q o nome e TVOtaku coisa assim.
    FLWS

  7. marcello disse:

    ahh malz pelos erros tava com pressa

  8. Nekomimi disse:

    Eis, portanto, a situação: por causa das mudanças no Animax, os fãs começam a procurar culpados pela situação, chegando a culpar um ao outro até, o que gera discórdia entre os otakus.
    Há os que querem shonen. Já outras querem shoujo.
    Há os que querem ecchi/hentai. Outras querem yaoi/homossexual.
    Há os que querem violência. Outros querem sexo.
    Há os que querem ação. Outras querem romance.
    Há os que querem sangue. Outras querem beijos.
    Há os que querem animes sem conteúdo. Outros querem animes com conteúdo.
    Como podem ver, com tantos gostos divergentes, não há como chegar a um consenso sobre a programação do Animax ou de qualquer outro canal que passe animes.
    Se as coisas continuarem como estão, só vão sobrar na TV (aberta ou de assinatura) os chamados “kodomo animes”, os animes voltados para o público infanto-juvenil (abaixo dos 12 anos de idade), tipo Pokemon, Digimon, Beyblade, etc. E os animes que não se encaixam nessa categoria estarão excluídos definitivamente da programação das TVs, restando aos pobres fãs que gostam de algo que não seja para menores de 12 os fansubbers, os programas P2P, torrents, sites de downloads, sites de vídeos, etc. É uma pena.

    NO GOOD NEWS TODAY.

  9. ????? disse:

    Já desisti desse canal!Ele morreu!Eu passa horas vendo eles,decorava todas as aberturas e encerramentos dos animes que passavam lá(Get Backers principalmente),e agora eles vem com essas séries americanas pra cima de mim?HAHA os EUA sempre arranjam um jeito de acabar com tudo.

Os comentários estão encerrados.