Gyabbo! & J-Wave: Entrevista com Mauricio de Sousa

Muitas pessoas não acreditam, mas aprendi a ler meio que sozinho, lembro bem até hoje de uma professora falando orgulhosa para outra sobre isso enquanto pedia para eu ler algumas páginas de uma revista do Cascão. Os anos se passaram e eu não larguei o costume de comprar revistinhas de Turma de Mônica, sempre voltava pra casa de ônibus com umas duas na mão, às vezes mais. Se hoje sou leitor assíduo de mangas, devo ao gosto pela leitura dos quadrinhos que ganhei com as histórias do gênio Mauricio de Sousa.

Falar de Mauricio de Sousa é falar da história dos quadrinhos brasileiros, porque ele e seu império de quadrinhos são únicos.  Criador de Turma da Mônica, a revista em quadrinhos mais vendida do país, tem uma história de sucesso, presente nas 3 maiores editoras do país; passando pela editora Abril, 20 anos de editora Globo e atualmente na Panini Comics.

Ano passado, apresentou ao público uma Turma da Mônica adolescente, utilizando-se da inspiração e narrativa dos quadrinhos japoneses, o mangá. Sendo um sucesso comercial e vendido mais de 400 mil exemplares, Turma da Mônica Jovem vende 10 vezes mais que o mangá mais vendido do Brasil.

Numa história que atravessou 5 décadas, tendo diversos filmes, séries animadas e publicação dos quadrinhos em diversos países, Mauricio de Sousa é hoje sinônimo de quadrinho nacional.

Essa será a primeira de uma série de entrevistas que tanto o J-Wave e o Gyabbo! estão preparando para apresentar um pouco mais da cultura pop japonesa dentro do Brasil.


Ambos se juntaram para entrevistar Mauricio de Sousa e contar sobre sua carreira e principalmente sobre o sucesso do mangá Turma da Mônica Jovem. Gentilmente, entre suas férias de fim de ano, Mauricio nos deu essa entrevista:

Gyabbo! & J-Wave: Apesar de baseados em familiares, os personagens da Turma da Mônica acabaram virando sinônimo de suas características, como Cascão para meninos que não gostam de banho; como foi o processo de desconstrução dessas características tão marcantes?

Mauricio de Sousa: Imagino que essa pergunta é referente à adaptação dos personagens infantis para os adolescentes, certo? Não houve desconstrução mas sim evolução de um mundo infantil para um adolescente. Se o Cascão continuasse sem tomar banho como iria conseguir arrumar namorada?

G&J: Em termos de carinho pelos personagens, como foi vê-los “crescer”?

MdS: Como um pai. Curtindo ao máximo.

G&J: O senhor comentou uma vez que já tinha imaginado a Turma grandinha e não era baseada em mangá. Pode nos falar um pouco como era essa versão de Tuma da Mônica Jovem?

MdS: O projeto da Turma da Mônica Jovem tem mais de cinco anos. Originalmente não era para ser em estilo mangá. Mas após as comemorações dos 100 anos da imigração japonesa no Brasil, em 2008, achei que era a hora e a vez de mesclar nosso estilo com o estilo mangá para agradar à toda essa faixa de leitores adolescentes que estavam migrando de minhas revistas para o mangá.

G&J: Temos na equipe de roteiristas de Turma da Mônica Jovem pessoas famosas no meio do anime e mangá:  Marcelo Cassaro que foi roteirista de Holy Avenger, o mangá nacional mais  próspero e Petra Leão, uma cosplayer famosa.  Como funciona essa influência deles em Turma da Mônica Jovem? Já que vimos muitas referências pessoais dos dois, como Cascão ser um otaku, e o RPG online Animecraft que citou várias séries de anime e mangá.

MdS: O Cassaro e a Petra estão contribuindo bastante com o sucesso da Turma da Mônica Jovem pois têm uma bagagem de cultura pop japonesa que agrada muito aos leitores. Mas os outros roteiristas também estão se adaptando perfeitamente à esse novo universo em nossas publicações.

G&J: O senhor comentou que Turma da Mônica Jovem poderia ter uma série animada, possivelmente animada na China. Existem novidades relacionadas a isso?

MdS: Desenho animado é algo complicado de se produzir. Precisa de planejamento, estrutura de produção e investimentos. O convite existe por parte de uma produtora americana mas ainda estamos na fase de planejamento.

G&J: Uma vez o senhor comentou que gostaria de fazer o Chico Bento, mas não baseado em mangá. Como anda o projeto? E por que não vai ser baseado em mangá?

MdS: Esse é um projeto que pede muita pesquisa pois quero um Chico Bento adolescente que resolve ficar no campo e se envolve com a luta ecológica. Por enquanto penso em não ser no estilo mangá para não misturar com o universo da Turma da Mônica Jovem. Mas pretendo já lançar um especial no segundo semestre de 2010.

G&J: Muito do que é lido de mangas no país é feito através de scans, traduções feitas por fãs e disponibilizadas na internet de graça. Como o senhor vê essa tendência mundial de ignorar direitos autorais, tanto de maneira geral quanto relacionado à Turma da Mônica.

MdS: A pirataria pode inviabilizar um projeto por não possibilitar o retorno do investimento nos profissionais e na produção/impressão. Para isso temos advogados e milhares de leitores que torcem por nós e denunciam logo que haja algo irregular acontecendo.

G&J: A Turma da Mônica Jovem está sendo publicado fora do país? Se sim, como está sendo recebida?

MdS: Estamos com um pouco mais de um ano publicando no Brasil. Embora haja projetos, ainda é cedo para publicarmos fora do Brasil.

G&J: A indústria de games cresce cada vez mais, ultrapassando mesmo o cinema. Existem planos para jogos da Turma da Mônica Jovem como a Turma da Mônica teve no passado?

MdS: Realmente a área de games da Turma da Mônica está merecendo mais atenção. Esperamos que em 2010 nossos projetos sejam agilizados. Posso dizer que começará pela reformulação de nosso site e, claro, também com a Turma da Mônica Jovem.

G&J: O público de Turma da Mônica Jovem em sua maioria já lia mangas originais ou o senhor acha o inverso? Acredita que Turma da Mônica Jovem tenha sido porta de entrada para público ler mangas?

MdS: Parte do público lia mangá mas conquistamos também quem não lia e se adaptou à linguagem. Embora nosso público-alvo para a turma da Mônica Jovem seja o leitor que já tenha seus 12 a 15 anos, uma boa parte são de 7 à 10 anos. Para se ter uma idéia, a turma da Mônica Jovem vende mais de dez vezes do que o principal mangá japonês publicado no Brasil.

G&J: Pensando em Japão, não teríamos um perfil definido para a Turma da Mônica Jovem, existe a possibilidade do mangá da Turma da Mônica Jovem um dia ter um título dirigido para garotos e outro para garotas?

MdS: Por enquanto achamos que não. Os personagens principais agradam justamente por haver um equilíbrio entre meninos e meninas. O leitor brasileiro gosta e aprova.

G&J: E é possível pensar em um esquema de publicações para a Turma da Mônica Jovem como é feito para a Turma da Mônica, com publicações solo?

MdS: Isso é uma idéia para o futuro. A Turma da Mônica Jovem ainda é muito recente.

G&J: Mauricio de Souza é um nome equivalente a Walt Disney e a Osamu Tezuka. Apesar disso o Brasil é marcado por ser um país onde lê-se pouco, por que não temos outros criadores tão criativos e lembrados como o senhor e leitores mais ávidos?

MdS: Quando comecei a publicar, o Disney era o rei das bancas de jornal. Aos poucos fui ganhando na raça esse espaço e hoje a posição está invertida. Acho que o segredo é não parar no tempo. O leitor está muito mais exigente e gosta de ver que o autor sempre tem novidades para apresentar. A constatação está na turma da Mônica Jovem que é a maior vendagem dos últimos 30 anos no Brasil e uma das maiores no mundo. Se eu pensasse que brasileiro não gosta de ler não teria esse sucesso. Se eu pensasse que o jovem está substituindo a leitura pelos equipamentos eletrônicos não apostaria em mais uma publicação. A verdade é que o leitor gosta do que é bom. Independente da plataforma de comunicação em que se apresente o produto. Temos vários autores criativos e muitos já estão conquistando seu espaço. Basta ver o especial MSP50 que lançamos nas comemorações dos 50 anos de minha primeira publicação. São 50 autores da maior qualidade. Alguns que publicam no exterior. Mas não cabe em um livro apenas e vamos ter mais outros 50 numa próxima edição.

G&J: O senhor poderia comentar um pouco como era a sua amizade com o mestre dos mangas, Osamu Tezuka?

MdS: Nos conhecemos emuma das minhas viagens ao Japão e desde então ficamos amigos. Ele dizia que meus personagens já tinham olhos grandes como os do mangá e fui descobrindo que como criadores tínhamos muito em comum, apesar de morarmos tão distantes. mas quando eu ia ao Japão, me encontrava com ele. E quando ele veio ao Brasil, foi meu hospede na chácara.

G&J: Conhecendo sua amizade com Osamu Tezuka, existe algum outro autor japonês que o senhor admira? O senhor lê ou já leu (com exceção dos de Tezuka) algum manga?

MdS: Acompanho os grandes sucessos de mangás por interesse na linguagem da leitura rápida e traços ágeis. Cavaleiros, Dragon Ball e Naruto são sucessos não só no Brasil. Mas quando vou ao Japão folheio as novidades de lá também.

G&J: Existe uma grande discussão entre o que é um verdadeiro manga, se o que se produz no Japão ou HQ’s com uma determinada estética e estilo narrativo. Como o senhor definiria um manga?

MdS: Mangá é ação e emoção. Irradiados por todos os lados.

G&J: No Japão o mercado de quadrinhos abrange todas as idades, acredita que no Brasil isso também seja possível visto o estereótipo de quadrinhos como obras infantis?

MdS: Comparar o Brasil ao Japão é cruel. Por lá temos centenas de títulos sendo publicados. Assim existem diversos públicos a serem trabalhados. Aqui temos uma base de leitores infantis que depois pulam para os mangás e super-heróis. Quando se tornam adultos já não procuram quadrinhos com a freqüência de antes. Só agora, com a Turma da Mônica Jovem, estou podendo trabalhar a Turma da Tina para um público jovem/adulto com a média dos personagens nos 18 anos.

G&J: O senhor comentou uma vez para a revista Henshin da editora JBC que gostaria de trazer um mangá do Osamu Tezuka e adaptar para o público brasileiro. Existe ainda essa intenção e como seria a adaptação?


MdS: Após a morte de Tezuka, os planos que fazíamos ficaram esquecidos. Mas pretendo ainda fazer um trabalho em conjunto entre meus personagens e os desse grande e saudoso autor. (Nota: Mauricio conseguiu os direitos para trabalhar com os personagens de Osamu Tezuka, mais informações ler aqui.)

G&J: Existe alguma intenção de desenvolver um encontro entre os personagens do Mauricio de Souza Produções com Tezuka Produções?

MdS: Já estamos conversando sobre isso com a família do Tezuka. Quem sabe anunciamos nesse ano ainda? Haverá um grande evento de mangá e animê no Sambódromo do Anhembi (SP) em final de maio de 2010 – o Megamangá Fest. Até lá teremos novidades.

(Nota: Mauricio conseguiu os direitos para trabalhar com os personagens de Osamu Tezuka, mais informações ler aqui.)

G&J:Por fim, existe a possibilidade de Turma da Mônica Jovem encontrar Turma da Mônica numa viagem do tempo em algum especial das duas séries?

MdS: Nada é impossível mas seria uma história especial.

G&J: Deixe uma mensagem final para os fãs de animes e mangas por favor.

MdS: Costumo dizer que a turma da Mônica Jovem não é mangá puro mas mesclado com nosso estilo. Isso porque creio em uma linha de mangá brasileiro e que está dando certo como publicação. Espero que mesmo os puristas que amam  a linguagem dos mangás e animês estejam gostando dessa química.

Nota1: Todos os negritos aqui são de responsabilidade do blog Gyabbo!

Nota2: Gostaríamos de agradecer ao Maurício que nos concedeu essa entrevista no meio de suas férias e José Alberto Lovetro, seu acessor, que nos atendeu com muita gentileza.

Esse post foi publicado em Entrevistas e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

36 respostas para Gyabbo! & J-Wave: Entrevista com Mauricio de Sousa

  1. ryoowatari disse:

    parabens pela entrevista

  2. @luhsmile disse:

    Denys, adorei a entrevista. Ficou muuito boa mesmo!
    Mas, assim, fica confuso o texto só com as iniciais em negrito.
    Você poderia ter deixado toda a pergunta em negrito e realçado aquelas partes importantes com itálico mesmo.
    Sei que sou chata (haha), mas ficaria mais agradável pra ler já que a entrevista não é curta.

    beijo!

  3. Daniel disse:

    Muito legal a entrevista! Idéia fantástica a de entrevistar esse grande autor! Passei a infância inteira lendo Turma da Mônica.
    Não leio a série Jovem, mas gostei muito da entrevista. Parabéns!

  4. Leandro Nisishima disse:

    Ótima entrevista Denys. Então era isso que você estava escondendo no Twitter. De qualquer forma ótimo trabalho, não é qualquer um que consegue uma entrevista dessas.

  5. Só faltou você pedir desculpas pro MAUrício por não ter deitado no chão pra ele te pisar, depois de chupar tanto o pau dele desse jeito!
    Francamente, cara!
    Teu pai não te criou pra você ser putinha dos outros!
    Levanta a ficha-corrida do MAUrício que você vai descobrir processos contra estúdios pequenos, perseguições e tramóias!
    Largamão de ser puxa-saco!
    Eu sinto vergonha de você!
    Se tu fosse meu filho, te cobria de porrada e tua ia dormir com a bunda quente, seu capacho!

  6. Denys Fantasma Almeida disse:

    Enfim, não sou seu filho.
    Ignorando a parte “olhem para mim, sei xingar os outros”, o que posso responder é que tenho respeito sim pela figura do Mauricio de Sousa, tanto pelo trabalho que ele desenvolveu no mercado nacional que pelo o que eu saiba nenhum outro autor nacional conseguiu e por ter se mostrado uma pessoa acessível a nós, coisas que muitos não fariam para blogs.

    Se é pra levantar “ficha-corrida”, levante quem acusa, não cabe a mim o ônus da acusação. Vamos, mostre no papel esses processos, quero vê-los então.

    Gyabbo!

  7. Denis…
    Você já tem idade e discernimento pra desenvolver uma coisa chamada PENSAMENTO INDEPENDENTE!
    É uma coisinha bem legal e que todo “comunicador” ou dono de blog deve ter. E que nos ajuda a sair defendendo estranhos, especialmente àqueles que temos um “carinho” especial só porque eles nos brindam com entrevistas.
    Antes de você nascer eu já lia o MAUrício.
    Minhas filhas lêeem o MAUrício.
    Só que eu desenvolvi o pensamento independente que te falta.
    Pois eu sei que ele não escreve as HQs.
    Nem desenha as HQs.
    Ele usa o talento alheio pra ganhar dinheiro.
    O que não é errado, mas o que pega é a POSTURA que ele passa às crianças como sendo desenhista, roterista, cartunista.
    Não interessa o que o MAUrício fez, faz ou fará. Nem é questão de respeito.
    É questão de BUSCA PELA VERDADE! Sabe o que é VERDADE? Pois é!
    E é ela que você deveria conhecer antes de sair por aí defendendo quem tu gosta.
    O cara é acessível porque tem interesse em você, mané!
    Porque você é ingênuo e ajuda o cara a levar adiante uma imagem que o interessa.
    Você faz propaganda de graça pra ele e ajuda a perpetuar uma tremenda FARSA!
    Enfim, eu sei dos processos contra ele. Sei o que ele aprontou. Se você não sabe, procure saber. De graça é que não te dou nada!
    Mas comece lendo aqui:
    http://www.papo-reto.com/forum/viewtopic.php?f=5&t=78
    Depois pode me agradecer por te ajudar a abrir os olhos, menino.
    Ah, sim!
    Te garanto que você tem mais ética no dedinho do pé do que o cara na vida toda!
    Vai por mim.

  8. Denys Fantasma Almeida disse:

    Primeiro, seria interessante você procurar pelo significado da palavra “concisão” no dicionário.

    Se hoje em dia ele não desenha ou escreve roteiros, isso não faz com que ele não seja um desenhista ou roteirista. Que eu saiba a Turma da Mônica saiu da cabeça dele, ou estou errado?

    A proporção que ela tomou permitiu que ele contrate pessoas capazes para continuar com a sua marca. É como dizer que o Stan Lee não é ninguém por não ser mais o desenhista/roteirista do Homem-Aranha, pra mim esse seu papo é de desenhista que não conseguiu nada (o que eu nem estou afirmando ser o caso pois não o conheço).

    Você acha que ele sai ganhando mais com um pequeno blog publicando uma entrevista ou eu publicando uma entrevista com ele? Pense um pouco antes de afirmar besteiras.

    De novo, se quiser acusar, venha com as provas. Palavras ao vento qualquer um tem e vi que você mesmo criticou isso em algumas comunidades.

    Gyabbo!

  9. Rawemalf Ominona disse:

    Fiquei intrigado com todo esse rebuliço do Roberto Pereira e resolvi ler o post do link que ele colocou no comentário.

    “MASSSS ADIANTA FICAR SE LAMURIANDO NUMA PORRA DE FORUM” > Melhor reply para o Roberto Pereira (Bêka) postada pelo fórum do link postado por ele mesmo.

    OWNED!

  10. Sei o que é “concisão”. Só não sei onde ela se aplica aqui.
    A minha crítica é sua completa e total subserviência ao MAUrício de Souza. Sua postura foi verdadeiramente repreensíl, típica de um fã deslumbrado que está diante de seu ídolo tão querido.
    Porém, não é assim que a banda toca, menino.
    Fosse você mais sério, mais maduro e mais neutro, usaria do BOM SENSO e neutralizaria sua paixonite em pró da qualidade da informação.
    Pois sua idolatria mata seu bom senso e joga no lixo sua razão… Se é que lhe alguma…
    Não é questão de quem o MAUrício contrata. É questão de COMO ELE VENDE a imagem de “autor”, sendo que ele não desenha, não escreve e nem letreira nada. Isso seria aceitável em tempos idos, mas nos dias de hoje, EXIGE-SE queos autores FAÇAM aquilo que produzem.
    A Marvel, DC e tantas outras editoras colocam na própria HQ o nome de quem ilustrou e escreveu a HQ. Por que o “mestre” não faz isso?
    Simples! Ele quer manter a imagem de “cartunista”. Isso, ao meu ver, é uma forma baixa e vil de aproveitar-se do trabalho alheio em causa própria. O que não me incomoda!
    Porém, ele faz isso para CRIANÇAS! E quem mente para crianças é capaz de tudo!
    Sim, ele sai ganhando com um “pequeno blog” pois trata-se da produção de uma imagem de amigão, de “acessível” e de conquista de seu coração. Assim, você e os seus filhos estarão sempre lendo os produtos dele, sem contestar ou duvidar de nada!
    É MARKETING! Não tem nada de ser bonzinho ou amiguinho, são NEGÓCIOS! E já era hora de você ter percebido isso.
    Eu não tenho palavras ao vento: eu pesquisei, eu fui atrás e sei do que estou falando.
    A minha função é te alertar do papelão que você está se prestando ao adular um camarada que tem muito, mas muito mais pecados do que você imagina.
    Busque a Verdade, menino.
    Busque o outro lado da questão e nunca aceite uma única versão das coisas.
    Duvide de mim.
    Mas duvide de seu ídolo.
    Ele tem muito a ganhar com seu amor.
    Vê se cresce e pense!

  11. Julimano disse:

    Desculpe Roberto, mas você é um cretino. Mesmo que esteje certo o seu primeiro post fez você perder todo o crédito. Se você tem como “missão” mostrar toda a sujeira do Mauricio de Souza e abrir os olhos da garotada não é desse jeito que vai conseguir. E isso pq não tem nenhuma puxação de saco como você alega, sem falar que as entrevistas tem um foco a ser tratado, e ficou muito bom nesse ponto; as suas acusações são descabidas de que ele tinha que mostrar a verdadeira face do Mauricio, as sujeiras, etc, etc, é que nem acusar um entrevistador do canal economico de frouxo só pq não perguntou ao Lula sobre a nova lei de direitos humanos.

    Apesar de eu achar foda esse negócio de não dar os créditos para as pessoas de direito, pois isso inibe o crescimento dos quadrinhos brasileiros, por exemplo, quem vai querer ler o lançamento do Fulano de Tal que ninguem conhece apesar dele ter trabalhado nas melhores estórias da turma da monica? Mas eu só lamento, o mundo é injusto, cabe ao pessoal se juntar e abrir o bico no sindicato até conseguir o que querem, não são meia duzia de gatos pingados postando a “verdade” em blogs e fóruns que vão fazer diferença, principalmente do jeito que o pessoal fez no link que você passou, tem pouca coisa que preste lá, a maioria só quer aproveitar a deixa pra ser embriagar no “hatorade”.

    Sem falar que é perda de tempo ficar odiando algo ao invês de aproveitar o tempo com coisas que você goste.

    desculpem pelos erros, não tive paciência de reler

  12. Claro que eu sou um cretino!
    Mas sou um cretino sincero e verdadeiro.
    E não tenho por hábito de tratar quem está fazendo bobagem com condescendência. Afinal, você também me trata assim…
    Não estou em missão porcaria nenhuma. Tenho minha vida, minha esposa, filhas e casa pra cuidar.
    O que eu faço é chamar a atenção de vocês, menininhos sem noção, que se prestam a bajular um camarada…
    Sendo que nem sabem da missa um terço!
    O foco da “entrevista” é bajular o MAUrício. Fato. Não se levantou questões relevantes como quanto ele pag aos seus funcionários, quando ele deixou de desenhar e escrever, enfim, foi-se lá e deixou o homem a vontade pra ser feliz!
    Que diabo de entrevista é essa em que só se enaltece o cara, sem lhe incomodar???
    Não interessa o que você acha ou deixa de achar.
    O que interessa é que o MAUrício age de maneira antiética ao não colocar o nome de seus desenhistas e roteiristas nos créditos das histórias.
    Fosse ele uma pessoa séria e honrada, não precisaria esconder essa informação ou coloca-la em letras microscópicas no final da revista, onde ninguém lê!
    Eu não tô nem aí com sindicatos!
    Eu condeno, sim, essa postura SUBSERVIENTE dessa entrevista LAUDATÓRIA que nada mais serve do que perpetuar uma série de absurdos.
    A diferença começa quando as pessoas PARAM E PENSAM no que é dito.
    Como é que vai se mudar alguma coisa se VOCÊS abaixam a cabeça e fazem o jogo do cara?
    Eu faço minha parte e critico VOCÊS, não ele, porque ele não dá ouvidos a NADA que não lhe seja lucrativo…
    Ou quem concorde com ele.
    Aliás, vocês acabam sendo muito parecidos com ele!
    A diferença é que ele tá milionário e vocês estão aí, paparicando o burguezão!
    E o tempo é meu, gasto ele da maneira que eu quiser!
    Acordem pra vida, crianças!

  13. Denys Fantasma Almeida disse:

    Vamos lá. Acredito que você precisa aprender a ser mais conciso pois perde a maior parte do seu espaço fazendo ataques à pessoa a quem se refere, ao invés de expor seus argumentos.

    Vou lhe fazer uma pergunta fundamental: Ele está inflingindo alguma lei? Não, não está. Qualquer adulto que trabalhe sabe que assina um contrato e nesse caso específico sabe que suas criações serão creditadas à Ma uricio de Sousa e que seu nome estará no expediente.
    É a melhor forma de valorizar os trabalhadores? Não, mas não essa tempestade toda que você faz pintar.
    Onde está você em todas a indústria brasileira que faz a mesma coisa?

    Você não está fazendo a sua parte. Você não está fazendo nada. Reclamar em um fórum obscuro ou ficar discutindo comigo não mudará em nada essa situação. Entre na justiça, abra os olhos, tire esse imagem “eu faço a minha parte”, se una aos outros roteiristas/desenhistas e lute pelo o que você acredita ser seu direito. Brincar de paladino da justi ça em fóruns e blogs qualquer uma faz, e isso não leva a nada. Essa sua verdade não passa de uma ilusão.

    O foco da entrevista é o título A turma da Mônica Jovem e outras coisas relacionadas ao Japão, visto que esse é o foco do blog, sendo dessa maneira, a entrevista, acredito eu e tantos outros que elogiaram, cumpriu o seu papel. Utilizo-me das palavras do Julimano; “é que nem acusar um entrevistador do canal economico de frouxo só pq não perguntou ao Lula sobre a nova lei de direitos humanos.” Pense um pouco antes de escrever bobagens.

    Gyabbo!

  14. Paulo disse:

    Parabéns Denys, você levou o projeto do blog adiante, muito legal como você leva esse seu projeto pessoal de uma forma profissional, apesar dos problemas que de vez em quando surgem numa área tão competitiva da internet.

    Não se preocupe com gente como esse tal de “Roberto Pereira”, sempre tem gente disposta a criticar, mesmo um trabalho bem feito, para descontar as frustrações de não realizar nada de forma concreta. Isso é apenas mais um sinal de que o seu trabalho está se projetando bem.

    Ainda bem que ele assume ser um cretino, porque eu entendo a cretinice como uma disfunção no trato com outras pessoas, e a incapacidade de entender o ponto de vista alheio. Pior ainda, diz que é contra por que “ouviu falar” no forum linkado. Não acredito nesses papos de “eu sei o que estou falando”, apenas deflete o argumento de que não prova nada. Podia assumir que é um paspalho, também. Querer usar argumento de autoridade (e pior, simular a própria autoridade) é falácia, é argumento vazio, pra enganar os incautos.
    Aliás, nem precisa provar, como o Denys demandou, porque em nenhum momento houve a preocupação com essas polêmicas, alheias ao assunto da entrevista. A entrevista é sobre a abordagem da Turma da Mônica Jovem quanto à cultura japonesa (de que trata o blog). Se fosse pra falar mal do Cassaro, por exemplo, ainda era pertinente, embora desnecessário e gratuito.
    Francamente, quando a gente pensa que já viu de tudo…

  15. O que eu faço ou deixo de fazer, e a maneira que me expresso, é problema meu, cara. Posso não ser o melhor interlocutor do mundo (e não sou).
    Porém, se tem uma coisa que eu não sou é falso.
    Se eu tiver que dizer uma coisa, digo mesmo e pronto. Não fico de nhe-nhe-nhéim.
    É bem melhor ser eu mesmo do que subserviente aos outros. Especialmente a um camarada que não tem ética e que tem um monte de treta nas costas.
    E eu não deixo minha admiração por uma pessoa me cegar o Bom Senso.
    Também não é questão de Lei. Mesmo porque quando o cara lá pisa na Lei, ele responde por isso, como já respondeu, aliás.
    É questão de ÉTICA!
    Manjá Ética?
    Honra, honestidade, etc?
    São ESSES Valores que você deveria se referenciar ANTES de sair enaltecendo un e outros só porque ele é famoso, te deu entrevista e você se deslumbrou com isso.
    Pra você não incomoda porque, primeiro, tu não tem conhecimento de causa. Eu tenho.
    Segundo, você não tem FILHOS! Eu tenho 3! E não tem coisa mais sórdida que uma pessoa famosa mentir para crianças.
    Essa mentira fica na cabeça dela e, quando ela fica mais velha e alguém tenta dizer que não é bem isso, essa antiga criança o defende! Porque o ama, porque ele é legal e te deu entrevista!
    Estou fazendo a minha parte dentro de meu alcance: abro espaço no meu site, no meu podcast, nos foruns, aqui, enfim, exerço meu Direito Democrático de dizer NÃO!
    Quem tiver pinimba judicial contra a fera que vá lá atrás de seus direitos, a minha praia é contestar e debater.
    Eu não tô nem aí para o que acham de mim. Mas pelo menos uns 10 carinhas eu já deixei esperto sobre certas coisas.
    Tem um ditado judeu que diz: “quem salva uma vida, salva um mundo”.
    Se UMA pessoa parar e pensar no que eu disse, eu já me dou por satisfeito e uso qualquer espaço disponível pra isso.
    Inclusive o seu!
    A maior bobagem é você prostituir seu bem querer, cara.
    Só porque o homem te deu atenção e satisfez seu sonho dourado, isso não o torna santo.
    E é exatamente esse lado mais obscuro do MAUrício que você deveria conhecer.
    Eu sou um iconoclasta independente.
    Você é submisso e sem opinião.
    Percebeu a diferença?

  16. Andrie disse:

    incrível a entrevista! *-*
    eu nunca duvidei do mestre dos quadrinhos brasileiros, ele é meu idolo até mesmo antes de eu me entender por gente e.e//

  17. Georginho disse:

    O “Roberto Pereira” tem seu jeito estranho de escrever, mas, infelimente, ele está certo. Tudo bem que ele escreve de modo de ataque, mas, grande parte das coisas, precisamos correr atrás para entender mesmo.

    Ele é o mesmo Zé Roberto Pereira que escrevia a revista “Animax” com o Sérgio Peixoto, quando o Peixoto era jovem… Hoje, nem se falam, porque o “Peixe” continua com suas idéias da época, ao invés de amadurecer também. Acompanho os trabalhos de todos desta área (jornalismo, otakus, games, quadrinhos), e sou roteirista, ex-cartunista. Admiro a coragem, só lamento a forma de se expressar mesmo do Roberto, mas, apóio em partes o que ele diz quanto á história do povo endeusar e defender como se o Maurício fosse o criador do mundo!

    Quem quiser viver de quadrinhos, de revistas, etc, tem de ter talento, sim, mas, infelizmente, antiético, porém dentro da lei, Maurício assina no lugar dos outros. Conheço muita gente (pessoalmente mesmo) que trabalhou pro Maurício, sofreu, pediu demissão e preferiu trabalhar em algo mais fácile que dava mais crédito: Stop Motion nos USA e Reino Unido, quadrinhos no exterior, e SEMPRE com seus nomes divulgados na capa, no editorial, e nos agradecimentos!

    Acho que o Maurício seria um CARA LEGAL somente se ele desse os créditos na capa do estilo “nesta edição, a arte de José Garibaldi em uma eletrizante aventura de Penadinho” ou algo do estilo. Mas, duvido MUITO! Mesmo após a morte de Maurício, acredito que ainda tenham em todas as histórias novas a assinatura dele.

    Tenho de admitir, sou fã dos trabalhos DA “MAURÍCIO DE SOUZA PRODUÇÕES”, mas, não significa que eu vá endeusar ele, ok? Acompanho desde os primórdios, memso na época da Editora Globo e da Editora Sampa, da passagem pela Mythos, Pannini, etc, e até hoje ainda acompanho! Mas, gostar dos trabalhos da pessoa não singifica gostar da pessoa, e sim dos trabalhos. Se ele é um bom empresário, que ele diga ser empresário, não roteirista das histórias que nucna escreveu. Seria bom ter aviso no começo de cada história “Roteiro: blaublau; arte: Flumércio dos Santos; letrista: Roger CarmenGuia” ou coisas do tipo, ASSIM COMO TODO E QUALQUER OUTRO QUADRINHO NO MUNDO!

    e tenho dito, com certeza!

  18. Denys Fantasma Almeida disse:

    “Se eu tiver que dizer uma coisa, digo mesmo e pronto. Não fico de nhe-nhe-nhéim.”
    Sim. Você fica.

    Conheço muito bem o que é ética. A grande questão da sua discussão é bem simples, ele não faz as coisas como elas poderiam ser feitas, certo? Vamos primeiro chegar a um consenso que tudo está dentro da lei e trabalha lá sobre essas condições quem quer. São todos adultos e responsáveis por seus atos.

    Mentir para as crianças? Tá falando sério? Tu realmente acha que uma criança de 6~8 anos dá a mínima pra quem desenhou, roteirizou, fez a arte final ou qualquer outro processo? Ela só quer se divertir com as histórias, fim. Quando ela chega em uma idade em que isso pode virar uma curiosidade, está ali no expediente o nome de todos os envolvidos na produção.
    Não é a melhor forma? Não, mas não é nada errado.

    Dizer que está fazendo sua parte em fórum, blogs, podcast é querer viver em um mundo de fantasia. Não era você que buscava a verdade? Tem que ir pro mundo real, faça uma petição, uma monção, o que seja, se junte a outros roteiristas/desenhistas e entre na justiça exigindo os créditos de forma clara. Se você quer ficar só nas palavras ouvidas por meia dúzia é por que não dá a mínima, só quer satisfazer o ego.

    Georginho, primeiro, agradeço por vir debater de forma mais racional. A questão é que as revistas saem justamente em nome da “MAURÍCIO DE SOUZA PRODUÇÕES”, é uma marca, que poderia perder muito do seu valor se fosse diluída.
    De novo, não é a melhor forma de se fazer, mas quer pintar ele de diabo por isso é no mínimo bizarro.

    Em momento algum a entrevista bajulou o Mauricio, me apontem onde isso aconteceu. Existe a primeira parte onde eu dou a minha opinião pessoal sobre a minha experiência com as revistas da “MAURÍCIO DE SOUZA PRODUÇÕES” e depois vem a entrevista normal, que tem como pretensão falar sobre a Turma da Mônica Jovem (que se utiliza de uma estética semelhante aos mangas), de mangas e da amizade do autor com Osamu Tezuka. Nisso ela foi muito bem feita, acredito eu e as pessoas que elogiaram.

    Gyabbo!

  19. Olha, menininho, eu já disse tudo o que eu tinha a dizer.
    Minha opinião taí e ela é clara: só faltou você chupar as bolas do MAUrício.
    Se tu fosse meu filho, te cobria de porrada porque o que tu fez não é atitude de homem.
    É atitude de florzinha, de mariquinha mesmo.
    O tempo que você fica fazendo carinho no saco do cara, vai levantar a vida pregressa do camarada, rapá!
    Veja lá como ele processou e fechou o estúdio que fazia Change Kids só porque eram ex-funcionários dele.
    Veja lá a ameaça que a filha dele fez contra o Gonçalo Junior, autor do livro “Guerra dos Quadrinhos”, só porque o Gonçalo criticou a falta de ética do MAUrício.
    Veja as entrevistas do Gedeone Malagola em que ele afirma ter ajudado o MAUrício quando ele tava na pindaíba, inclusive criando o Cascão, e quando o MAUrício estava na boa, nem se dignava a agradecer ao velho.
    Sem contar aquele lance da escolha do mascote dos 100 anos da colônia japonesa, em que mais de 200 artistas tiveram seus trabalhos jogados no LIXO… E o MAUrício, milagrosamente, foi escolhido como “vencedor”!
    Para depois ir fazer pose ao lado do Lula!
    Olha, moleque, você nasceu ontem!
    O teu ídolo fez muita coisa feia, muita coisa errada e a minha função foi te dar um toque.
    Para que você APRENDA DE UMA VEZ o vakor da frase de Honoré de Balzac: “atrás de toda fortuna, sempre há um crime”.
    Puxa a ficha corrida do seu “mestre” que tu vai cair de costas, mano.
    Nao entregue seu respeito a estranhos.
    Seu pai não te ensinou a ser assim.
    Vai na paz, criança.
    E vê se cresce.

  20. Denys Fantasma Almeida disse:

    Ai ai… tu não foi atrás da palavra “concisão”, não é? Se tirar todos os teus xingamentos infantis e que não servem para nada, sobram 1% de argumentos.

    Estou aqui disposto a debater, talvez eu esteja certo, talvez eu esteja errado, talvez nós estejamos certos ou errados, mas quem precisa crescer é você, caro Roberto Pereira, aprenda a entrar em uma discussão séria. Quer ganhar nos xingamentos? Já disse que não sou o teu filho, tenho pena dos teus, Deus me livre ter um pai insensato desse.

    Agora finalmente tu veio com casos concretos, mesmo que sem nenhuma fonte. Cabe à quem acusa provar a culpa. Já escrevi que a intenção do post é falar do lado manga, não do que ele fez ou deixou de fazer.

    É tão difícil assim interpretar um texto? Sério, aprenda a ler.

    Até agora estou esperando você me dizer onde eu disse que ele é um deus, um poço de honestidade, um exemplo para a humanidade. Você não diz, parte para os xingamentos por que sabe que não tem argumentos.

    Gyabbo!

  21. alchemistnany disse:

    Parabéns pelo blog e pela entrevista =D Estou torcendo aí pelo sucesso! Sou a (@nany_osuwari) lá no twitter…
    TUDO DE BOM! GANBATTE \o/

  22. Natsume Yuu disse:

    Sou realmente fã da turma da Monica, criança e jovem *_____*
    Realmente amei a entrevista!!!!!!
    Amei o blog tbm!
    Se quiser passar no meu… a gente pode também fazer parceria *-*
    http://yumeforever.blogspot.com

  23. Natsume Yuu disse:

    Kyaaaaa >..<
    Desculpeee, sou meio atrasada xDDDD
    Parceria aceita *-*
    Vcs tem um banner?

  24. Uatumã disse:

    gyaboo amassando XD

  25. FeR Chan disse:

    Muito obrigada, Denys!
    E parabéns desde já! Não se preocupe, pelo que vi seu blog tem tudo para durar por muuuuitos anos…
    Mauricio de Sousa é um exemplo para mim!!!
    Aceito sim, vou colocar agora seu link!
    Até!

  26. Pingback: Turma da Mônica Jovem «

  27. Pingback: 1 ano de Gyabbo! – Uma pequena trajetória « Gyabbo!

  28. Anakin disse:

    Ótima entrevista Denys, suas perguntas foram claras e objetivas.

    Roberto, você realmente tem bons argumentos, mas você perdeu um pouco da essencia da coisa por causa das ofenças.

    Existe tantos galhos podres no mundo… tantas lorotas escondidas do povo… sacanagens ocultas bem piores que a produção de meros quadrinhos, então porque se extressar com o MS?

    No mais, é isso que eu penso.

  29. Sempre existirá alguma coisa maior do que o MAUrício.: a fome, a miséria, a corrupção, etc.
    Só que se a gente se omite, se nos focamos em outras coisas, importantes até…
    Então de que adianta nos comunicarmos?

    É direito seu se preocupar com o que bem entender.
    Mas é direito MEU me preocupar e comentar sobre o que eu bem quiser.

    E está na hora de alguém começar a malhar o MAUrício, exatamente porque NINGUÉM é contra ele.

    Já dizia Nelson Rodrigues: “toda unanimidade é burra”.

    Vocês estão sendo burros e não se percebem disso.

    Não seja vaquinha de presépio.
    Não seja mais um vendido pela fama de um cara que você ACHA que te agradou.

    Cresce um pouco e tenha um pensamento mais independente.

    Não seja gado.

  30. Pingback: Números de vendas dos mangas no Brasil | Gyabbo!

  31. Pingback: Seiken no Blacksmith – Conclusão | Gyabbo!

  32. Pingback: Mais de Oito Mil Investigations – O Caso Zé Roberto « Mais de Oito Mil

  33. anabeatriz disse:

    oiie mauricio de souza! eu estava procurando uma entrevista legal para copiar no meu trabalho de portugues! ta muito dificil de procurar!! ah e eu gosto muito de ler seus gibis principalmente da turma da monica jovem!!!!!!!!!!!! bjs continue assim!…

  34. Pingback: Entrevista: Banda The Kira Justice | Gyabbo!

  35. hey.jude disse:

    Engraçado, estive lendo a “revoltinha” característica do ilmo. Zé Roberto e me lembrei do que li nesse post dele aqui: http://www.mbbforum.com/mbb/viewtopic.php?p=64356&sid=2a4c79912307b16b243cb61495ec0e4d

    É impressão minha ou ele contradiz certas afirmações que fez neste blog?
    Coerência: só temos quando vale a pena para nós.

  36. pedro henrique pereira da silva disse:

    oi maricio ahei otimo esse negocio de jovem foi massa de mmmmmmmmmaaaaaaaaaaaiiiiiiissssss beijos para seu filhos

Os comentários estão encerrados.