Hanamaru Youchien – Primeiras impressões

Depois de uma pequena polêmica, nada melhor para melhorar o humor do que um post com as minhas primeiras impressões de um bom anime da temporada de inverno 2009/10, vamos falar de Hanamaru Youchien.

Quando fui ver que animes iria assistir dessa temporada, Hanamaru Youchien certamente não era uma das escolhas. Claro, o estúdio era a Gainax, um nome onde é sempre bom estar atento, mesmo em um anime sobre o jardim de infância. Depois da decepção com Dance in the Vampire Bund, do ainda morno Sora no Woto e do esperado ansiosamente Katanagatari, eu queria algo para assistir além de Durarara!! e Nodame Cantabile – Finale. Li algumas coisas boas sobre Hanamaru Youchien e resolvi dar uma chance.

A expectativa era algo diferente. Em primeiro lugar vinha a pergunta do por que um estúdio do tamanho e nome da Gainax resolveu animar algo sobre crianças com fraldas. Em segundo vinha o gigantesco medo de cairmos para o fanservice, o que seria uma das coisas mais nojentas possíveis que poderiam acontecer.

Mas se tem algo que alguém que assiste animes precisa entender é a nunca duvidar do que a Gainax pode fazer. Afinal, são eles os criadores de Evangelion, do maluco FLCL e de um grande sucesso recente, Tengen Toppa Gurren Lagann. Mas não, nos dois primeiros episódios não vimos uma única cena de fanservice. O que poderia recair em algo semelhante a Kodomo no Jikan não passa do limite de cenas engraçadas e ingênuas de uma criança, e é assim que personagens e produtores entendem. Ainda bem.

E é justamente aí que eu digo que você nunca pode duvidar do que a Gainax pode fazer. Em uma trilha de animes moes e/ou com fanservices cada vez mais explícitos (Seikon no Quasar, estou falando de você), a Gainax, um dos maiores nomes da indústria, que já fez coisas desse tipo (He is my Master por exemplo), chega e diz “Vamos falar sobre crianças, para crianças, mas de um jeito que todos se divirtam. Não precisamos de fanservices lolis para fazer sucesso”. Essa foi a resposta que encontrei para a pergunta que todos se fizeram quando o estúdio anunciou Hanamaru Youchien.

A animação é bem tradicional, mas sem erros; limpa, fluida e bonita, nada menos do que deveríamos esperar. Apesar do que poderia se esperar, o diretor Seiji Mizushima (que já trabalhou em animes como Evangelion, Fullmetal Alchemist e Gundam) conseguiu levar de forma muito boa nesses dois primeiros episódios que vi um slice of life simpático, com um pouco de comédia simples, ótimo para relaxar a mente.

A história é sobre Tsuchida “Tsuchi”, recém formado, viciado em video-games e que resolveu ser professor do jardim de infância. No seu primeiro dia conhece sua turma e entre seus alunos, a protagonista Anzu, filha de uma senpai sua da época do colegial. Além disso temos outros inúmeros personagens, entre alunos e professores, todos simpáticos. Mas dou ênfase na Hiiragi, uma garota muito inteligente e que se comporta quase como um adulto em miniatura, até agora a melhor personagem do anime.

Aqui eu tenho que elogiar novamente a habilidade do estúdio. Rapidamente assuntos como a reverência ao cargo de professor no Japão, sexismo e mesmo gravidez na adolescência são apresentados de forma simples, sem estardalhaço, mas mostrando que o anime tem um conteúdo que vai além. Nada Evangelion-like, não me entendam mal, só é um diferencial, permitindo que o anime seja vista por toda família e que todas se divirtam.

Controle de Wii e vi um Gameboy Advanced também

Esse post foi publicado em Animes, Primeiras impressões e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para Hanamaru Youchien – Primeiras impressões

  1. Hanamaru eu achei divertidíssimo, tanto o mangá quanto o anime, apesar de nesse tipo de série slice of life, eu sempre preferir os mangás, porque no anime eles sempre tender a enrolar nas piadas, e colocar pitadas de drama aqui e ali. Até mesmo K-ON, que é um anime que eu adoro, e que justamente pelo conteúdo musical se encaixaria muito melhor em um anime (e as músicas são muito boas), o mangá ainda é muito mais engraçado.
    Agora uma coisa, Hanamaru não tinha como apelar pro fanservice loli (como Kodomo no Jikan, que no caso é um anime que apesar de ser com garotas do primário tem um conteúdo [tanto no mangá quanto no anime] muito mais adulto) já que as personagens são toddlers, e eu ainda acho que japonês ainda não chegou a esse nível (pelo menos não em animes que passam na tv, em questão de doujinshi eu sei que existem doujins d toddlercon).

  2. vorspier disse:

    O visual simples do anime e as imagens das três menininhas me chamaram a atenção, tanto é que pretendo assistir quando tiver a oportunidade.

    E comédias com crianças atazanando adultos, sendo às vezes mais maduras que eles, é algo que eu gostaria de ver mesmo! XD

    Acho que a única vez que eu ri de algo produzido pela Gainax foi só com Karekano… =/

  3. Julian Fisch disse:

    Eu estou com muita vontade de assistir esse anime. Só de olhar para os personagens e suas expressões cômicas já dá vontade de rir! XD

  4. Thaís disse:

    Gostei do anime, ainda bem que não virou um kodomo no jikan, gostei ainda mais por ter incluido meninos interagindo com os personagens principais. Porque geralmente nesses tipos de anime somente o protagonista tem destaque no meio de um monte de personagens femininas e quando fica mais misto as piadas e situações podem variar ainda mais.

  5. Pato_Supersonico disse:

    “Vamos falar sobre crianças, para crianças, mas de um jeito que todos se divirtam. Não precisamos de fanservices lolis para fazer sucesso”.

    Acho que mais provavelmente foi “Nossa imagem pública está um lixo e prescisamos dar um jeito nisso”.

    =P

  6. Denys Fantasma Almeida disse:

    Não concordo, Pato. O último anime do estúdio foi Shikabane Hime, que teve uma boa recepção, e antes dele teve o aclamado Tengen Toppa Gurren Lagann. A imagem do estúdio não estava um lixo, isso é coisa do tempo de Karekano, já foi superado.

    Gyabbo!

  7. Qwerty disse:

    Sério, Hanamaru não é anime para criança/família – dá pra esse público, mas não que ele não gostaria; e o público-alvo é sim o mesmo de animes como K-ON! [e talvez Sora no Woto] – aquele otaku que quer o moe, mas não precisa de uma calcinha sendo esfregada na cara, digo, tela da casa dele.

    Lembrando que esses animes todos passam na alta madrugada no Japão; que família vai estar acordada?

  8. Denys Fantasma Almeida disse:

    @Qwerty

    Eu não afirmei que ele é voltado para toda família, mas que ele pode ser visto por toda família sem problema algum

    Gyabbo!

  9. Max disse:

    Depois de começar a ver Panty & Stocking With Garterbelt, acredito q a Gainax é capaz de tudo… espero que não apareça fanservice toddlercon no meio disso

Os comentários estão encerrados.