Kurosagi – Dorama

Recentemente o projeto Kotatsu Shinbun chegou ao fim. Próximo de completar um ano o blog que contava com a colaboração de diversas pessoas teve seu término decretado, o que eu achei muito triste, pois gostava muito da proposta inicial e do seu formato. Minha participação lá foi através de duas matérias sobre doramas (por isso que faz um tempo que vocês não viam algosobre doramas por aqui). Por isso hoje volto a falar de doramas trazendo uma das matérias que escrevi para lá, sobre o dorama Kurosagi.

Neste mundo existem três tipos de golpistas;

Aqueles que roubam o dinheiro de outras pessoas, Shirosagi.

Aqueles que enganam os outros manipulando seus sentimentos, Akasagi.

E então, usando o Shirosagi e o Akasagi como sua própria fonte de alimento está o maior golpista da história, um golpista que trapaceia golpistas, Kurosagi.

Kurosagi, um dorama de 2006 da TBS, baseado no manga homônimo de 20 volumes de Takeshi Natsuhara e do desenhista Kuromaru,conta a história de uma garoto chamado Kurosaki, que traumatizado pelo assassinato de sua família pelo próprio pai que havia sido enganado por Shirosagis, resolve se vingar destruindo todos os golpistas, enquanto busca vestígios daquele que enganou seu pai. Kurosaki já era praticamente uma lenda urbana quando ao entrar em um caso de um homem que tenta se matar após ser enganado e perder todas suas finanças, conhece Yoshikawa Tsurara, uma garota ingênua que tem como sonho virar promotora de justiça. Após esse primeiro caso, por coincidência, Tsurara passa a morar no condomínio de onde Kurosaki é síndico, iniciando um relacionamento entre os dois enquanto Kurosaki continua seu plano de vingança.

Por trás dessa história de vingança, porém, existe uma discussão muito interessante que é trazida pelo dorama. Sendo o protagonista um golpista que devolve o dinheiro daqueles que foram enganados, uma espécie de Robbin Wood urbano e moderno, é frequente a dúvida maquiavélica; “Os fins justificam os meios”? Kurosagi se diferencia de histórias comuns por fazer de um golpista, o herói (ou anti-herói) e da polícia, um empecilho para que a verdadeira justiça seja feita. Essa discussão já foi levantada por uma produção japonesa no manga Death Note, mas de uma forma mais macabra. Aqui Kurosaki, por experiência própria, entende que a polícia nada pode ou mesmo tenta fazer contra os grandes golpistas, cabendo a ele exercer o certo e ajudar os outros (mesmo que na verdade o objetivo real seja somente a vingança).

Se Kurosagi consegue ter por trás de seu enredo essa base curiosa e instigante, o mesmo não pode ser dito do romance inserido. Tsurara tem tudo contra Kurosaki, afinal, seu sonho é ser Promotora de Justiça, ela recebe apenas respostas negativas e frequentemente suas tentativas de ajudar Kurosaki a mudar são ignoradas, mas por algum motivo sem sentido, ela acaba apaixonada pelo protagonista. Para piorar, sua grande amiga, Mishima Yukari também! O que inicia um “triângulo amoroso” pra lá de bizarro, sendo ambas ignoradas o dorama inteiro por Kurosaki, mas ainda sim Yukari consegue odiar a sua ex-amiga. A verdade é que essa parte toda poderia ter sido retirada e não faria falta. No máximo o romance de Tsurara, visto que ela é a figura de contra-peso para Kurosaki.

Kurosagi também tem passagens muito engraçadas, principalmente pelo jeito colocado no personagem pelo ator Yamashita Tomohisa. Kurosaki, pela necessidade do seu estilo de vida, possui um closet com diversas roupas, sapatos, perucas e acessórios em geral dos mais diversos estilos, além de criar vários tipos de personalidade, muito bem realizadas por Tomohisa, tudo para melhor se encaixar na hora de iniciar seus planos de trapacear outros trapaceadores.

Em seus 11 episódios, Kurosagi consegue evoluir bem a história, dando espaço para que todos os personagens que aparecem frequentemente tenham suas histórias contadas para que o telespectador possa entender bem as suas motivações. Seguindo um aparente estilo “caso do dia”, Kurosagi dirige a história para um final inesperado e muito bem realizado, sem decair para um final feliz forçado, mas sim para uma realidade fria, porém otimista, deixando a todos com a vontade de ver mais histórias do maior golpista, Kurosaki.

Yamashita Tomohisa
Esse post foi publicado em J-doramas e marcado , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Kurosagi – Dorama

  1. Rodrigo disse:

    Muito bom, parabens pelo blog. Add no Sala Zero

  2. Pingback: Kurosagi – J-Movie « Gyabbo!

  3. Priscila disse:

    Resenha legal! Me deixou mesmo com vontade de ver o tal golpista! Obrigada pela dica! ^-^

    Opinião de Fulano – A opinião feroz!

  4. Lucky disse:

    o yamashita tomohisa é tão fofo @
    achei razoavel o drama

Os comentários estão encerrados.