Vitral – Manga Nacional – Editora HQManiacs – Vol. 1

Olá pessoal! Hoje eu estava passando pelo supermercado e aproveitei para dar uma olhada na banca do lugar e qual não foi minha surpresa ao encontrar dois mangas que eu não esperava que fossem chegar tão cedo em Manaus (na verdade eu nem esperava que fossem chegar por aqui). Aproveitando o momento que estou um pouco saturado de comentar muito sobre os novos animes de verão (daqui a pouco é primavera e eu ainda estou preso, argh!), hoje o post vai para comentar sobre um desses mangas que encontrei; Vitral.

Ah! Não, esqueçam de votar na atual enquete do censo Gyabbo!

Não sei se já comentei aqui, mas há muito tempo atrás eu rejeitava os mangas. Sim, podem fechar o blog e irem ler sobre mangas em outros lugares. Mas é verdade, não posso negar. Lembro bem que eu pensava “Ok, animes são bem legais, mas quadrinhos em preto & branco? Leitura invertida? Dispenso”. O que me fez entrar nesse “mundo” não foi um “verdadeiro” manga (essa questão de manga verdadeiro ou não fica pra outro post pois é algo a ser muito bem pensado e escrito), mas sim uma HQ brasileira que se utilizava da estética manga, a famosa Holy Avenger.

Como jogador de RPG e leitor da saudosa Dragão Brasil, Holy Avenger conseguiu me captar de uma maneira que HQ’s japonesas não tinham acontecido até o momento e abriu a minha mente para essa “nova” forma de contar histórias. Sendo assim, não consigo entrar para o lado das pessoas que execram as produções nacionais que buscam emular a estética japonesa de quadrinhos. Na verdade eu procuro prestigiar esse conteúdo por que por mais que muitos acabem simplesmente copiando algo que não é nossa, querendo forçar contextos fora da nossa cultura, não deixam de ser formas de se comunicar e contar histórias através da arte, seja em que estilo.

Desta forma, sempre recebo com grande entusiasmo novos empreendimentos nesse estilo, por isso fiquei bastante empolgado com o anúncio de dois lançamentos feitos pelo Futago Estúdio de Manga, das irmãs Soni e Shirubana (Pelo que entendi são pseudônimos, os nomes verdadeiros são “Sônia” e “Silvana”). O primeiro foi O príncipe do Best Seller, que infelizmente ainda não tive a chance de ter em mãos, e o segundo foi Vitral, lançado  em 17 de Julho durante a Anime Friends, o primeiro Boys Love (Yaoi pra quem não conhece muito desse lado dos mangas) brasileiro a ser lançado por uma editora, no caso a HQManiacs.

Escrito e desenhado pela Shirubana, conta a história de dois rapazes (obviamente  dois bishounen), Daiji, filho de um grande astro da música pop, fadado a seguir os passos do pai, mas que tudo que quer na vida é uma vida normal. Já Tsumi, ao contrário da sua contra-parte, sonha em justamente o contrário, buscando o sucesso na música, tendo como ídolo justamente o pai de Daiji.

Me parece que a autora tem certa influência do grupo CLAMP e a forma como os dois protagonistas se encontram lembra um pouco algumas obras do grupo, dando aquela sensação de que o destino comanda a vida.

O roteiro não é exatamente muito original, mas consegue manter o leitor, mesmo alguns acontecimentos em algumas partes serem bem confisos, até por basicamente todos os personagens serem bishounen, dificultando um pouco a percepção do leitor.

Mas se o roteiro chega a ser interessante, fiquei meio decepcionado quanto ao traço da obra. Quando vi ilustrações da mesma achei que o nível de traço da desenhista estava em um nível mais acima, como é o da Érica Awano, mas a verdade é que ele tem um pé muito mais no fanzine do que nas produções profissionais.

Porém, isso não pode ser algo para impedir ninguém de ler. Certamente o traço é bem aleatório na sua qualidade, indo de ilustrações muito bem feitas, principalmente no ambiente físico, que tem um primor a mais, até a traços bem falhos, principalmente quanto às pessoas, que consegue ser realmente confuso em vários momentos. Mas quantos autores japoneses não começaram obras famosas com traços bem falhos e foram evoluindo com a produção? Sem vendas e produção profissional fica impossível que essa evolução necessária aconteça.

Por último, não poderia deixar de comentar o trabalho feito pela editora HQManiacs. A primeira coisa que percebemos é como a HQ é fina, se você achava o preço feito pela JBC em FMA um roubo, vai tomar um susto ao ver Vitral. Custa nada menos do que R$6,90 por meras 68 páginas! Claro, o trabalho gráfico é praticamente perfeito, desde sua capa fosca cartonada, um papel que lembra os bons tempos da Conrad, mas com uma qualidade de impressão ainda melhor! Vi alguns pequenos erros de revisão, mas realmente nada demais.

Aos fãs de BL/Yaoi, Vitral é uma compra certa, se vocês esperam que esse mercado se abra de vez por aqui, não deixem essa chance passar. Se você apoia o mercado nacional, também compre, faça suas críticas, mas é preciso ter algo em mente: sem vendas nunca teremos um mercado nacional de mangas ou quadrinhos. Vitral certamente tem diversos erros, mas em seus 12 volumes ele tem muito a evoluir e é somente com a opinião dos leitores e a possibilidade de autora continuar trabalhando que isso poderá acontecer.

PS: Quer conhecer mais sobre as autoras? Leia a entrevista feita pelo blog Blyme com elas, muito bom!

PS2: Apesar de ser BL/Yaoi, esse primeiro volume só demonstrou isso nas cenas extras, sem nenhum outro tipo de insinuação. Pode decepcionar um pouco os fãs desse estilo, mas é esperar para ver o que virá nos próximos volumes.

PS3: Algo que eu achei muito legal foi a dedicatória das donas do estúdio ao pai:

Dedicado ao nosso pai, Geraldo, que sempre nos deu apoio – Sônia  e Silvana

Esse post foi publicado em Mangas, Mangas lançados no Brasil e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

22 respostas para Vitral – Manga Nacional – Editora HQManiacs – Vol. 1

  1. Rei Suzuki disse:

    Achei uma surpresa encontrar um manga yaoi brasileiro o-o
    Realmente uma boa curiosidade para se ir atrás. os fans de yaoi (como eu XD) ñ custa nada dar uma olhada ne?

    e é como vc disse, se queremos abrir mais o mercado nacional de mangas temos q dar oportunidades

  2. shamps disse:

    Nossa, fiquei surpresa agora O_O um mangá yaoi e brasileiro? lol
    Adorei… será que vem p\ essas bandas? E com 12 volumes?

  3. Tanko disse:

    Obrigada por citar e linkar nossa entrevista. ^^

    Eu concordo que o trabalho da Shirubana tem bastante espaço para evoluir e realmente com as compras, ela vai ter essa oportunidade de continuar se aprimorando.

    No entanto, apenas para reforçar o que você disse sobre a evolução após a primeira publicação, apesar da Shirubana ser mais velha do que a Érica Awano quando começou a publicar, Holy Avengers não foi o primeiro trabalho profissional da autora. Caso você se lembre, os primeiros trabalhos dela já mostravam bastante talento… mas não tinham ainda o mesmo refinamento de Holy Avengers. (deixando claro aqui que admiro muito a Erica e acho que ela é das melhores artistas nacionais de fato e direito)

    Enfim, quanto ao preço, é natural que publicação nacional seja mais cara, pois as páginas precisam ser pagas ao artista e não têm uma fama prévia para garantir o sucesso no ponto de venda como acontece com investimentos mais “certeiros”. O mercado não se amplia não porque não tenhamos artistas de boa qualidade e sim pq se já é arriscado apostar no yaoi japonês por exemplo, imagine em shoujo e yaoi nacional. Onde as pessoas já esperam um produto no nível dos tops japoneses, algo quase impossível com as nossas condições ATUAIS de produção.

    Mas eu tenho fé que aos poucos o mercado evolua e muitos de nossos artistas VOLTEM para o país. ^^

    Holy Avenger, naquela época (e teve inflação pacas de lá para cá) tinha 32 páginas e custava 2,99.

  4. Pingback: Tweets that mention Vitral – Manga Nacional | Gyabbo! -- Topsy.com

  5. roberta disse:

    Pena que nao vai chegar aonde eu moro, mas vou dar uma olhadinha nas bancas

  6. fanfinir disse:

    mangas e animes yui ou yaoi nunca curti. no maximo shonen ou shojo-ai de leve principalmente em anime ou manga comico. mangas muitas vezes sao superiores aos proprios animes, vide Ouran high school host club ou Claymore que estão em circulação no Brasil. Mesmo não curtindo espero que a revista encontre seu mercado e estabeleça seu publico, digo estabelecer no sentido de fidelizar, o que a extinta Conrad havia conseguido ou a atual JBC que ainda esta no caminho.

  7. Leo disse:

    Adorei o post!
    Eu comprei Vitral na AF e gostei muito da história, achei uma ideia interessante e bastante criativa. Achei a arte muito bonita em alguns momentos, como na capa e na cena do Vitral, mas concordo plenamente com você sobre o traço de uma forma geral. Mas isso eu até relevei, afinal a obra é bem legal! Provavelmente comprarei os outros volumes futuros em algum evento de anime, já que não encontrei em nenhuma banca até hoje.. :/

  8. Leandro disse:

    Mangás >>>> abismo >>>>> Animes

    Quanto a Vitral, não sou fã de yaoi, então passarei longe. Mas acho uma inciativa muito interessante. Espero que tenhamos uma produção de mangás cada vez mais profissional no Brasil.

    Agora, meu sonho mesmo é ver Holy Avenger sendo lançado novamente num formato mais requintado. Sonho…

  9. murilo disse:

    Não encontrei Vitral por aqui em bancas. O único lançamento da HQM que encontrei por aqui foi Who Fighter, que, aliás, é bem louco. Se puder, compra.

  10. Cacá disse:

    Adorei o mangá. As editores deveriam investir não só em mangás, mas tb com photobooks de doramas, artistas japoneses e outras coisinhas mais!

  11. Querubin_navalha disse:

    nao sou fã de yaio,mas isso já é um grande passo para o mercado brasileiro de HQs
    o bom agora seria umas HQs num estilo de mangá mais violento tipo Afro samurai , Claymore ,ou algo mais sinistro como D.gray man e hellsing ,não desprezano Vitral mais seria muito + loko um trampo assim cara

  12. Raki disse:

    Parece que só agora me toquei, mas Soni e Shirubana soam como versões na fonética japonesa dos nomes reais (Soni é quase idêntico, mas foi suprimido o “a” final, enquanto com Shirubana foi usado o som de “r” para o “l” e o som de “b” para o “v”).

    Comprei o mangá recentemente, e tenho que dizer que superou minhas espectativas. Fui com um pé atrás, não estava botando muita fé na obra por ser feita no brasil (trauma de produções como “mangá do corinthians” e coisas do gênero). Apesar de não ser perfeito, o traço é muito melhor do que eu esperava que fosse, assim como o roteiro. Ainda há o que melhorar, mas é um bom início e incentivo para a publicação de mais mangás nacionais, o que é muito interessante.

    Não consegui encontrar o título na maioria das bancas pelas quais passei (e foram várias), por isso tive que ir até o fim do mundo caçar o tal mangá na Comix. Cheguei lá e perguntei pelo mangá. O vendedor me disse que “nunca ouviu falar nisso, mas que absurdo”. Fui eu que tive que ir procurando pelo “mangá rosinha”, como eles mesmos disseram. Pelo jeito, divulgação e distribuição continuam sendo obstáculos na rota dos mangás até os leitores. -.-

  13. Aka disse:

    Comprei o Vitral pelo site da Comix, to esperando chegar.Pelos comentarios ele deve “superar” as minhas expectativas. Espero que seja bom.PS:Muito bom o post ^ ^

  14. Brunna disse:

    Comprei “Vitral” e “O Principe do Best Seller”, li ambos (agora a pouco) e recomendo! Muito legal. Cada um com um estilo próprio (vitral é drama, e o principe eh comedia/suspense), mas vale à pena! Parabéns à Soni e Shirubana ^_^ v

  15. Jessy disse:

    Nossa, eu não vi esse mangá ainda (e estava no AF bem no dia 17, que vergonha! Tá que eu estava preocupada com o fato do meu celular ter sido roubado, mas enfim -q)
    E mesmo não sendo fã de Yaoi – mas também não odeio – eu vou comprar (acho que se não encontrar em nenhuma banca eu provavelmente vou encontrar em algum evento de anime ou na ComixFest). Pra quem paga 10,90 em um volume de Nana 6,90 não é nada, mesmo que não tenha nem 70 pags…(o que faz elas realmente parecerem influenciadas pela Clamp, já que é a mesmo tamanho de Tsubasa xD)

  16. Gabriel disse:

    Comprei hoje esse mangá e me decepcionei com o tamanho, mas o traço é razoavelmente bom e eu achei o enredo foi bem legal tb, além de ser um grande incentivo ao mercado internacional.

  17. Karina Rodrigues disse:

    eu quero ler esse manga mas ele e de qual editora e será que chega aonde eu moro torço que sim nacional e yaoi (sei que não usam mais esse termo mas eu prefiro ele)
    ^ . ^ espero que chegue logo.

  18. JoO disse:

    Gentem, vcs podem adquirir Vitral e o Principe do Best Seller no site do Estudio Futago ou no próprio site da Comix.

    O mangá não estará em todos os lugares do país. Eu comprei pela internet e adorei.

    No site delas, vc pode comprar Vitral e o Principe juntos que sai bem mais em conta (o custo de só um frete) e se divertir bastante.

    Vitral tem um enredo que promete muito e O Principe tem o intuito de realmente intreter e divertir, com um grande mistério como pano de fundo. Mesmo com cerca de 70 páginas, a qualidade é muito superior a mangas que se encontra nas bancas. A qualidade do material + a qualidade do mangá faz valer cada centavo!

    =****

  19. Bruna disse:

    Realmente é uma surpresa encontrar um manga Yaoi como o VITRAL. Recém conheci ele, e só de ler o inicio dele, percebi que realmente é muito bom. POR QUE? Primeiro porque AMO YAOI, segundo porque AMO animes e mangás e terceiro porque o roteito, os traços dos desenhos e o enredo é maravilhoso. VALE A PENA LER *-*

  20. sarah kimberly disse:

    putz esse manga é´muito bom!tambem eu sou fã de yaoi,mesmo nunca tendo um manga nesse genero!ja que so agora virei otaku!otimo!se prescisa de mais paginas!ne?!!

  21. agnaldo disse:

    Vitral é OTÍMO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  22. Joah Julyen disse:

    Sim é muito bom, comprei recentemente em Roraima, também nunca pensei em achar por aqui um Yaoi e brasileiro O_O… o traço é perfeito e o enredo parece ser muito interessante, vou comprar logo também Principe do Best Seller, também parece ser interessante.

Os comentários estão encerrados.