Qualé? Tem problemas com Fairy Tail? (via Mais de Oito Mil) – Traduções e adaptações do inglês

Falar sobre esse tipo de coisa é chover no molhado, por isso não irei fazer um post próprio, apenas opinar por essa ferramenta do WordPress.

Já tivemos o ótimo post do Anikenkai e agora o instigante e crítico da Mara do Mais de Oito Mil sobre o caso do (mais conhecido por ser) dublador Guilherme Briggs estar traduzindo e adaptando mangas pela editora JBC. Primeiro foi Tenjo Tenge com dezenas de gírias que na sua maioria das vezes não alcançam boa parte do país e agora temos Fairy Tail, shounen muito esperado pelos fãs.

A questão é, a crítica não pode cair somente em cima de Briggs. Quem o contrata, possivelmente em busca da fama do seu nome no meio, é no fim o verdadeiro culpado. Ele está ali fazendo o trabalho para qual é pago, vai recusar? Besteira, Briggs não é um otaku que ama mangas. Pra falar a verdade poucos dos fãs com um bom nível de inglês e querendo emprego deixaria passar uma chance dessa.

É claro que é preciso discutir o nível das suas traduções/adaptações, gírias em mangas deveriam ser praticamente banidas. Gírias são expressões limitadas a determinados grupos, já somos um nicho fechado demais para que mesmo dentro dele existam maiores barreiras. Mas a questão maior é o fato da editora JBC (leiam bem, “Japan Brazil Communication“) aceitar que seus mangas sejam traduzidos do inglês e não do original. É algo factível que em toda tradução se perde algo, imaginemos então uma tradução da tradução? É a mesma coisa que tirar uma xerox de uma xerox de uma xerox… durante o processo o original se distorce em meio a falhas e vira uma massa negra.

Nunca conversei com o Briggs, nem pelo Twitter, apesar de conhecer sua fama. Sou fã das suas dublagens, mas isso não pode fechar meus olhos e nem deveria fechar o dos outros consumidores de mangas. Quem é fã deveria dizer, não somente por palavras, mas por ações, como não comprando mangas traduzidos fora do original sem uma explicação plausível (o que não é o caso de Fairy Tail), para as editoras que não irá mais aturar isso.

Infelizmente sei que quem compra manga não entraria em uma “campanha” dessa, mas essa é a minha opinião pessoal. A JBC tem em seu currículo casos e casos de desrespeito com o consumidor que foram sanados com o tempo (pelo menos hoje em dia as folhas não voam ao se abrir um manga em mais de 30º), será que a pressão dos fãs não poderia fazer com que esse outro problema também fosse resolvido?

PS: Ser revisado do japonês depois como afirmou o próprio Briggs em um tweet direcionado ao Didcart só piora a situação. Se tem alguém que sabe japonês, e um é revisor, e se tem o original em mãos, por que se insistir nessa tradução da tradução? Simples, pelo nome envolvido. Isso que é acreditar no potencial dos seus produtos.

Qualé? Tem problemas com Fairy Tail? Esse final de semana rolou o Sei-Lá-que-nº Fest Comix em São Paulo, evento que não pude prestigiar porque eu tinha mais o que fazer. Mas o Mais de Oito Mil mandou um enviado especial para o evento (o meu namorado). Além de se esquecer de comprar as coisas que eu pedi (tipo o livro da Sandrinha) ele ainda me traz o que eu não queria. Sim, minna, meu kareshi querido me trouxe o primeiro volume de Fairy Tail. E por que eu não queria Fairy Tail? Porq … Read More

via Mais de Oito Mil

Esse post foi publicado em Artigo, Mangas, Mercado brasileiro de mangas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Qualé? Tem problemas com Fairy Tail? (via Mais de Oito Mil) – Traduções e adaptações do inglês

  1. Panina Manina disse:

    Já é, é nós na fita. Perdeu preibói.
    Voa bruxão.

  2. Pss disse:

    Pois eh, mas eu ainda achei sua abordagem mais apropriada. Eu gosto do trabalho do Briggs como dublador, e não me incomodo com algumas adpatações, mas pelo que pude perceber, ele forçou um pouco a barra…

    Quando tentou se justificar então, piorou a situação!

    Mas eu tentei dizer isso no Mais de Oito Mil e fui massacrada nos comentários…. Gosto muito do seu trabalho, é um pouco mais imparcial e profissional. Não que a Mara seja ruim, afinal, a proposta é diferente, mas as pessoas que a companham…

    Enfim, deixando isso de lado, parabéns pelo blog (eu acompanho algumas coisas e comento pouco então…)

  3. Pingback: Grande Debate – Tradução de Mangás (via Mais de Oito Mil) |

Os comentários estão encerrados.