Vale a pena fazer um blog autoral?

Olá pessoal, como está o Carnaval de vocês? Pessoalmente eu não sou muito fã desses festas carnavalescas, mas quem não gosto desse tempo de folga que vem com elas? Apesar de ter que estudar muita coisa nesse tempo, ontem pude me divertir bastante com umas amigas e já valeu a pena.

Hoje o assunto no Gyabbo! não será sobre algum anime, um manga, dorama, filme ou outra forma de entretenimento pop japonês. Na verdade eu fiquei um tempo pensando se deveria escrever esse post, pois ele fugiria muito da proposta do blog, mas por fim achei válido.

Ontem eu recebi uma pergunta no meu Formspring (adoro quando chegam perguntas passíveis de virarem posts!) e que rendeu uma resposta um tanto quanto longa e reflexiva. Mesmo assim, pensei que poderia escrever mais sobre isso e cá estou. A pergunta foi a seguinte:

fazendo um blog exclusivo sobre reviews e críticas, você não fica com a impressão que esta falando pra minoria? Enquanto um site de reencode tem mais de 5/10 mil acessos diários, o seu deve variar de 200 a 500. Não é perda de tempo? Pessoal não lê. (sic)

http://www.formspring.me/Gyabbo/q/168474651498943442

Vocês podem ler minha resposta inicial lá, mas vamos ao que interessa.

Esses dias eu estava conversando com o Didcart, do blog Anikenkai, pelo msn e ele me passou um texto bastante interessante de um blog estrangeiro chamado Tsurupeta.info. Nele o autor destrincha com bom-humor um post de outro blog, mostrando a superficialidade com que certos blogs abordam alguns temas e escrevem, buscando passar uma imagem de intelectuais e conhecedores acima da média sobre o fandom, o Japão e outros assuntos, neste caso específico, o moe. Mas não é sobre isso que quero falar (apesar de ser um bom texto, recomendo a leitura). Comentei com o Didcart a impossibilidade de se classificar blogs de anime brasileiros dessa forma pela pequena abrangência que temos e mesmo por sua quantidade pequena. O máximo que podemos fazer é falar de pessoas e opiniões, não de grupos semelhantes de blogs. Estamos em um estágio onde a divisão possível está apenas no foco de cada site/blog (sites de notícias, de review, de opinião etc).

Isso posto, devo concordar com a pessoa que fez a pergunta, estou falando para uma minoria. Agora vamos pensar no quão válido é isso.

Na minha resposta original eu quis ressaltar uma diferença fundamental entre blogs de opinião e sites de reencode; a criação.

Antes que você pense que eu estou desprezando sites de reencode, devo afirmar que acredito que eles cumprem um papel importante dentro do fandom. Se a ideia inicial dos fansubs é justamente possibilitar que o maior número de pessoas tenham acesso aos títulos que inicialmente não viriam para o Brasil, com o intuito de criar uma base de fãs grande o suficiente para justificar a vinda dessa material para cá (estou sendo muito romântico?), acredito eu que seria quase uma obrigação (vejam bem, “quase”, ninguém é obrigado a nada) dos fansubs disponibilizarem versões em formatos com menor qualidade de imagem/áudio, mas com menor tamanho de arquivo também, a fim de permitir que pessoas com internet mais lenta e computadores menos potentes possam fazer parte desse público também. Na falta dessa ação pelos próprios fansubs, realizadores das traduções e de todo o processo trabalhoso que envolve um fansub, entram os reencoders.

Meus questionamentos surgem de um tecla que eu já bati bastante por aqui: plágio. Por mais que o material original não pertença aos fansubs, todo o trabalho dispendido pelos mesmos para trazer as dezenas de títulos tem que ser respeitado. Sendo assim, nunca irei julgar como bom o simples reencode “não-oficial” de material alheio, também conhecido como roubo, o que vemos em centenas de sites iguais, disponibilizando o mesmo material (muitas vezes roubo de outros reencoders), principalmente das séries shounen mais famosas. Quer fazer esse trabalho que de fato é importante? Converse com um fansub para pedir sua permissão.

Logo, um site genérico de reencode, com suas milhares de visitas não é nada além de uma máquina de xerox.

Já um blog de opinião, review, colunas, críticas, por pior que ele seja (não quero fazer um julgamento de qualidade), a partir do material que cada pessoa assiste ou lê, cria-se uma forma de ver esse material que é totalmente única. Por mais que a sua opinião seja semelhante com a minha, as nuances que a sua subjetividade carrega e imprime nas suas opiniões fazem com que ela nunca seja igual a de nenhum outro. Isso resulta em algo bem simples, a não ser que outra pessoa tenha passado pelo processo de plágio, em cada blog você irá encontrar uma criação derivada daquele anime/manga/dorama/etc que é única. Me desculpem as pessoas que não gostam de explorar essas infinitas possibilidades, mas isso é algo incrível!

Todo esse processo de criação me permite um investimento gigantesco da minha personalidade, ainda que eu mesmo nunca vá conseguir esgotá-lo. Ver, ler, pesquisar, refletir, pensar, escrever, reescrever, discutir, isso é algo incrivelmente satisfatório. Por mais que números altos de visitas sejam coisas ótimas de ver, nunca irão superar o prazer que vem desse processo. Por isso que blogueiros gostam tanto de comentários, não pelos números, mas por possibilitar essa troca de opiniões que enriquece e é fundamental para quem é fã. Ser fã de algo sozinho, sem trocas de experiências é algo vazio.

Isso significa simplesmente, que números são sim importantes, quem disse que um dia eu não irei alcançar esses 5 mil acessos diários? Mas que antes deles existe algo muito mais importante, o relacionar-se diretamente com esse meio. Por mais que o número de leitores seja pequeno em comparação ao número de pessoas que baixam/assistem animes, esse grupo ainda existe e felizmente posso afirmar que também existe um público cativo de leitores do Gyabbo!, conseguido com muito trabalho.

O Brasil é um país que dizem as estatísticas, infelizmente, lê pouco, por diversos favores (preço, cultura de leitura como algo chato, falto de incentivo familiar etc), e eu acredito que cada pessoa que lê e/ou escreve, deve instigar os outros a fazerem o mesmo, seja no seu trabalho, faculdade ou mesmo no hobbie que você escolheu para você. Espero fazer minha parte.

Por último, queria dizer que se você faz parte desse fandom de alguma forma, não se engane, escrever sobre ele é algo fantástico e que vale muito a pena. Gostaria muito de ver mais blogs nacionais. Vamos trocar opiniões, fazer projetos, discutir, nos divertir!

PS: Já fizemos um Anime Records (podcast meu e do Leo, do Mithril) sobre esse assunto, comentando diversas outras facetas, dê uma ouvida.

PS2: Espero ouvir a opinião de todos vocês, principalmente quem escreve, dizendo porque escreve, mas também quem não escreve, pode dizer o que o impede de fazê-lo.

Esse post foi publicado em Artigo e marcado , , , . Guardar link permanente.

21 respostas para Vale a pena fazer um blog autoral?

  1. Rubiopaloosa disse:

    Sinto a mesma coisa, comecei com meu blog pouco tempo atrás para poder discutir de mangas com as pessoas, é poder falar minha opinião sobre os mesmos. Sempre que vejo um comentário em algum post já fico feliz, é algo muito legal de se sentir, mesmo tento sei lá cinco visitas diárias, já fico novamente feliz, só de alguém ter lido algo que escrevi.

  2. Olá! Sou blogueiro por paixão. A expressão em um blog é unicamente livre de qualquer amarra que outros meios de comunicação possam ter (como, por exemplo, deadline imposto por um chefe, ou pressões de grupos controladores) e, com esta liberdade, pode-se criar conteúdos mais voltados ao seu gosto pessoal. Meu gosto pessoal é a divulgação de poemas e textos meus que já foram lançados em livros, além de críticas diversas de restaurantes, livros ou filmes. Ser um blogueiro é poder variar o tema do blog e poder trocar opinião com os seus leitores. Tenho 4 ou 5 leitores assíduos de meu blog e eles são responsáveis pelas mudanças que venho fazendo no conteúdo do mesmo. Seria ótimo alcançar 5 mil visitas, mas 50 também está bom. Pois a criação livre é o que realmente interessa. Por isso, sou apaixonado por blogs. :)

  3. Panina Manina disse:

    Esclarecedor comentário.
    Acho que concordo com seus postos de vista sobre os assuntos abordados.

    Não sei exatamente como você começou, mas eu simplesmente expressava minha opinião em fóruns. Lia poucos blogs e casualmente fui convidada pelo Nisishima a contribuir com o Subete e utilizo o blog como uma ferramenta para expressar minha opinião. Devo confessar, por essa mentalidade me sinto inferior aos outros blogueiros, porque diferente de vocês preocupados em informar e com habilidades jornalísticas aparentes, eu só quero é tagarelar e continuar tagarelando nos comentários. É como você disse, a melhor parte é poder trocar ideias nos comentários.
    Mas ainda me esforço, tento dar minha contribuição divulgando séries que considero boas e são desconhecidas, mas também faz isso para atrair mais leitores para essas séries e ter com quem comentar.
    Caramba, como faz falta você ler alguma coisa e não ter ninguém para falar depois.

  4. Noots_ disse:

    Grande post (em mais e um sentido); realmente muito interessante. E veio em um momento bastante conveniente para minha pessoa, pois esse é um ponto no qual tenho pensado vez ou outra. Foi muito bom ler algo a respeito.

    É realmente um pena que hajam poucos blogs voltados para a cultura japa em nosso pais, ainda mais para pessoas como eu, adolescentes recém-iniciados nesse meio, sedentos por informações e opiniões. Também acho que isso está conectado a fatores sociais, não só a pouca leitura, mas também ao habito de não aprofundar-se naquilo que lê/assisti, mesmo que se goste. Uma vez que não temos confiança e embasamento para falar sobre algo, não falando.

    Bem, comecei um “blog de opinião”, se é que assim pode ser classificado, há cerca de 2 meses. É meio engraçado, pois, como já disse, tenho pouquíssimo tempo e conhecimento relacionado à cultura nipônica, logo o blog não tem proposito. Acho que o criei apenas para falar sobre as coisas que vou assistindo, descobrindo e pensando, mesmo que de forma leiga e porca, afinal, antes de mais nada, acho escrever divertido. Infelizmente, tal como o conteúdo que coloco na net, não tenho nenhum outro proposito ou justificativa. Ah, acho importante frisar que os poucos blogs sobre animes que temos, sobretudo o Gyabbo, foram os grandes culpados para que isso ocorresse; e não, isso não é necessariamente algo bom . XD

  5. Fanfinir disse:

    Creio que o objetivo de um blog independente de sua linha seja informacional. Eu ja tentei por duas vezes montar um sobre historia, porém entendi que não daria certo pq me falta a vontade de escrever diariamente e não vejo nas pessoas interesse em saber sobre isso. Quando um assunto é badalado fica mais facil ou quando vira modinha como anda acontecendo com a cultura japonesa hj (entenda cultura no ambito musica e anime/manga). A pessoas que, como no seu caso, tem paixão e escrevem para pessoas interessadas e eu sou melhor comentarista do que criador nesse sentido o que me leva a gostar muito de ler artigos daqui e sempre responder. Acredito que a qualidade de uma resposta valha mais do que mil posts inuteis e aqui sempre me deparei com respsotas bem montadas e contraditorias, mas sem bobagens o que ao meu ver serve de atestado de qualdiade do blog e aqui, com certeza é um momento de prazer e relax, pois escrever e ser correspondido de forma inteligente e respeitosa é uma sensação única.

  6. Feiquiman disse:

    Ah, eu me lembro da época em que um blog era apenas um “diário virtual” (falando assim, pareço um velho) e os únicos compromissos eram: falar o que quiser, pra quem quiser, quando quiser.
    Mas o mundo evoluiu e, como tudo nessa vida, o blog se tornou uma ferramenta comercial, uma plataforma com a qual muitas pessoas ganharam dinheiro e fama (não que haja algum mal nisso).
    O problema é que, para conseguir cada vez mais leitores/seguidores e, consequentemente, alcançar a fama, substituíram a espontaneidade de um blog por tudo aquilo que fizesse mais sucesso.
    Consequencias: blogs (e sites) sem personalidade e sem conteúdo próprio, cópias de fórmulas que fizeram ou fazem sucesso, e; blogueiros sem paixão, que postam, não porque gostam de escrever ou se expressar, mas, porque se sentem obrigados a “agradar a massa” para aumentar sua fama.

  7. Roberta disse:

    Desde pequena, eu sempre gostei muito de ler, conseqüentemente, eu precisa conversar com meus amigos a respeito de tudo que eu lia . Na época, foi bem fácil pois eu curtia HQs e livros infanto juvenis, tipo a Coleção Vagalume, então achava bastante coleguinhas pra trocar idéias durante as aulas e no intervalo. Lá pelos 13 anos, eu comecei meu primeiro blog, que era um tipo de diário virtual. Logo depois eu transformei ele em um blog onde eu postava poemas, feitos por mim. Como nessa fase, garotas se apaixonam muito facilmente (e conseguetemente sofrem com isso), assunto não me faltava. Mas por algum motivo, acabei largando ele.

    Lá pelos meus 14 anos, eu tentei implacar outros blogs sobre diversos assuntos, mas sempre acabava desmotivada e largava tudo, pois faltava o ingrediente principal: paixão. Logo depois, me descobri completamente apaixonada pelo universo do entretenimento japa (não que tenha sido ai meu primeiro contato com animes e mangás), com isso passei a participar ativamente de foruns de discussão, mas é aquela coisa né, você constroi todo um comentário bem articulado e perfeito, mas acaba que logo depois ele se perde no meio de tantos. Sem falar que, eu queria expressar sobre outros gêneros que eu também curtia e via pouca gente comentando. Eu realmente amo escrever, mas ainda me falta técnica, pois escreve tudo na empolgação e as vezes acaba não ficando muito legal. Mas é muito bom, ver gente que acaba gostando (mesmo que eu não goste) do que escrevo, pois em primeiro lugar, escrevo pra mim, sobre o que eu to afim. Mas se o que escrevi, atingir ao menos 2 ou 3 pessoas já é legal e algo bem válido. Tipo…eu não estou falando sozinha né.

  8. Toikak disse:

    Eu já tive um blog onde eu falava sobre assuntos random (variados), mas acabei decidindo abandoná-lo para criar outro num formato bem diferente, tão diferente que já estou há um mês pensando nisso. xD
    Vou falar sobre o “mundo otaku” também, mas provavelmente não será o tema principal, acho que até abril eu farei o que preciso pra lançar o blog.
    Enquanto isso vou juntando dados…

  9. Mara disse:

    Aqui tá parecendo reunião do AA.
    “Oi, meu nome é Mara e eu tenho um blog de cultura japonesa”
    Brincadeiras à parte, eu acho que vale a pena sim ter um blog autoral. Sou daquelas que acredita que se tem qualidade, as visitas vão acabar crescendo naturalmente e lentamente, e você terá seu trabalho reconhecido.
    E daí que não tenho downloads no meu blog? Prefiro continuar a escrever minhas babaquices e saber que pelo menos um número de pessoas considerou a minha opinião, podendo concordar ou não.

  10. @Açougueiro@ disse:

    Sempre acompanho este blog e mais alguns pelo motivo que você expressou no texto. Quero saber a opinião dos outros. Sempre tento deixar algum comentario pelo menos em um dos blogs do qual leio. Mesmo que esporadicamente. Você acha que algo foi interessante ou algo não foi, mas fica aquela duvida. Será que isso agradou alguem alem de mim? Ou o contrario.
    Blogs de re-encoder são um mal nescessario. Fiz algumas traduções medievais a algum tempo e acho que desde que o re-encoder de os créditos como sendo de quem os produziu de verdade acho valido.

  11. Suzi disse:

    Você falando como se o seu blog fosse um fracasso…XD

    Ora..eu gosto de vir aqui [embora, não venha sempre]. Há coisas para se discutir, e pessoas que leem o seu blog. Ah,sim, esse negócio de visitas deixa o povo neurótico. Não se deve escrever em função disso. Mas, visando um possível leitor. (Você deve ter seguidores que comentam aqui com frequência, não é?). Acho muito válido manter um blog de opinião, desde que ele seja inteligente. E outra, o seu ainda vai crescer mais (Ah,sim, conheci o blog do Diogo antes do seu).

    Bye

    o/

  12. Suzi disse:

    Sabe o que seria legal? Se você respondesse aos comentários ^^..rs! (Deixa uma resposta embaixo)

  13. Denys Fantasma Almeida disse:

    @Rubiopaloosa

    Às vezes fico pensando o número de pessoas que lêem e não comentam. Já vi algumas campanhas de blogueiros para que as pessoas comentassem, realmente faz um grande diferença.

    @Patrick (Matu)
    Esse é um ponto bastante interessante que você levantou, a liberdade (apesar de eu não acreditar que ela seja plena) que os blogs gozam frente aos outros veículos de comunicação como jornais, TVs e sites. É com certeza outro grande diferencial.

    @Panina Manina

    Tive uma trajetória semelhante com a sua; na falta de pessoas com quem discutir o que assistia/lia fui para os fóruns, mas lá, apesar dessa possibilidade de troca, não era o suficiente, precisava de um espaço maior pra poder colocar o que pensava, daí veio o blog. Acredito que cada um tem seu estilo, e isso é outro diferencial dos blogs, você não precisa ter “habilidades” pra isso, mais importante é saber escrever corretamente, o resto é totalmente livre, mais importante é passar as suas ideias e criar discussões. Sempre achei que o mais importante de tudo isso é que mais pessoas entrem ou se aprofundem nos bons títulos.

    @Noots_

    É realmente uma pena, seria muito bom se tívessemos uma gama maior de blogs dessa área no país, mas blogs que se levam a sério mesmo. Eu tenho o costume de me chamar de “Falante”, não acredito que você precise ser um grande conhecedor da área pra criar um blog do tipo, importante é saber se expressar, você vai aprendendo as coisas, ninguém nasce sabendo. Vai fundo, cara!

    @Fanfinir
    É, também não é como se todo mundo fosse querer/gostar de escrever um blog, também não é assim. Mas acho que quem comenta tem um papel fundamental dentro desse processo, sem vocês as coisas ficaram com um pouco menos de sentido já que seria uma mão de mão única.

    @Roberta
    É, por mais que fóruns sejam ótimos para discussões, eles geram discussões muito rápidas, na maioria das vezes superficiais. Ou mesmo são alvos mais fáceis de trolls, não dão toda aquela liberdade que a gente quer e nem o retorno esperado. Acredito que se escrevendo decentemente, respeitando a gramática, o resto é resto, ninguém precisa ser um Machado de Asssis, mais importante é o sentimento, a opinião, o que você coloca no post.

    @Toikak
    Ficaremos no aguardo por esse novo blog!

    @Mara
    uhahuahuahuahua Pior que parece mesmo!
    Concordo com você Mara, tendo qualidade, o crescimento acaba sendo uma consequência, é só trabalhar bem nisso. E “Prefiro continuar a escrever minhas babaquices e saber que pelo menos um número de pessoas considerou a minha opinião, podendo concordar ou não.”

    @@Açougueiro@
    Obrigado por acompanhar o blog! É o melhor que os blogs autorais podem oferecer, opiniões. Como diria minha professora de Psicologia Social há muito tempo atrás, o homem é um ser social, é sempre bom poder fazer essa troca. E de fato, sendo um trabalho creditado, permitido, os reencoders tem seu papel sim.

    @Suzi
    Eu ia responder os comentários, só estava esperando acumular. rs.

    Felizmente não é um fracasso!
    Realmente não dá pra escrever pensando no número de visitas, isso só trava o autor. Como a Mara comentou, mais importante é escrever com qualidade que o resto é uma consequência do seu bom trabalho.

    Gyabbo!

  14. Maki disse:

    Oii,animeoishii dando uma passadinha nos seus parceiros :33, tudo bom? enfim, eu acho que ser blogueiro é uma coisa que veem da pessoa, se ela deseja se esforçar ao máximo naquilo,ser original e adquirir seus fans,ela consegue! sendo original e criativo, mas não acho válido ter uma maquina de xerox ,nomea-la de blog e pronto,ter lá os seus acessos.bom,esta é minha opnião.

  15. Suzi disse:

    ^^ Até responder faz a diferença…Quer ver?
    Eu só voltei pra ler a sua resposta..rs!

  16. Hidekee disse:

    Concordo com seu post, pois sempre defendi a idéia de que qualidade vem primeiro que quantidade. Desculpe-me mas para quem se importa com números demais está se guiando errado. Meu blog comecei pq uma amiga inistiu tanto que comecei a fazer. Por ironia ela desistiu do dela em menos de 1 ano hahahaha… E considero o seu, o meu e mais alguns que acompanho um blog bem pessoal e isso é muito bom, pois acabo de certo modo conhecendo seus pensamentos sobre um ou outro assunto e podemos trocar idéias aqui e ali. Nesse aspecto valorizo muitos blogs, mesmo que eu seja como muitos e nem sempre comente hahahaha…

    Sobre sites de reencode, não considero-os como blog, pelo menos os que visito. Nos que baixo eles fazem questão de dizer o fansubber que fez o anime e até colocar mais de um fansubber, pq fansubber A tem estilo diferente do B e etc… Não pego de sites “genéricos”, onde nem é citado de onde pegaram, acho isso péssimo, especialmente eu que sou bem chato para ter um anime todo de um só fansubber XD

    Ah sim, vc citou bem a motivação de recorrer a sites de reencode, mas há um que faltou e para mim foi o principal motivo de mudar do MKV para MP4: ESPAÇO EM DISCO! Sério, com animes cada vez maiores em Mb e como baixo mtos animes e não deleto qqer um (só os que detestei, como Ikkitousen) e sim gravo em DVD, acaba ficando ridículo ter uma série dividida em 3 DVD’s, como já ocorreu comigo algumas vezes. Enquanto isso vejo bem no MP4 e o custo benefício me agrada e muito. Por isso sites de reencode são uma boa e só vejo eles aumentarem, pois é inversamente proporcional ao aumento dos tamanhos dos arquivos, já que aqui não podemos comprar todo o mês um HD externo de 1 Tb hahahaha…

  17. Alexandre disse:

    Bom, sendo breve: para mim o importante é identidade. Encoders podem ter mais visitas mas não são referência.

  18. Pingback: Punch versus sites de reencodes: Onde os fãs se encaixam? |

  19. Pingback: 3 anos de Gyabbo! – A consolidação de uma trajetória |

  20. Jasque disse:

    Acabei vindo aqui nessa postagem linkado de uma postagem de 2012 ^^

    Na verdade meus blogs nunca deram exatamente muito certo…
    Comecei um blog que teve só uma postagem de review.

    Mas por incrível que pareça foi o suficiente para eu ser chamado para uma equipe de outro blog, toda composta por amigos de uma comunidade do Orkut.

    O Blog se chamava Cidadão Kang.

    Aqui um fantasma dele:
    http://cidadaokang.blogspot.com/

    Nome que foi decidido por votação, e o resultado final foi um dos meus nomes adaptados- o original era Cidadão Liu Kang.
    Houveram divergências quanto a isso, eu mesmo não me orgulho tanto do nome lol.

    Como eu era o único que era considerado o mais ‘otaku’ na época eu comentava sobre os animes e mangás(de forma bem medíocre, nem escrever eu sabia direito).

    Foi uma experiência legal, mas acabou terminando por vários motivos. Os postadores perderam o interesse, e era difícil manter um blog que falava sobre assuntos muito distintos.

    Ele falava de futebol, cinema, literatura, anime, etc. Ficava difícil manter um foco.

    Aí depois de um tempo, minha eterna amiga siamesa Vilã me falou sobre um cara. Um que decidiu ler Harry Potter e comentar sobre ele, e postar suas primeiras impressões depois que todo mundo já tinha lido e assistido. E como ele tinha feito sucesso.

    Peguei o nome que ela me sugeriu e criei o blog.
    Hoje acho que comecei ele meio errado, falando sobre episódios de um anime que eu não gostei.
    E o blog acabou ficando um tempão sem atualizar.

    Aí no final do ano passado eu decidi reviver este blog…
    Agora meu objetivo é simplesmente postar sobre o que eu gosto, ou sobre qualquer coisa que eu tiver afim. Normalmente estou postando reviews de episódios da temporada – que já estão um tanto atrasados, mas…como disse, o que importa pra mim é escrever sobre o que gosto, que são os Animes.

    E eu gosto muito de Anime.
    Sei que falo um monte de besteira lá, mas tento ao máximo ser sincero.
    Eu adoraria poder escrever esse monte de metáforas e tecnocracias dos outros blogs de review e análises de anime (sério, eu acho bonito e até leio eles sempre no tempo livre), mas não tenho capacidade, infelizmente…

    Então eu sempre estou comentando de forma bem humorada, que é o que eu sei fazer(há controvérsias).

    Nossa que comentário gigante o_o
    Eu vou é dormir, falou.

  21. Senpai disse:

    nossa, disse tudo!
    o blog é uma forma de expor suas opiniões sobre os anime/mangás que você lê/vê, além de também deixar mais acessível para o público esse determinado anime/mangá de que vc está falando. Quem nunca lê uma sinopse antes de ver um filme.
    a gente pode não receber tantas visitas, mas receber um comentário no seu blog, positivo ou negativo, vale por mais de 1000 acesos.

Os comentários estão encerrados.