Nichijou – Primeiras impressões

E começa a onda de posts com as primeiras impressões dos animes da temporada de primavera 2011! Como essa temporada veio com um número grande de animes interessantes, vou (provavelmente) postar em dias um pouco não usuais aqui no blog para dar conta de tudo em um tempo que não deixe os posts sem muito sentido. E para começar, vamos começar com estilo, do jeito mais louco possível: Nichijou.

Nichijou, o mais novo anime do estúdio Kyoto Animation, chega sem pedir licença para ninguém, assim como fez Lucky Star há alguns anos. Baseado em um manga de Arawi Keiichi lançado desde 2006 na revista Shonen Ace e contando atualmente com 5 volumes, Nichijou não lembra Lucky Star apenas pelo non sense e extrema divisão de gostos entre o público, a nova adaptação da KyoAni trás de volta a marca de um anime nitidamente dividido em pequenos sketchs humorísticos baseados principalmente em piadas rápidas, sejam elas visuais ou por diálogos sem muita noção.

Sendo assim, não há como falarmos aqui de uma história. Mesmo em K-ON!, outra obra slice-of-life do mesmo estúdio, tínhamos um núcleo estruturante que poderíamos chamar de história, ainda que a evolução fosse à passos lentos. Já em Nichijou, pelo menos nos episódios 0 e 01, o máximo que podemos estabelecer são núcleos de situações e personagens.

De um lado temos uma casa simples onde moram um gato falante, Sakamoto, aparentemente muito sério, mas com instintos de gato fofo que entregam seu verdadeiro ser, uma garota andróide, Shinonome, que apesar de ter um gigantesco parafuso nas costas ainda tenta esconder do mundo seu “segredo” e Hakase, aparentemente uma cientista (que criou Shinonome) em forma de garotinha.

Em outra parte temos o núcleo da escola, inicialmente bem mais rico de personagens, mas que tem como foco três garotas: Yuuko, Mai e Mio. Poderia citar aqui o peculiar diretor da escola com suas piadas sem graça ou o filho de fazendeiros que se acha bom demais para gastar energias com coisas como andar, então vai de bode para a escola.

Dando uma lida no primeiro capítulo do manga, é fácil perceber que a KyoAni foi bem fiel em muitos pontos, sem deixar de colocar o seu dedo ali, o que é mais do que bem-vindo. Nichijou é um grande desafio por parte de quem assiste pois a mera lembrança de que você pode refletir irá estragar toda a diversão. A questão aqui é se desligar de tudo e rir absurdamente das coisas mais non sense possíveis. O problema é que além de esse ser um formato complicado de se aplicar em uma animação, nem todas as piadas são de fácil acesso. Quando você tem que ir no Google pesquisar o que significa “Selemat Pagi” (“Bom dia” na Indonésia) para entender uma piada, as coisas não ficam tão divertidas.

Apesar de pessoalmente eu ter gostado muito dos dois episódios apresentados até o momento, é fácil prever que não será um anime com muita atenção pelos brasileiros. Lucky Star, de longe o menos “pop” do trio Star-Haruhi-K-ON por aqui, se segurava principalmente pelas referências ao mundo otaku, o que não deve ser muito frequente (se é que aparecerá) em Nichijou.

Algo muito importante a ser destacado é a ótima produção do anime. É importante ressaltar que o diretor desse anime é basicamente o principal do estúdio, Tatsuya Ishihara, muito responsável pelo sucesso que Haruhi Suzumiya goza hoje. A animação é muito bonita, com as cores levemente apagadas, mas com os contornos dos personagens mais fortes. Sendo um anime que se baseia muito no visual e em expressões exageradas, uma animação menos competente poderia facilmente comprometer toda a obra. Felizmente ela só engrandece (achei as cenas do primeiro capítulo do manga melhores em suas versões no anime).

Entre as personagens principais é interessante notar a participação de seiyuu inexperientes. Temos Mariko Honda e Misuzu Togashi nos seus terceiros papeis e Shizuka Furuya em seu primeiro. É para ficar de olho já que as três se mostraram bastante consistência nesse primeiro momento, em especial Honda no papel da mais agitada Yuuko.

Nichijou pode não ser do agrado de muita gente, sendo percebido como cópia de Azumanga Daioh e Lucky Star, mas com um pouco menos de pretensão, temos possivelmente aqui uma ótima comédia para se desenvolver em 26 episódios. Confiram!

PS: Não achei espaço para encaixar no texto, mas Nichijou tem uma abertura bem divertida, a melhor da temporada até o momento.

Esse post foi publicado em Animes, Primeiras impressões e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

13 respostas para Nichijou – Primeiras impressões

  1. Leo-Kusanagi disse:

    nICHIJOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOU!!!!!! #SchoolRumbleFeelings
    Tá certo que era Ichijou, mas impossível eu não lembrar da Lala-san, lol

    Adoro esses animes no estilo de Nichijou, bem sem noção e que funcionam muito bem como valvula de escape quando se vê vários animes de aventura ou ação, é como se fosse o comic relief da temporada. Ainda não assisti mas pretendo ver e comentar em breve.

    Apesar de esperar desde sempre uma continuação de Full Metal Panic que o KyoAni insiste em não fazer, gosto quando o estúdio surge com esses tipos de anime.

  2. Power Otaku ^^x disse:

    Legal o anime de Nichijou! Pelo menos melhor que o chato K-On!! Mas devo confessar que o anime não me fez rir tanto quanto eu esperava. Mas isso é coisa relacionado ao humor dos Japoneses que não faz tanto sentido pra um ocidental como eu. Mesmo que vc entenda a piada deles. Fora isso, sinto que vou gostar dos outros episódios XD.

    Acho a op de Nichijou legal tb. Mas ainda acho a de Hanasaku Iroha melhor.

    Ps: Lucky Star 4ever XDDDD

  3. Fabio Shibuya disse:

    Olá, gostei muito de seu post. (como todos os outros, XD)
    Eu diria que tem muita gente criticando a KyoAni atualmente, um argumento muito utilizado é o fato dela estar fazendo muito uso do character design voltado para “moe”, como foi em Lucky, K-ON e agora Nichijou (o estilo de animação de Haruhi eu não considero moe, assim como a trilogia Air, Kanon e Clannad), porém, creio que essa suposta decadência do estúdio está os deixando preconceituosos com a nova série e nisso eles a assistem com um olhar negativo. Porém, creio que possa ser algo que me entreta tanto quanto Lucky Star já fez. (apesar da dupla Kagami + Konata ainda ser imbatível)
    Obrigado pelos seus posts, sempre é um prazer lê-los
    Obs: Ainda acho que a OP de Hana Saku Iroha é melhor.

  4. douglas de freitas disse:

    Assisti Nichijou esta semana por indicação do Denys. Não tinha nenhuma expectativa no anime, principalmente considerando que animes de comédia não são meu forte. Mas devo dizer que me peguei surpreendido com a série em seu primeiro episódio. Não tinha visto o OVA. Mas gostei muito do episódio. Muito agradavel de se acompanhar. Animação tranquila e relaxante, se é que me entendem, história simples e descompromisada. Sabe este é um anime que vo acompanhar para desestresar. A sensação foi ótima neste primeiro episódio. Acho que sera uma das melhores coisas que vo acompanhar nesta temporada. E devo concordar com o pessoal, a abertura de Hana Saku Iroha é melhor. Não apenas a OP mas também o primeiro episódio me animou muito. Mas…isso fica para outro post.

  5. Revy disse:

    Faz logo um post sobre as primeiras impressoes de X-Men, senaum me engano vc disse q axava q iria ser uma bomba

    Eu gostei muito do primeiro episodio, a Madhouse caprichou na animaçao, fico serio, agressivo e o design dos personagens axei muito bom

  6. Roberta disse:

    Wohh, gostei de Nichijou ein. Eu não rolei de rir e nem nada, teve situações divertidissimas e umas sacadas interessantes como essa ai do Selemat Pagi. E realmente esse lance do pessoal ficar vendo a KyoAni como fabrica de moe é ruim, acho que o pessoal fica muito preso a rótulos D:

    Ótimo post viu, conseguiu passar muito bem o que é Nichijou.

  7. Mirukage disse:

    Eu adorei a abertura de Nichijou. Bem melhor tecnicamente que a de Hana. Mas a de A Channel é surpreedente, não esperava por tanto bom gosto e qualidade.

  8. Pingback: Resultado – Qual será a melhor série de anime da temporade de animes 2011? | Gyabbo!

  9. pedro disse:

    anime nota 10, o primeiro ep foi meio confuso, não entendia pq a menina tinha uma chave nas costas, mas depois eu (que nao ligo mto pra anime) percebi que era um robo e o anime fez sentido! as piadas sao muito engraçadas, o exagero está em nível excelente e a abertura, é DEZ!!!!
    Gostei tbm dos mini-episódios entre as partes de cada episódio, das meninas pulando corda e jogando jokenpo!!!!

  10. ketaro keo disse:

    Eu vejo o anime como uma semelhança a azumaga daioh por causa das protagonistas (mio/ chio – amiga da mio/ tomo-chan), mas estou gostando do anime =)

  11. mah boi disse:

    nao comparem nichijou como uma cópia de lucky star por causa de uma coisa:

    nichijou é engraçado, lucky star é chato pra caramba

  12. Pingback: Os melhores de 2011 |

  13. Pingback: 3 anos de Gyabbo! – A consolidação de uma trajetória |

Os comentários estão encerrados.