Blade – Primeiras impressões

Depois de Iron Man, Wolverine e X-Men chega a vez do caçador de vampiros encerrar a parceria do estúdio Madhouse com a Marvel, que até o momento não vem deixando muitas saudades. Blade, o andarilho do dia, é um personagem do universo Marvel, tendo aparecido pela primeira vez em 1973 na revista The Tomb of Dracula ainda como um personagem coadjuvante. Experenciando um grande crescimento de popularidade, Blade chegou a receber três adaptações para cinema com o ator Wesley Snipes no papel principal.

No primeiro episódio vemos mais uma vez um personagem da Marvel com negócios no Japão – Blade se encontra em Yokohama atrás de Deacon Frost, um poderoso vampiro responsável pela morte de sua mãe, na época grávida do próprio. No primeiro encontro com Frost, Blade conhece uma jovem caçadora chamada Makoto que teve seu pai infectado por culpa de Deacon.

O último anime da parceria incerta mostra ser aquele com menor investimento (financeiro e de trabalho) por parte da Madhouse. Ainda assim, por mais contraditório que possa parecer, o primeiro episódio de Blade se mostrou surpreendemente divertido. Canastrão, mas divertido.

Aqui temos uma animação fraca e sem esforços, possivelmente uma das mais fracas do estúdio nos últimos tempos, junto com um traço feio e datado – tudo soa como um daqueles desenhos da Marvel dos anos 90, como Homem-Aranha e X-Men. Mas é justamente essa tosquice que ajuda o anime a ser minimamente bom. Quem viu os filmes  de Blade pode lembrar que eles não eram divertidos pelo roteiro ou pelos personagens, eles eram bons simplesmente por vermos o caçador matando pilhas de vampiros sem dó e de um jeito cool com aqueles óculos escuros. Aqui é a mesma coisa, nada de uma história complexa ou uma animação espetacular, mas a boa e velha ação despretensiosa.

Não ver Blade não será realmente uma grande perda, mas é um bom anime para sair dos clichês visuais da maioria das séries. Com um ar mais americano do que muitos podem gostar, é o título certo para se ver naquela tarde de domingo morgado. Sem grande emoções, mas divertido até certo ponto.

Não fosse a maior carga de violência presente, poderia dizer que seria um desenho perfeito para vir ao ocidente. Como infelizmente desenho animado para crianças por aqui não pode ter esse tipo de coisa, certamente não veremos chegar ao Brasil.

Melhor do que Iron Man, com um começo mais promissor que Wolverine e seguindo a relativa melhora como em X-Man, Blade não é nenhuma perda de tempo.

Esse post foi publicado em Animes, Primeiras impressões e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Blade – Primeiras impressões

  1. Hidekee disse:

    Esse anime é uma completa perda de tempo…

  2. Se mostrar a boa execução de X-Men (que só falhou um pouco na conclusão), com um roteiro pouco pretensioso e boas cenas de ação, vai valer a pena =D Mas acho que não devo acompanhar.

  3. Denys Fantasma Almeida disse:

    @Hidekee
    Mas você assistiu? Não é exatamente o melhor anime do mundo, mas não chega a ser uma completa perda de tempo, posso garantir.

    Gyabbo!

  4. Wagner disse:

    Eu passo longe desses animes da Marvel, ele são puro sub-produto para atingir o publico otaku nos EUA e tentar popularizar um pouco a marca Marvel no Japão.
    Nada que vale apena.

  5. edson luiz disse:

    eu vi a serie toda e achei legal , vale pelo blade e a gostosa da makoto,tomara que não fique so nessa temporada, tambe acho que deveria passar aqui na tv , nem que seja na tv paga em um horario descente.

Os comentários estão encerrados.