Crunchyroll e JBC – O que é preciso para dar certo?

Na última terça-feira fomos surpreendidos por um post “investigativo” do Subete Animes indicando uma possível parceria entra a editora JBC e o site de conteúdo asiático, CrunchyRoll (CR). Se você não o conhece, o CrunchyRoll é um site de streaming (exibição online, ao estilo Youtube) voltado para o conteúdo asiático, especialmente animes. Diferente de muitos outros sites de streaming, o CR licencia oficialmente seus conteúdos, cobrando do usuário uma taxa mensal para o acesso. Hoje o site possui os direitos para exibição online de mais de 200 animes e doramas, incluindo séries como Naruto Shippuden e Bleach ou títulos recentes lançados quase que simultaneamente com o Japão, como Usagi Drop e Nichijou.

Num período onde as vendas de discos de anime vem caindo nos EUA e a presença dos fansubs é muito forte, um modelo de vendas online baseado no acesso rápido a diversos animes se mostra uma saída muito boa. O Brasil nunca conseguiu se firmar no mercado de home-video de animes por motivos diversos (escolhas de títulos erradas, falta de pesquisa de mercado, produtos sem qualidade, cultura da pirataria etc), mas, sendo a maior economia da América do Sul, não poderia nunca ser esquecido pelas empresas desse ramo.

Apesar de diversos sites do ramo – Como o JBOX – terem noticiado posteriormente, não existiu nenhuma confirmação oficial por nenhuma das partes. Na verdade o gerente de comunicação da JBC, Léo Lopes, afirmou ao Diário Otaku que “a editora JBC não tem nenhum projeto de transmissão de animês online”. Não descretido a informação do Diário, mas tenho minhas dúvidas se essa negativa do Lopes não se dá apenas por não poder confirmar nada no momento. Chega a ser estranha a afirmação do mesmo de que desconhece o sistema de transmissão.

É esperar para ver.

Mas, e se for verdade? E se o CrunchyRoll estiver mesmo chegando ao Brasil pela JBC (possivelmente ajudando na logística local e nos trabalhos de tradução)? Será que dará certo? Pessoalmente eu acredito sim que pode ser um sucesso, mas para isso os envolvidos precisam atentar para certos detalhes:

Preço

Atualmente a versão americana do CR disponibiliza três pacotes: Drama Membership, Anime Membership e All-Acess Membership, juntando as duas categorias. Se você quiser ver só animes ou só doramas é preciso pagar $6.95/mês, algo em torno de R$12. Já se você quer o acesso completo são $11.95 ou aproximadamente R$20 na cotação atual. Pensando que pelo menos em um primeiro momento as novelas japonesas estariam fora disso e com esses preços, tendo em mente que estamos falando de um público-alvo voltado principalmente por adolescentes e jovens adultos, não chega a ser nenhum absurdo, é basicamente o preço da entrada de um cinema nas grandes cidades. Isso para ter acesso a material oficial, hey, nada mal. Mais do que isso se torna um pouco complicado, R$20/mês seria um preço que possivelmente não seria tolerado.

Catálogo

Hoje o site possui mais de 200 séries licenciadas como comentei anteriormente, mas são licenças feitas especificamente para o mercado americano. A não ser que a JBC esteja disposta a investir uma grana muito grande nisso, é difícil de imaginar que o catálogo inicial passe de 30 séries (isso já imaginando alto). Sendo assim, uma mistura bem estudada de séries clássicas, mais ou menos antigas e os lançamentos das temporadas mais recentes é indispensável para atrair o público, diferente do que a Animax realizou. Além disso, se espera uma boa seleção de filmes e OVA. Agradar a todos é impossível, mas é preciso ter bom senso e a escolha desses animes da grade inicial possivelmente selará o destino do projeto.

Qualidade técnica

Aqui temos o quesito mais suscetível à críticas. Uma tradução bem feita, rapidez na hora de lançar os títulos que ainda estão indo ao ar no Japão (até para não ficar atrás dos Fansubs) e a qualidade da imagem (disponibilidade do formato HD 720p no mínimo, o que já acontece na versão americana) são os mais importantes. Fã de anime tem a grande mania de proteger fansubs, considerando-o melhor do que os meios oficiais na maioria das vezes. É de se esperar pessoas falando que não assinam porque “não tem karaoke na abertura” ou que “o meu fansub faz melhor e de graça”. Não que eu ache que devemos aceitar qualquer coisa, de forma alguma. Mas não dá para ser radical com o primeiro erro que surgir, é preciso ter a visão de que faz parte do começo de qualquer empreendimento, só com críticas é que é possível mudar e melhorar.

Certo, agora imaginemos que eles disponibilizem um ótimo catálogo, bem diversificado, com as boas séries do momento, as populares, alguns clássicos. Também acertem na tradução, sejam rápidos na hora de lançar e com o formato HD. Tudo isso por um preço de, digamos, R$10! Seria um sucesso?

Bem… não exatamente. O que muitas pessoas criticam é a impossibilidade de baixar e ter os animes para si, algo muito comum com os fansubs. A questão é que isso deveria acontecer com um mercado de DVDs forte e a entrada do CrunchRoll poderia ajudar em muito. Quando já existe uma média do público de uma série, é bem mais fácil pensar num plano de vendas. Por exemplo, se já estivéssemos com tudo funcionando e Usagi Drop fosse o anime mais acessado e comentado oficialmente no Brasil, o lançamento dos seus DVDs estaria bem mais perto, ainda mais se pensarmos que a própria JBC já está dentro do mercado de dublagem.

Apesar do pessimismo de muitos, eu acredito que, seguindo tudo isso que escrevi, é possível sim ter um produto de sucesso. Há um tempo atrás as pessoas diziam que seria impossível lucrar com a venda de MP3 e hoje isso já é um mercado de milhões.

O Brasil é sim um país marcado pela cultura da pirataria e do acesso fácil, mas um serviço de qualidade sempre terá espaço no mercado. A rede de banda larga está em plena expansão no país (eu mesmo subi para 20MB esses dias) e deve ser o suficiente para o público-alvo. Apesar de tudo ainda estamos falando de um produto de nicho. E justamente por estarmos falando de algo voltado especialmente para fãs é que acredito. Fã, na maioria dos casos, dada a possibilidade concreta e boa, irá sim gastar dinheiro no que é oficial, até mesmo para ajudar os criadores.

Mas agora pergunto para vocês, o que é necessário para algo desse tipo dar certo no Brasil? Ou você acha que não teria como? A palavra é de vocês nos comentários!

(Já curtiu a página do Gyabbo! no Facebook?)

Esse post foi publicado em Animes, Artigo, Mercado brasileiro de animes e marcado , , , , . Guardar link permanente.

31 respostas para Crunchyroll e JBC – O que é preciso para dar certo?

  1. Ketsura disse:

    O Que é necessário? Você citou ali, animes da temporada, eu não pagaria por anime velhos, não mesmo, mas por um anime novo no Japão, eu pago com certeza, e claro a tradução não deve conter aquelas velhas coisas que a JBC ama colocar e que todo mundo odeia: Girias. Eu não nunca vou preferir um serviço onde me mandam uma frase cheia de girias e cês.

    • Amidamaru Reborn disse:

      Eu ocncordo que JBC eagera nas gírias, mas o mangá não é uam linguagem nem um mídia tão formal para descartar as gírias. Seria até preconceito achar que a tradução teria de ser português totalmente padrão. Os cês e cerol na pipa eu ocncordo, mas idzer que não se dev utilizar uma linguagem cotidiana e nem gírias seria pender pra uma tradução ruim, mas pra outra ponta. O que acho é que hpa de se ter equilibrio.

  2. William95_lol disse:

    Olha concordo com o Ketsura na parte do “CÊS”. Nossa como eu odeio isso………. Enfim, primeiramente gostaria de dizer que o post ficou muito bom como sempre!!!!
    Veja bem, gosto dessa ideia, acho uma boa iniciativa para o Brasil, porque nós atualmente temos uma grande quantidade de Fansubs que trabalham de graça, mas ganham com doações e anúncios colocados em suas paginas na internet. Porem eu não assinaria, não porque acho caro, mas simplesmente porque não teria como pagar mesmo XD ……….. A questão é… se tivesse como pagar para ter um produto licenciado e de boa qualidade, com uma legenda realmente boa sem muitos erros ortográficos e gírias, pagaria sem exitar!!!! Afinal se fosse comigo não gostaria de fazer um anime/mangá e não ganhar nada com isso tendo meu produto sendo utilizado por todos sem lucrar nada (nada contra os Fansubs Amo vocês graças a vocês posso baixar anime gratis XD)………………. Porem tenho uma pergunta sim:

    Caso esse projeto seja verdade, não poderia ocorrer o fato de algum assinante disponibilizar o produto na internet????? Para que mesmo aqueles que não pagam nada terem fácil acesso ao conteúdo que o Crunchyroll oferece aos assinantes????? Isso seria muito injusto!!!!

    Desculpem pelo meu longo comentário, se estendeu mais do que eu planejava XD

    Quem quiser: me siga no Twitter @William95_lol

    Um grande abraço Gyabbo õ/

  3. Jacques disse:

    Não costumo ver girias no que assisto do crunchyroll, dependendo o contexto elas podem ser empregadas sem maior problema, desde que no geral combine com o personagem, como ele age e que a grande maioria entenda sem problemas.
    Um fator curioso é, os servidores de stream ficariam nos eua ou no brasil? As vezes a rota e a velocidade de download pode não ser das melhores dependendo da empresa de banda larga de cada um, GVT e Virtua costumam ser mais estáveis, a telefonica ja é mais instável, mas vem melhorando bastante nesses ultimos meses, agora a OI e as outras, pode ser um pouco complicado se tiver servidores nos eua.
    Servidor aqui seria uma boa, mas o seu custo pode ser muito mais caro.

    Outra coisa a ser levantada, maior parte dos tradutores do crunchyroll são ou já foram fansubbers, e, alguns animes traduzidos por eles têm a mesma qualidade dos melhores fansubs americanos, e a qualidade das legendas em sua média costuma ser no mínimo igual a um speedsub.

    ps: vale lembrar que apenas os animes recentes possuem um delay de 1 semana pra serem liberados pra qualquer pessoa ver e, claro, a resolução e qualidade do free member é sempre inferior do usuário que paga.

  4. Panino Manino disse:

    Mais um trabalho investigativo em ação!
    Extra! Extra!

    Acabado de descobrir que o Gyabbo é rico! Muito rico!
    20MB no meio da salva? Território da internet mais cara do Brasil?
    Deve custar uma fortuna e mensalidade diária!

  5. Roberta disse:

    Pow, você já disse tudo do que é necessário para que a coisa vingue por aqui: “disponibilizem um ótimo catálogo, bem diversificado, com as boas séries do momento, as populares, alguns clássicos. Também acertem na tradução, sejam rápidos na hora de lançar e com o formato HD. Tudo isso por um preço de, digamos, R$10! Seria um sucesso?”

    Talvez não inicialmente, mas se eles agradarem os otakus, a coisa pode ser muito bom com o tempo :D :D Agradar que eu falo, é evitar o máximo as falhas. É complicado, mas já tá na hora das empresas se portarem como tal e agente não ficar passando a mão em suas cabeças. Vacilou muito, saiba que fica com a imagem manchada perante os fãs. Vide a Jbc e a Panini com suas politicas questionáveis XD No caso dos mangás, tem o fator que a maioria ainda compra por ser muito melhor te-los em mãos. Já com os animes, inicialmente não é bem assim. Então que caprichem e tomara que dê certo. Muito certo.

  6. Vinicius disse:

    Eu pagaria os 20 reais tranquilo. Estão criticando muito, mas acho que vale muito a pena. O CrunchyRoll é site completo e com vários tipos de atrativos, principalmente os Doramas

  7. R$ 10,00 seria um preço excelente.
    Mas discordo do Ketsura, acho que alguns animes clássicos que não tiveram muita chance no Brasil seriam uma boa ideia. Agora, o ideal para pelo menos tentar agradar a todos é balancear séries de diversos gêneros.

    • Amidamaru Reborn disse:

      Concordo plenamente e viver apenas do que é novo seria ruim. Isso pode dar um gás À mais para muitas séries clássicas e quem sabe trazer um mercado de Home video mais vigoroso à longo prazo. Não custa sonhar.

  8. carlos disse:

    Bom é legal a iniciativa + tem ums porems por ae. o crunchyroll peloq vi nos eua a assinatura é 7 dollares aqui vai ficar por quanto ?

    Outra coisa q percebi não da pra baixar ? eu gosto de assistir e guardar pra ver mais tarde.
    sinceramente se não poder baixar o anime tem 0% de chance de eu assinar , so daqueles que quando vai ver um anime exije qualidade n pego de qualquer fansub(PUNCHIT da vida) esconho um bom fansub gosto de acompanhar o karaoke e tudo mais.

    • Amidamaru Reborn disse:

      Primeiro voê está reclamando de barriga cheia porque pelo dóalr na pior das hipóteses isso sairia uns vinte reais. Segundo: se você não prioriza pela qualidade e quer qq produto na sua mão: sorte à tua. Porque eu não. E isso é uma oportundiade de se ter talvez um mercado de animês no Brasil. Isso que vc demonstra se chama ingratidão ou tirar o cavalo da chuva antes de testar.

      O grande porblema de pensar assim é uqe dá ai m pressão que você não leu nem se informou sobre o produto. Se for ruim ou pouco acessível vai falahar, mas é esse tipo de taitude que tbm faz falaharm uita coisa. Como diria a Sandra: “Fandom muiats vezes mata ao invés de salavar o que gosta.”

  9. Quem aqui paga as músicas que baixa?

    A resposta dessa questão já revela o que irá acontecer caso isso ocorra.

    A única solução realmente eficaz é a extinção absoluta de todos os fansubs. O que eu acredito ser inviável.

    Além disso, acredito que a JBC e o Crunchyroll não investiram nisso já que o retorno não será o esperado. Esperem e verão!

    • Amidamaru Reborn disse:

      Welll…. Cara Música´eu m artigo caro e em geral os serviços por Streaming com séries e filmes tem daod relativamente certo. Pelo menos em ocmparação com o mal fadado baixe por música que acabou não se taualizando. Como isso é u mmercado de nicho, talvez dê certo. Acho que isso aí é só levantar poeira, mas beleza. Cada um na sua. Eu prevejo fracasso por uam razão só: Brasileiro é pé na jaca. Não paga e se vc der uma boa oportunidade ele cospae na cara de quem oferece, mas beleza.

  10. Esqueceram de falar dos doramas, a maioria dos doramas que eu procuro só acho em inglês e olhe lá, acho que os doramas podem ser um atrativo maior do que se imagina e, claro também precisarão escolher os certos.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      @Ketsura
      Acredito que animes antigos (tanto os realmente antigos quanto os relativamente recentes, como Haruhi) seria um bom atrativo sim, principalmente com animes que não chegarem ao Brasil antes. É preciso lembrar que esse não é um serviço da JBC, mas também do Crunchyroll, acho difícil colocarem gírias desse tipo.

      @William95_lol
      Sim, isso já acontece nos EUA, mais claramente pelo fansub HorribleSubs. Mas mesmo nesse caso, quem assina ainda vê antes. Não sei se isso vai realmente acontecer no Brasil, o que é bem provável, mas faz parte da dinâmica da internet. E pode escrever comentários longos.

      @Jacques
      É, essa questão dos servidores é algo a ser observado, mas não tenho nem ideia, só acho que a JBC iria procurar baratear ao máximo o serviço. Espero que não. Sobre a tradução, uma equipe de profissionais e pessoas acostumadas a trabalhar com prazos muito curtos seria o melhor, creio.

      @Panino
      Há um tempo atrás eu iria concordar, mas a NET daqui resolveu melhorar e está oferecendo melhores conexões pelo mesmo preço de antes.

      @Roberta
      Esse é o meu maior medo. Concordo que não se deve passar a mão na cabeça de ninguém, ainda mais de um serviço pago. Mas é preciso ter um mínimo de paciência para esperar ficar 100%, o que eu acho bem difícil já que as pessoas só vão querer uma desculpa pra desconsiderar essa possibilidade.

      @Carlos
      Calculo que uns 15 reais, não acho nada absurdo, preço de um manga e meio. E sim, não dá pra baixar, mas você pode pagar, ver antes de todo mundo e com qualidade e se quiser guardar mesmo, baixar de algum fansub, o que mudaria? Só estaria apoiando o mercado oficialmente. Isso sem contar com a possibilidade maior dos DVDs virem para cá. Agora de boa, reclamar de karaoke é frescura.

      @Cleriton
      Acho essa inferência infeliz. Não é porque eu baixo música de graça – algo já costumeiro na sociedade – que não poderia pagar por algo que tenho uma afeição maior e quero ajudar, além das qualidades inerentes a um produto oficial. A natureza de uma música é totalmente diferente de um episódio de um anime, não dá para comparar. Os Fansubs são criados para ajudar a popularizar uma série que não teria chance no país de outra forma. Se ela chega por aqui oficialmente eles perdem o sentido. Muitos vão insistir porque ganham dinheiro com isso, mas muitos vão parar naturalmente.

      @RodTakira
      Não esqueci dos doramas, mas tenho sérias dúvidas se, pelo menos num momento inicial, eles vão investir nisso.

      Gyabbo!

  11. Gustavo disse:

    Uma coisa quu eu odeio é ver ainmes online, tem varios pontos negativos que as pessoas ja sabem e nao preciso falar, só uma coisa minha internet é um pouco lenta.
    Outra coisa é que gosto muito de baixar os animes e te-los como uma coleçao de mangás.
    E gosto muito de coisas oficiais, nao gosto de ter que ficar baixando coisas ilegais porém, não tenho condições de ficar comprando DVD até pq o numero de titulos licenciado é muito limitado, é como se ficasse preso.
    Com relação ao preço, do streming ser 15 reais, nao acho caro não, acho que eu até pagaria uns 20 reais sim, afinal isso seria 2 mangás.

    Se tivesse um esquema de poder baixar, eu pagaria, feliz, 20 reais por ser oficial.

  12. Raadt disse:

    Esse é o problema da pirataria, que facilitou tanto que queremos o mais barato possível. Para quem depende do dinheiro dos pais, pior ainda. Claro, criamos o hábito de justificar a ilegalidade.

    Vinte reais em um Netflix + vinte num crunchyroll seria uma excelente alternativa a pirataria. Quero comodidade, sem captcha, sem resample ridículo de audio, sem pausa nos lançamentos porque o tradutor está saco cheio de subar ou qualquer outro motivo (afinal é um trabalho voluntário). Mas não sou otimista. Temos vários casos de amadorismo e ganância por parte das empresas brasileiras – olha que nem estou comparando as editoras de manga. Foi citado a internet de 20mb, pois bem, o maior mercado brasileiro de banda larga sofre com 2mb! Oferta de internet acima dessa velocidade é escassa. Já liguei para TVA e NET pedindo TV + internet e – pasme – não querem meu dinheiro!

    Vou aguardar, sem muitas esperanças, pra ver.

  13. Wagner disse:

    Eu dei minha opinião no meu blog, não curto muito o Crunchyroll.

    http://www.trocaequivalente.com/anime/eu-nao-pagaria-pelo-crunchyroll/

  14. Saudações

    Recentemente dei a minha opinião sobre o assunto em meu blog.

    Eu pagaria sem a menor cerimônia por tal serviço. Por mais que o início venha à ser mesmo um verdadeiro “divisor de águas”, não se deve esperar por algo 100% em sua entrada oficial.

    Tudo entra em questão, desde os provedores, os títulos licenciados, até a qualidade final do streaming e das legendas em Português do Brasil.

    Ótimo texto, Denys.

    Até mais!

  15. Tanko disse:

    Não sei porque o drama da questão do valor da assinatura. Caso não tenham percebido, a Crunchyroll disponibiliza diversos dos seus animes gratuitamente, após o período de uma semana a partir do lançamento. Oras, paga quem quiser assistir mais depressa e em HD e/ou ter outros benefícios de assinante. Aliás, a demora para que os animes fossem licenciados e exibidos nos EUA era uma das maiores reclamações dos fãs, sites como a CR chegaram para atender a essa demanda específica…

    Aliás, se você lê em inglês e quiser assistir por streaming por um motivo ou outro, pode acessar diversos títulos que são disponibilizados para a América do Sul. Sekai-Ichi Hatsukoi é um deles.

    Eu não curto muito o esquema de streaming, não tenho certeza se pagaria… talvez se tivesse algum diferencial ou fosse bastante barato. Digamos, se eu puder acessar muito bem do XBOX ou do PS3… poderia até pensar. Mas eu duvido um pouco de que vão chegar meus títulos favoritos por aqui!

  16. Lila disse:

    Eu acho uma ideia interessante, mas antes é preciso fazer muita coisa como por exemplo uma boa divulgação, porque né. eu já tinha ouvido falar, mas nem sabia como funcionava antes de ler aqui. segundo a questão cultural do Brasil de não querer pagar e ser o espertinho, tenho minha desconfianças se teria um público e se isso não prejudicaria os fansubers. terceiro que a internet no braisl ta em expansão, mas ainda não é lá essas coisas muita gente usa 3G (eu inclusive, mas pretendo trocar ainda esse mês) é a net mais instável que eu conheço, e 20mb?? acho tão distante. Porém a Netflix chegou ao Brasil e pode ser que de um empurrão para tornar o CrunchyRoll mais conhecido e trazer vantagens para os consumidores, também espero que caso haja uma parceria respeite os consumidores pq se for igual ao mercado de mangás…

  17. Guilherme disse:

    20 reais seria um preço alto?
    Tipo, sério?
    Eu ficaria feliz se o serviço chegasse no país por 20 míseros reais. A possibilidade de o custo ser maior do que é para os americanos é muito alta, sejamos realistas.
    O pessoal acha que é só converter o valor que fica tudo bem? Não é bem assim que as coisas funcionam.

  18. Ketsura disse:

    Você recussitou esse assunto, me lembrei de algo, que seria muito bom pra JBC. Crunchycoll e JBC poderia ajudar a JBC a publicas mais mangás, os da Square principalmente. Square libera mangás se tiver o anime ou jogo no país, JBC licensia os 2 e vive feliz! ( aka Pandora Hearts, Soul Eater e outros titulos amados pelo pessoal )

  19. Esdras Gimenez disse:

    Bom, eu não considero os fansubs como pirataria, pra mim pirateiro é aqueles caras que ficam vendendo Dvds e cds na banquinha ali na esquina, pra mim os fansubs fornecem um serviço alternativo, algo como os remédios genéricos, é uma alternativa ao mal serviço prestado pelas empresas desse ramo aqui no Brasil, vide Animax como recente exemplo… Se o oficial é caro e ruim, vc vai fugir pra onde? Qual é a sua alternativa…?
    Com relação ao CrunchyRoll, se o serviço prestado for como o Netflix ou o Netmovies, mas na mesma faixa de preço, acredito que será uma boa alternativa ao mercado alternativo, acho dificil colocarem conteúdo para download, como alguns sugeriram, mas já é pelo menos uma luz no fim do túnel, depois da meleca feita pela SONY com o extinto Animax… talvez eles façam algum plano alternativo, tipo, só streaming 15 reais, mas streaming com download 20 reais ou mais, algo do tipo… Mas algo muito importante, que eu não vi ninguém comentar, é como ficará a questão da censura? Ficar vendo anime cortado, com faixinha luminosa, ou com sangue preto, pagar por essa porcaria eu não pago, prefiro ficar no alternativo, vem com faixinha luminosa e talz, mas é free…

    • Amidamaru Reborn disse:

      Cara, isso é um pensamento infeliz da sua parte. Fansubber é sim uma forma de divulgação, mas ao mesmo tempo ele infirnge copyrigth e disponibiliza um serviço de graça sem o consentimento da mepresa original. Pode ser que o fansubber tenha SIM uma função nobre, mas é um processo que beira o ilegal tano é que muiat gente caça isso. Tanto o caso do megaupload quanto de outras redes de ompartilhamento que tinham séries e outros produtos armazenados por fãs sem o consentimento das mepresas. E isso gerou um problema tão grande uqe as empresas mesams pediram uam lei de ocntra-medida Á isso. Por mais que eu ache ruim esse fechamento desses sites isso era pirataria sim!

      • Amidamaru Reborn disse:

        Quanto á questão da censura que tem tanat genet se comendo o Crunchyroll disponibiliza séries completas sem cortes por exigências dos fãs. Eles são uam emrpesa de nicho que atendem ao público fã de cultura pop Japonesa nos EUA e que disponibilizam essas séries na integra por Streaming. Isso vcs não precisam se preocupar.

  20. Pingback: Pesquisa sobre o perfil do consumidor de anime no Brasil – Crunchyroll |

  21. Pingback: O “de fã para fã” criou e matou a possibilidade de um mercado de animes no Brasil |

  22. Angelo Loki disse:

    Quanto à cultura da pirataria, deixa pra lá que ela diminui. Sempre vai ter gente que quer tudo de graça mas é cada vez maior a quantidade de pessoas que, como eu, fica feliz quando tem acesso a algo legalizado.
    Acho justo pagar por um bom Crunchyroll brasileiro os mesmos R$ 15,00 que o Netflix e o catálogo nojento dele cobram no Brasil.

  23. Ana disse:

    Acho que esse negocio pra dá muito certo, as empresas de streams deveriam chamar a freguesia em estabelecer uma meta de uma certa quantidade de cadastrados pagos visiveis os numeros de clientes no site, caso por exemplo a cada mês passar mais de não sei quantos eles precisar, todo pessoal que assinar ganharia dublagens brasileiras excluivas de alguns animes no começo, que o numero de titulos de dublagens pode aumenta a cada vez que venha novos cliente. o stram tem que ofrecer essas duas opções muitos legendados e um pouco de dublados.

    acho si o stream for só legendado, provavelmente vai ser um fracasso de numeros baixissimos de assinantes, sabe que a maioria dos brasileiros não gosta de ler. e outros só vão encontrar legendados baixados de graça na internet.

Os comentários estão encerrados.