JBGroup oficializa a vinda do Crunchyroll ao Brasil

Crunchyroll é um serviço de streaming de vídeo online, e uma comunidade que oferece episódios completos e filmes dos melhores animes japoneses. O conteúdo do Crunchyroll é fornecido pelos líderes de mídia asiáticos, incluindo TV TOKYO, Shueisha, Creative Fuji Corporation, Pony Canyon, Yomiuri Telecasting Corporation, Toei Animation, Gonzo, Munhwa Broadcasting of America, entre outros.

Breve, os fãs brasileiros de animes também poderão assinar o Crunchyroll, graças a uma parceria firmada com o JBGroup, grupo do qual também faz parte a Editora JBC. A Japorama, agência de comunicação pertencente ao grupo, será a responsável pela promoção do serviço no Brasil, bem como por sua localização, através da tradução do sistema e das legendas dos animes para português do Brasil. O idioma será o primeiro além do inglês a fazer parte das legendas do Crunchyroll.

Crunchyroll conta ainda com um serviço exclusivo chamado“simulcast”, onde os animes são disponibilizados para exibição – já legendados – poucas horas depois de sua exibição no Japão. O“simulcast” também estará disponível para alguns títulos legendados em português.

Nos próximos meses, a Japorama irá realizar uma série de pesquisas de mercado junto aos fãs de anime, enquanto prossegue com os preparativos para a implantação do sistema. O cronograma de lançamento, assim como os títulos, serão divulgados posteriormente.

Press Release via JBC

Apesar de não trazer muitas informações relevantes, agora é oficial. O JBGroup, grupo do qual também faz parte a Editora JBC, irá trazer para o Brasil o serviço de streaming de animes e outras produções asiáticas Crunchyroll.

Diferente do que havíamos pensado, não é diretamente a JBC a responsável, mas agência de comunicação Japorama, do mesmo grupo do qual a editora faz parte. A tradução fica por conta dessa agência que promete fazer pesquisas com fãs para poder oferecer o serviço da melhor forma possível para o público brasileiro. Isso é ótimo, lançar algo no mercado sem pesquisar é burrice, só espero que sejam pesquisas sérias e não coisas como enquetes virtuais.

Ainda não há títulos definidos, é esperar para por mais notícias.

comentei aqui o que eu acredito ser necessário para isso dar certo no Brasil, o que você espera que seja oferecido agora que é oficial?

Esse post foi publicado em Animes, Mercado brasileiro de animes, Notícias e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para JBGroup oficializa a vinda do Crunchyroll ao Brasil

  1. Saudações

    Deixei minhas impressões sobre isso em meu blog, amigo Denys. Mas posso adiantar que anseio muito por isso. Entretanto, há algumas ressalvas à serem ponderadas…

    Até mais!

  2. O Crunchyroll vai vim para o Brasil pela JBC. Quando aparecer uma noticia interessante ai eu comento. Um serviço que nem me agradou no idioma em inglês e com pouca qualidade não me desperta interesse, o serviço vai agradar um grupo em especifico porem é bem provável que aconteça a mesma coisa que aconteceu com o Netflix aqui no Brasil.

    No inicio as pessoas ficaram felizes, testaram e depois de 20 dias reclamaram e pararam de usar. Bem ja dizia o velho ditado a historia se repete, prefiro meu SKY HDTV que no momento é caro porem não me decepcionou em qualidade.

  3. Mike disse:

    >>>> Jonh pelo que pesquisei conta premium tem acesso para resolução HD e transmissão simultaneamente Br – JP ao vivo, e claro bem barato U$$:8.00 +/-

  4. Eu testei a versão HD e não gostei. É justamente disso que estava falando. Ainda prefiro pegar de fansub gringo pego em resolução blu ray hdmi na tv de 50 polegadas e show de bola. o Crunchyroll é um sistema bom porem não me agradou.

  5. Streaming é uma tentativa de melhorar um panorama que não tem solução real. Mas você realmente acha que o mercado vai fechar? Não esqueça que os custos de produção não são diretamente proporcionais à distribuição: você gasta muito para fazer um Anime, e se 1% da população paga enquanto 99% pirateia, esteja certo de que esse 1% cobre a produção e ainda dá lucro o suficiente para manter a Roda-Viva. Mas acha que eles vão admitir algo assim em público? Para perderem o 1% que ainda tem? Quem não chora, não mama.

  6. Pingback: 3 anos de Gyabbo! – A consolidação de uma trajetória |

  7. Robson HR disse:

    Sem dublagem?

    Não quero.

Os comentários estão encerrados.