Temporada de Outono 2011 – Primeiras impressões – Comentários rápidos

A grande maioria dos animes da nova temporada de outono já passaram dos três primeiros episódios. Assim, falar de primeiras impressões já não faz muito sentido. Mas para não deixar os leitores do blog na mão, vou tecer comentários rápidos sobre todos os animes que assisti nesse temporada. Além disso, também teremos indicações de leituras de outros blogs que fizeram posts sobre tais animes.

Hunter x Hunter: A Madhouse vem com tudo nessa temporada, equilibrando bem um josei com esse shounen de batalhas. Não li ou assisti nada de Hunter x Hunter até essa segunda série, então não ligo para o ritmo acelerado que muitos fãs estão falando. Os três primeiros episódios foram muito bons, especialmente o primeiro.

Leia com mais detalhes em:  Gyabbo! || Chuva de Nanquim

Chihayafuru: Se teve um anime que alcançou minhas expectativas, com certeza foi Chihayafuru. E isso porque até o momento tivemos apenas os flashbacks para explicar o enredo. Recomendadíssimo.

Gyabbo! || Anikenkai || Subete Animes || Tsundere

Mirai Nikki: Péssima direção, roteiro instigante, mas mal utilizado e bem caricato. Animação mediana pra baixo. Recomendo esperar terminar para ter certeza se vale a pena perder tempo com isso.

Gyabbo! || Chuva de Nanquim || Anikenkai || Elfen Lied Brasil || Troca Equivalente || Subete Animes || Tsundere

Guilty Crown: Um primeiro episódio espetacular, seguido por um segundo episódio fraco, indo de um épico para um anime shounen escolar repetido. Ah! Se mostrou extremamente machista. Mesmo seu nível mais baixo ainda é melhor que a média.

Gyabbo! || Chuva de Nanquim || Anikenkai || Subete Animes || Troca Equivalente || Tsundere

Persona 4: Como classifiquei no Twitter, um Digimon para adolescentes. Traço esquisito, personagens sem carisma e lutas sem muita graça. Se for só isso será uma grande decepção, mas estou torcendo pro hype não ter sido à toa.

Chuva de Nanquim || Elfen Lied Brasil || Tsundere

Tamayura ~hitotose~: Healing anime na sua essência. Slice of life simples, mas carismático, fique longe se você não gostar desses animes onde “nada acontece”. De preferência veja os OVA antes.

Netoin!

Fate/Zero: Não gosto de episódios de séries com 40 minutos e isso me fez deixar a série em stand-by por um tempo. Quando voltei para assistir ao segundo e terceiro episódio me deparei com uma série empolgante, mesmo para quem não assistiu à Fate/Stay Night. Além disso, é o estúdio ufotable mostrando todo seu potencial técnico (para os padrões de uma série de TV).

Elfen Lied Brasil || Special Days || Tsundere

UN-GO: Mais mediano que isso, impossível. Isso que dá fazer um anime de mistério sem grande atenção aos mistérios. Dá pra assistir tranquilo, mas não vê-lo não é perder nada demais, será rapidamente esquecido assim que terminar.

Tsundere

Phi Brain: Kami no Puzzle: Se UN-GO não dá muita atenção aos mistérios, Phi Brain praticamente ignora o melhor de um anime sobre puzzles… os puzzles! Tudo é jogado na tela e resolvido sem nenhuma explicação, você precisa acreditar na genialidade do protagonista. Não se engane, é uma obra voltado para o público infantil e não vai mostrar nada demais. De curiosidade só uma insert song em português.

Tsundere

Kimi to Boku: Depois o Didcart do Anikenkai reclama das pessoas que falam “slife of nada”.

Chuva de Nanquim

Ben-To: Melhor opção para uma diversão sem pretensões, apenas pela cretinice.

Gyabbo! || Tsundere

Boku wa Tomodachi ga Sukunai: Tecnicamente muito bonito, muito mediano na execução, mas funciona. Há cada episódio vem aumentando o teor ecchi da coisa, continuando assim devo largar logo, logo.

Gyabbo! || Anikenkai || Tsundere

Kyoukai Senjou no Horizon: Assisti e já esqueci do que se trata. Entenderam?

Tsundere

C³ – Cube X Cursed X Curious: Ecchi e mais ecchi com um roteiro mais furado que uma peneira.

Chuva de Nanquim || Tsundere

Maji de Watashi ni Koi Shinasai: Teve um bom primeiro episódio, mas a cena inicial do segundo me fez largar. Deve agradar o público médio.

Troca Equivalente || Tsundere

Mashiro-Iro Symphony: Genérico até a alma. O episódio inicial foi bem (e dou ênfase no “bem”) chato.

Tsundere

E você? O que está achando dessa temporada?

Esse post foi publicado em Animes, Comentando Temporadas, Primeiras impressões e marcado , , , . Guardar link permanente.

44 respostas para Temporada de Outono 2011 – Primeiras impressões – Comentários rápidos

  1. fiwne disse:

    Dos que eu acompanho o melhor esta sendo o Chihayafuru.
    O Hxh ainda não empolgou, mas vai ser um anime longo, logo ta ne media, DEVE MELHORAR.

    Agora o seu comentário do P4 foi certeiro, ta meio chatinho mesmo, se não melhorar eu vou Dropar.

    Esses sãos os que eu to vendo.

  2. Saudações

    Dos cinco animes que eu havia citado que veria, o que mais está me agradando é justamente Tamayura ~hitotose~ e, na sequência, Working’!! e Shakugan no Shana III Final. É impressionante ver como um slice-of-life pode ser bem feito, sem maiores apelações e também sem necessitar de efeitos que desgastam animes deste gênero (como as famosas piadas repetitivas, em uma indireta certeira para Shinryaku!? Ika-Musume!).

    Un-GO, por hora, está em um nível bem aceitável para mim. Até concordo que, muito provavelmente, este deverá ser um anime facilmente esquecível com o passar do tempo (entenda-se como curto prazo).

    Além destes cinco animes, estou vendo Fate/Zero, Chihayafuru e Boku wa Tomodachi ga Sukunai sendo que, o terceiro anime citado, me surpreendeu positivamente. Não vi Fate/Stay Night, mas Fate/Zero está muito bem, obrigado. E Chihayafuru é um anime digno de todos os elogios, em minha humilde percepção.

    E engana-se você, amigo Denys: o DidCart não é o único à reclamar do termo “slice-of-nada”…

    Um bom resumo da temporada neste seu texto, com certeza. Isto é, tirando o fato de alguns títulos não terem sido citados. Mas, ainda assim, ótimo post.

    Até mais!

  3. Digimon é Digimon, Persona é Persona uma coisa não tem nada a ver com a outra. Persona vem de jogos de RPG onde você vai evoluindo o personagem e seu convivio social. No caso de Digimon eles fizeram uma obra que remete a monstros virtuais porem ele pega o lance shonen e um pouco de RPG por causa das evoluções que aparecem.

    No anime C³ esta sendo uma das grandes surpresas da temporada um primeiro episódio que focou mais no slice of life mas que deixou um ar de mistério, episódio 2 e 3 com lutas boas e violentas e espero que mantenha o nível de ação.

    Maji de Watashi ni Koi Shinasai não pretendo ver o anime ja que tem o jogo a visual novel, adaptações de visual novel para anime quer agradar os fans e esquecem o publico geral com medo de perder um audiência, eles simplesmente não arriscam então deixam um anime fraco e medíocre para esses casos é melhor jogar o jogo que no momento so tem pancadaria.

    Phi Brain: Kami no Puzzle me agradou com esse lance de quebra cabeça, você so avaliou o primeiro episódio porem ao longo do anime vão sendo mostrados como o quebra cabeça vai sendo resolvido é algo bem juvenil mesmo porem é divertido de acompanhar.

    Mirai Nikki ainda não entendo para que todo esse “rage” da serie, sinceramente não vejo esse nivel de ruindade que vocês citam nos previews simplesmente para min a serie esta melhorando de pouco em pouco.

    No caso de Ben-To eu concordo com você. É um anime divertido de acompanhar pela comedia.

    Kyoukai Senjou no Horizon é baseado numa light novel que cada volume tem 1200 paginas colocar isso num anime de 12 episodios fica algo dificil de compreender porem é uma boa historia porem pegou um estudio que não esta conseguindo adaptar bem a serie do jeito que ela merece.

    No caso de Mashiro-Iro Symphony foi tirado de visual novel e como o genero colegial é algo que eu não curto acompanhar so vi o primeiro episodio, prefiro jogar o jogo mas pela sinopse tambem quero distancia do jogo.

    UN-GO não tenho opinião formada irei esperar mais episodios não vou julgar o anime pelo seu primeiro episodio.

  4. Panino Manino disse:

    Mas Quiabbo, Digimon já era para adolescentes.

    E percebam que o John Master não comentou sobre Chihayafuru. Não está assistindo? Se não, está provado em definitivo que ele não pode ser uma boa pessoa.
    Tenham uma boa noite.

  5. Rafinha disse:

    Boa noite, gostei dos comentários, Chiayafuru sem dúvida alguma é a maior surpresa da temporada, a Madhouse veio muito bem dessa vez embora eu ainda ache Fate/Zero a melhor obra da temporada em diversos aspectos.

    Boku wa Tomodachi ga Sukunai tem sido legal, mas não chega a ser engraçado como o mangá. E tem apelado um pouco pro ecchi sim, embora pare por ai.

    Kyoukai Senjou no Horizon tem sido péssimo, assisti os primeiros e até agora estou procurando o plot. Totalmente dispensável.

    O seu comentário sobre Un-Go foi exatamente o que eu vi, um anime de mistério que não te prende nos mistérios, não apresenta quase nenhum fato para que se posso pensar nas soluções. Deprimente.

    Não entendi o comentário do Panino acima, percebi que ele e esse John Master não se dão bem, mas acho que generalizou demais. Tem muita gente não assistindo Chihayafuru por vários motivos, ou pelo seu gênero e enredo não agradarem ou pela falta de tempo deixando para assistir suas séries aguardadas. Acho que gosto(no caso aqui, se tratando de animes) não é exatamente algo que possa definir o que uma pessoa é.

    Bom, é isso. Até mais!

  6. É comparar Digimon a Persona fica estranho, sendo que é uma dinâmica diferente entre os “monstros”, mas entendo da onde vem o pensamento, como fan do jogo eu não estou feliz com o anime, por estar se focando em lutas, sendo que a parte boa é a interação dos personagens.

    Não sei porque tanta gente diz que Chiayafuru foi uma surpresa, antes de estreiar já tinha um puta hype, apenas respondeu esse hype bem.

    Kyoukai Senjou no Horizon achei confuso, muito nome sendo tacado sem parar, quando uma pessoa tem problemas com nomes como eu, fica difícil, vou esperar acabar para ver.

    Deixem o Panino e o John brigarem! É a coisa mais legal dos comentários.

  7. Jessica disse:

    Minha opinião:
    Hunter x Hunter:: passo.
    Chihayafuru: Só perde pra fate/zero. Muito bom.
    Guilty Crown: decepção ao estremo. Incrível como pensam em tudo, menos no importante: a história. Maior apelação gráfica pra enganar as massas e narutotards.Tá uma verdadeira merda, e se acha o anime da década. Maior decepção da minha vida.
    Mirai Nikki: um absurdo. Por isso é bom.
    Persona 4: bom, não mais q isso.
    Fate/Zero: Melhor da temporada.
    Kimi to Boku: ás vezes é bom ver algo sobre nada, um +- q eu gosto.
    Tamayura ~hitotose~: um dia baixo o resto.
    Phi Brain: Kami no Puzzle: +-
    UN-GO: Por mais q o primeiro mistério seja meio fraco, o resto está muito bem feito. Bons personagens, sacada politica, sobrenatural com aquela pitada futurista e com uma boa trilha sonora. Melhor anime da noitaminA nessa temp, dá de 10 a 0 em seu parceiro no quesito criatividade.
    Boku wa Tomodachi ga Sukunai: divertido.
    Ben-To: idem.
    Kyoukai Senjou no Horizon: quase dropando.
    C³ – Cube X Cursed X Curious: samba do crioulo doido.
    Mashiro-Iro Symphony: zzzzzzzzzzzzzzz

  8. Hidekee disse:

    Fate/Zero está saindo-se como o melhor da temporada e se mantiver o nível, vai ser de longe o melhor do ano \o/

    Persona 4 está sendo corrido nesse início pq é para não perder tempo com cada um descobrindo seu persona (algo que vc demora umas 3 horas de jogo) então não compare com digimons. Tenho esperança. Mas problemas técnicos podem piorar se o boato de que há birra e falta de pagamento entre o estúdio e a equipe se concretizar. Pelo que soube, ameaçam até abandonar a série… Torço que se entendam sem perder o nível ¬¬

    Guilty Crown não encheu os olhos na estreia, mas achei legal. O segundo achei no mesmo nível… Acho que foi por não ter me empolgado mto com o primeiro. Só temo pelo futuro dele, pois se cair na mesmice de vida escolar com poder, vai ser um saco u_u

    Chihayafuru vem como surpresa para mim. Vi até agora 1 episódio mas gostei mto. Tenho que ver o segundo e baixar o terceiro, mas pelo que ando lendo está mto bom mesmo ^^v

    Um que vale comentário rápido e que não vi aqui, é Gundam AGE. Vi por insistência de amigos e o anime é realmente divertido. Pena que tem animação mediana e traço que engana, confundindo com anime infantil, quando não é. Até o protagonista que parece ter 10 anos tem na verdade uns 16 XD

  9. DougF disse:

    @Chihayafuru – Melhor ateh agora, gotando em tudo desse.
    @Bakuman2 – Continua bom na linha da primeira temporada.
    @Ben-to – Estranho de se pensar na historia, mas o mais divertido.
    @Boku wa Tomodachi ga Sukunai – Anida não sei se estou gostando ^^, está +/- mas pode melhorar dentro do estilo.
    @Maji de Watashi – Gostei do primeiro episodio, mais ficou meia boca tb.
    @Marai Nikki – Exclui da lista depois do primeiro, não gostei muito.
    @Persona 4 – Já assisti ateh o terceiro fazendo uma força enorme para gostar, visto que teve comentários animadores antes de sair, mas ta muito ruim isso, quase excluindo pasta tb.
    @Phi Brain – Não chega ser ruim, só não gostei do negocio do bracelete, fora isso, dava apra ter um anime razoável.
    @UN-GO – Meio viajado, primeiro episódio não foi tao bom, faltou historia e sentido para destalhes importantes.

  10. Dos poucos animes que estou assistindo só Fate/Zero se destaca.

    Phi Brain e Un-Go são séries pra acompanhar quando não tiver nada pra fazer.

    Guilty Crown: A animação é maravilhosa porém, os personagens e a forma que a série será conduzida me levar a perder qualquer esperança de ser algo épico.

    HxH é uma série espetacular independente de remake. Acompanharei até o fim.

    A sua opinião referente a Persona 4 foi a mais sensata que eu vi pelos fóruns(tirando a comparação com Digimon – Tai e companhia tinham personalidade). Pra quem jogou não é nenhuma surpresa a falta de carisma dos personagens e a mesma arte podre das cenas em anime no jogo.
    E Persona 4 não será uma decepção pois era mais que esperado o que se tem hoje.

    E Ben-to é divertido só não me imagino assistindo mais que 15 episódios.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      @JonhMaster
      Não quis dizer que Persona é uma cópia de Digimon, só que possui elementos que me lembram bastante. E não estou falando dos jogos, mas dos animes. Sobre Phi Brain, não, eu não avaliei apenas pelo primeiro episódio.

      @Panino
      Considero Digimon para um público infanto-juvenil, adolescentes seria alguns poucos anos mais velhos.

      @Rubio
      Esse comentário de Digimon está rendendo… só quis dizer que tem elementos que me recordam de Digimon, não que o enfoque seja o mesmo. E sim, também estava com expectativas bem altas quanto a Chihayafuru!

      @Cleriton
      “A sua opinião referente a Persona 4 foi a mais sensata que eu vi pelos fóruns(tirando a comparação com Digimon – Tai e companhia tinham personalidade).” – Melhor comentário ever!

      Gyabbo!

  11. Jessica disse:

    Ah, só pra enfatizar: GUILTY CROWN É MUITO RUIM, NÃO SE DEIXEM ENGANAR PELA PURPURINA!!!

  12. lnisishima disse:

    Temoprada boa de modo geral, só não entendo o rage em torno de Guilty Crown e Mirai Nikki. Parece que virou moda ficar de rage com os animes que a “imprensa especializada” resolve tacar pedra. Tá, nem curti tanto Mirai Nikki, mas chega a ser exagero o que não fazem para desmerecer a série, Guilty Crown idem, determinado personagem nem pode fazer uma pose básica que a série (nem é o personagem) já é esculachado pelo fandom inteiro. E por acaso é crime gostar de um anime com boa animação a ponto de ser chamado de Narutotard e mero pertencente as massas?

    Sobre o resto:

    Phi Brain: Kami no Puzzle – naturalmente nada é resolvido de forma genial até porque é voltado as crianças. Não é necessário explicar nada, contanto que pareça “cool”.

    Kimi to Boku – nem gostei da série, mas dizer que é só um mero “slice of nada” quando tem séries até famosas iguais a ela chega a ser irônico.

    Persona 4 – sei que mesmo alguns fãs não tem gostado da série. Ela não é de todo ruim e até entendo ser esculachada pelo seu começo. Porém ainda vejo possibilidade de melhora.

    Haganai – como sempre digo pra você Denys, fico surpreso que você tenha ficado surpreso com o fanservice nesses últimos episódios. Não estou vendo, mas deve ficar “famosa” lá no Japão talvez a altura de Oreimo.

    Kyoukai Senjou no Horizon – provavelmente você já se esqueceu por não ter entendido nada. E calma! Não estou usando o velho argumento clichê de: “só não gostou porque não entendeu”. Mas o primeiro episódio disso foi um dos mais confusos em animes nos últimos anos. Se você olhar em fóruns japoneses nem eles próprios entenderam as explicações do primeiro episódio e toda legenda que os subers gringos soltaram é pura adaptação feita nas coxas, com coisas que provavelmente não farão sentido no final da série (mas até lá todo mundo já vai ter se esquecido da legenda porca do primeiro episódio).

    C³ – Dizem que é o Madoka da temporada guardada todas as devidas proporções. Começa com enredo básico e depois da uma reviravolta num único episódio que o faz parecer uma série completamente nova.

    Mashiroiro Symphony: boa adaptação de VN, da mesma forma que Tamayura é uma boa animação slice of life no seu mais “puro” significado. De forma que dizer que Mashiro é genérico chega a ser uma blasfêmia quando séries que nem ao menos conseguem ser eficientes dentro do seu próprio gênero são elogiadas.

  13. Saudações

    Acho que o Nisishima tocou em um ponto de importância…

    Analisar animes de uma forma muito fria é algo que desgasta com o tempo, mas em uma velocidade absurdamente incrível.

    Somente este ano, animes como Fractale, Denpa Onna e A-Channel foram assim tratados. Quer dizer, há diferenças substanciais, mas servem como claro exemplo da ideia à ser passada…

    Bom, sou suspeito para falar (escrever) algo assim, uma vez que não assisti nem Guilty Crown, nem Mirai Nikki…

    Até mais!

  14. Jessica disse:

    @lnisishima
    O problema de Guilty Crown não é ser ruim, é tentar parecer muito melhor do que é. E faz isso com truques muito manjados. E não é só protagonista lá que é ruim: todo elenco é superficial ao extremo. Para que uma trilha sonora espetacular, gráficos de filme, se importante, que é contar uma boa história, é deixado totalmente de lado? Aquilo tem mais furo que Mirai Nikki. Não passa de um genérico muito bem financiado, o verdadeiro rico mimado dessa temporada.
    Mirai Nikki pelo menos, mesmo sendo tão superficial, foi feito para isso. para ser totalmente superficial e sem sentido, para você ver ficar surpreendido e não pensar. Não é um anime que foi feito para parecer melhor do que é.
    Un-Go compensa os mistérios medianos com personagens interessantes (sim, estou falando de uma criatura esquisita chamada Inga), pitadas de sobrenatural em um universo moderno levemente futurista e arte original.
    Sério gente, GC foi uma decepção gigante. Eu espero esse anime a messes achando que iria ser o melhor do ano e eles me vem com uma história tão mal feita? Acham que da pra me comprar com gráficos? Isso é um insulto. Se eu quero ver gráficos bonitos, vou ver Fate/zero e Chyhayafuru. Lá tem uma história no mesmo nível dos gráficos.

  15. lnisishima disse:

    Jessica

    Em que sentido ele quer parecer ser muito melhor do que é? Em nenhuma entrevista ou coisa do tipo eu vi os produtores afirmando: “Esse vai ser o melhor anime que vocês já viram, vamos revolucionar a indústria”. Esse negócio de que a série seria fenomenal e de outro mundo partiu propriamente do fandom aqui. A única coisa que sabíamos da produção é que seria um anime ambientado no futuro e com bom visual. Quem está arbitrariamente dizendo o que a série pretendia ser somos nós, quando muita dessas coisas nunca passaram pela cabeça dos produtores, tem muito mais cara que eles queriam que Guilty Crown fosse algo perto de um filme hollywoodiano de ação descompromissado e bonito (com pitadas culturais japonesas) do que uma super produção filosófica, do outro mundo ou o novo Evangelion. E nem queria usar o fantasma da expectativa como argumento, mas sério, quando você fala que GC era o anime que você mais esperava no ano e provavelmente o melhor, automaticamente você está jogando no anime características, formas dele ser e contar história que ele nunca pretendeu ser. Não molde num anime aquilo que você quer que ele seja, assista e veja o que ele pretendeu ser.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      @Lnisishima
      Sim, de modo geral é uma temporada boa, estaria totalmente dentro das minhas expectativas, não fosse Mirai Nikki. Só queria esclarecer que não estou de rage com Guilty Crown, achei o segundo episódio bem mediano, decepcionante se comparado com o seu primeiro que me deixou tão empolgado. Mas como eu disse no post, mesmo esse mediano de GC é melhor que a maioria. Não vou deixar de assistir GC por causa do fanservice – que sim, me incomodou, quem conhece o blog sabe que eu não gosto -, mas é um ponto que na minha opinião é negativo, porém não ao ponto de esculachar o anime por completo. Sobre Haganai, não fiquei surpreso por ter o fanservice, se pegar o meu post de primeiras impressões dá pra ver que eu eu já esperava isso, apenas comento que o fanservice vem crescendo, se tivesse se mantido no mesmo nível do primeiro episódio eu estaria tranquilo. O terceiro episódio é cheio de fanservice, mas relevo, só achei que a última cena da irmã do cara pulando nua em cima dele do nada foi bem exagerada e desnecessária. E não acho que por terem séries piores uma série em questão deva ser considerada melhor (Kimi to boku e Symphony).

      @Carlírio
      Mas aí eu acho que é preciso ter em mente o objetivo de uma crítica e suas limitações. Quando eu escrevo um post de Primeiras impressões assumo o risco de errar completamente. Está no próprio nome, são as primeiras impressões de um expectador, é algo totalmente subjetivo e pessoal. Com certeza as coisas podem mudar com o passar dos episódios, tanto pra melhor (Ristorante Paradiso, por exemplo) quanto para pior (IS, por exemplo), e isso faz parte da diversão de blogar, arriscar um pouco, pegar opiniões contrárias. Não está no meu alcance controlar as pessoas que leem o blog e fazê-las não simplesmente concordar comigo.

      E sim, tenho que concordar com o Leandro, não acho que GC esteja querendo ser melhor do que pode ser. Ele simplesmente (provavelmente) tem um financiamento maior que a média dos animes e é tecnicamente mais explorado, mas nunca negou sua natureza bem pop como eu coloquei.

      Gyabbo!

  16. Jessica disse:

    @lnisishima
    Eu já imaginava um anime de ação, mas esperava pelo menos uma ação com uma boa história. Nem as cenas de ação são bem feitas, elas só emprisionam por causa dos gráficos, só.
    Se era para fazer um sci-fi de ação, então façam direito. Se nem uma boa ação posso ter em um anime de ação, então para que vou Guilty Crown?
    Se ao menos o resto compensasse, mas tudo lá é genérico, clichê, batido e sem um minimo de carisma. Em uma série sem compromissos, carisma é a palavra chave, ao menos alguém carismático o anime deve ter. Mas não tem. Aquela bicha loka como vilão foi a gosta da água.
    Agora ok, não temos ação bem feita, não temos carisma, mas sci-fi a gente deviria ter, não é? Errado. Aquilo não tecnologia, é magia. Criar armas do DNA das pessoas? Que desculpa furada é essa? E aqueles mechas são o que? Reciclagem da Sunrise?
    Agora, o que deveria compensar era uma história que empolgasse, mas não, não tenho nem isso.
    A própria parte gráfica é um problema. É ai que eu me justifico falando que o anime seja o melhor da década. Usa os gráficos para disfarçar suas fraquezas. Pra quem nota isso, o anime chega a parecer muito mais superficial do que já é.
    Olha, nunca fui hater, odeio haters, mas GC me levou ao limite.
    Eu realmente gostaria de poder gostar de Guilty Crown, mas não dá. Não dá pra eu gostar de algo assim. Eu entendo quem gostou, ao menos em algo o anime é bom: fazer lavagem cerebral.

  17. Jessica disse:

    Ah, para completar, o diretor do anime disse que Guilty Crown seria seu Ghost in Shell. Nem pretendia ser bom LOL

  18. Roberta disse:

    Orage sobre Mirai Nikki é justificável, assim como sua aceitação. O hype em torno do mangá de Mirai é incrível e isso vem de bem antes de sequer se cogitar em versão animada, apesar dos inúmeros pedidos dos fãs pela interwebs afora. Mas quando veio, foi essa bomba. Tá certo que não é tão ruim quanto School Days, mas bom também não é.

    Guilty Crown atendeu as minhas expectativas, o problema é que as pessoas no geral estavam esperando demais e olha, criticar um anime com base em SOMENTE argumentos do tipo “é muito clichê” ou “genérico”, mostra que o problema esta na pessoa e não no anime. E está longe de ser o melhor da temporada, é boboca e superficial, mas é bom entretenimento. E quem esperou realmente, algo mais profundo quanto ao sci-fi, minhas condolências hehehe. E concordo com o lnisishima, nós fizemos o hype, nós nos decepcionamos.

    Un-Go, é bobinho, mas me agrada. Persona 4, tem um enredo inferior ao Persona 3, mas estou gostando, por enquanto, mesmo com ressalvas. Sua estréia foi um estrondo, mas a sequência tem ficado abaixo da média. Fate/Zero e Chihayafuru, sem comentários, os melhores.

    No geral, vejo que muitos estão decepcionados com a temporada, mas está na média para mim. E viva as discordâncias, assim podemos discutir bastante pelos blogs e foruns hehehe

  19. Carlirio Neto disse:

    Gyabbo, eu não estava me referindo aos seus posts especificamente, mas sim ao fato da maioria ter se esquecido de algo tão simples como a imersão à diversão, na hora em que se vê um anime. Sim, me incluo nisso em diversas oportunidades. É claro que a história e o fator estúdio/direção são importantes, mas prender-se muito ao segundo tópico considero como sendo um erro. Mas é apenas minha opinião… Até mais!

  20. É ridiculo comparar Persona 4 com Digimon. Estou decepcionada, e muito, com a imprensa especializada fazer tal comparação rs. Pior é isso pegar. Não perdoarei o Gyabbo.

    A adaptação tá terrível mesmo, o traço tb não me agrada, mas todas minhas críticas são pq comparo o anime com o jogo. Se eu desconsiderar o jogo, diria que o anime não está ruim, está mediano.

  21. Sobre opiniões, eu devo lembrar que a idéia de Kant parte da premissa que nenhuma pode ser provada, ou seja, as pessoas podem olhar um quadro e divergir sobre a estética deste (um acha belo, e o outro horroroso), mas elas estão vendo a mesma imagem.

    A visão clássica de Kant sobre opiniões pessoais

    “If one cannot prove that a thing is, he may try to prove that it is not. And if he succeeds in doing neither (as often occurs), he may still ask whether it is in his interest to accept one or the other of the alternatives hypothetically, from the theoretical or the practical point of view. Hence the question no longer is as to whether perpetual peace is a real thing or not a real thing, or as to whether we may not be deceiving ourselves when we adopt the former alternative, but we must act on the supposition of its being real.” – Immanuel Kant, “Critique of Pure Reason”

    Por causa de ideias como a transcrita logo acima, parte do trabalho de Kant é conhecido como “lógica transcendental”, pois transcende os limites da percepção pessoal.

    Então opiniões são opiniões tem umas que irei concordar e outras discordar da mesma forma que uns podem achar ecchi horrível outros podem gostar e quem esta certo? Nenhum dos dois. Porem a partir do momento que você expõe opiniões na internet deve estar preparado para receber elogios e criticas.

    Se você acha que a critica foi construtiva analise e veja se vale a pena seguir, se ve como algo que não vai ser útil so analise e de seus argumentos e opiniões, mas se não gostou paciência.

  22. Mirukage disse:

    Discussões são ótimas mesmo. Ainda bem que discordo com a maioria sobre um ou outro anime.
    E concordo em algums obviamente.
    Fate/Zero não me decepcionou, nem Guilty Crown.
    O hype veio das vossas cabeças. O diretor nunca disse que ultrapassaria ou equivaleria Ghost in the Shell. Trata-se apenas de um entusiasmo vindo dos fãs e suas interpretações forçadas sobre a entrevista.
    A Production IG tem interesse de elevar o bloco Noitamina às alturas sim, isso foi bem dito. A comparação de GITS nasceu por ter individuos da equipe da Production IG envolvidos em ambas obras.
    O pior é prever o anime inteiro com 2 episodios. Falar como se soubesse a trama inteira. O que deixa com mais raivinha esse pessoal é que eles não tem nada pra se basear com manga, light novel e afins, mas sim outros animes de sci-fi e ação. Lamentável pessoal!! São primeiras impressões (pré-conceitos) e não conclusões da obra (conceitos).
    Em relação aos comentários do autor do blog: eu achei os comentários um pouco aquém pro nível do Gyabbo. O Gyabbo pra mim é o melhor dos blogs de anime e me identifico pois tenho quase o mesmo gosto pra animes que o autor. Porém acho que deve estar um pouco estressado. hehehe (brincadeira). São primeiras impressões (entendo isso) e já se passaram 3-4 episódios tb. Tudo isso prejudica.
    Eu entendi seu comentário sobre os Digimon, mas vc não se fez entender bem. Daí o povo taca pedrada. Concordo com HxH, chihayafuru, phi brain, entre outros.
    Bom, falei!! :D

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      @Larissa Lívia
      Então, como faço muitas vezes com outros animes (e vejo outras pessoas fazendo também), falei de Digimon apenas por pegar elementos básicos dos dois, não estou comparando a qualidade das obras (até porque eu adoro Digimon Adventure). Para o hype criado, Persona 4 está sem graça, só pelo anime, está mediano pra baixo.

      @JonhMaster
      Sim, a opinião/gosto de ninguém é certo ou errado, isso é subjetivo. Estou plenamente aberto à críticas, tanto que estou aqui respondendo de boa os comentários. O único problema foi a sua crítica (ou mesmo xingamento) no Twitter sem me citar, falando por trás. Assim não tem como eu analisar, aceitar e melhorar.

      @Mirukage
      Primeiro gostaria de agradecer por me considerar o melhor dos blogs de anime, fico realmente feliz! Isso que você falou me fez pensar se não funciono melhor com textos completos ao invés desses comentários curtos, eles tem suas vantagens, mas para se fazer entender tem muitos problemas. Obrigado.

      Gyabbo!

  23. Jessica disse:

    Eu não quero Guilty Crown profundo. Quero uma história de ação, algo que me empolgue, não que me faça bocejar. Isso é o que deviam ter mostrado nos primeiros episódios, é o basico de uma boa história de ação. É tão difícil planejar algo direito? A sensação que tive é que o roteiro do episódio começou a ser escrito 45 minutos antes de começarem a animar. Foi mal para quem gostou, mas para mim, Guilty Crown não serve nem como entretenimento.
    Mas concordo em algo: foi um erro fazer hype com isso.

  24. Panino Manino disse:

    @Nisishima E @Carlírio
    O Rage que eu vejo é COM a série, não com quem está gostando dela.
    O que você disse sobre divertir é importante, mas veja meu caso. Peguei a série e paguei pai para aqueles primeiros minutos. Nem tinha expectativa, não estava de olho atento para a estreia, nem sabia do que se tratava. Comecei a assistir e tive uma ótima impressão inicial. Ao final do episódio, eu misteriosamente não tinha me divertido, na verdade estava me sentindo frustrado. Que era clichê, lotado de clichê eu já vinha percebendo enquanto assistia. Depois de terminado os episódios eu parei para pensar e então cheguei nesse tal de “rage”.
    Agora se criticar um anime é “ragear”? Rage foi o que eu fiz com Fractale APÓS assistir a série INTEIRA. Com Guilty Crown eu no momento estou apenas comentando conforme vou assistindo, assim como vejo outras pessoas fazerem. Acontece que tem muito mais pontos para se criticar e que abrem brecha para discussão do que pontos positivos. Por exemplo, a animação e som é bastante bom, mas o que falo sobre isso? Comento sobre as técnicas usadas e sobre os canais usados para o áudio? Não tem muitos sobre o que se falar sobre isso.
    Já sobre os clichês e porque eles não funcionaram comigo, sobre isso há muito sobre o que se falar.

    Tem gente que está gostando pelas qualidades que todos reconhecemos, mas não vejo essas pessoas que ignoram os defeitos serem chamadas de lovers em contraponto a nós que estamos sendo chamados de haters.

    Sobre o diretor ter dito que seria o Ghost in the Shell dele, isso quer dizer apenas que ele leva a série a sério e está fazendo com dedicação, não que será uma obra equivalente ou superior. É sobre como ele encara a importância da série na carreira dele, ou como ele quer que ela seja importante para a carreira dele.
    Isso porque Ghost in the Shell é uma OBRA DO Mamoru Oshii.
    O diretor quer que Guilty Crown seja conhecida como uma OBRA DO Araki Tetsurou

  25. Elvira disse:

    Mesmo eu gostando (muito) do game de Persona 4 eu tenho que concordar com você quando o assunto é a animação e as lutas além de adicionar que a forma como a história é abordada no anime não é tão boa quanto no game. Por isso que eu sou muito mais o game do que o anime quando se trata de analisar esses aspectos.

  26. thoty disse:

    Hunter x Hunter
    Estou gostando ( espero que ñ pare outra vez, hehe…)

    Mirai Nikki
    Ñ achei ruim como alguns falam…
    Ñ gosto de criticar qualidade de anime, sou mais de criticar a historia ( pq tem anime com uma qualidade incrível com uma história clichê da braba, aê o pessoal fala que o anime e excelente)

    Guilty Crown
    Clichê de marca maior

    Persona 4
    Ñ fale mal sem conhecer o jogo ( pq o que vc falou sobre o anime e exatamente o jogo / e sim esta fazendo sucesso no Japão )

    Fate/Zero
    Quem viu o Fate/Stay Night já sabe a luta final ( vale pelas batalhas que são show)

    Outros estou baixando mais ñ tenho tempo de assistir

  27. seiya disse:

    Protocolo BlueHand

    fico feliz de ver que algumas pessoas também estão percebendo que a introdução de C³ não demonstra a realidade do que o anime se torna nos episódios seguintes.

    Acabei de ver o episódio 4, muito sangue e lutas, definitivamente não é apenas ecchi com echi e mais ecchi como o autor do blog destrói o anime.

  28. Natália disse:

    Estou adorando Chihayafuru. Eu já esperava um anime bom, principalmente porque eu sei que a autora do mangá tinha sido acusada de plágio e afastada da carreira por um tempo, mas que depois retornou com esse mangá e dominou as vendas de josei. Além do mais, é um josei. E, em se tratando de animes, joseis geralmente são ótimos.
    Eu também assisti Persona 4 e me decepcionei. Eu via tanta gente comentando sobre essa estreia que até achei que fosse ser bom. Mas, até agora, tá tudo muito sem graça.

  29. Panino Manino disse:

    Persona é bom como jogo.
    Acho que o melhor seria o Persona 3, que na época fizeram o anime Trinity Soul sem muita ligação. O Persona 3 tem história muito boa e alguns mindfucks legais, mas traduzir isso para anime é complicado.

  30. @seiya

    O anime me interessou bastante quando mostrou aquele ar negativo quando foi se aproximando da caixa onde a menina estava. Da para reparar que mostra um lado meio de misterio logo no inicio sobre personificação de uma arma para uma personagem e a mesma fala que é amaldiçõada e da para perceber que quando ela fala colocam uns efeitos CGs com luminosidade negra.

    As lutas são boas e o estilo lembrou um pouco de Index porem a personagem não é indefesa e o protagonista é bem interessante.

  31. thoty disse:

    Sobre o Persona 4

    A unica coisa que eu quero é :
    Que o anime seja fiel o jogo , e nada mais que isso ( falo a historia )
    Se isso mudar…
    sou o 1° a esculachar

  32. Pedro Chiesi disse:

    Comentário voltado totalmente para HxH (Talvez contenha spoiler, fica por sua conta ler)
    – A “correria” que esse povo vem reclamando é algo positivo, eu acredito que estou qualificado para falar de HxH já que eu acompanhei a primeira animação (Dublado e Original), participei de muitas discussões sobre o assunto e acompanho o mangá, mas antes de falar do “algo positivo” eu quero citar a única coisa negativa da nova animação: Kaito, o primeiro hunter que apareceu logo no começo da história! Acredito que a MH pretende usar o trecho que o Gon conhece ele como um Flashback do passado, pois, aquela parte é um lenga lenga desnecessário agora, não vai mudar em nada o seguimento da história, afinal o Kaito só volta bem depois no MANGÁ, mas mesmo assim eu senti falta da aparição dele
    – Pontos positivos –
    > Mudaram a história para tornar ela mais dinâmica, quem assistiu a primeira animação precisa admitir que o começo da série era um enrolação só! E com certeza alguém vai dizer: “Nessa nova animação eles não mostraram como o Gon entende os animais”, já vi alguns comentários assim e só tenho uma resposta: Os Navegadores!
    > Voz do Hisoka: Ficou muito mais foda que a primeira (só por que aquela me irritava)
    > Exame Hunter: Pelo visto eles vão valorizar mais a parte final, o que é uma ótima escolha, aquela maratona com o Sat é parte cansativa da história sem muita ação, só começa a ficar bom agora na segunda parte dela.

    Por enquanto é isso, a série ainda está no começo e ainda tem muita coisa boa para acontecer! Minha nota para a MH é de 9,0 até agora!

  33. andremugen disse:

    Bem. Cada um tem a sua própria bunda. Por exemplo sobre o comentário do HxH de Pedro Chiesi eu discordo em alguns pontos:

    – A “correria” que esse povo vem reclamando é algo positivo = opinião de pessoa que já assistiu/aprofundado sobre série X nunca vi, é bom? e sim. acontece, conheço pessoas que não assistiram FMA, sério. Gon com vara de pesca+navios+ cidades portuárias = gon vai tirar a licença para poder abrir uma peixaria hahahahaha.

    – a única coisa negativa da nova animação: Kaito = um personagem que mal aparece e só volta na saga atualmente parada e que nem sabemos se será animada. Não muito relevante. Acredito que um dos pontos onde dá para encaixar é quando o killua vai visitar a casa do gon.

    Pontos Negativos

    Animação – por quê? porque está bem “toriko” da vida, eu diria até “alegre d+” em contraste com a antiga. Sim prefiro animações mais “sujas” e sombrias.
    Correria – Apenas para os de primeira viagem.
    Censura – Quero ver na saga do Ryodan.
    Hisoka – Acredito que a voz antiga gay apresentava melhor o hisoka e todo seu lado sarcástico/sádico fora a menor censura em seus momentos de “animação” hahahaha.

    Pontos Positivos

    Corte dos fillers – Concordo com o Pedro, principalmente na parte do torneio. Porém deve ser considerado o ano do anime antigo/ situação do mangá na época. Percebe-se que no antigo não existia mesmo uma pressa em seu andamento ( isso fica bastante claro já no clima dado a op e a ed do antigo se comparar com a do novo). No meu caso, os fillers são até assistíveis, mas é só pular. Não sofra a toa.

    OST Novas – Dá aquele ar de “revigorante” no anime. Pelo menos á qualidade está melhor que as de Dbz Kai.

    Nota se pensar apenas no remake em si = 8,0. O anime em geral está bom. Melhor que toriko hahahaha

    Nota minha particular = 6,5. O simples fato de já ler o mangá e ter assistindo a animação antiga já meio que corta a graça de assistir o anime, além de ser difícil não comparar a relação remake X mangá atualmente X anime antigo. Preferia que a MDH tivesse feito a continuação de alguma outra série. Bem que poderia ter feito a 5º temporada de Initial D /o/

  34. andremugen disse:

    Sobre as séries, vou me basear na proposta do Denys:

    Hunter x Hunter: O Remake está bom, mas devido a sua própria natureza deixarei de lado.

    Chihayafuru: Gostoso de assistir: Há um bom balanço entre o jogo e as relações pessoas. Me deu até vontade de ver Hikaru no Go.

    Mirai Nikki: Mesmo com toda a rage ao redor estou assistindo normalmente. Está ok mesmo possuindo seus defeitos. Não li o mangá e não pretendo ler até o término do anime ( esta mania das pessoas lerem o mangá/light novel antes do anime acaba geralmente em decepção, mesmo se o anime for bom.)

    Guilty Crown: Um primeiro episódio médio, seguido por um segundo episódio sobremesa. É dar mais tempo para ver o seu segmento. Sou paciente.

    Persona 4 : Digimom hahahahahaha. É complicado a transmissão de um jogo para um anime que provavelmente já deve possuir número limitado de eps. Colocar todos os personas, que dão mais do que toda a lista de pókemom da 1 temporada, ou relacionar a linha da história com a interação entre os personagens agradando gregos e troianos é tenso. O que mais me incomodou foram as batalhas mesmo. Como do nada tira o izanagi de nivel 1 a 5 e coloca um pyro jack de 32?

    Tamayura ~hitotose~ = slice of life bom foi usagi. Dispenso

    Fate/Zero: Selo Type-Moon? Tó dentro. Acompanhando religiosamente

    UN-GO: Ok. em caso de não melhora vou deixar de lado.

    Phi Brain: Kami no Puzzle: Assisti só um ep, mas acredito que não seja meu estilo de anime.

    Kimi to Boku: slice of nada hahahahaha. Ah, você não fica longe com tamayura.

    Ben-To: Melhor opção para uma diversão sem pretensões, apenas pela cretinice (2) mas até quando?

    C³ – Cube X Cursed X Curious – como o próprio nome sugere. Inicio aparentemente preso a determinado padrão de anime escolar/harém X indício de poderes espirituais X rumo do anime após o 3 episódio. para onde? Falta virar um 11 eyes.

    Como assim você não gostou de horizon e gostou do primeiro de Majin ? Praticamento foi uma “olimpíadas do faustão” a lá dog days o 1 ep de cada . Mas o ecchi da vez é o Maken-Ki sem sombra de dúvidas. Fique longe Denys.

    Obs: Denys. Bem que você poderia falar sobre Mawaru Penguin Drum. Estou acompanhando e gostando deste anime “estranho”.

  35. Pedro Chiesi disse:

    Gostei andremugen, finalmente alguém que conhece bem para falar sobre o assunto (fiquei feliz mesmo)

    – Sobre a correria novamente: Eles deixaram bem claro que o Gon estava indo se tornar um hunter com o objetivo de descobrir mais sobe o pai dele, tanto que ele conversando com a Mito fala “Mas eu quero saber mais, Quero me tornar um hunter para descobrir por que era tão importante para o meu pai” Nada de abrir peixaria (mas achei engraçado o comentário)
    Na verdade não é uma correria, e sim a história original.

    – Sobre o Kaito eu até coloquei que ele só volta no mangá mesmo, mas da pra sentir uma falta né, afinal ele é quem da o cartão de Hunter para o Gon.

    – História, eu acabei falando besteira, eles estão seguindo um pouco mais a história original, isso fica bem claro na hora que o Tompa junto com os 3 irmãos (que não lembro o nome) ficam zuando o Nicolas (gordinho que corre com notebook). Na história antiga tem todo aquele lenga lenga de ir naquelas ervas e tal.

    – Você falou sobre o anime antigo não ter pressa, nem o mangá tem pressa, 1 ano pra sair cada capitulo kkkkkkkkkkk

    Bom eu já fiquei suspeito para falar, estou gostando até demais dessa série nova =X

  36. yarjyarj disse:

    Essa temporada está uma chatice.
    Guilty Crown que a principio me parecia uma boa opção, me deixou decepcionado logo nos primeiros 60 segundos – definitivamente não recomendo – clichê, temperado com uma pitada de chatice.

  37. Bom, vou comentar os que eu estou assistindo:

    Hunter x Hunter: to gostando da enxugada que a MH tá dando, deu uma dinamica maior às partes que, no original, eram extremamente lerdas e cansativas. (quero ver quando chegar na saga da familia do Killua…)

    Mirai Nikki: Depois do decepcionante primeiro episodio até que ficou assistivel, principalmente se enquanto ve-lo você “desligar” seu senso critico.

    Guilty Crown: Primeiro episodio muito bom, mesmo cheio de clichês. Segundo episodio um pouco mais fraco na segunda metade. Só tenho medo que se transforme num shounen tipo “batalhas à noite, escola/slice of life de dia”…

    Persona 4: Nunca tive contato com nada da franquia Persona, então pra mim tem sido um bom entretenimento. Tenho tentado também me manter longe de quaisquer spoilers sobre o jogo.

    Fate/Zero: EPIC WIN. Ano que vem no intervalo entre a primeira e a segunda parte vou assistir à Fate/Stay Night…

    Phi Brain: Kami no Puzzle: Até o fim do anime eu espero que eles deixem pelo menos um puzzle pro telespectador também resolver… Entretenimento de uma noite vazia.

    Boku wa Tomodachi ga Sukunai: Minha perola da temporada. Historia leve, ecchi, um bom character design, animação até que bonita. Não espero nada de mais, mas está sendo um dos meus favoritos da temporada.

    C³ – Cube X Cursed X Curious: Estava preparado pra dropar no episodio 2, mas aí então veio aquilo… Cacete, que episodio bom! Com exceção do protagonista, todas as outras personagens são cativantes. Clichê em cima de clichê, mas pelo menos nesse funciona.

    Maji de Watashi ni Koi Shinasai: A historia… hm… como falar de algo que não existe?

  38. Victor disse:

    Acredito que Persona 4,HunterXHunter e Guilty Crown estão muito bem até agora e já são favoritos para mim.Não vejo esses problemas exagerados que muitos vêem.

    Chihayafuru é bacana e Mirai Nikki tá melhorando,mas não tá no mesmo nível do mangá.

  39. Pingback: Yopinando Shinbun nº 9 parte 2: O Outono das animações Japonesas « YOpinando…

  40. Pingback: Yopinando Shinbun nº 9 parte 2: O Outono das animações Japonesas « Anime Portfolio

  41. Yura disse:

    Teve uma pessoa que comentou sobre Gundam Age e concordo que o anime é muito bom, mas devo discordar de duas coisas:
    1: o protagonista tem 14 anos e não 16, é um dos protagonistas mais novos dos animes gundam;
    2: o anime É SIM para o público infantil, pois foi feito com o intuito de trazer novos fãs pra série, não só os já fãs da franquia gundam.
    Mas mesmo sendo mais voltado ao público infantil, quem já é fã ou mesmo quem não conheça e seja mais velho pode sim gostar da série, o problema é que o visual do anime afasta as pessoas, mas muitos que dão chance não se arrependem.

Os comentários estão encerrados.