Memórias de uma Adolescente Amnésica – Dareka Ga Watashi ni Kiss wo Shita – J-Movie

Vocês com certeza já ouviram a expressão “Não julgue um livro pela capa”, certo? Pois bem, eu sempre gostei de ignorar esse dito; me empolgo com filmes pelos trailers, escolho muitos animes pelas promo images e… já comprei livro só por causa da capa! Quando me interessei por assistir Memórias de uma Adolescente Amnésica, fui julgando pelo peculiar título em português, esperando um drama romântico bem interessante.

Fui traído pela “capa”.

Não exatamente pelo filme não ser bom, mas por ter uma proposta totalmente diferente daquilo que se anunciava com o título. Hoje pesquisando para esse post, peguei a tradução do título original – Dareka Ga Watashi ni Kiss wo Shita (Ou DareKiss) -, algo como “Alguém me beijou” e tudo fez muito mais sentido. Não estamos falando aqui de um drama com toques trágicos de condições patológicas, tão comuns em doramas, mas sim de um drama romântico adolescente.

Em DareKiss, temos Horikita Maki no papel da adolescente Naomi Sukese, que, ao tentar salvar a câmera fotográfica com todas as fotos dos alunos para o anuário da escola, acaba batendo de cabeça no chão e indo parar no hospital. Apesar do acidente não ter grandes sequelas, a garota fica com uma amnésia retógrada de mais ou menos quatro anos, com a possibilidade de ter as memórias de volta ou não.

Dessa forma, ela precisa se reacostumar não somente com uma vida totalmente diferente daquela que conhecia quatro anos atrás, mas também lidar com as mudanças que a vida causou em si própria. A mudança de relacionamento do pai, a nova cidade onde mora ou mesmo a escola internacional em que estuda seriam uma sombra estranha a ser iluminada com o desenvolver da personagem.

É aqui que começou o meu engano quanto ao filme. Antes de assistí-lo, minhas expectativas estavam na construção de um enredo onde a personagem principal seria obrigada a rever toda sua própria existência, encarando as escolhas – boas ou ruins – que fez no início da sua juventude. Isso chega a ser um dos temas de DareKiss, mas a atenção maior recai no lado mais adolescente da história com a criação de uma espécie de quadrado romântico.

Até antes do acidente, Naomi namorava o garoto ocidental Ace, interpretado aqui pelo ator americano Anton Yelchin, típico esportista bonitão e que tem certo desprezo pelo melhor amigo – e é lógico, apaixonado pela garota – esquisitão de sua namorada, interpretado por Yuya Tegoshi (o mesmo amigo esquisito do protagonista do dorama My Boss My Hero) . Mas os quatro anos de amnésia anulam esse relacionamento e a garota começa a questionar o que faz com um rapaz como aquele, que apesar de ter coisas em comum com ela – ambos são promessas do tênis -, não é realmente quem a completa. Na dúvida entre seu relacionamento atual e nas brigas com o melhor amigo, surge mais um clichê desse tipo de filme, o problemático e badboy Yuji Miwa, feito pelo grande Kenichi Matsuyama, completando o quadro.

Apesar de não ser aquilo que eu esperava e da decepção por ter em mãos um filme bem simples, é que preciso dizer que DareKiss é bem feito. Seja pelas boas atuações do elenco (dando destaque para a própria Horikita Maki que até esse papel nunca havia me convencido), tanto dos atores japoneses quanto dos americanos, passando pela bonita fotografia e ótima escolha de ângulos, utilizando-se bem de efeitos especiais para criar um jogo de fotografias, ou mesmo na narrativa do filme que é bem gostosa de acompanhar.

O problema, na verdade, está em seu roteiro. Baseado em um livro homônimo da autora Gabrielle Zevin, poderíamos dizer que o que houve foi uma má adaptação, mas infelizmente foi a própria autora a responsável por roteiriza-lo. DareKiss possuia as chaves certas para dar certo, mas ao não saber onde se focar acaba se perdendo, deixando o espectador sem grandes emoções. Uma hora é a mudança de vida de Naomi, depois seu conflito com o melhor amigo. De repente ela está com o badboy que tem um passado traumático jogado na tela e que tão subitamente é retirado quando o diretor percebe que o filme precisa terminar logo e de maneira feliz.

Como mais um drama romântico, DareKiss pode ser recomendado pela particularidade de ter um elenco internacional com uma boa química, além de ser de fato bem dirigido. No entanto, é preciso deixar claro as fraquezas do roteiro que comprometem boa parte da diversão. Ao não saber exatamente onde se direcionar (isso fica claro pelo papel pífio da atriz Emma Roberts no longa, mero enfeite) Memórias de uma Adolescente Amnésica deixa de ser um ótimo filme para ser máximo bom.

Quer ler uma opinião diferente do filme? Recomendo passar no Mithril que assistiu ao filme na 34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo ano passado.

Esse post foi publicado em Filmes asiáticos, Filmes Japoneses e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Memórias de uma Adolescente Amnésica – Dareka Ga Watashi ni Kiss wo Shita – J-Movie

  1. Morgana disse:

    LoL
    que historia maluca!!
    onde baixa?
    rsrsr

  2. Antes de continuar, preciso dizer que o filme já nasceu premiado, foi escolhido pelo júri popular como melhor filme no Festival do Rio do ano passado e na 32ª Mostra Internacional de São Paulo.

  3. Denys "Fantasma" Almeida disse:

    @Morgana
    Aqui no Gyabbo! eu não indico onde baixar as coisas. Mas pode me procurar no Twitter que eu repasso de boa (é http://www.twitter.com/gyabbo).

    Gyabbo!

  4. Pingback: 3 anos de Gyabbo! – A consolidação de uma trajetória |

Os comentários estão encerrados.