Anime, manga, fãs e religião – É possível?

Hoje é Natal! Gostaria de desejar a todos um ótimo dia de Natal e que Deus abençoe a todos. Aproveitando o momento, gostaria de convidá-los a um debate acerca da relação dos animes, mangas, os fãs, a sociedade em que vivemos e o cristianismo. 

Antes de começar a desenvolver a minha ideia preciso comentar da minha própria religosidade. Com uns 11 anos me considerava ateu, muito mais por rebeldia pueril do que por convicção verdadeira. Mais ou menos com essa idade que fui obrigado pelos meus pais a fazer aulas de cataquese, com o intuito de fazer a primeira comunhão. Não irei entrar em muitos detalhes, mas esses são pequenos “ritos” de crescimento dentro da religião católica; batismo, primeira comunhão, crisma e outras.

Ao contrário do que se poderia pensar, o fato de ter sido obrigado a ter “aulas sobre Deus” todos os sábados durante dois anos não aumentou minha vontade de ser ateu, ao contrário, abriu meu coração para receber Deus e crer em Jesus. Mesmo não sendo praticante, não indo muito a missa e tendo me confessado apenas uma vez, ali eu havia me tornado um católico de corpo e alma.Mas a vida é dura, as pessoas crescem, amadurecem, estudam, pensam, refletem e acabam mudando muito de opinião durante os anos. Inicialmente surgiram dúvidas, seguidas por questionamentos, até por fim um rompimento. Hoje eu não me considero católico, mas ainda me considero cristão.

Terminada essa introdução sobre como eu me vejo em relação ao lado religioso, voltemos a falar de animes. A primeira pergunta que eu gostaria de fazer nesse debate com vocês é a seguinte: É possível ser religioso (e estou me focando mais nas religiões cristãs que são as que eu conheço mais de perto) e fã de animes e mangas ao mesmo tempo?

Ilustro essa pergunta com um acontecimento que presenciei pouco depois de entrar na faculdade. Naquela época, uma grande amiga, evangélica desde criança, resolvera que “sairia desse mundo”, deixando de assistir a animes e ler mangas, por causa de uma experiência religiosa que teve. Várias vezes, em um curto espaço de tempo, havia estado acidentes de carro, cada vez mais perigosos, nunca por imprudência sua no volante. Um dia, em um sonho, recebeu uma mensagem do que seria um anjo, de que se não parasse de assistir animes e mangas, o próximo acidente seria fatal. Coincidentemente (ou não), ao conversar na manhã seguinte com sua mãe sobre o sonho, a mesma relatou que no culto da noite passada em sua igreja, o pastor havia alertado para os perigos “desses desenhos japoneses”. Essa experiência foi suficiente para que esta minha amiga tomasse a decisão de largar tudo, queimando todos os seus pertences relacionados a animes e mangas (e não eram poucas coisas, incluindo um belíssimo cosplay de Saber do anime Fate/Stay Night).

Lembro que na época, conversando com ela sobre isso, eu disse que não concordava, mas que apoiaria ela na escolha que fizesse na melhor forma que encontrasse para servir a Jesus. Disse isso, porque tenho para mim que as experiências religiosas são coisas muito pessoais. Quem sou eu para dizer que aquele sonho não passava de uma grande coincidência? As crenças das pessoas, acredito eu, vem do íntimo mais profundo do ser e por isso devem ser respeitadas como individuais (o que não nos impossibilita discutir religião em geral, algo que adoro).

Mas será que adorar a Deus e assistir desenhos animados feitos pelo Japão são coisas realmente excludentes?

A minha primeira camada de resposta é, não. Assim como livros, filmes, peças, desenhos animados (sejam eles japoneses ou não) são apenas um meio para passar algo. Não é a arma que mata o homem, o homem mata com a arma. Sendo assim, não há sentido em julgar algo meramente por sua precedência geográfica como muito se faz. Afinal, quem em sua vida de fã de animes e mangas nunca ouviu um “Esse desenho é do demônio!”. Não sei vocês, mas eu já passei por essa experiência (junto de RPG) e não faz sentido.

Seguindo esse raciocínio venho para a segunda camada da resposta: Aquilo que se assiste. Afinal, se entendermos que a questão não está na forma do entretenimento, mas sim naquilo que tal obra passa, seria impossível dizer que um Usagi Drop iria contra os preceitos de alguma religião, sendo anime ou não. Mas aí vamos entrar na questão de que muitos animes, sendo parte de uma cultura de base religiosa e cultural bastante diferente da judaica-cristã, irão abordar temas que podem ir contra preceitos religiosos. Não é preciso ir muito longe, basta ter a mente um pouco mais fechada e obras como Inu-Yasha, Sakura Card Captor, Shaman King, One Piece e tantas outras facilmente poderiam se encaixadas como “do demônio” baseadas em alguma cena e em alguma passagem bíblica.

E aqui eu gosto de fazer uma virada de mesa com o seguinte argumento que aprendi ao defender o metal contra julgamentos iguais: Se eu apenas ouço uma música religiosa, não estou seguindo Deus e nem sendo um verdadeiro cristão, correto? Então por que ouvir uma música com temática não muito condizente com o cristianismo me torna alguém do outro lado? Da mesma forma estendo esse pensamento para os animes; estando eu ciente do que vejo e consciente do que é correto ou não, assistir um anime, seja qual for, não poderia me deixar menos ligado a Deus.

Infelizmente vivemos em uma sociedade cada vez mais intolerante com as diferenças e que busca retificar mesmo aquilo que há de mais individual no homem, sendo uma delas sua relação com seu Deus. O julgamento é fácil, ainda que um dos preceitos cristãos é o de não fazer julgamento dos outros. Pior, segue-se em um constante vigilância religiosa, onde acabamos por nos defrontar com textos de igrejas que julgam ser errada a tolerância.

Dentro daquilo que eu acredito, e que não necessariamente vai de acordo com o que está escrito na Bíblia, mais importante do que o rótulo que carregamos (crentes ou não crentes, católicos ou evangélicos, religiosos ou ateus), são os comportamentos que temos e a moral que levamos (sendo que não, não é preciso ser religioso para ter uma moral considerada boa). Ver animes, ler mangas, não vai de encontro ao que um Deus verdadeiramente bom quer, se nossos atos são voltados, não para ele, mas para um bom convívio com os outros.

Não devemos ser bons pelo medo do castigo, mas pela vontade e crença de que aquilo é o certo. Por mais fácil que seja generalizar, mesmo dentro de um fandom coeso (que definitivamente não é o caso do fandom brasileiro de animes e mangas), cada indivíduo é uma pessoa diferente e se torna impossível achar que um ponto em comum entre elas vai determinar sua índole.

Para mim, a verdadeira mensagem do Natal é a de que devemos buscar aquilo que é bom. Para mim, que sou cristão, é buscar estar cada vez mais próximo de Jesus, não pelo meio da fé, mas pelo meio dos atos. Estar próximo de alguém que buscou ser justo, companheiro, amigo e bom. Mas para alguém que é ateu, o raciocínio é o mesmo, a mensagem continua igual; busquemos ser o melhor que podemos ser, saindo do egoísmo pessoal e estendendo para os próximos.

Não é a religião ou os gostos que dizem quem uma pessoa é. É o seu todo que pode nos informar uma parte dela. Somos seres de possibilidade, seres de desejo, e sendo assim, nunca poderemos ser encerrados em um único ponto.

Gostaria de verdade de ouvir a opinião de vocês nesse post, se possível relatando experiências que tiveram com animes, mangas e as religiões. Porém, a ideia não é destruir, mas compartilhar, por isso não serão aceitos comentários ofensivos a qualquer parte.

Esse post foi publicado em Artigo e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

91 respostas para Anime, manga, fãs e religião – É possível?

  1. Hidekee disse:

    Sou cristão de formação e bases evangélicas, mas desde novo sempre me interessei por mitologias e outras religiões. Os animes entram de forma igual e não alteram em nada minha fé e minhas crenças.

    O mais legal de ver outras reiligões e filosofias é perceber similaridades entre elas e as nossas crenças, no caso agora, religião cristã, mas poderia ser mto bem islâmica, judáica ou outras menos populares… Se a própria Bíblia recomenda reter o que é bom e jogar o que é mau, faça o mesmo com os animes e seja feliz. Assim que faço e é o que recomendo a quem sempre entra nesses conflitos religiosos, sendo cristão ou não.

    E para finalizar: FELIZ NATAL!

  2. Matheus Hachiro disse:

    Concordo com tudo que foi dito aí, ótimo texto. :D

  3. Saudações

    Jovem Denys, experiência similar já ocorreu comigo, também. E sim, envolvia religião diretamente.

    Mas eu simplesmente segui a boa educação recebida por meus pais (eu tinha, então, 14 anos de idade) e não contrariei a opinião da outra pessoa, nem fiz também maiores questionamentos. Expus de forma breve a minha forma de pensar e encerrou ali o assunto. Triste foi a pessoa se distanciar de mim em razão de meus gostos pessoais (ou melhor: em razão de eu gostar de animes).

    Acho perfeitamente possível as pessoas seguirem suas religiões e, ao mesmo tempo, continuarem curtindo seus gostos pessoais sem nenhum alento ao crime ou à premonição de uma catástrofe. Não vou negar que, ao lembrar de tal evento de minha adolescência, fico chateado. Mas é uma lição de vida (entre tantas outras) que fica na mente, para sempre…

    Não vou fazer, aqui, falsas apologias ao que pode ser considerado como certo ou errado. Só posso, humildemente, seguir o meu caminho e respeitar o caminho que as pessoas ao meu redor (sobre a temática proposta na postagem) desejam seguir.

    Um ótimo texto, amigo Denys. É difícil tratar deste assunto, mas vejamos o que mais poderá ser aqui discutido, saudavelmente.

    Até mais!

  4. Não vejo nenhum problema em alguém cristão ver anime, ainda que estes sejam considerados “satânicos”. Vocês não está adorando nenhum deus dos animes, eu se curvando para Shaman King nem nada, só se está se entretendo com uma serie como outra qualquer. Acho que a pessoa pode ver animes, acreditar em um deus e ainda continuar coesa (dentro de seus próprios padrões é claro)

    O problema é quando a sua própria Igreja declara e te proíbe de ver animes, pois os considera satânicos, aí no caso cabe a própria pessoa julgar os fatos e caso realmente não queira ser hipócrita (nenhuma obrigação é claro, cada um pode se enganar quanto quiser), tomar a decisão que julgar correta.

  5. Ser religioso e ver animes não é problema, o problema é sua igreja proibir animes e você ver animes, aí a pessoa só está se fazendo de cega mesmo.

  6. Iago Moraes disse:

    Gostos são gostos e uma coisa não tem nada haver com a outra é a mesma coisa de que só por que você curte Rock tem que ser Ateu não diria que sou religioso ou ateu sou apenas uma pessoa que acredita no ser humano, e que apenas acha que se a historia de Jesus foi apenas um conto então quem inventou era o maior contador de historias de todos os tempos já que com o passar do tempo várias gerações vem acreditando na historia enfim digamos que eu sou um cara que nem acredita ou desacredita sou apenas uma pessoa que vive um dia de cada vez e vendo tudo que desperta interesse alias eu já lia bíblia toda e acho um livro com historia fascinantes já existe, mas acho que uma versão bem trabalhada dela em mangá seria um marco

  7. Max Andrade disse:

    Acho paia essa discriminação pois mangás principalmente são arte, e muitos deles tem muitas mensagens ali sendo transmitidas q são muito positivas e até cristãs, mesmo o autor não sabendo disso.
    Na minha concepção não tem problema algum, existem muito mais relacionados a censura por faixa etária por exemplo

  8. Plant disse:

    Primeiro, sou agnóstico teísta e concordo com o seu ponto de vista!
    Minha mãe é evangélica, mas ela tem uma cabeça aberta, talvez seja pelo fato da igreja da qual ela “fazia” parte ter uma cabeça mais aberta. Eles não julgam como igrejas costumam julgar, e se tem um fato quem me faz não ter uma religião é justamente a igreja, de qualquer religião ser tão intolerante com opiniões pessoais.

    E eu acho a Cruzada uma das maiores putarias da humanidade. Enfim, eu prefiro crer em algo mais pessoal, na minha concepção de Deus. Algo que me dá a liberdade, algo que me deu o Livre-arbítrio pra fazer o que eu achasse que seria melhor pra mim sem sua interferência. E se Deus me deu o livre-arbítrio, não seria a Igreja quem deveria me dizer o que é certo ou errado! Orientar sob sua perspectiva, talvez, mas nunca me impor. Isso tem que ser decidido pela própria pessoa, por usa própria concepção, mesmo que não seja a mais correta possível.

    Eu nem gosto de falar muito de religião, justamente pela intolerância do pessoal contra alguém que vai contra suas idéias. Mas depois disso tudo, eu queria dizer que NÃO, mangás e animes são meramente uma forma de arte que tem como pretensão entreter quem o vê. Não penso que tenha algo oculto lá para nos fazer querer matar-mos em nome de Satã! O.o Mesmo se tiver demônios em uma história, sempre haverá um contra-ponto, e justamente esse contra-ponto, na maioria das vezes será o bem. Aí já entra a questão do pessoal da religião que nem ao menos pegou em uma dessas histórias pra julgar. E sempre uma coisa puxa a outra. Enfim, eu nem gosto de polêmica, mas essa é minha opinião, mesmo que um pouco confusa! Hehe

  9. melissa disse:

    Eu sou evangelica praticante, mas prefiro dizer cristã, semelhante à Cristo. O problema em ver animes e mangas eh se eles influenciatem vc a duvidar de Deus. Eles geralmente sao bem polemicos, e podem confundir alguem despreparado. Se os ideais presentes neles forem contrarios aos de Cristo, cujos ideais/planos dao bons, perfeitos e agradaveis, e comecarem a substitui-los ha um grande problema e ver animes e mangas deve ser evitado.
    Mas tudo depende da mente da pessoa, se rla eh forte ou fraca em espirito e facilmente influenciada/manipulada. Anime w mangas podem ser em um pessoa um meio de corrupcao e em outras nao.

  10. anachan2010 disse:

    Eu sou cristã, acredito no espiritismo e vejo animes numa boa.É perfeitamente possível, se vc tem a cabeça aberta. Assim como é possível ver filmes de terror, ler livros de aventura e tudo o mais que não seja maniqueísta ou moralista.
    E como vc mesmo disse no texto, existem animes e animes. Alguém muito católico pode se ofender com Hellsing ou Ao no Exorcist, por exemplo, mas não seria um problema ver Usagi Drop.
    Também tem a questão do conhecimento. Inuyasha e Nurarihyon no Mago são totalmente pautados no folclore japonês, por exemplo, e sabendo disso é possível compreender o que está sendo mostrado ali.
    Mas concordo que julgar desenfreadamente é uma prática cada vez mais comum, mesmo com a velha história da primeira pedra. É uma pena.

  11. Eu acredito que uma pessoa para escolher sua religião precisa refletir e estudar, os animes são uma forma de ensino não direto, Você aprende coisas nos animes que podem não ser condizentes com o que as pessoas tementes a deus acreditam. Mas, cada pessoa vê o mundo de uma forma diferente, num anime pode existir uma insinuação de um Deus maior que outro, mas aí cabe a pessoa que assisti o anime decidir acreditar naquilo ou não.

    Em resumo, eu acho que podem haver influências de animes sim na crença religiosa, mas cabe a pessoa decidir crer ou não naquilo.

  12. melissa disse:

    Ah, tbm existe a questao da idolatria: fanatismo NUNCA e bom, nem vicios. Na biblia fala para nao idolatrarmos nada, mas para o nosso bem. Se a reditamos qie Deus nos criou, Acrediramos no objetivo dele prAnossa vida. E se ser fanaticps por anime e mangas nos limitar no comprimento desse motivo, entao nao eh bom continuar a velos.

  13. @Melissa

    Acreditar na Bíblia 100% é errado, Jesus pode até ter existido, mas não sabemos se ele fez e falou o que os Apóstolos dizem, afinal, não foi o próprio que escreveu.

  14. Tiago Szanto disse:

    Ótimo texto, concordo com tudo que você disse. Afinal, Deus não vai mandar para o inferno um ateu, por exemplo, se ele foi uma boa pessoa aqui na Terra. Acho que isto está mais relacionado com as ações do que com a crença (claro que um satanista não vai pro céu né)
    Não acho que animes e mangás sejam ‘satanicos’ só por falarem de demonios e afins, até porque os japoneses tem uma crença totalmente diferente da nossa, e pra eles, abordar esse tipo de assunto é mais por uma questão de ‘se aproveitar’ de uma cultura que pra eles não significa absolutamente nada e não porque eles são adoradores do diabo (quem fala isso é muito ignorante) assim como muitos livros ocidentais (levando em conta que a maior parte dos ocidentais são cristãos) abordam temas da mitologia grega ou nórdica como plot de suas histórias.
    Quando um desses fanáticos religiosos intolerantes dizem pra mim: ‘isso é coisa do capeta’ e já dou uma resposta intolerante também: ‘é que eu sou adorador do capiroto’ ¬¬
    E putz, se eu tivesse um sonho que nem o da sua amiga, eu não me afastaria dos animes e mangás não (pelo menos se eu morresse, morreria feliz u.u)
    Mas gostei muito do seu texto e concordo com tudo que foi dito.
    E goataria de desejar um feliz natal pro Gyabbo e pra todos os leitores desse blog, e lembrem-se Jesus ama a todos nós, sendo otaku ou não (ele só não ama os narutards xD’ brincadeira, ama sim, eu que não amo :p)

  15. Na minha opinião é claro que pode ver animes e seguir suas crenças sem nenhum problema, não vejo mal algum. Já aconteceu um caso comigo de uma pessoa dizer para eu parar de ler mangás por que é satânico, o que aconteceu? Nada, simplesmente até agora nos dias atuais continuo lendo.

    Na verdade não importa de a pessoa está vendo animes ou não, mas sim se essa pessoa está fazendo algo de bom na sociedade.

  16. Saudações

    Devemos tomar cuidado, sobretudo, com as formas com as quais são vistas a questão.

    Levemos em conta, principalmente, o fato dos animes e mangás retratarem (em boa parte) muito da cultura, do folclore e dos costumes de vida pertinentes à sociedade japonesa. Particularmente, mesmo que eu fosse uma pessoa religiosamente ativa ao extremo, eu teria que saber diferenciar esta questão…

    Para os japoneses (e não apenas eles), vale ressaltar, existe uma diferença gritante naquilo que pode ser considerado como [Anjos] e [Demônios] (não exatamente o conceito do que é certo ou errado, mas sim na definição do que é puro e do que é maligno). Traduzir isto tudo, de forma centralizada na objetividade da cultura ocidental, poderá levar à interpretações errôneas…

    Eu passei por tal preconceito, como citei em meu primeiro comentário deste post do Denys. Ler mais, se informar mais, pode fazer uma diferença enorme nessas horas. E não: jamais me deixarei levar por um hobbie meu (ou no caso, pelo apreço que tenho pelos animes e mangás japoneses).

    Cada pessoa é única e, tal como frisei, respeito à todas igualitariamente (ao menos, tento fazê-lo). Mas cuidados devem ser tomados…

    Até mais!

  17. Sutookaa Kun disse:

    Primeiro, é estupidez falar que animes são coisa do capeta. Japoneses nem acreditam no capeta, por que iriam trabalhe para ele? Esse argumento só é valido se você considera que tudo que não é cristão = mundano = coisa do capeta. Aí sim. Neste caso, pare de assistir animes, filmes, novelas e vá assistir só aos canais religiosos, pois só lá você pode, talvez, encontrar a salvação.

    Mas temos de convir que, justamente por não crerem em Deus, Jesus, Satã, Maria ou seja lá quem for, os japoneses, bem como os americanos, ateus e qualquer um que não acredite nisto, acabam por ironizar a fé cristã, o que pode ser considerado como blasfêmia e digno de repúdio para muitos cristão.

    Acho que aqui novamente cabe aquela velha e usual regrinha do bom senso e do sentimento de cada um.

  18. Iago Moraes disse:

    Ei tive uma experiencia que não relatei no primeiro comentário que foi por gostar muito de Kaori Yuki e sua obra prima Angel Sanctuary isso acabou que até travou meu namoro por assim dizer ela era muito religiosa e como disse acima sou um cara que gosta muito de historias mas não de ficar uma hora e meia ouvindo o sermão de um padre, só que invés disso prefiro ficar em casa e ler a própria bíblia e suas historias, bom no contesto geral ela acabou terminando comigo depois que mostrei o mangá para ela, e sim ela gostava de mangás (acho que até aquele dia).
    Mas AS sempre sofreu isso por abor desde o incesto até a revolta contra deus o homossexualismo de alguns anjos sua crueldade comparada com as dos demônios mas para as pessoas que falam mal dele sem nem ao menos ver a obra me deixam muito triste pois e o melhor mangá que já li até hoje

  19. Sandra Monte disse:

    Pois é…
    Este é um tema complicado. Especialmente porque as pessoas confundem crença em Deus e ser obrigado a seguir uma religião em si.

    Sou católica desde criança, apesar de não ter feito certos ritos da Igreja. E não penso em mudar, pois problemas todas as religiões terão. Acredito ser importante participar de alguma religião, desde que a própria pessoa tenha discernimento de certas coisas.

    Por exemplo, não sou devida de nenhum santo, pois santos não existem. Entretanto, não acho correto o que outras igrejas fazem. Assim, continuo na religião a qual nasci. Enfim…

    Acho que a questão que muitas pessoas se pegam é justamente de interpretação. Bíblia, Torá e Alcorão são os livros mais perigosos que existem, pois dão margens a várias interpretações. Inclusive, algumas perigosas.

    Alguns animes sofrem porque se as pessoas que seguem algumas religiões percebessem de verdade os textos dos livros – em especial a Bíblia – assistiriam mas, mesmo assim, colocariam Jesus acima de tudo.

    Meu anime preferido, InuYasha, sofreu por conta de fanatismo religioso. Por algumas descrições bíblicas, Sesshoumaru seria uma representação (física) de “demônio”. Entretanto, há uma detalhe extraordinariamente sutil dele para um “demônio” judaico-cristão: demônios são belos e se valem disso para atrair os humanos para o mal. Sesshoumaru só é belo. Ele não atrai humanos, pelo contrário, repele-os…

    Enfim… o que quero dizer com tudo isso é que o problema não é a “religião” em si como os “otakus reacionários” dizem. O problemas são as pessoas que fazem certas religiões. É um problema humano: a religião traz poder. Tudo gira em torno disso. E para não ser coagido, ludibriado e afins, a pessoa necessita de discernimento. Mas, infelizmente, isso é muito difícil nos dias atuais…

    Sandra Monte
    http://www.papodebudega.com

  20. Suzi disse:

    Essa questão é um pouco parecida com a que envolve vídeo games. Eu acredito que não há mal algum em se assistir animês (sendo cristão ou não). É só uma forma de entretenimento. As pessoas que são fanáticas ou radicais demais.

  21. Ikari387 disse:

    Sempre fui um adepto desse tipo de discussão saudável, a fim de permitir (1) o conhecimento de diversas vertentes de pensamentos/opiniões e (2) um maior respeito entre os indivíduos, considerando que tal compartilhamento de visões de mundo faria as pessoas se conhecerem melhor.

    Quanto a discussão em si, acho que todo otaku (que não é filho de pais otakus xD) passa por isso. No meu caso, embora meus pais não façam parte de igreja alguma (mas têm base católica de criação), vez ou outra deixam escapar que os animes/músicas japonesas podem estar falando algo de ruim e/ou do demônio. Mas, no geral, meus pais são bem liberais nesse sentido: minha mãe curte MUITO Tenchi Muyo, Yu Yu Hakusho e InuYasha, enquanto que meu pai se interessou bastante (e assistiu comigo) o movie Evangelion 1.11.

    Desde a adoslência eu “rodei” por várias denominações de igrejas, sempre por livre e espontânea vontade, migrando daquela que não me agradava uma que algum conhecido dizia ser boa. Ao final do processo, após passar pelas igrejas Católicas, Assembléias, Batistas e Pentecostais, acabei escolhendo ser apenas CRISTÃO, tosando os ensinamentos repassados em cada igreja.

    Na maioria das situações, vejo que as pessoas contrárias a alguma igreja ou religião geralmente o são pelo modo que são ensinadas (ou empurradas para tal) sobre ela. As igrejas tentam forçar vc a entrar num formatinho visual e/ou de atitudes que NADA tem a ver com o pregado, de fato, pela religião (seja ela qual for, mas estou aqui me referindo ao cristianismo). Apenas entrar com roupa social, ou ser proibido ter cabelos compridos, ou qualquer outro cerceamento puramente estético e/ou infudamentado servirá unicamente para afastar possíveis “fiéis”.

    São as atitudes que dizem quem nós somos, como você bem expôs, Denys. E as decisões são reflexos de nossa educação na idade mais tenra. Uma família estruturada somada a uma religião que ensine princípios COESOS (não contraditórios) e UNIVERSAIS (sem privilégios para X, Y ou Z) terá constituído um indivíduo capaz de julgar e filtrar aquilo que será positivo para sua vida íntima/pessoal e social.

    Claro, isso também fará com que os indivíduos selecionem aquilo que desejam assistir, ler, ouvir. Há alguns animes que não assisto por achar “pesado” demais no aspecto religioso-cultural. Mas isso é mais do que normal, afinal, não compartilho de todas as visões que os japoneses (e as diversas vertentes religiosas implícitas na sua cultura) têm sobre religião.

    O importante é ser capaz de separar o shouyo do trigo. Em qualquer coisa que nos deparemos em nossa vida.

  22. Marco disse:

    Vamos opinar! ~Le o primeiro comentário no blog

    Eu me considero religioso, por acreditar em Deus, mas tenho um conceito que considero… diferente. Isso porque não concordo com a atitude das igrejas (sem evangelicas, catolicas, etc…) e já soube de muita gente que me via como Ateu por causa disso. Essa confusão Religião (cristão, islamico, budista) vs Igreja (catolica, evangelica) sempre foi minha maior cisma…

    Talvez por esse lado mais “liberal” que tenho de pensar nunca tive problemas com animes/mangas, e minha família nunca me influenciou a nada. Ja ouvi muito “isso é do demonio” (principalmente na época de Yu-Gi-Oh!) mas sempre considerei tudo como parte da ficção.

    Nesse ponto eu concordo plenamente com um assunto levantado no texto: independente dos rótulos o que vale são as atitudes das pessoas. Uma “amiga” minha de muitos anos resolveu cortar laços comigo porque a mae dela disse que eu e metade do colegio estavamos “atrapalhando o envolvimento dela com Deus”. Até que ponto a devoção é “saudável”? Não sei dizer, claro, porque ta aí uma coisa polêmica.

    Enfim, tento ser uma pessoa boa no dia-a-dia, mesmo nao frequentando a igreja rezo todas as noites e tenho meus preceitos (acredito em espíritos mas tambem em santos) e meu hobby com a cultura japonesa nunca influenciou isso em nada, quando pequeno até me incentivava com coisas como “quero ser legal como o seiya”, etc.

    Sou a favor de cada um seguir o que lhe traz mais paz espiritual, desde que não rotule/discrimine ninguem por isso.

    No mais, parabens por levantar essa assunto, não esperava por algo desse nível na blogosfera xD

  23. Warlock-sama disse:

    Nossa, assunto quente.
    Well, eu sou ateu. Não por rebeldia, não muito por convicção, admito que é por raiva. Tanto por animes, quanto por música e ciência eu discordava da religião dos meus pais (São testemunhas de Jeová) Eu fui humilhado e aguentei coisas que poderiam muito bem me atormentar sempre.
    Acho que, pelo menos em certas pessoas, a religião faz uma lavagem cerebral tão grande, que pais dizem coisas horríveis aos próprios filhos.
    Acho que tudo depende da mentalidade da pessoa, se for uma pessoa mente aberta, é bem capaz de ver que não tem problema nenhum em ver animes. Não é como se fossemos adoradores de satã.

  24. rodrigocvc disse:

    Cara, eu realmente me surpreendi ao ver um texto desse gênero em um blog do brasil, mas ao pensar melhor, eu lembrei que isso está presente na vida não só dos Otakus, mas também de qualquer pessoa que hoste de algo diferente, mas na minha singela opinião, a tão conhecida frase: “isso é do demônio” é uma das maiores demonstrações de intolerância, já que muitas vezes, o anime/música/etc que está em questão não tem nenhum referência satânica e nada do gênero, mas pelo simples fato de ser diferente do normal, é considerado satânico, e isso sem considerar que saber o que “é do demônio” ou não é impossível até mesmo para os religiosos, já que a bíblia ou nenhum livro religioso traz um “manual para reconhecer satanás”, eu sou que ne você cara, sou um cristão não-praticante mas acho que isso de algo ser do demônio ou não é pura e simples intolerância

  25. Guilherme disse:

    Li 90% do artigo e cansei.
    Desculpe, mas não sei como uma coisa entra em conflito com outra. O fato de eu ser religioso e ler mangas é tão contraditório quanto eu não gostar de feijão e ler mangas.

  26. Warlock-sama disse:

    Não é tão difícil assim de imaginar… Afinal, querendo ou não, já vi inúmeras vezes na TV falando de animes como sendo “coisa do demo”. Lembram-se de Pokémon e Yu Gi Oh?

  27. Panino Manino disse:

    Seguinte.
    Se a pessoa tem alguma dúvida sobre algo de que gosta, e isso não tem nada haver com religião, ela deve refletir e tirar sua conclusão seja ela qual for.

    Agora, para todo o resto… “Vai pra puta que te pariu” e “Foda-se” são minhas respostas universais para todas as questões.

  28. Bem, eu sou um cristão católico, apesar de que hoje em dia estou mais para cristão herético. E não vejo nenhuma contradição em ser religioso (nesse caso ser cristão) e ver animes e mangás. Ambos fazem parte de uma literatura de entretenimento tanto como livros e músicas ocidentais. A questão é se o conteúdo irá te afastar da fé ou não. Mas isso é subjetivo e cabe a cada um escolher o que quer ver. Quadrinho japonês não será mais “heretizante” do que quadrinho brasileiro. Isso é preconceito.
    Eu também já sofri com esse preconceito religioso. Já escutei inúmeras vezes minha mãe dizer que algo que eu via era “de demônio” e me pedisse para parar. Inúmeras vezes tive de desligar a televisão enquanto passa episódios de Yu-Gi-Oh!. Também lembro que uma vez ela queimou um poster do Mewtwo porque ele tinha “chifrinhos” e “era do demônio”. Apesar disso ela melhorou bastante tolerãncia, tendo inclusive assistido Fullmetal Alchemist Brotherhood comigo.

  29. Giovana disse:

    Antes de mais nada, parabéns por abordar um assunto tão próximo de diversas pessoas, porém pouco abordado, não por ser polêmico, mas por ser confuso. Como já li nos comentários e quero ressaltar, as pessoas confundem facilmente a crença, a fé em algo, e a obrigação diante disso.
    No final das contas, os animes não vão influenciar em sua fé, isso é a dúvida. A dúvida é que realmente causa isso nas pessoas, especialmente em um assunto que não é um consenso geral como a religião é. Se a pessoa tem certeza de sua fé, não serão os animes, mangás, RPGs, músicas, livros, ou qualquer outra coisa que transformará alguém de uma pessoa religiosa para uma pessoa não religiosa, ou até pior.
    Eles são apenas entretenimento, como é dito no próprio texto. Agora o fanatismo, dos dois lados da moeda, que afetam isso, e criam tanto pessoas convictas de que tais coisas fazem mal quanto de que tais coisas devem ser seguidas fielmente até os pontos mais extremos, coisa que acaba fazendo esses dois lados serem tão conflitantes. De um lado, pessoas que acabam alucinadas por algo que deveria ser um entretenimento e do outro, pessoas que só enxergam os alucinados e que pensam que todos que entram em contato com tal coisa serão daquele jeito.
    Há também o fato de existirem pessoas que acabam não encontrando suas próprias convicções em alguma coisa e nem criando-as.Assim, acabam acreditando em uma coisa, mas criam duvidas logo na primeira influencia que veem que diverge da coisa na qual escolheram acreditar.
    Não que isso seja uma regra para todos os casos. porém o “crer” é muito pessoal. As pessoas as vezes não enxergam que, de uma forma ou outra, elas que constroem a sua fé, a sua crença, e o que vale a pena fazer por tal para mante-lo intocado, para não duvidar e nem por em risco.
    Tanto os gostos quanto a religião são coisas totalmente PESSOAIS. É isso que quero destacar. Hoje em dia somos nós que escolhemos no que acreditar ou não, isso não precisa mais ser imposto para nós como uma unica escolha. Porém, as pessoas tem que ter consciência também dos seus atos, do que afetará ou não a sua escolha e a escolha das pessoas a sua volta.

  30. Suna disse:

    Excelente post, Gyabbo. Faz tempo que eu queria ler algo assim, mesclando religiosidade e cultura otaku em uma opinião sensata e elucidativa. Acho que é possível conciliar essas duas coisas, sim. Pra mim, é uma questão de maturidade.

    Sou católica e embora esteja afastada dos ritos religiosos, não me considero menos cristã por isso. Gosto de anime e mangá desde
    CDZ na Manchete, então, faz tempo. Meu único e pequeno aborrecimento envolvendo estes dois tópicos se deu no Ensino Médio, quando uma colega de classe, evangélica, condenou meu gosto pelos animes. Acredito que ela tenha ouvido essa associação entre animes e o capeta umas 500 vezes e veio tentar socorrer uma pobre ovelha desgarrada… xP Exageros à parte, aquele foi um diálogo breve, ela me mostrou o seu ponto de vista e eu o ignorei, como faço até hoje com qualquer opinião extremista que ouço, independente do assunto. De lá pra cá conheci pessoas de diversas religiões e idades, uns otakus e outros não, que souberam demonstrar suas opiniões de maneira educada nas poucas vezes em que abordamos esses temas.

    Antes de alguém se julgar apto à censurar o gosto alheio, deve pelo menos saber do que está falando. Animes e mangás, além de serem um entretenimento, mostram o choque cultural que existe entre o Japão e o ocidente. Religião também é cultura, e qualquer pesquisa rápida no Google mostra que o Cristianismo lá não é tão popular quanto aqui. Se eles usam seu folclore e religiosidade para criar suas histórias e estes divergem das minhas crenças, cabe à mim não levá-las à sério quando não me mostrarem algo que eu possa levar para o dia a dia.

    Quanto a aqueles que não compreendem isso e insistem num julgamento unilateral, só posso lamentar. Pessoas que não estão dispostas à ouvir não me fazem entrar numa conversa. Que eles pensem o que quiserem sobre meus gostos.

  31. Ana Paula disse:

    Concordo em tudo o que foi dito no texto, e por sinal tenho a mesma visão que você em relaçao a religião, e tudo.
    Já passei por essa experiencia, em que me disseram que “anime é do capeta” e tal mas, infelizmente isso é uma coisa “comum” de se ouvir de evangélicos e tudo mais.
    Seria muito bom se mais pessoas pensassem como você não só em relação a animes, mas religião, moral e modo de vida.

  32. Sempre fui católico e minha família é bem religiosa.
    Comecei a assistir animes quando era pequeno, na Tv manchete.
    Meus pais não me deixavam assistir animes como cavaleiros do zodíaco e yu yu hakusho, pois achavam muito violento, o que dá pra entender pois não era um tipo de animação muito comum e eu era bem novo na época, e também por achar que não era algo compatível com as crenças religiosas que eles sempre me ensinaram já que temas comuns nas crenças orientais eram citados.
    A única coisa que era liberada era Jaspion (desse eu tinha até uma roupa XD), o resto eu assistia escondido (sorry mom) ou quando na casa da minha avó.
    Porém como o proibido é sempre é mais gostoso comecei a gostar cada vez mais de animes.

    Sobre o tema da discussão em si, não acho que gostar de animes e mangás seja incompativel com a minha religiosidade.
    Quando você assiste ou lê algo é importante levar em conta a origem do material.
    A cultura japonesa, a oriental em geral, é muito diferente da nossa, não apenas na parte religiosa. Inclusive o uso das crenças e lendas orientais me fizeram gostar ainda mais de animes/mangás.

    O problema é que muitas pessoas parecem não entender isso e acham que tudo que é diferente daquilo que elas acreditam é errado.

    Se formos analisar alguns animes, vemos que muitas mensagens “cristãs” também são encontradas, principalmente nos shonens. Coisas como amizade e ajudar o próximo. Qual protagonista shonen jump (tirando o Light Yagami, esse é um fdp) não se sacrificaria para ajudar um amigo e até mesmo daria a própria vida pra salvá-lo?

    Existem alguns animes mais polêmicos, na parte referente a religião, como por exemplo helssing e ao no exorcist que usam alguns elemento religiosos que podem incomodar um pouco pessoas mais religiosas, mas também deve ser levado em conta que é apenas uma obra de ficção e não um desvirtuamento de valores ou algum tipo de ofensa.

    Embora não concorde, respeito quem acha que anime é “coisa do demo”.
    O problema é que sempre tem os fanáticos que julgam sem nem ter conhecimento do assunto. Só porque aparece um cara de cabelo arrepiado e olhos grandes soltando poder “é do demo”.

    Eu só deixaria de assistir ou ler algo caso fosse algum material feito como forma de insultar determinda crença (não apenas a minha, mas em geral), porém não me lembro de ter lido/assitido nada do tipo.

    Geralmente quando as pessoas tentam avaliar algo usando como base a religião elas deixam de lado o senso crítico, sempre dizem que algo é errado mas não tem nenhum argumento e nem procuram fundamentar suas opniões.

    Pra finalizar, acho que uma coisa não interfere na outra (pelo menos não deveria). Assisto um anime da mesma forma que assisto um filme baseado em mitologia grega, romana, nórdica, HQ americana, etc.

    O importante é cada um ter sua prórpria opnião e respeitar as opniões dos outros, pois não tem coisa mais chata do que comentários intolerantes e preconceituosos.

    Ps: Esse foi meu comentário mais longo desde que eu uso internet. Não escrevo tanto desde a minha monografia hahahaha!

  33. sweetmylla disse:

    Discussão interessante =)
    Eu não acho que uma coisa vá tanto assim contra a outra :/
    Pra mim animes não dizem nada que vá contra cirstianismo, então não tem nada de errado em relação a isso …
    Mas que história tensa a dessa menina O.O

  34. Mitologias e narrativas fantásticas existem em todos os cantos do globo. Querendo os religiosos fundamentalistas, ou não.

    O problema não é o religioso. É o fundamentalista, aquele que não aceita a existência de outras religiões e culturas. Este individuo precisa crescer e acordar para o mundo. (E não me venham falar em “este mundo”. Vocês entenderam.)

  35. E antes que me perguntem, sou cristão protestante.

  36. topheira disse:

    Realmente, discussão bem polêmica;
    bom, sou cristã protestante (me batizei em 2008), e frequento a igreja desde os três anos de idade, exatamente a idade em que comecei a assistir animes.
    Nunca deixei de ir à igreja, fazer os meus compromissos, assistir animes, ler mangás, e estar próxima de Deus… bom… acho que vou logo resumir o discurso que pretendia falar: para mim, não é errado um crente ser otaku – e vice-versa;
    sim, as vezes acontece de as pessoas serem influencias por animes e fazerem coisas erradas, mas isso não é problema do anime, e sim, porque… a fé delas era pouca, e elas eram fracas (deveriam saber seus limites, então… bom, acredito que elas que procuraram um motivo para se afastar de Deus). Não estou dizendo que assisto tudo qualquer tipo de coisa, não, sei bem qual é meu lugar (um exemplo é hentai, que eu entendo muito bem que não devo assim porque, bem… é pornografia, né? =_=)
    ahn… acho que não estou conseguindo me expressar direito – sou péssima com palavras. Então, é melhor eu parar por aqui. xDDDD

  37. wildcat17 disse:

    Eu considero-me ateu. De qualquer forma, não sou absolutamente nada contra quem é crente. Cada um acredita no que quiser, certo? Cada um vê o que quiser. E agora vou ali arrancar cabelos só de pensar no que a tua amiga queimou (ao menos poderia ter-te oferecido) xD

  38. Hashimoto-san disse:

    Assim, sou evangélico, assisto animes, leio mangás, ouço rock e sou muito tranquilo com tudo isso. Já ouvi muito “Isso é coisa do demônio” da minha familía, de alguns amigos até, mas isso tudo é uma questão de saber discernir as coisas. Se vc sabe bem no que vc acredita então não tem problema algum em ver uma coisa que não esteja diretamente relacionada com os preceitos religiosos. Eu, por exemplo, curto muito filmes de terror, de todos os tipos, principalmente os de serial killers tipo Jigsaw, mas isso não me faz querer sair criando “jogos” e matar as pessoas, ou no caso, “ajudá-las a dar a valor a vida”. xDDD

    Post muito bom! o/

  39. Antes só quero ressaltar que se você crê em Jesus você automaticamente tem fé. Fé é sobre tudo acreditar que Jesus existe e te salvou, então se você acredita e busca Jesus com os seus atos também usa fé. É o que eu acredito.

    E Não. Assistir animes, ler mangás não são coisas excludentes. Digo isto pela minha familia. Sou evangélica, filha de pastor, tenho 19 anos e aos 11 tive convicção de que Jesus é alguem que se deve seguir e acreditar. Assisto animes desde que me conheço por gente, e como pastor, meu pai só me alertava com relação ao que assistia, pois assim como tem séries americanas, novelas e qualquer outra forma de entretenimento, os animes também podem ter algo que não te fará bem. Por isso, não deixo de assistir nada, tento avaliar, e reter… E até hoje a unica coisa que me deixou realmente abalada e triste ao assistir foi Kuroshitsuji, e não pelo fansevice e tudo mais, mas foi em um momento em que Ciel afirma que prefere ir para o inferno ao invés de desistir da sua vingança. Aquilo realmente me deixou abalada. Fiquei pensando: Como alguem em uma situação dessas prefere um lugar assim? O que será que a autora estava pensando pra fazer isso com o personagem?
    Até entendo que se ele desistisse ali, a história acabava, mas ainda assim não me fez bem.

    Quanto a essa bendita frase: “Esse desenho é do demônio!” Nossa como ela me perseguiu!!!!
    Quando era mais nova um rapaz resolveu falar em público sobre yugi-oh e o famigerado Pokemon.Trucidou com as histórias! Disse muita coisa idióta por falta de conhecimento relacionado a cultura japonesa. Mas ainda assim era um cara bem legal e não dava pra ficar com raiva dele.
    Meu pai, como pastor que trabalha com adolescentes, tem sua meta ajuda-los, e por isso até defendeu animes nos momentos em que achou necessário. Sempre assistiu tokusatsus quando pequeno e até hoje ele assite animes(como assistiu quase toda Impel Down e a Guerra de Marineford, e até se emocionando com a morte de Shirohige) gosta de mangás (e como ele faz faculdade de hitória e quer ser um ótimo professor já recomendei Rookies, pra ser igual ou melhor que o Kawatou rsrs) e algumas vezes tem em suas mensagens fatos que acontecem nos animes, como já pregou baseado em Naruto ou em Saint Seya. E sempre faz alusão com os atos de Jesus.
    Independente da crença no cristianismo, tudo está em absorver o que é bom.

    Como uma pessoa que sempre amou ler mangás e ver animes, sei que tudo tem seu ying e seu yang e porque que com os animes/mangás seria diferente? Afinal, eles não nascem sozinhos. São criados,idealizados, gerados por pessoas! E todo mundo sabe que as pessoas são diferentes rs.

    Infelizmente ainda existe muitos cristãos com o pensamento retrógrado, no entanto os jovens estão crescendo e pegando seu espaço, esses jovens, além de carregar uma história religiosa que aprenderam com os mais antiquados, também tem suas próprias convicções e idéias do que é certo e errado e do que convém e não convém. Não vai ser uma coisa rápida, mas dando tempo ao tempo acredito que esses jovens, otakus ou fans de quadrinhos americanos por exemplo, serão a igreja.

  40. Caraca essa joça ficou grande… foi mal aew hehehe

  41. anachan2010 disse:

    @Mônica
    Realmente, essa cena do Ciel em Kuroshitsuji achei MUITO forçada, tanto por esse lado vingativo quanto pela solução galhofada que foi pra continuidade da história . Tinham 300 jeitos de fazer melhor ali. Mas já era o final filler do anime, por isso pretendo ler o mangá pra ver qual é a real, hehehe.
    E seu pai é muito win em pregar baseado em coisas que os jovens se identificam, se aproximando deles e do lado bom da obra. =)
    Até esqueci de comentar que minha vó é ubbercatólica e vê animes comigo sempre, ela adora Fullmetal, por exemplo, onde inclusive o protagonista é ateu…apesar disso, ela consegue filtrar o que tem de bom ali, o que não é pouco.

  42. Junior Cesar disse:

    Concordo em alguns pontos com você, mais acho que religião e mangás/animes, são coisas a parte. Não creio 100% na Bíblia, pois qualquer pessoa sensata sabe que depois de ser traduzida milhões de vezes através dos séculos, não é possível dizer se o sentido não foi mudado. Como sitado não é bom adorar demais alguma coisa, e isso se aplica a religião também, pois as pessoas fanáticas não se abrem para nada, e não se questionam sobre o que lhe foi ensinado (lembrando q foi uma pessoa como vc que lhe ensinou) e cada um tem seu ponto de vista sobre a religião.
    Creio na existência de um Deus e tento agir de maneira justa E SÓ, gosto de animes e mangás pois me divirto com as histórias, e não sou influenciado por comentários religiosos sobres Animes/ Mangás. Por exemplo; se eu mostrar uma história para alguém e só de ver ela dizer que é do Demônio não considero sua opinião, mas se a mesma pessoa ler e me dizer que não gostou pois a história não é boa, não gostou do tema, o desenho é ruim; eu considero como um comentário valido.

  43. Morgana disse:

    A unica religião que eu conheço que tem um discurso especifico(um artigo informativo aos fieis) sobre animes e mangá,são os mórmons.Um amigo meu me falou que nesse “artigo” ele inclui os animes/derivados a parte de entretenimento,sendo assim poderia ser vistos sem problemas(desde que não ferissem aos princípios morais,ou seja nada de animes de cunho sexual).Porém eles são contra os otakus(o que NÓS chamamos de hardcore),por colocarem toda a sua energia nesse hobby.
    Eu achei tão interessante isso,por que ao contrario das outras religiões,essa foi a unica q eu ouvi um pronunciamento oficial e com logica.A maioria dizia apenas que é do “demônio” ou “obra do demônio”,nenhuma explicação.
    Acontece que hoje as pessoas estão tão desesperadas para lidar com sua espiritualidade(pois eu acredito que seja uma característica natural do homem,ter crenças e ter fé) que vão entrando em qualquer igreja de quarteirão,vão engolindo tudo aquilo e as palavras do pastor se tornam tabus.Se Pastor X disse que é do “demônio”, ninguém questiona,nem raciocina, apenas aceita.
    Daí os animes e mangás serem as “bruxas” nessa caça!

    Acredito que sim,dá para gostar de mangá e anime,sem perder a sua fé,se vc estiver ciente do porque vc acredita nessa fé e o q ela significa pra vc.Não é por que vc nasceu no leito evangélico/budista/taoista que vc apenas tem que aceitar o q lhe passa,reflita,pense no que aquela crença significa pra vc e o q vc deseja dela.Siga uma religião porque vc acredita nela,não por que ela é imposta!(isso ficou parecendo uma pregação XD)
    Mas espero q tenha entendido o q eu disse…^^

  44. @RodTakira Não sabemos se foi mesmo Deus que inspirou o que está na biblía, mas até hoje Ele não mostrou que estivesse errado. Eu acredito na Bíblia, e nunca vi nada que nos fizesse fazer o mal nela. E acredito na passagem em que diz que qualquer um que mudar algo que estiver na escrito na biblia, ou ensinar de maneira controvérsia, vai se dar mal… Até agora, seguir a bíblia DA MANEIRA CORRETA, digo eu, nunca fez mal a ninguém, pelo contrário, fez muito bem. Não ter certeza da origem da bíblia não quer dizer que não podemos acreditar nela, na verdade isso é um ato de fé, do mesmo modo como eu acredito em Deus mesmo não precisando VER Ele. Entende por que me baseio na biblia no que digo?

  45. @Melissa

    Entendi sim, mas, pra mim a Bíblia não passa de um manual dos bons costumes.

  46. Concordo com você.Por sinal ótimo post =D
    Na minha sincera opinião e não querendo ofender ninguém , eu acho que a religião devia desaparecer , religião causa muito conflito, isso é só minha opinião.

    A coisa que eu mais odeio na religião é quando o padre ou o crente naquela fé age como se suas palavras fossem a verdade universal dizendo coisas como.

    “Esse jogo Pokemon ensina nossas crianças a usar magia negra e controlar demonios!!”

    Eu dei tanta risada desse padre sem noção.Acredito que essa questão da religião falar que algo é do demonio vai muito além dos animes e mangas, acho que já vi padres que dizerem que FPS é um jogo do demonio que incita o jogador a cometer assasinato ou algo assim.

    Eu já conheci uma pessoa que era satanista , e ela não tentava invocar demonios nem nada do tipo , a crença dela era muito diferente desse estereótipo que nós que vivemos em um país cristão conhecemos muito bem.O que eu quero dizer é que muitas religiões não tentam compreender varias coisas e as tacham como “Do demonio!!” a palavra deve variar de crença pra crença , não acredito que no Budismo digam que algo é do demonio , mas deve haver um termo parecido.

    Felizmente não tive nenhuma expêriencia desse tipo e espero não ter , mas um amigo meu me disse que a mãe dele não deixa ele comprar os mangas de Naruto por que ela diz que é do Demonio, eu fiquei brincando com ele e falando

    “LOL se sua mãe assistir ao no Exorcist ela vai te supervisionar pelo resto da sua vida”
    Depois eu falei pra ele conversar com a mãe dele pra que ela tente compreender o que é anime e manga

    • Julio_Accel disse:

      Eu gostaria de retirar a minha primeira frase, eu ainda não simpatizo com a religião mas mesmo eu dizendo “sem querer ofender” aquilo deve ter ofendido e bastante, relendo aquilo até parece que eu sou um ateu fanático, NÃO, eu não aprovo fanatismo D=

      Não simpatizo mas eu não tenho nada contra religiosos normais, não gosto de gente que vem tentar converter os outros forçando a barra, desses que taxam você de alguma coisa e não tentam compreender varias coisas, também não estou falando para os religiosos gostarem de qualquer coisa, só peço que não exagerem com as interpretações e tentem se informar antes de dizer certas coisas, resumindo não gosto de fanatismo e extremismo.

      Uma pessoa tem o direito de acreditar no que quiser, o que os outros acreditam não é da minha conta por isso eu respeito ou pelo menos tento respeitar as crenças das pessoas, eu gosto de pensar assim, eu tenho que respeitar as crenças dos outros para eles respeitarem a minha, mas muita gente não pensa que nem eu :X

      Enfim peço desculpas se eu ofendi alguém com minha inconsequência ridícula D=

  47. Quase ía esquecendo .Feliz Natal atrasado =D

  48. Perobense disse:

    Existem muitas coisas que eles “deixam quietos” e pegam no pé de coisas sem sentidos.
    Alguém aí discorda que tem conteúdo das novelas da Globo que são bem “pesados”?
    Em Harry Potter, o Voldemort não teria uma cara de “demônio”? Afinal ele é um Bruxo das Trevas!
    E alguém acha que o funk é coisa de Deus?
    O que realmente interessa é que temos ter o respeito acima de tudo.
    Não podemos esquecer que os animes são desenhos nos moldes japonês.
    Ninguem pode reclamar da Kyuby do Naruto, se apoiam que o Ben 10 vira um cara de 3 metros com 4 braços.
    Esse assunto simplesmente se resume em respeito.

  49. dejitarudan disse:

    Eu descobri os animes, mangás e até tokustatsus via um amigo que era evangélico, quando eu tinha 6 anos de idade e eu assistia lá os animes da manchete de boa.

    Apontar que animes/mangás/cosplay/tokusatsus são obras do demônio, é mais xenofobia do que propriamente ir contra as escrituras.

    E lembro das merdinhas que falavam sobre RPG e pokémon, que diziam ser obras do demônio e hoje eu dou risada.

  50. dejitarudan disse:

    Ah, pra finalizar, não sigo nenhuma religião, mas acredito em Deus.

  51. Bem,

    tenho um pai católico não praticante e uma mãe evangélica meio fanática.
    Desde era pequena ela tentava me proibir de ver os animes que passavam na televisão. Cavaleiros do Zodíaco, por alguma razão ela dizia que era um “desenho do mal”.
    Desde aquele tempo eu sempre pensei que isso não passava de preconceito, e continuo pensando isso até hoje.
    Sempre tentei convencê-la de que era apenas uma obra fictícia e que por isso ela não precisava se preocupar, mas mesmo assim ela sempre tentou me impedir de ver as coisas que gosto, não só animes e mangás mais filmes de terror também…

    Enfim, um dia eu falei pra ela que não tava nem aí, que não acreditava nessas coisas de religião e que a opinião dele não iria mudar os meus hobbies. Depois disso ela aceitou meio que ‘aceitou’, mas continua tentando me levar pra igreja…

    Nunca coloco o pé na igreja, acho que de raiva, porque ela pegava tanto no meu pé, que eu resolvi deixar esse negócio de religião de lado…

    Acho que ver animes e ler mangás não tem nada a ver com a religião que você segue, é só mais uma forma de entreterimento e fico com raiva quando dizem pra mim que isso é “coisa do demônio”.
    Não acredito muito em deus, mas acho o seguinte: Se deus é mesmo bom, ele não vai te punir pelo o que você assiste ou deixa de assistir, e sim pelas suas atitudes durante sua vida, se você é bom ou mal com os outros e se segue os “preceitos básicos da bíblia”.

    É isso! =)

  52. leo-kun disse:

    sou um cristão firme com minha fé em Deus e digo na minha opnião que se você é cristão e está duvidoso ou pensativo sobre isso não deve assistir ou selecionar bem o que vai ver para não sinta essa duvida, cada um tem a sua fé e se sua fé diz para você não ver algo não veja e não se importe com ninguem pois você escolheu isso com base na sua noção de moral e fé porem não generalize pois a animes belissimos nesse mundo usagi drop é um belo exemplo, toradora, existe uma gama de anime que não iram ferir sua fé então só digo escolha bem o que ve, não estou dizendo que isso irar te influenciar mais estou dizendo se está te encomodando se ajeite primeiro e depois se achar bom volte.

    espero que com minha opnião se de ajuda e que não desmereça ninguem, bom natal a todos

  53. DougF disse:

    Nos últimos 12 anos tinha entrado para um grupo de jovens Católico,, e realmente por pelo menos 6 anos fui muito praticante, ia e diversos retiros e acampamentos relacionados, mesmo nessa época já colecionava mangás de diversos gêneros sem nenhum, confesso que muitos momentos fiz escolhas baseadas em praticas religiosas, mas sempre foi baseado em alguma opinião pessoal adquirida, não por que outros falavam para não ver isso ou aquilo.
    Hoje tem mais problema com religião por outros vícios de jogos online e trabalho, mas ainda levo muito do que aprendi e vivo mesmo sem ser praticante como antes.

  54. Nanda disse:

    Um dia eu estava no metrô lendo meu amado Fushigi Yuugi da minha Yuu Watase e tinha uma crente sentada do lado,eu lembro que a capa era o Hotohori e o Tamahome…Ela olhou com a maior cara de “mundana lendo coisas do mundo” e ainda soltou bem baixinho “Homossexuais tsc…” mentalmente eu estava passando a faca na cabeça dela MAS eu só dei um sorriso amarelo e fui me sentar em outro banco.Tenha pena desse gente,porque o diabo só existe nas religiões ocidentais (catolicismo/evangelismo/protestantismo) pros japoneses o diabo não diz BOLHUFAS.
    Feliz Natal Gyabbo 8D!

  55. Dias disse:

    Tem tanta coisa que fere a moral e bom senso… Não é só anime(alguns)…

    Isto é uma questão de escolha, se é algo te prejudica muito, largue, seja anime, novela, bebida, orgias, drogas e a vai. Um vicio que atrasa sua vida é melhor não te-lo.

    Com moderação sem problema… Assisto anime e leio mangás por diversão, já que muitas coisas que são citadas nas obras não servem de principio pra mim.

  56. Sarah-chibi disse:

    A minha vida toda fui criada no meio evangélico, com pais que vão a igreja e tudo mais.
    Meu pai era fan de Ultraman e minha mãe de Uchuu senkan Yamato e Akira.
    Quando eu tinha uns 3/4 anos, freqüentávamos uma igreja evangélica que era bem mais dura em relação a TUDO. Eu ñ podia assistir a familia dinossauro pq o baby era do Diabo xD (mas mesmo assim, nunca me proibiram de ver POWER rangers e nem Rayearth q na época eram atacados)
    Fui crescendo MUITO Otaku e desde MT pequena escutando por opção musica japonesa, e por osmose, louvores.
    A familia foi ficando mais calma, mas mesmo assim, nesse processo todo,já fui proibida de ver YU-GI-OH ,Digimon 1 quase no fina da temporada, Dbz ,shaman King, Evangelion (até entendo, eu tinha 11 anos xD) e algumas vezes até ameaçaram tirar de mim as musicas japonesas.
    Por conta da religião ñ muuuuito explicada eu sempre tive pesadelos horríveis , e cheguei e a ter um momento na vida em que eu tinha medo de TUDO e qualquer coisa me fazia mal e eu tinha crises de falta de ar. Me sentia mal com YU GI OH e com Harry Potter tb.
    Depois de crescer, tive esse
    Problemas mais uma vez só, mas hj, sou mais madura e sei ver as coisas com um outro olhar. Tanto q leio HP hj sem problemas.
    Dependendo do manga ou anime, eu ñ assisto pq ñ me sinto confortável mesmo.
    Mas sou uma super Otaku e ainda assim sou uma evangélica batizada que acredita em Jesus e ora de manhã, nas refeições e antes de dormir e teme a Deus.
    Minha mãe tb ficou mais Otaku e tambem aprendeu a ver o que é conceito deles no Japão e o que poderia ter sido feito por maldade mesmo. Ela assiste HP e CDZ e risos dois xD
    Enfim, dá Pra ser os dois SIM, só precisa ter sabedoria e maturidade :)

  57. Tanko disse:

    Não acho que seja um grande esforço mental/moral para se ter uma religião ou ser cristão e gostar de animes e mangás ao mesmo tempo. Uma pessoa normal deveria entender que mangá e anime é entretenimento e saber filtrar qualquer material, tirando dele as lições que julga válidas e descartando o que não combina com seu modo de pensar. Honestamente, se a pessoa acredita que deus lhe deu um cérebro, acho que este mesmo deus espera que se faça bom uso dele.

    O sofrimento real é viver em UMA FAMÍLIA religiosa radical, que o proiba de ter seus hobbies, o que infelizmente acontece. Muitos pais não conhecem a índole de seus filhos e no fundo subestimam sua capacidade intelectual e de discernimento e talvez até a própria educação que lhes deram, de modo que acham que impedir certos materiais vai realmente fazer com que eles não tenham contato com certos valores. (bullshit detected) Claro, que na maioria das vezes estes pais estão genuinamente preocupados com a psiquê e a salvação da alma de seus filhos e na melhor das intenções, o que não torna o quadro muito mais bonito.

    Tive amigas evangélicas cujos pais lidavam super bem com seus hobbies, já outras, por outro lado, sofriam o diabo (sem trocadilhos) e tiveram até problemas psicológicos/psiquiátricos graves por conta de tanta repressão.

    Acho que se a pessoa não enfrenta este tipo de pressão, ser religioso e otaku é muito mais fácil que ser cristão e feminista, cristão e pró-escolha, cristão e casado com um membro de uma religião afro-brasileira/ateu/exotérico…

    Palavra de ex-cristã.

  58. Tanko disse:

    Em tempo, eu sou atéia, não é rebeldia, inclusive não falo sobre isso com meus pais e parentes, porque acho que eles não vão mudar de ideia nesta altura do campeonato e saber disso/ questionar suas crenças não vão ajudá-los em nada mesmo. ^^

    Não é rebeldia, nem raiva de deus, nem para ser pedófila, fazer abortos, matar e usar drogas, rsrs. Eu gosto muitíssimo de yaoi/BL e se as pessoas soubessem como minha vida é simples, talvez elas até ficassem desapontadas (onde estão as orgias bissexuais?? O abuso de menores? A bebida, as drogas, o cigarro e a carne vermelha? rsrs Ah, sim, eu sabia, eles jogam RPG e gostam de rock!).

  59. Olá. Bom, deixe-me participar do tema (ainda que um pouco atrasado).

    Mas antes de mais, nada, o mangá (e o animê, o tokusatsu) são mídias para se contar histórias, assim como o teatro, cinema, literatura. Ou como a música, que pode contar histórias ou passar ideias. Depende de quem faz.

    Fui criado na religião católica, mas convivo bem com outras crenças. Tenho parentes agnósticos, espíritas, budistas, amigos ateus e cristãos de diferentes ramos. Tenho envolvimento profundo com o lado filosófico da religião, conheço teologia um pouco acima da média, ajudei sério em trabalhos da Igreja e tenho amigos padres. Frequentemente, tento explicar um ou outro ponto mal compreendido da teologia ou mesmo da Igreja e normalmente levo patada. Quem me conhece sabe que fanatismo passa longe de mim. Mas sou católico apostólico romano e simpatizante da Ordem dos Redentoristas, uma ala da Igreja mais voltada ao intelecto e à cultura, menos festiva e mais reflexiva.

    A cultura pop japonesa foi forjada em um ambiente não-cristão em sua maioria. Eu coloco isso no contexto, o que me permite tentar olhar a obra como ela foi concebida, sem preconceitos. As visões sobre sexo, violência, morte e relacionamentos são diferentes e enxergar isso faz valorizar a cultura pop como produto de um meio diferente do nosso.

    Gostaria de citar um caso interessante que talvez eu ainda aborde em meu blog. Alguém lembra daquele tokusatsu chamado Lion Man? (não ria, é sério). Foi baseado em mangá de Souji Ushio e um episódio tocava numa questão interessante. Um ninja decide enfrentar um monstro para vingar a morte de seu clã, mesmo morrendo no processo. O herói tenta impedir e diz que ele pode vencer o monstro sem arriscar outras vidas. Mas o homem vai assim mesmo e morre antes do Lion Man chegar. O herói fica arrasado, dizendo que o amigo não precisava morrer por vingança e que a vida é o dom mais precioso que temos. Bem, isto vai contra o código dos samurais, que coloca a honra acima da vida. Seria Lion Man um samurai convertido, como aquele do Samurai X? O autor de Lion Man colocou a questão da vingança e morte sob a ótica cristã, mesmo sem mencionar religião. Ainda sobre tokusatsu (minha especialidade, sorry pra quem odeia), o diretor e mestre dos efeitos especiais Eiji Tsuburaya era católico devoto, o que inspirou a famosa crucificação de Ultraseven, sua produção mais cultuada até hoje. Interessante, não é?

    E finalizando, num post do blog Otakismo, o Kauê fala sobre a forte influência da Igreja Católica no processo de modernização do Japão. Veja:
    http://otakismo.blogspot.com/2011/08/ocidentalizacao-do-japao-uma-semeadura.html

    É isso. Boa iniciativa. Em nossa área, é comum a pessoa evitar esse tema para não atrair os ateus fanáticos. E viva a diversidade de pensamento. Abraço!

  60. Jorge (@mahoutail) disse:

    Sou uma pessoa ñ religiosa, acho que se você gosta de animes você ñ deve parar por causa de religião, pais,amigos, dizem que “DEUS” só quer o seu bem então se você é um otaku animes/mangás é uma coisa que te faz bem,então você religioso ta dentro dos parametros.
    (amiga sem coração, derramei uma lágrima em memória a Saber.)

  61. Ricardo disse:

    Alguém citou ai que não crê 100% na Bíblia por que acredita que durante séculos de traduçao e cópias ela possa estar cheia de erros. Mais se pesquisarmos atentamente, vemos que estudos arqueológicos confirmam a fidelidade das Escrituras de hoje se comparada com a do primeiro século. E depois, ela masma testemunha de um Deus que está no controle da história. Sendo assim, não acho difícil crer que o Senhor esteja no controle, prncipalmente das traduções ao q diz respeito a única fonte fiél do SEU conhecimento durante todo o percurso da hitória.
    Emfin, é dificíl acreditar q um livro cheio de erros possa, a muito tempo, predizer fatos que se cumprem fielmente hoje no mundo. É o mesmo que imaginar uma pessoa que descobri q tem um câncer , os médico declaram, a famiia confirma e os resultados dos exames mais ainda , mais ainda assim não aceita e diz q é mentira. Isso é absurdo. Claro que hoje ha muitas traduções forjadas como a traduçao do Novo Reino das Testemunhas de Jeová. Mais a verdadeira Bíblia diz que essas pessoas serão severamente punidas.
    Bom, com relação aos animes, tenho só uma coisa pra testemunhar:eu era viciado em animes , pricipalmente Naruto e Digimon, depois q eu me converti ao Senhor Jesus, e descobri a essência por trás desses animes e as mensagens subliminares q muitos deles carregam, verdadeiramente perdi o gosto de assisti-los. Mais não condeno e muito menos proibo (quem sou eu ) aqueles q assitem.

  62. Ricardo disse:

    Eu digo isso por que pesquiso, se há alguma mensagem boa nos animes pode ter certeza q no oculto há sempre uma mensagem diabólica. A questão não é se os animes “são satânico” ou “são coisa do diabo ” , uma arma não mata ninguém sozinha, mais se alguém puxar o gatilho, principalmente com a intenção de matar, as chances de acertar são enormes. Mesma coisa é o anime. Ele não se torna satânico sozinho. Vejo na internet testemunho de celebridades nacionais e internacionais que, para se tornar famoso passou por um emaranhado de rituais diabólicos. A impremssa é comandada por organizações secretas, o objetivo do império do mal é afastar o homem de Deus. A Bíblia é um livro tão atual, mais lido quanto, e até mais do que qualquer outro beast-seller lançado no planeta. Nele há coisas q já aconteçeram, estão aconteçendo e q ainda vão aconteçer. Nela contem todo o conselho de um Deus Todo-Poderoso para uma vida correta e feliz !

  63. Ricardo disse:

    Há pessoas q adoram aBiblia como se fosse Deus. Mais a Bíblia é a PALVRA DE DEUS, um documento de inteira confiança e não de adoração. Deus condena a idolatria a qualquer objeto, monumento ou coisa do tipo. No ANTIGO TESTAMENTO retrata que o SENHOR permitiu o desaparecimento da Arca da Aliança, pois estava se tornando objeto de adoração. Temos que crer no Deus do salmo 91 !

  64. Ricardo disse:

    A Palavra de Deus só faz efeito quando nós cremos nela como inspirada por Deus . Pois tudo o q está escrito na Biblia é a verdade. Jesus é o caminho a verdade e a vida.
    “o qual é a imagem do Deus invisível, ….” Colossenses1.15

  65. Sou evangélico e assisto animes, Deus vai me matar por isso?

    Muitos animes e mangás passam mensagens de bondade, de coragem, coisas que nos levam a pensar em como agir certo, e tudo o mais. O problema não é nos animes em geral, nem se tal personagem recebe seus poderes de um “demônio”, mas sim na mensagem que ele passa.

    Fora que, uma outra questão que eu acho importante: Deus quer ser o primeiro nas nossas vidas, mas o que acontece quando lemos mais mangás e vemos mais animes do que oramos, lemos a Bíblia e jejuamos?

    E isso não é só para a cultura japonesa, mas também para novelas, e o PC em si (para entretenimento). Quando passamos 10 horas nos entretendo entre animes, mangás, novela, jogos etc, e não passamos nem 30 minutos orando e lendo a Bíblia, aí é o problema.
    (eu acredito na revelação/sonho que a menina teve, mas o pastor falando que “anime é do demonho” foi infeliz…)

    É essa minha opinião xD

  66. Nossa, como eu já discuti isso na minha vida! :)

    Para quem me conhece, sabe que sou cristã praticante, completamente crente e fiel a Deus. E que não só falo como vivo para praticar as obras de bondade e ser muito abnegada em muitas coisas na vida – o que também já me causou problemas entre os que odeiam religão (lol).
    Se eu gosto de mangá/anime? MUITO. Tanto que faço cosplay. Se isso já me causou problemas? SIM, VÁRIOS. Com pessoas desagradáveis que estão, infelizmente, em todo lugar, inclusive nas igrejas.
    Eu sou de formação muito religiosa, daquelas que jejuam no Natal e na Páscoa, contudo, isso nunca sequer me fez cogitar odiar animes. Por quê? Bem, essa é simples de responder. Eu sempre assisto um anime com os olhos de uma escritora, sempre absorvo o bom e deixo o ruim para trás. Como tudo na vida! Religião não pode ser um meio de constranger, de forma alguma. Deus é amor, e por ser amor, ele nos ama do jeitinho que nós somos. :D
    Sempre que estou com meus amigos eles dizem que ‘eu não pareço cristã’. A razão deles dizerem isso é porque eu consigo ser feliz, respeitar todos sem distinção, ajudar todos de todo meu coração e, sobretudo, amar o próximo. OPA, mas não era isso que era ser cristão? ERA, não sei mais se é essa a verdade que as pessoas andam transmitindo por aí. :/
    Hoje se prega a intolerância em todos os aspectos. O ódio a tudo que ‘vem do mundo’. Eles se esquecem que Jesus foi abnegado, que amou todos os pecadores e não tinha medo algum de estar entre eles! Porque isso sim é o espírito de Natal: amar sem medo e sem distinção.

    Assim, para mim mangá, anime, Sci-fi , cosplay, nada disso me afasta do amor de Deus. Alias, muitas coisas Ele fez para mim por meio dessas coisas.
    Essa é a minha opinião, e, graças a Deus, minha mãe e meu pai partilham da mesma ideia.

  67. Bom, quantas veszes já fiquei em duvida sobre esse assunto também , eu sou evangelica , e amo Deus sobre todas as outras coisas ele é a minha razão de viver , de respirar ,de tudo, e me considero otaku também, adoro animes, mangas, cosplays, o que acho sobre esse asunto?

    Como disse sempre tive essa duvida, se era pecado assistir animes, etc , mas creio que tudo que voçê faz e que se torna mais importante que Deus na sua vida é pecado sim, posso estar errada mas é nisso que eu acredito, quantas horas dos nossos dias dedicamos aos animes, e quantas a Deus?será que isso esta atrapalhando o nosso relacionamento com o Ele? e também o que estamos assistindo heim? acho que essa questão de o que estamos assistimos, não é só para os animes mas para todas as outras coisas , existem coisas muito piores que os animes, claro hoje é muito dificil assistir coisas “saudaveis” mas vamos tentar guardar o que é bom o esquecer o que é ruim.

  68. Pingback: Anikenkai - Anime Kenkyuukai

  69. Como prometido, minha resposta, amiche: http://www.mbbanikenkai.com/?p=2833
    “Religião e o fandom – Uma discussão de Natal…”

  70. João Pedro disse:

    Eu sou catolico praticante e ao mesmo tempo, fã de animação, principalmente anime, por isso eu acho que anime e religião são totalmente compativeis, tanto que existem animes impregnados de ideologia cristã, sendo o melhor e maior de todos, o grande classico, Trigun.

  71. Raito disse:

    Olha, me identifico bastante com a postagem, já que em muito sou parecido com o amigo Gyabbo. (Fiz até catequese, crisma e tudo mais). Mas com o passar do tempo, a única coisa que poderia afirmar no meio de tudo isto, era acreditar em Deus.
    É por isto, embora talvez pareça ofensa para alguém (e acreditem, não é. Já li sobre várias religiões e espeito muito seus adeptos, na medida do possível), acho que religiões foram feitas para alienar.
    Não posso afirmar que foi com este propósito que elas começaram a existir, mas tenho quase certeza de que foi com este intuito que elas se desenvolveram através dos anos.
    Supostamente acreditar em Deus deveria realmente ser, pensar positivo, não prejudicar de forma que não gostaria que fosse prejudicado e levar uma boa vida. Aliás, entendo que, por levar uma “boa vida”, significa também se divertir. E mesmo que você acredite em Deus, se assistir animes lhe diverte, te faz feliz e ninguém é prejudicado por isto, qual o sentido em ser proibido?
    Cada pessoa deve ser responsável pelo que faz, e tenho certeza que em “livro sagrado” nenhum do mundo está escrito que assistir animes (tanto quanto quaisquer outras das várias “atividades proibidas”) será fator responsável pelas atitudes negativas que determinado indivíduo fizer.

  72. Ricardo disse:

    Um pesquisador cristão. em seu site com uma discussão sobre a influencia dos animes na juventude, falou uma garande verdade sobre o anime Naruto : ” Tentar mascarar a mensagen de Naruto com uma visão cultural é tentar “tapar o sol com uma peneira”, pois o principal a ser analisado não é mensagem total do desenho, mais sim as figuras satânicas inseridas em seu contexto.” Também tenho a mesma opnião sobre a grande maioria dos animes.
    O problema com eles não se trata apenas de uma palavra negativa, ou uma atitude de vingança, ou uma aparente possessã, não ! Vai muito além disso ! Devemos analisar o que está por trás, no oculto, lá no profundo. Pra se ter uma ideia, os simbolos ocultistas tem crescido no mundo… e muitos dele se ve principalmente em novela, animes, e filmes.

  73. Victor F. disse:

    “[..] estando eu ciente do que vejo e consciente do que é correto ou não, assistir um anime, seja qual for, não poderia me deixar menos ligado a Deus”.

    Discordo, completamente. Uma simples frase como: por um conceito físico de tempo, não há um momento anterior ao big bang. Portanto não há um tempo para algo criar o big bang.
    Pronto, instiguei a descrença com um argumento racional. Animê podem fazer o mesmo, afinal são meios de expressão.
    Contudo, isto é ruim? Qual é o problema em questionar sua fé? Sua divindade é tão narcisista que você não pode duvidar dela?
    Percebe como ao temer não crer no seu “deus” você está colocando um defeito humano nele (narcisismo)? Em outras palavras, para o seguir o suposto caminho religioso cristão crer não é necessário.

    “Ver animes, ler mangas, não vai de encontro ao que um Deus verdadeiramente bom quer, se nossos atos são voltados, não para ele, mas para um bom convívio com os outros”.

    Hã? Você realmente escreveu isto? Não somente chamou seu deus de narcisista, mas também coloca que agradá-lo deve ser o objetivo e que em uma segunda instância está ser moral.
    Acredito que a intenção do texto era fomentar o bom senso, mas esta frase contraria TOTALMENTE isto.

  74. Dango disse:

    Ótimo texto!
    Primeiro devo dizer que as pessoas na maioria das vezes tem medo do desconhecido, minha mãe achava q video game, rpg e anime eram terríveis, mas dai expliquei como eram. Ela pode até não gostar de armas, magos e olhos grandes, mas sabe que são só entretenimento. Se a pessoa utiliza essas infirmações para o mal isso é falta de educação e insanidade.
    Assistir Sakura quando pequena não me fez acreditar em magia, mas me mostrou amizade, lealdade, amor e aiaiaiai… assim como Harry Poter e Brumas de Avalon . Tudo tem seu lado bom e o ruim cabe aos pais, educadores e até mesmo líderes religiosos mostrarem o que acham aceitável (sem proibições, mas com argumentos). Isso para tudo, se houvesse mais dialogo e educação com menos sermão a sociedade estaria muito melhor.
    Em resumo é possível ter religião e gostar de animes só dependa da perspectiva.

  75. André disse:

    Desculpe o comentário atrasado. Sabe o que eu acho que seria uma pergunta bem mais interessante? “Fãs de anime e mangá e HQs americanas – é possível?”. Porque são duas coisas (mangá/comics) que, a meu ver, tem mais a ver uma com a outra (são “comparáveis”) e um pode iluminar o outro, isto é, os eventuais argumentos a favor de um e contra o outro dão uma imagem dos dois “lados”, cada qual com sua intolerância e aceitação.

  76. Sai-kun disse:

    Realmente falar de religião é sempre muito complicado e deve ser tratado com muita cautela. Minha história se assemelha com a do Gyabbo, hoje em dia não frequento uma igreja, mas acredito em Deus acima de tudo, e que devemos viver da melhor maneira possível, sempre respeitando os outros. Leio e assisto de tudo, seja animes, mangás, filmes, séries ou qualquer outro tipo de produção artística que me agrade, e não considero que nada disso diminui minha crença em Deus ou meu respeito pelo próximo. Afinal, tudo isso não passa de uma forma de entretenimento e diversão, e isso também faz parte da vida. Agora, pra quem é adepto de uma religião, algumas produções podem ser ofensivas a sua fé. Por exemplo, quem é católico poderia se sentir bastante ofendido caso assistisse To Aru Majutsu no Index. Portanto, cada um assiste o que lhe for agradável, apesar de que na minha opinião, nada disso diminuiria sua crença em Deus.

  77. Vinicius disse:

    Não tenho menor vergonha em dizer que sempre fui um dos melhores alunos da classe. Gosto muito de ler mangás e assistir animes desde minha infância. Ninguém nunca reclamou dos meus gostos nem nada, eu procuro fazer o mesmo. Ao meu ver, se uma pessoa se acha capaz de abandonar sua fé simplesmente por ler ou assistir a algo que possua alguns valores que vão contra suas convicções, esta pessoa nunca acreditou verdadeiramente nelas. O mundo está cheio de coisas assim, no mundo há guerra, dor, sofrimento, tristeza, ódio, mas neste mesmo mundo há alegria, amizade, respeito, amor, compaixão. Se cada pessoa resolvesse deixar de viver simplesmente por existir o mal, seria uma loucura. Quando eu vejo um mangá ou anime, eu não ignoro o fato de existir o lado ruim de cada obra, ele existe, assim como existe o lado ruim em quase todas as coisas do universo. Simplesmente busco o lado bom, o lado que me faz rir, me faz sentir alegria, desperta minha criatividade, me da coragem, me transmiti esperança e até mesmo justiça. Uma coisa interessante a respeito das minhas preferências é o meu gosto pelo antagonista, que muitas vezes é considerado como mal ao longo da série, mas que ao final se mostra como um personagem bom, que apenas foi incompreendido pelos demais e julgado de forma errada no decorrer da história. Talvez por que seja isso o que acontece com muitas pessoas e até mesmo com Deus, e isso acabe indo de encontro aos meus conceitos de justiça. Uma das atitudes mais comuns das pessoas é julgar aquilo que não conhece. Tenho amigos de diversas religiões e até mesmo ateus, o fato de discordarmos de certas coisas, não implica na nossa amizade em nada, porque sabemos separar os fatos. Ao meu ver, se você gosta de algo pelo lado bom e pela diversão que ele te trás, e caso esse “algo” não venha prejudicar sua vida e a vida de outras pessoas, não há porque deixá-lo. Simplesmente isso.
    “O mal não está no conhecimento e sim no mal uso que se faz dele”
    E mais uma coisa:
    “Religião não salva ninguém”

  78. Vinicius disse:

    “se há alguma mensagem boa nos animes pode ter certeza q no oculto há sempre uma mensagem diabólica.”
    Generalizar as coisas é uma das maiores burrices da humanidade.

  79. Pingback: Anime, Cultura Japonesa e Religião: Uma Combinação Possível? | Nahel Argama

  80. Pingback: 3 anos de Gyabbo! – A consolidação de uma trajetória |

  81. Gustavo Hara disse:

    Eu acredito em Deus, mas não sigo nenhuma religião e esse conflito que existe entre a religião e os animes, mangás, se é que existe, acho que se da mais ao fato de estas não conhecerem muito bem aquele universo. As pessoas tem medo daquilo que não conhece então a julgam e isso é bem frequente na sociedade, mas isso não impede que possa haver um bom convívio entre animes e religião, basta que haja uma mente aberta para tentar entender aquilo que não se conhece por ambos lados, por que nada é de todo mal, como nada é de todo bem.

  82. k-la! disse:

    oi!
    sou evangélica, mas adoro animes e mangá. Houve um tempo na minha vida q eu realmente axei que os animes/mangás estavam me distanciando do evangelho, cheguei ate a rasgar alguns mangá meus. Acabei por me distanciar um pouco desse “mundo”, nao assistia mais animes nem lia mais mangás, no entanto, quando chegou o periodo do vestibular, eu senti esse mesmo sentimento: que estava me distanciando do evangelho.Foi entao q percebi q o problema nao estava nos animes/mangás, mas em mim, q nao estava dando o tempo necessario para cada coisa da minha vida(passava o dia inteiro na internet assistindo animes e baixando mangás).isso tambem foi o q aconteceu com os estudos, passava o dia inteiro estudando. Consequentemente, deixava de lado, as coisas q alimentavam a minha alma (oração, leitura da biblia…), por isso me sentia distanciada.
    hj me considero evangélica e otaku, assistir animes e ler mangás para mim é mais uma forma de diversão q eu amo!

  83. Kiragana disse:

    Texo perfeito. Sou católico e acho que animes, mangás, o que quer que seja, não influência sua fé, visto que deve-se colocar seus gostos como hobbies, e não como suas vidas.

  84. hugo disse:

    Só pq diziam q yu-gi-oh era do demonio nunca deixei d ver nem d jogar,ou pq chamavam o personagem de dragon ball de satan eu deixei d ver tb isso n importa Deus estar no céu pra nos proteger e n pra dizer o q devemos fazer com nossa vida pq o mais importante já sabemos q e n devemos matar e nem roubar o proximo

  85. Edgard disse:

    Realmente uma discussão bem polêmica…
    O problema, como muitos já falaram aqui, é o fanatismo. É julgar algo sem primeiro saber do que está falando e não querer entender do que se trata. Sou de criação católica, mas minha mãe e nem mesmo meus avós eram tão praticantes; posso contar nas mãos as vezes em que fui a missas. Mas eu tenho minha base e minhas crenças graças a eles; frequentei outras igrejas e conheço várias outras por ter tido amigos e colegas das mais diversas religiões. Acabei até criando um conceito pessoal. Acho que Jesus Cristo foi uma pessoa que simplesmente quis nos ensinar a viver em harmonia, e eu tento seguir isso pelas minhas ações. Tenho certeza que ele jamais puniria uma pessoa por ser otaku, ou então fã do Metallica e coisas do gênero, mas sim pelas ações dessa pessoa. Não vou entrar em detalhes, mas algumas igrejas fazem verdadeiras lavagens cerebrais nas pessoas para somente lucrarem dinheiro com isso. Não acho que Deus, seja lá como você veja Deus, esteja feliz com algo assim. Quanto a animes e mangás, o Japão tem cultura e visão religiosa diferente da nossa, e algumas pessoas não entendem isso. Minha mãe é uma pessoa razoavelmente religiosa. Ela não gosta muito de filmes ou séries no geral que abordem esse tema porque tendem a apelar em nome da audiência. Mas ela assistiu Chrno Crusade comigo, e adorou, acho lindo, claro que Hellsing ou Angel sanctuary não seria a mesma coisa, mas não quer dizer que os japoneses estejam desrespeitando ou desvirtuando as nossas crenças. Cada um tem a sua visão do assunto, e tudo que o espectador tem a fazer é entender ao que essa visão se propõe, sem preconceito ou fanatismo.

  86. Luciano barreto da conceição disse:

    Será que alguém vai ler o que vou postar aqui?

    Sou evangélico e assisto animes.
    Todos na igreja sabem e nunca fui censurado por causa disso.

    Aprendi que se sua Consciência te julga se é errado você então não deve fazer.
    Eu,por exemplo,não assisto animes violentos ou aqueles que me deixariam mal.

    A vida é curta…..porquê ficaria me torturando?
    Fanatismo também é uma questão ruim…..tanto no sentido anime quando no meio cristão.

    E acredito sim que a biblía é 100% verdadeira mesmo que as pessoas rejeitem isso.

  87. Brani disse:

    As pessoas confundem muito as coisas!!! Um anime e tido como ficção onde orinalmente e feito por japonenes e vale lembrar que eles em sua grande maioria não sao cristãos ( nem catolicos tão pouco evangelicos ), por isso por diversas vezes usam um tema voltado ao cristianimos pq simplesmente não acreditam naquilo, ai que esta a questão: Usar um tema cristão como anime não e problema algum, problema e quando muitos autores usam esse tema em forma de zombaria, pois ai ja não estamos falando sobre liberdade de expressão e sim preconceito religioso, tanto que vc nunca vai ver um anime falando mal de BUDA, da msm forma que RARAMENTE vai ver um anime onde ofenda diretamente um cristão ou ao cristianismo, e ai que fica a diferença entre explorar um tema e zombar do tema, vou sitar um exemplo: na abertura do anime dbz e possivel ver no carro do mr satan o nome 666 com o nome satan, pra cultura ocidental o numero 666 (para muitos), e o numero da besta e nem precisavam ter coloca o nome de satan embaixo.
    Não acredito que tenham feito isso para incentivar ninguem a cultuar o satanismo, mais acredfito que tenham feito para alfinetar alguem (não me sentido ofendido com aquilo).

    Oque estou tentando dizer que e facil pra um autor de anime explorar um tema religioso quando não se acredita nele, o problema e quando isso acaba sendo ofensivo pra quem ve, pois como ja disse, passa a ser um conflito religioso.

    Sou apaixonado por anime e ja vi trossentos com temas religiosos ou não, e sim ja deixei de assistir um ou outro pq usava um tema cristão, mais usava esse tema em forma de deboche, me senti incomodado com oque estava vendo, tenho todo direito pra filtrar oque quero ver, e oque curto ver, da msm forma que nunca deixei de assistir a abertura do dbz.

    Seja religião, raça, cor, esocolha sexual, vc tem o direito de crer e ser quem vc quer, e acho uma babaquice bater palmas pra alguem ou alguma coisa que esta zombado dos seus principios, seja qual forem, e qualquer que seja o meio: cinema, teatro, televisao, e jornal, ANIME.

    Vc tem tudo direito de ver oque quer da mesma forma que tem todo direito de crer noque quizer.

    Sou cristão e creio em Deus e curto anime a 12 anos.

  88. Confidente. disse:

    Não sei se minha opinião fará diferença.
    Sou evangélica, e nuca gostei de animes, justamente por ter um lado gótico, para mim “anjos ou demônios” pelas asas pretas, e coisas parecidas, e pela sensualidade excessiva.
    Vou falar a minha opinião que é, você assistir, participar de coisas que são consideradas demoníacas, não pela sociedade, mas…
    Só que nunca vi, uma pessoa que gosta de animes, ser não cristão, porque cristão é acreditar em Cristo, mas servi a Cristo.
    Talvez as pessoas dizem que muitas coisas são demoníacas, por ser de cultura diferente. Mas te pessoas que diz, porque tem certo dom, pra perceber “coisas erradas”.
    Tipo eu, se eu olhar uma coisa e não gostar, não a ninguém que me faça mudar de ideia.
    Como muita gente tacha a igreja evangélica com muitos nomes, generalizam, as pessoas podem esta fazendo as mesma coisa.
    Mas sinceramente, todos sabem que o Japão não é o país temente a Deus.
    E ninguém me tira da cabeça, que tem um motivo pra mim não gostar disso.
    E maia uma coisa, não é porque sou evangélica que sei mais de Deus.
    Mas se uma coisas for demoníaca, se você participar, ler, ver, participar de qualquer forma, colocar na sua casa.Sim, vai desagradar a Deus.
    Pois em tudo que você fazer dai graças a Deus.

Os comentários estão encerrados.