Ben-to – Conclusão

OBS: Pode contar com leves spoilers.

Quando eu fui fazer meu post de comentários rápidos da Temporada de Outono 2011, encaixei Ben-To lá na categoria “Milagres acontecem” com a seguinte definição:

Garotas (e garotos, mas isso é um detalhe) lutando pelo bento mais barato do mercadinho. Pois é.

Esse “Pois é” já dava o tom do que eu esperava do anime. Afinal, como esperar grande coisa de algo cuja premissa básica são lutas malucas pelo bento (uma espécie de prato-feito japonês feito para ser prático e barato) mais barato do mercadinho? Pior, o traço e a animação mostravam um enorme corte de custos no já não muito dispendioso estúdio David Production.

Mas como apostas são apenas apostas, o milagre realmente aconteceu e Ben-to conseguiu ser um dos animes que mais me divertiu neste ano de 2011, mas não por ser uma série “desligue o cérebro”, mas por ser realmente bom!Não vou me demorar recontando a sinopse do anime, pois isso você pode ver aqui no meu post com as primeiras impressões do mesmo. Resumindo, existe em todo o Japão uma espécie de “Clube da Luta” que disputam no braço os bentos que são colocados com descontos especiais no final do dia nos mais diversos mercadinhos. O sistema é simples: a disputa começa assim que o “deus dos descontos” (o funcionário do mercadinho que coloca as etiquetas de promoções) entre para os fundos do lugar. A partir dali é vale-tudo, pancadaria seca. Aquele que pegar em um bento automaticamente ganha posse do mesmo e ninguém pode mais mexer com ele. As pessoas que participam dessas lutas são chamadas de “lobos”.

Em uma primeira vista, Ben-to pode parecer um daqueles animes feitos para colocar garotas brigando e no final rasgar suas roupas. Talvez mesmo uma comédia pastelão com muito fanservice. Não, apesar de sim, termos comédia e termos fanservice (que perde um pouco do tempo do anime, mas não chega incomodar tanto), a verdade é que temos aqui um genuíno battle shounen.

Ben-to parte de um dos mais fortes princípios de um battle shounen e o trabalha com maestria: Hierarquização de poder.

Afinal, do que adiantaria o Goku se transformar em Super Sayajin e vencer o Freeza se antes não tivéssemos a noção clara da hierarquia de poderes? A graça de acompanhar o protagonista de um battle shounen está justamente em se empolgar com o seu crescimento, visto quando ele supera inimigos mais poderosos. Cada série faz do seu jeito. Temos as transformações e os níveis de Super Sayajin em Dragon Ball, temos o sistema de letras de Yuyu Hakusho e o preço pela cabeça dos piratas de One Piece. O importante é conseguir deixar claro para o espectador que tal personagem é realmente forte e que vencê-lo é um grande feito.

Ben-to se utiliza de “nomes de guerra” para isso. Assim, quando alguém começa a vencer muitas lutas, fica mais forte e vai sendo mais conhecido, rapidamente sua fama se espalha e ele ganha uma alcunha. É assim que vamos nos encaixando no ambiente do anime entendendo que estar ao lado da “Ice Witch“, possivelmente a mais poderosa dos lobos em lutas solos, é algo incrível. Vencer a “Beauty by the Lake“, que está no meio da hierarquia, é um momento de grande emoção. E finalmente, receber uma alcunha, mesmo que ela seja “Hentai”, dada ao protagonista, é o ponto fundamental que mostra o crescimento do seu poder naquele mundo.

Apesar de curta, a série apresenta três arcos principais (o que de certa forma pode ser entendido com um defeito, pois eles poderiam ser melhor desenvolvidos se a série não tivesse apenas 12 episódios). Cada um com seu “chefão” a ser derrotado (percebam o caminhar pela hierarquia como comentado). Mas surpreendendo novamente, cada um desses “chefes” possui suas próprias motivações para lutar, indo além de personagens fortões que não passam de carcaças, eles não estão ali para simplesmente conseguir comida fácil.

Na verdade, Ben-to foca-se muito no que é certo, no que é justo. Mesmo que os personagens estão ali para brigar e sangrar, um vale-tudo, nem todos os comportamentos e artimanhas são aceitas. Assim como o Bushido – código dos samurais – coloca a honra acima de tudo, também é assim em Ben-t0. Você precisa lutar com tudo que tem para ser merecedor daquela comida. São várias passagens que mostram isso, mas a principal se dá no último episódio da série quando um personagem que obviamente é considerado “mal” por não seguir essecódigo de conduta dos lobos honrados busca anular o poderio da dupla de garotas conhecidas como Orthros, tão poderosas que vencem até mesmo a Ice Witch em um dos momentos mais épicos do anime (me fazendo levantar do sofá na hora), simplesmente permitindo que elas peguem os bentos sem que ninguém tente lutar.

Apesar de aparentemente isso ter lógica, afinal, elas sempre venciam, que honra teria um lobo em conseguir sua comida se não disputasse de forma justa contra os mais fortes? todos os lobos são rivais, não inimigos. Inimigos são aqueles que não seguem o caminho da honra.

Outro ponto a se elogiar no anime são seus personagens. O protagonista Sato, apesar de ter um character design simplório e genérico, é um personagem com quem você consegue se identificar, longe de ser aquele garoto bobão e banana que tanto vimos. Temos a fujoshi e alívio cômico Hana Oshiroi, que mesmo não sendo muito importante para a série, consegue cativar o espectador. Mas a personagem que mais me chamou atenção, e não pelo seu poder, foi justamente a Ice Witch, ou Sen Yarizui, atual presidente do clube escolar “Amantes da comida pela metade do valor”. Yarizui, apesar de ter uma aparência kuudere (fria, sem emoções e que fala pouco), ela se mostra uma garota normal, simpática, amiga, carismática. Ao não estereotipar sua personagem mais forte, Ben-to acerta em cheio!

A animação aqui é fraca, não dá para dizer o contrário, até porque fica óbvio que o anime foi realizado apenas para aumentar as vendas de suas light novels (nove até o momento e sando pela editora Shueisha). Mas utilizando muito bem a sonoplastia, o estúdio David Production consegue passar a empolgação necessária que as lutas pedem.

Ben-to é o anime mais surpreendente do ano simplesmente por apresentar zero espectativas e dar ao fã de animes algo bem construído, saindo até mesmo do que os mais otimistas poderiam esperar. É uma série que sabe dos seus limites e trabalha dentro do que tem, sendo canastrão quando preciso, mas se levando a sério quando o mesmo deve ser feito. Em seus (poucos) 12 episódios você terá uma amostra do que pode ser feito mesmo com pouco dinheiro quando se sabe onde se quer chegar. Agora é torcer que venda e que venha uma segunda temporada!

PS: Escrevi esse post no meio da praça de alimentação de um shopping. Quer imersão maior? Só se eu escrevesse em um mercadinho japonês ao lado de uns bentos!

Esse post foi publicado em Animes, Conclusões e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

14 respostas para Ben-to – Conclusão

  1. LucasXD disse:

    FODA tbm AMEI esse anime…Dessa temporada eu vi ele,maken-ki,Boku wa Tomodachi ga Sukunai(Que me surpreendeu) e Mashiro-iro Symphone(Um ótimo romance,varias garotas gostam do principal mais não parece aqueles animes que sempre se vê e o kra pega na bunda da menina que ele pega um vez,coisa que não se vê mto nos animes)

  2. Mônica disse:

    Ben-to foi mesmo um anime bem legal. Se não me engano, o instrumental é do Taku Iwasaki, mesmo que fez Katanagatari e Soul Eater…xD As lutas, mesmo simples eram bem legais… só as irmãs Orthros que achei um desperdício de final… poderia ter sido bem melhor.

  3. Tsukaza disse:

    Foi realmente o anime mais surpreendente da temporada, inesquecível!

  4. Lukiiy disse:

    estava no Manauara é Denys? hihihi

  5. DougFloriano disse:

    Meu segundo melhor da temporada(Chihaya ainda primeiro).
    Ma sem duvida o mais divertido, talvez por que a principal não esperava muito dele, mas me surpreendeu muito.

  6. agelus8 disse:

    Analise perfeita.Muita gente não dá chance pra esse anime pela sinopse estranha(eu mesmo no começo), mas com certeza foi um dos melhores animes de porrada que eu já vi.

  7. Rozeex disse:

    Ben-to foi legal, um anime que como já dito atuava dentro possível tinha personagens que fazia bem sua função e interagiam de forma interessaste, apesar de não darem muita atenção pois faltava tempo para serem trabalhados.

    Pode-se assistir Ben-to desligando o cérebro mas você perde algumas coisa legais como o final onde tivemos um pouco de criatividade, lógica e coerência, mas final não foi o ponto forte do anime isso é opinião claro.

    Sobre uma segunda temporada não sei se as chances são altas porque havia expectativas sobre a série diferente daqui, prova disso é que Ben-to ficou em terceiro no Kono Light Novel ga Sugoi! prêmio que prestigias as melhores novel do ano então as chances dos fã não a recepcionarem bem é alta.

  8. Skuld disse:

    Eu gosto da ideia em si de Ben-to. É o tipo de anime que se eu tivesse assistido quando mais nova, não iria resistir e ficaria brincando sozinha pelo supermercado. É próximo do meu cotidiano (moro sozinha, a maior despesa é DE LONGE a alimentação), mas ainda assim, estraçalha ele. E ISSO É FODA DEMAIS!! Como eu queria que tivesse mais episódios, que tivesse um traço mais cuidadoso, mais estiloso, MAIS LUTAS… Eu sei que poderia fazer sucesso, de verdade. A ideia em si já é engraçada por si só, já é louca e, wtf, se torna AINDA MAIS louca por ser tratada como algo sério no anime.

    Claro, eu não gostei do final em si (da luta que era pra ter sido mostrada e não foi). Eu achei um desrespeito com as irmãs. Não faz sentido você humilhar todos os lobos da região e 2 dias depois perder de forma tão tensa a ponto de não faturar nenhum bento. Mas vamos ver, né? Ben-to ainda é um battle shounen, eu preciso aceitar que é natural o protagonista vencer sempre. Mas que me irrita, irrita. E muito. Quero uma segunda temporada longa o suficiente pra poder ver o protagonista quebrando a cara várias vezes, pra tudo soar bem natural, haha.

  9. Denys "Fantasma" Almeida disse:

    @Mônica, Doug, Floriano, Skuld
    Eu gostei do final, apesar de ter achado um pouco corrido (algo esperado pelos poucos episódios da série como salientei no post), e não vejo as duas irmãs como disperdício. A vitória delas contra a Ice Witch foi espetacular! Penso que elas perderam depois provavelmente para o próprio Hentai que estava com muita fome (o que no anime aumenta a força dos personagens), enquanto elas estavam meio emocionadas.

    @Floriano
    Vejo um terceiro lugar em um prêmio como um ótimo sinal, são dezenas (senão centenas) de light novels concorrendo!
    Sobre uma segunda temporada não sei se as chances são altas porque havia expectativas sobre a série diferente daqui, prova disso é que Ben-to ficou em terceiro no Kono Light Novel ga Sugoi! prêmio que prestigias as melhores novel do ano então as chances dos fã não a recepcionarem bem é alta.

    @Skuld
    Verdade, eu não havia pensado nisso, mas o fato de Ben-to se passar em algo bem próximo do cotidiano (mercadinhos) acaba deixando a experiência mais interessante. Se fosse criança também provavelmente iria ter altas imaginações ao entrar em um mercadinho depois de assistir a isso.

    Gyabbo!

  10. Pingback: Eu Recomendo Especial Parte 2: Os melhores de 2011: Verão e Outono. | Chuva de nanquim

  11. Pingback: Sankarea – Primeiras impressões |

  12. Pingback: Kuroko no Basket – Primeiras Impressões |

  13. Pingback: Temporada de Verão 2012 |

Os comentários estão encerrados.