Os melhores de 2011

Após um período de afastamento da internet causado pela mudança que fiz de apartamento, é hora do blog Gyabbo! voltar e já começar o ano com um dos post mais aguardados: Os melhores de 2011!

OBS: Não sou uma máquina e não assisti a tudo que saiu em 2011. O post a seguir representa minhas escolhas pessoais baseadas no que realmente assisti.

Confira aqui os escolhidos nos anos anteriores:

Melhor Shounen

Nichijou

Apesar de ter sido um dos maiores fracassos comerciais dos últimos tempos, Nichijou conseguiu ser a melhor comédia de 2011, contando com a estupenda animação do estúdio Kyoto Animation.

Segundo lugar: SKET Dance

Terceiro lugar: Tiger & Bunny

Melhor Seinen

Mahou Shoujo Madoka Magica || Steins;Gate

As duas melhores séries do ano não poderiam desempatar quando estamos falando apenas da categoria seinen. Ambas compartilham o fato de que inicialmente eu não iria assistir  e acabaram se tornando minhas escolhas do ano, além da luta insana de seus principais personagens para proteger aqueles que amam.

Terceiro lugar: Hourou Musuko

Melhor Shoujo

Kimi ni Todoke – Segunda temporada

A continuação e o término da história de amor mais adorada dos últimos anos. A segunda temporada de Kimi ni Todoke conseguiu terminar muito bem a série, dando o merecido final feliz que todos torciam.

Sem outras menções.

Melhor Josei

Usagi Drop

Com sua simplicidade, Usagi Drop cativou o coração de muitos e mostrou que animes marcantes não precisam necessariamente de grandes efeitos, bastam alcançar o coração dos espectadores, algo realizado com maestria com Usagi Drop.

Sem outras menções.

Melhor protagonista masculino

Okabe Rintarou – Okarin (Steins;Gate)

Também conhecido como Hououin Mad Scientist Kyouma, com apenas 18 anos Okarin é forçado ao limite de sua própria sanidade para consertar os erros que suas maiores invenções criaram. Com sua comicidade característica e seu carisma óbvio desde o primeiro momento em tela, é a escolha mais óbvia para melhor protagonista masculino.

Segundo lugar: Usui Switch Kazuyoshi (SKET Dance)

Terceiro lugar: Shuichi Nitori (Hourou Musuko)

Melhor coadjuvante Masculino

Rider – Iskandar, Rei dos Conquistadores (Fate/Zero)

Um dos servos que não existiam em Fate/Stay Night, Iskander conseguiu roubar a atenção de todos com sua personalidade marcante e sua grande força. Rider une perfeitamente em um personagem o momento de alívio de tensão do enredo com alguém que você sabe que terá uma grande relevância no futuro.

Segundo lugar: Daru (Steins;Gate)

Terceiro lugar: Sakamoto-san (Nichijou)

Melhor Protagonista Feminino

Yuuko Aioi (Nichijou)

Toda semana, após ver o novo episódio de Nichijou tudo que eu conseguia pensar era como a Yuuko Aioi conseguia passar pelas situações mais bizarras e hilariantes. Depois de passar por todos os mal bocados pela nossa diversão, ela merecia esse prêmio!

Segundo lugar: Homura Akemi (Madoka Magica)

Terceiro lugar: Rin Kaga (Usagi Drop)

Melhor coadjuvante feminino

Sui Shijoma (Hanasaku Iroha)

Ao final de Hanasaku Iroha, após toda decepção com esse anime, cheguei a uma interessante conclusão: Se anime tivesse como protagonista a avó da Ohana, Sui Shijoma, certamente teríamos um anime de ótima qualidade.

Segundo lugar: Nitani Yukari (Usagi Drop)

Terceiro lugar: Irena Honma (Ano Hana)

Melhor seiyuu masculino

Mamoru Miyano

Se Okarin foi o melhor personagem do ano, muito se deve pela ótimo trabalho de Miyano na sua interpretação de Mad Scientist. O seiyuu esteve ainda em outras produções de destaque no ano como a segunda temporada de Kimi ni Todoke, Ben-to e Chihayafuru.

Segundo lugar: Tomokazu Sugita (Switch – SKET Dance)

Melhor seiyuu feminina

Aoi Yuuki

Não escolhi a Yuuki por sua interpretação de Madoka no anime que leva seu nome, aquilo não é nada impressionante, até porque a personagem tem pouca participação no anime até seu final. Minha escolha vai pelo papel de Victorique em GOSICK.

Segundo lugar: Kana Hanazawa (Mayuri Shiina – Steins;Gate)

Terceiro lugar: Ai Kayano (Menma – Ano Hana)

Melhor Abertura

Nichijou – Segunda abertura –  Hyadain – Hyadain no Joujou Yuujou – KyoAni

A abertura que eu mais assisti esse ano sem parar que consegue passar perfeitamente bem o feeling do seu anime, além de contar com uma música empolgante, animação perfeita e com transições arriscadas, mas muito bem acertadas.

Segundo lugar: Level E (Studio Pierrot – Chiaki Kuriyama – Cold Finger Girl)

Terceiro lugar: Nichijou – Primeira Abertura (KyoAni – Hyadain – Hyadain no Kakakata Kataomoi – C)

Melhor Encerramento

Fractale – Hitomi Azuma – Down by the Salley Gardens – A-1 Pictures

Apesar de Fractale não ter sido um sucesso de venda e/ou crítica, ele ficou marcado para mim pelo seu belíssimo encerramento. Normalmente os encerramentos tem um custo financeiro baixo, mas o estúdio A-1 Pictures conseguiu utilizar disso para fazer algo extremamente simples, mas encaixando perfeitamente animação e música, terminando cada episódio com um clima perfeito.

Segundo lugar: Ano Hana – Ai Kayano, Haruka Tomatsu e Saori Hayami. – Secret Base ~Kimi ga Kureta Mono~.

Terceiro lugar: Haganai – Marina Inoue – My Feelings

Melhor música de abertura ou encerramento

Ano Hana – Ai Kayano, Haruka Tomatsu e Saori Hayami. – Secret Base ~Kimi ga Kureta Mono~ (No vídeo a versão da banda Scandal)

Se AnoHana marcou o ano de 2011 por suas fortes emoções, mesmo que muitas vezes forçadas, a música de seu encerramento ajudou muito em ditar o tom da série em algo meio nostálgico e melancólico com sua bela melodia.

Segundo lugar: Fractale – Hitomi Azuma – Down by the Salley Gardens

Terceiro lugar: Bakuman – Kobukuro – Blue Bird

Melhor estúdio

SHAFT

Por mais que 2011 não tenha sido um ano de grandes e numerosas produções do estúdio, é difícil escolher outro (até porque nenhum se sobressaiu também) que não o estúdio SHAFT por ter feito o melhor trabalho do ano com Mahou Shoujo Madoka Magica.

Segundo lugar: Production I. G (Kimi ni Todoke S2, Usagi Drop)

Terceiro lugar: A-1 Pictures (Ano Hana, Ao no Exorcist, The iDOLM@STER)

Melhor Lançamento Nacional

Aventuras de Menino e Solanin (L&PM Pockets)

Esse ano temos dois lançamentos no prêmio Gyabbo!, isso porque eles marcam a entrada triunfal da editora L&PM Pockets no mercado de mangas. Qualidade acima do padrão normal que estamos acostumados, títulos maduros, Mitsuru Adachi, bom preço, ótimo relacionamento com os leitores, tudo isso faz desses dois os lançamentos do ano.

Segundo lugar: Air Gear (Editora Panini)

Terceiro lugar: Kimi ni Todoke (Editora Panini)

Melhor editora

Editora Panini

Apesar da grandiosidade que é a entrada da L&PM Pockets no mercado no manga, ainda é muito cedo para dar esse posto para ela. A Panini errou nas páginas transparentes, mas no geral teve um ótimo ano de 2011, trazendo aguardados mangas para o país (Air Gear, Kimi ni Todoke) e fechou o ano com o anúncio que abalou o fandom ao prometer One Piece, Dragon Ball, Monster e muito mais para 2012. Começou uma aproximação com o leitor com suas promoções, mas é algo ainda a melhorar se quiser manter seu posto em 2012.

Maior surpresa

Editora L&PM Pockets

Desculpem-me, mas por maior que seja o anúncio da Panini, ele não pode ser considerado surpresa pra ninguém, pelo menos eu só estava aguardando o dia. Já a entrada de uma grande editora nesse mercado e com um tratamento totalmente diferente foi verdadeiramente uma surpresa. Que não caia na maldição da Editora Savana que recebeu esse prêmio em 2009 e simplesmente sumiu do mapa.

Maior FAIL

O 10º ano da Editora JBC

O que era pra ter sido marcado como o maior ano da editora, com anúncios de novos mangas mensalmente e a volta triunfal de Evangelion se transformou na #VergonhaJBC. Qualidade gráfica do seu material é sofrível, o relacionamento com os leitores é quase nulo e as ideias do seu gerente de conteúdo, Marcelo Del Greco, são horripilantes se formos pensar à médio e longo prazo para nosso mercado. Sem contar o caso das mentiras e do desleixo com a volta de Cavaleiros do Zodíaco. Temo muito por 2012 e a JBC, muito.

Melhor série

Mahou Shoujo Madoka Magica

Se Steins;Gate conseguiu empatar com Madoka na categoria de melhor Seinen, como melhor série o trabalho do estúdio SHAFT leva certa vantagem. Temos aqui um anime não só com um roteiro interessante e bem amarrado, mas uma arte belíssima e cheia de detalhes, um sonoplastia minuciosa, uma animação que ia até as últimas horas antes de ir ao ar para entregar o melhor (e ainda melhoraram mais nos DVD/BD). Madoka marcou tanto como uma produção emocionante e que vai ficar guardada na memória de todos que assistiram, mas também marcou por mostrar que os animes podem ir mais além, quebrar paradigmas, se reconstruir e seguir em frente. Madoka certamente foi o título de 2011!

Segundo lugar: Steins;Gate

Terceiro lugar: Hourou Musuko

OBS: Este ano não foi considerada a categoria “Movies” por eu ter percebido que o único movie de 2011 que eu assisti foi Karigurashi no Arrietty (que eu gostei bastante e recomendo). Não havendo portanto uma disputa, não faria sentido colocar. Assim que eu ver os filmes de 2011 irei atualizar esse post com esta categoria.

Agora que venham os de 2012!

E você? Quais foram seus favoritos?

Nota: Todos os vídeos deste post foram upados e cedidos pelo Leo Kusanagi do blog Mithril.

Esse post foi publicado em Animes, Os melhores do ano e marcado , , , , . Guardar link permanente.

23 respostas para Os melhores de 2011

  1. topheira disse:

    Nichijou, Mahou Shoujo Madoka Magica, Kimi Ni Todoke, Usagi Drop, Panini, Mamoru Miyano (me apaixonei ~ pela a voz ~ pelo Kento Miura de KNT)… sim, tudo muito justo! (u//////u) gostei dos melhores de 2011!

  2. Iago Moraes disse:

    Só um detalhe Kimi ni Todoke não está finalizada há boatos de que uma terceira temporada ainda possa acontecer em vista do sucesso da primeira e da segunda ter se mantido muito bem e o mangá também ser um sucesso de vendas

  3. Carlírio Neto disse:

    Saudações

    É a primeira listagem que vejo citar, positivamente, Fractale. Mesmo na minha listagem, Fractale foi citado minimamente, como [animes que poderiam ser melhores] se bem que, aqui, o título em questão foi citado por ter a melhor ending.

    Mas confesso que gostei muito do que li aqui. Foi o mais póximo das opiniões que deixei em meu blog. Mas, é claro, pese o fato deq ue ainda não assisti a Hourou Musuko.

    Ótimo trabalho.

    Até mais!

  4. wildcat17 disse:

    Madoka domina, claro :D Ainda nao entendo como e que Nichijou foi fraco a nivel de vendas… Lamento a falta de acentos.

  5. Madoka me surpreendeu: era o típico anime que eu não iria assistir, mas foi tão falado que resolvi acompanhar – e o roteiro, diferenciado dos demais do gênero, me cativou. Também gostei de Kimi ni Todoke. Estou lendo Solanin e concordo que foi um dos melhores lançamentos nacionais do ano (talvez o melhor). Sou vizinha da L&PM e parabenizo a iniciativa da editora do sr. Ivan Pinheiro Machado. No mais, espero conseguir tempo para assistir alguns dos outros animes que tu citastes.

  6. Gyabbozinho, de todos os blogs que eu acompanho, só o seu fez uma classificação tão boa… na minha opinião, claro.
    Gostei de como você dividiu tudo e deixou uma leitura dinâmica e simples.
    Você escolheu Madoka como a série do ano, queria conseguir fazer isso, eu ainda não consigo escolher entre Madoka e Steins, fim. xD
    Meu lado fanboy ficou em alta ano passado…. HAEUAHUEAUE’ :3

  7. Jessica disse:

    Roubo! Cade Mawaru Penguin Drum?

  8. Taka disse:

    Madoka realmente merece os prêmios, assim como a LPM e a Panini.
    E espero que a JBC melhore

  9. Mas, será possível que só eu não curti Nichijou!!! =O

  10. Jéssica disse:

    O melhor encerramento mesmo Ano Hana, é incrível como a letra desta música se encaixa bem com a história do anime, além do detalhe desta música ter sido lançado há 10 anos (agora 11 anos) pelo grupo ZONE.

  11. João Silva disse:

    Estranho… Estranho… Julgar Nichijou como Shōnen, mas é compreensível… Entretanto, acho que seria melhor julgar as séries por gênero do que demografia, já que eu acho impossível você comprar dois “shōnens” como Star Driver e Nichijou.

    Também acho complicado colocar no “top” séries que ainda estão em exibição, como por exemplo, Fate/Zero.

    Tirando isso é um top bem interessante e achei válido ver animes “fracos” como Fractale e Iroha serem reconhecidos pelos seus pontos fortes, quanto aos eleitos em si, apenas concordei com o melhor personagem, tenho uma visão diferente quanto às demais categorias.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      @João Silva
      Eu pensei em ir por gênero ao invés de demografia, mas não gostei do resultado que iria ficar, então resolvi continuar com o tradicional aqui no Gyabbo!. É difícil comparar um Star Drive com um Nichijou, certamente, são propostas diferentes, mas não é impossível (apesar de eu não ter visto Star Drive).

      E Fate/Zero não concorreu, quem esteve foi um dos seus personagens, não a série em si, sendo este motivo por Chihayafuru não estar na parte de Josei.

      Gostaria de ler quais seriam suas escolhas, post aí.

      Gyabbo!

  12. Panino Manino disse:

    Nichijou shounen?
    Isso é ruim tanto para os concorrentes da categoria quanto para ele próprio.
    Teria escolhas melhores e seria bem melhor ter uma categoria de humor.

    Em seinen… nem tenho palavras para expressar o aperto no coração quando eu vi o que você colocou ali.
    Simplesmente você desconsiderou tudo que poderia colocar ali e só preencheu com o que gosta. Sério, um desserviço.

    “Sem outras menções” em Josei é um indício de que você está indo para o Moe Side.

    Em personagem masculino, o Okabe, como já discuti a fundo em outros locais não merece o título de melhor protagonista, por mais que ele seja interessante.
    A história não gira ao redor dele, por ele, ela gira por quem pega ele pela mão e o conduz. Ele é fraco, pelo menos no anime é. Deixado sozinho ele simplesmente chora até derreter quando a situação começa a apertar. Ele é o que os coadjuvantes fazem dele. Ele nunca tomou uma decisão séria por si só, ele sempre foi influenciado pelos outros ou pelo que decidiram por ele. O Okabe é a Suzuhara e a Cristina. Na verdade a Cristina que ele fala não é a Kurisu, é um traveco, ele travestido. É um personagem sem personalidade, ele finge que tem, encena, mas não tem, não tem decisão, não tem ação. Até um Naruto ou Sasuke e é mais digno.

    Melhor música de abertura para Secret Base é risível.
    Aoi Shiri é muito mais bonita e tem uma letra que faz muito mais sentido. Além de Secret Base ser bem méh, ela não diz nada sobre a série, fiz até uma postagem sobre isso. Não entendo qual o mistério que faz as pessoas acharem essa música tão bonita e relevante.
    http://www.subeteanimes.com/2011/12/base-secreta-desmistificada.html

    Como melhor estúdio, é injusto dar o título para o Shaft só pelo sucesso de Madoka. Se pelo menos justificasse com outros exemplos de méritos dele este ano…
    O sucesso de Madoka não é pelo trabalho de animação do estúdio, é mais pelo roteirista e diretor. Outros fariam melhor que o Shaft. Um Silver Link merece bem mais consideração, faz o mesmo que o Shaft só que mais bem feito, em animação.
    Brains Base é sempre menosprezado mais é o estúdio mais na média e acima dela faz anos. O A-1 também é bastante bom apenar de oscilar muito.

    Como melhor série, Madoka é mais redondinho, e só. Mas ser algo além e que acrescenta alguma coisa, não. Essa impressão é por ser um Mahou Shoujo, fazendo com que não esperassem muito ou pelo pior. As pessoas simplesmente esqueceram o que é uma série mediana e bem feita e ficaram surpresas por um mahou shoujo ser assim.
    Tem seus momentos, mas nada demais.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      @Panino
      Já tem um tempo fechei com o simples “Manga é o que? Então o anime é isso”. Nichijou é um manga shounen, então vai pra categoria shounen, não posso fazer nada se foi animado pela KyotoAnimation. Pra ele foi ótimo, não teria como disputar com os outros animes em uma geral, provavelmente nem apareceria no meu post, mas na categoria shounen foi o melhor para mim. Como comentei, eu pensei nesse ano colocar por gênero, mas o resultado não estava ficando bom quando fui superar, então preferi manter esse.

      Panino, é óbvio que eu coloquei com o que gosto, eu disse isso nos primeiros parágrafos desse post, são os melhores de 2011 do blog Gyabbo!, que é a minha opinião. Não vi Mawaru (na verdade vi uns 4~5 episódios e achei chato), então não poderia julga-lo. Não entendo porque isso seria um desserviço se é isso que é essa a ideia do blog, colocar minha opinião e debater com outros fãs.

      Que outro Josei eu poderia citar? Lembrando que Chihayafuru está na metade e não conta.

      Então para um personagem ser bom ele tem que ser o cara, independente, que é corajoso, decisivo, que toma a iniciativa? Não acredito que um personagem pra ser bom tenha que ser assim. Okarin para mim foi um personagem extremamente bem construído. Se ele se deixa levar pelas pessoas ao redor, faz parte da sua personalidade, o personagem não se trai. Você diz que ele não tem personalidade por estar conceituando “ter personalidade” como o que eu descrevi no começo do parágrafo, quando não é necessariamente isso. E (spoilers para quem não viu Steins) tenho que discordar, durante vários loops temporais o Okarin tenta resolver as coisas sozinho, muito tempo depois ele vai pedir ajuda da Kurisu e ainda assim não conta exatamente com ela até um tempo depois. Okarin teve que decidir entre o seu amor e a Mayuri, fez um sacrifício gigantesco, tudo por conta própria. Você está querendo forçar algo que o personagem não foi.

      Aoi Shiri é realmente bonita, mas eu vejo Secret Base (não pela letra, tanto que nem comente isso) como algo que se encaixava perfeitamente com o tom da série. É uma bela música, me fez ouvir dezenas e dezenas de vezes e ainda se conectou perfeitamente com o anime, para mim a escolha certa. Não concordo com o que você escreveu no seu post (que por sinal li antes de escrever esse aqui).

      Silver Link fez melhor animação que o SHAFT onde? C³? Baka to Test? Aí eu só consigo pensar que você quer pegar no pé mesmo. A-1 e Brains Base eu até entendendo, mas Silver Link foi forçado demais. Além de que hoje SHAFT = Shinbo. Não acho que mesmo a Brains Base ou a Gainax conseguiria fazer Madoka tão bem quanto a SHAFT.

      Talvez esse ponto da surpresa de um mahou shoujo tenha certa razão, apesar de eu ver outros fãs de mahou shoujo que gostaram tanto quanto eu. Madoka na verdade tem seus pequenos momentos de falhas, não poucos momentos de glórias. É o inverso.

      Gyabbo!

  13. Panino Manino disse:

    Eu nem pensei em Mawaru aqui, sério, nem pensei.
    Não li a introdução porque não precisava de aviso para saber que é o seu gosto.
    Eu apenas discuti suas justificativas.

    Por exemplo o Okarin, entender perfeitamente porque ele é querido, eu gosto dele.
    Mas se formos discutir o personagem, entra nesse conflito, você gosta dele pelo que ele é, eu discordo dele ser melhor que os outros pelo que ele é. É uma questão de gosto contra atitudes/ambições/conquistas.

  14. Mirukage disse:

    Sinceramente Panino, se vc discorda o que vc tem a oferecer no lugar?
    Se vc não tivesse pensado em Mawaru, pq vc discorda de Steins Gate, Madoka e Nichijou??
    Cite exemplos no lugar que “quebrem” a proposta do Gyabbo NA SUA OPINIÃO. Esses argumentos ficam fracos se vc não citar alguém/ou/algum anime melhor. Em nenhum momento, o Gyabbo citou q Okarin é o melhor personagem dos animes. Citou que é o melhor de 2011. Se não é, quem é melhor? Existem melhores? Na minha sim. Mas o Okarin é top 5, sem dúvidas.
    É nítido que vc enxerga além comparado a maioria dos expectadores de animes. Nesse caso, é um desserviço vc expressar sua opinião com seus argumentos e nenhuma proposta, concorda?
    Outras coisa, não se ofenda por Fractale ganhar alguma coisa. Pra “alguem” deve merecer. Não assisti ao anime.
    Numa premiação alguém tem que receber o prêmio, e pelo que acompanho no seu blog, nenhum anime mereceu algum premio esse ano, exceto Mawaru e Chihayafuru. No entanto, o premio/menção/citação é anual e sempre tem fatores pessoais envolvidos, além dos comerciais (no caso das premiações oficiais).
    Vc citou Mawaru como um grande possível anime da década (antes do seu final no seu blog), pela arte e proposta, não pela animação. É absolutamente compreensível e é válido. Mas alguém tem que ganhar em alguma categoria ESSE ANO DE 2011. E Mawaru não merece todas categorias, apesar de ser o anime mais divertido, fabuloso e artístico de 2011 NA MINHA OPINIÃO. Vc diz não ter pensado, mas seu inconsciente pensou..está implícito nas suas palavras de revolta com os resultados.
    Conclusão…refaça as categorias na sua opinião, assim como eu também tenho direito de fazer. alías é a proposta do Gyabbo. Denys deixou claro.
    Além de que adoro o Subete e estou ávido pela sua opinião num suposto SubeteAnimesAwards 2011. (Sem ironias, adoro mesmo).

  15. Panino Manino disse:

    Não assisto animes suficientes para fazer um Subete Awards Mirukage, então eu faria no máximo um apanhado de destaques inusitados, como por exemplo “choro feminino”, só que infelizmente minha memória é muito deficiente para isso.

    Vamos lá, shounem.
    Não ligo, mas como disse, é um desserviço para a categoria e o próprio Nichijou ser indicado nessa categoria.
    Tem Gintama (tantas temporadas não ao acaso), Beelzebu, Ao no Exorcist, Nuramago, Bakuman, Sket Dance, Persona, Hunter. Não sei qual deles é o melhor, mas são esses que deveriam disputar na categoria, não?

    E onde ficam os animes de comédia e drama?

    Seinen tem Moshidora, Un-Go, Fate, Kaiji…

    A lista do Gyabbo é muito boa, só que parece que as categorias estão bagunçadas.

  16. Pingback: Nahel Argama Awards 2011, Lado B | Nahel Argama

  17. Scout disse:

    Affs… só eu q não gosto de Madoka…

  18. Realmente, esse tipo de seleção acaba sendo algo bem complicado, principalmente quando as opções assistidas acabam sendo poucas, como o próprio autor do blog citou. Eu mesmo, só assisti a três movies em 2011, Macross Frontier~Sayonara no Tsubasa~, Mahô Sensei Negima/Hayate no Gotoku! e Eiga K-ON!. Daí eu nem teria como escolher os melhores…rsrsrs! Com relação às séries de TV, se a pessoa conseguir assistir pelo menos uns 80~90% da temporada, se possível, na íntegra, daí acho que daria pra elaborar uma seleção mais objetiva.

  19. Natália Ramos disse:

    Eu gostei da sua lista, mas eu acho que o Kotetsu (Wild Tiger) de Tiger & Bunny merecia muito uma colocação ao lado do Okarin na categoria de melhor protagonista masculino.

  20. Moon disse:

    Rsrs, tenho algumas opiniões semelhantes e outras distintas, mas gostei das categorias de sua lista.

    Quanto à parte musical, achei a abertura de Nichijou muito… Insuportável. Das coisas que assisti, a op mais interessante foi a de No. 6… Não sei dizer, mas aquela música bizarra cantada por aquela mulher de voz feia, de alguma forma, combinou muito bem com as imagens e com o tom do anime (embora o anime em si tenha deixado muito a desejar).

    Outra op que achei interessante, mais mesmo pela música, foi a de AnoHana.

    Agora, de encerramento…. A regravação de Down By The Salley Gardens ficou muito bonita, mas a imagem de encerramento foi muito falha, a meu ver (a idéia até acho interessante, mas não acho que a execução transmita um quinto da poesia da música).

    E a regravação que fizeram do Secret Base ficou muito melosa pro meu gosto… A original é muito melhor. :3

    Embora não tenha terminado ainda, acho que Chihayfuru bem que podia estar aí na lista, né… :)))

    E por um acaso vc fez lista também dos piores? Rsrs, eu gostava de ver!xD

  21. Pingback: Ichiban Brasil 3 – Resultados e considerações dos animes e mangas |

Os comentários estão encerrados.