Mouretsu Pirates – Bodacious Space Pirates – Primeiras Impressões

Depois de escolher os melhores de 2011, é hora do ciclo recomeçar com as primeiras impressões dos novos animes da temporada de inverno 2011. Vários já iniciaram e eu vou começar por um que acabou me surpreendendo: Mouretsu Pirates.

Mouretsu Pirates, série animada pelo mediano estúdio Satelight, é a adaptação da light novel Miniskirt Uchuu Kaizoku, ainda não concluída e contando com 7 volumes atualmente, da autora Yuuichi Sasamoto, publicada inicialmente em 2008 no jornal Asahi, o segundo de maior circulação no Japão.

A história se passa em um contexto futurista, onde as viagens espaciais são normais. Marika Katou é uma colegial do planeta “Sea of the Morningstar” que tempos atrás conseguiu sua independência do Império Galático com a ajuda de piratas espaciais, ao tornar legal as suas atividades.Marika segue sua vida normal, estudando, fazendo parte de um clube escolar onde aprende a pilotar pequenas naves pela órbita do planeta e trabalhando em meio período em um Maid Café. Porém, um dia é surpreendida pela notícia de que seu desconhecido pai não só era o capitão de uma grande nave pirata, mas que ele falecera recentemente. Sendo filha e parente mais próxima dele, Marika é a única que pode assumir o lugar do pai de acordo com as leis piratas.

Já pela sinopse é possível perceber uma certa dualidade dentro dessa obra. Por um lado ela tenta ser séria em criar uma ambientação de space opera, com sua rápida, mas eficiente explicação de porquê aquele mundo funciona daquela maneira e o motivo da existência da pirataria estelar. Por outro, Mouretsu Pirates se aproxima dos elementos mais típicos otakus, principalmente com suas colegiais em ação e a protagonista em seu trabalho de maid.

No entanto, o que poderia sair como uma grande bagunça acaba funcionando muito bem com a boa direção de Tatsuo Satou neste primeiro episódio (algo que já mostrara no bom anime de 2008, Shigofumi), guiando sem grandes percalços a transição entre esses dois lados da obra.

Créditos do vídeo de Leo Kusanagi do Mithril.

Me surpreendi com o caminhar da série neste primeiro episódio por ele não sair jogando acontecimentos demais. O desenvolvimento não chega a ser lento, mas possui uma velocidade diminuída se comparada aos cada vez mais numerosos animes de 12~13 episódios. Ao plenejar o título para 26 episódios, o estúdio Satelight permite ao seu diretor trabalhar com calma, permitindo que tanto a protagonista quando o espectador absorvam bem tudo que vai acontecendo.

Abertura e encerramento, se não são exatamente marcantes, são pelo menos boas, principalmente pelas músicas da dupla Hyadain (o mesmo que fez as fantásticas aberturas de Nichijou) e Narasaki (da insana abertura de Sayounara Zetsubou Sensei).

Apesar de ter gostado do que vi neste primeiro episódio, ainda é difícil prever o que esperar de Mouretsu Pirates pois ainda não pudemos ver o principal do mesmo, que será a parte no espaço em si. Mas caso o anime continue a conseguir equilibrar bem seu lado mais sci-fi com os elementos colegiais, sem pender demais para algum dos lados (principalmente o colegial), é bem provável que teremos uma obra, talvez não revolucionária, mas sólida e que trará muita diversão.

Esse post foi publicado em Animes, Primeiras impressões e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

11 respostas para Mouretsu Pirates – Bodacious Space Pirates – Primeiras Impressões

  1. Vinicius disse:

    Não gostei, muito abaixo do esperado (pelo menos pra mim). O trabalho das seyuus é bem legal e a animação não compromete. Mas eu não consigo ver esse anime evoluir.

  2. “mediano estúdio Satelight”

    Macross Frontier mandou lembranças caro amigo Gyabbo.

    No mais, também gostei do que vi nesse primeiro episódio. Foi tudo na medida certa, apresentação de personagens, começo do desenvolvimento do enredo e pitadas de história e slice of life. Tenho grandes expectativas para essa série.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      @Incubator
      Um trabalho só não classifica um anime como acima da média pra mim. Ainda tem um bom caminho a percorrer pra eu considerar um grande estúdio, mas não duvido do potencial deles.

      Gyabbo!

  3. De cara não me interessei muito pelo anime, vou ver pelo menos o primeiro episodio. E boa postagem deu para ter uma ideia do que vou encarar nesta serie.

  4. Lucas Medeiros disse:

    Achei o anime um pouco lento, apesar de que isto é claramente proposital, todavia a ambientação me agradou bastante. O medo do anime terminar como uma obra fanservista para agradar os otakus é muito grande, mas o gênero tem potencial pois bebe de uma fonte bastante rica e que pode render boas histórias.
    De toda forma sejamos francos, se a menina não sair da escola até o episódio 4 desista.

  5. Hii-Chan disse:

    Também gostei bastante e espero que me surpreenda nos próximos eps. Em todo caso esse primeiro episódio, pra mim, foi algo bem feito. Porém não algo que tenha me passado uma impressão diferente ou impactante de alguma forma.
    Foi legal, até divertido e o fato de falar sobre piratas futuristas me ganhou ^^ (fangirl de piratas XD GOD!) Eu com certeza vou acompanhar e ver o progresso dessa estória.

    Ótimo post.

  6. Tiago disse:

    Achei bom mas tem tudo pra ser ruim, tomara que eu esteja errado.

  7. IghorH disse:

    Inicialmente achei que seria mais um anime voltado para o fanservice. O que me gerou uma incrível surpresa (não grata). Apesar de ser diferente do que esperava, o anime não convenceu e se mantam na minha lista trial. Não irei dropa-lo e nem descrimina-lo, pois este pode virá uma grata surpresa como Ben-to. Apesar de achar dificil, pois Ben-to desde o primeiro capitulo mostrou que era bom.

  8. Alexandre disse:

    Eu acho que ele é um anime que está patinando entre dois caminhos distintos. E tenta agradar aos dois públicos distintos desses caminhos. Dependendo do que ele escolher, vai perder um dos lados.

  9. Pingback: Primeiras Impressões Geral. « Omnia Undique

  10. Pingback: 3 anos de Gyabbo! – A consolidação de uma trajetória |

Os comentários estão encerrados.