Saint Seiya Omega – Cavaleiros do Zodíaco Ômega – Primeiras Impressões

Antes de começar a falar realmente de Saint Seiya Omega, vamos contextualizar um pouco as coisas: Eu sou um dos filhos da Manchete, comecei a ver animes com ela graças ao sucesso de Cavaleiros do Zodíaco (e Shurato, Yuyu Hakusho, Super Campeões etc). Anos depois quando a Saga de Hades surgiu, apesar de eu me interessar bastante, não assisti, indo fazer isso apenas na época que passou no Cartoon Network em um ingrato horário de madrugada. Não vi o resto da Saga de Hades, tão pouco Lost Canvas.

Isso é para deixar claro que apesar de eu ser fã de Cavaleiros do Zodíaco (lembro quando a série original voltou pelo Cartoon Network e eu saí avisando todas as pessoas da minha sala na 8º série) não acompanhei de fato sua trajetória e novos produtos da franquia não me atingem como o de outras (Dragon Ball, por exemplo). Possuo um carinho pela série, me divirto muito conversando sobre o mundo de CdZ com amigos que nem sequer assistem à animes, mas tenho pleno senso crítico dos pontos fortes e fracos da mesma, sem ser atingido muito forte pelo saudosismo hoje em dia.Saint Seiya Omega, nova investida da Toei Animation com a franquia chega buscando mais gerar novos fãs do que se preocupar somente com os já consolidades. Muito porque, sejamos sincero, Cavaleiros nunca foi parte do grande escalão dos shounens, sendo muito mais lembrado no Brasil e na Europa do que no próprio Japão, o que explica facilmente o possível cancelamento dos planos de uma 3º temporada da elogiada série Lost Canvas pela TMS.

Desde seu anúncio oficial, Omega deixou claro que buscava ares novos. A escolha do character design de Yoshihiko Umakoshi, por exemplo, consegue unir uma beleza sutil e nova aos traços já característicos da franquia e ainda ajuda economizando em uma série que claramente não possui muito dinheiro para gastar. Além disso, o horário das 06:30 da manhã do domingo na Tv Asahi (lar da série original) e a direção de Morio Hatano, que já havia se juntado a Umakoshi anteriormente para uma série de sucesso acabam mostrando que Saint Seiya Omega nada mais é do que um Heartcatch Precure! shounen.

Isso é necessariamente ruim? Não exatamente. Ainda que Omega seja uma abordagem mais simples e infantil do mundos dos Cavaleiros (que por sua vez era apenas uma série infanto-juvenil sem nenhum tipo de profundidade, mas honesta com seu tempo) isso não quer dizer que não possamos ter uma material decente. A verdade é que este primeiro episódio não difere muito em qualidade da maioria dos episódios da série original, tendo como calcanhar de aquiles carregar em suas costas todo um fandom que, principalmente no Brasil (e sendo este blog brasileiro, é para onde vou olhar mais), criou uma imagem surreal de Cavaleiros do Zodíaco, algo que a série nunca foi e nem tentou ser.

Mas se uma abordagem mais simples não necessariamente compromete a qualidade do produto, infelizmente temos que aceitar que esta mesma abordagem resulta em uma planificação ainda maior do enredo. Sim, novamente temos uma inimigo (dessa vez o deus Marte) sequestrando Saori em busca do seu poder para controlar a Terra. Sim, de novo um cavaleiro de Bronze da constelação de Pégasus será o responsável por salva-la, obviamente com a ajuda de outros companheiros que se juntarão na sua aventura onde este cavaleiro, Kouga, revelará o grande cosmo que estava destinado a mostrar na hora necessária.

Ainda assim, com uma animação simples aliada ao character design estiloso (que quem viu Casshern Sins aprendeu a amar) de Umakoshi, a série consegue manter um certo equilíbrio, com algumas horas de mediana empolgação (como quando da aparição de Seiya, dessa vez como cavaleiro de Ouro de Sagitário) e outras de certo constrangimento como do fato do vilão ser extremamente bonachão e não conseguir de forma alguma ser respeitado.

Porém, um ponto interessante da série e que na minha opinão consegue colocar algo a mais nesse mundo tão repetitivo de Cavaleiros é o seu protagonista. Kouga, salvo enquanto bebê por Seiya quando do primeiro ataque de Marte contra Saori (seria ele o filho dos dois? Saberemos no futuro), acaba sendo isolado do resto do mundo para viver um treinamento onde deve virar um novo Cavaleiro de Atena. Mas a questão é que ninguém explica para o garoto onde está essa Atena senão nas lendas gregas ou o que faz realmente um Cavaleiro. Kouga não se empolga nos treinamentos justamente por não ver razão para aquilo, aceitando sua condição só pela paixão platônica que possui por Saori (e se ela for a mãe dele isso será bem constrangedor). Não é muito, mas é uma camada interessante para as motivações de um novo Cavaleiro depois de anos acostumados a crianças lutando cegamente por uma ideologias que nunca foram construídas por si próprias.

(Agradecimentos ao Leo Kusanagi do Mithril pelo vídeo em HD)

Aparentemente marcado para 50 episódios, Saint Seiya começa sem empolgar muito, mas também não compromete ao ponto de ser rechaçado por fãs menos xiitas da franquia. Já para fãs de animes em geral que não tem nenhum carinho especial para a série, acredito que o tempo pode ser melhor gasto. O importante mesmo é ver o que Omega poderá fazer no rejuvenescimento da franquia, é isso que mais me interessa. E sendo sincero, nesse caso tem tudo para ser um sucesso tão bom quanto qualquer Precure.

Por fim, gostaria de exaltar a ótima releitura da clássica abertura “Pegasus Fantasy” pela bela voz da peculiar comedora de gatinhos Shoko Nakagawa com som da banda Make UP. A música em si sempre foi boa, mas conseguiram dar a ela um tom de novidade muito bem vindo, ainda que a sequência animada em si não seja das melhores.

Assistir Omega não irá lhe causar nenhum mal, nem será ofensivo para sua infância, mas também não é algo que precise ser exaltado nessa promissora temporada de Primavera. Mas se quiser ler outra opinião, dê um pulo no Chuva de Nanquim por aqui.

Esse post foi publicado em Animes, Primeiras impressões e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

26 respostas para Saint Seiya Omega – Cavaleiros do Zodíaco Ômega – Primeiras Impressões

  1. hakeruchan disse:

    “aceitando sua condição só pela paixão platônico que possui por Saori (e se ela for a mãe dele isso será bem constrangedor)”
    Bem, já não vejo assim… até porque a explicação dada para esse amor/paixão/carinho etc que ele tem pela Saori pode ser simplesmente de que era um amor de filho pra mãe – mesmo sem ele saber que ela era mãe dele, aquelas coisas de mãe que não se explica e se sente, não é mesmo? XD
    Isso tudo é claro, se ele for filho dela… no mais acho que ficaria como amor de filho adotivo mesmo. A Saori cuidou dele desde bebê (bebê Kouga apertável, o traço do Umakoshi é irresistível com coisas fofas <3), impossível ele não amá-la de alguma forma; totalmente diferente do chove-não-molha do Seiya com a Saori – e que de repente ~molhou~, né? XD

    No mais, acho que Ômega tem como dar certo sim. Também sou filha da Manchete, apesar de nunca ter sido "omg fã" de Cavaleiros e muito menos de achar a série genial, incrível, a melhor de todas, Kurumada deus e outras coisas do fandom tupiniquim. Mas tenho lá meu carinho pela série (e pelo Hyoga e Shiryu OPS) e como uma boa fã de Precure foi inevitável dar uma olhada em SS Ômega… e dar de cara com o Ryuhou (o filho do Shiryu) que é a coisa maaaaaaais adorável – e se a série não prestar por algum motivo acho que ele vai me fazer ver a temporada toda <3333 /fangirl

    SS Ômega parece ter vindo com o propósito "vamos nos divertir, nostalgiar um pouco e não esquentar a cabeça com plots mirabolantes". Se a ideia é essa, acho que o trabalho será bem feito :)

  2. Hidekee disse:

    Na verdade Omega quer arrebatar/conquistar público novo. O atual no Japão chega a ser piada. SS só faz sucesso no Japão e Europa, como foi bem colocado, sendo que na Europa é um sucesso com pé no chão e aqui é colocado como suprasumo do Shounen, qdo está longe, mto longe disso. Omega sofreu AQUI preconceito pq foi relacionado a Precure, já que a maior parte dos otakus brasileiros ignoraram completamente Casshern Sins, daí veio um bando de criticas infundadas.

    Eu achei um anime divertido, com 1 erro de continuidade logo no início, mas depois sem mais erros assim. Animação competente, traço simples mas estiloso ajudando bem nisso. Pelo visto terá uma amazona de bronze no meio do grupo principal, democratizando mais um anime que era lotado de machos (para delírio de fujoshis). Vejo como Gundam AGE, uma simples releitura onde Seiya toma lugar do antigo cavaleiro de sargitário e igualmente se sacrifica por Atena. Se os roteiristas forem competente, podemos ter agradáves surpresas.

    Mas como não sou fã de SS (só gosto mesmo de Lost Canvas), verei qdo der, com baixíssima prioridade para mim. Aos fãs, só digo que ainda é mto cedo para criticar.

    PS: Levar armaduras em pingentes no lugar daqueles trambolhos ridículos da original é mto mais estiloso e prático. Até pq, no fim as armaduras vão “voando” ao dono mesmo…

  3. Kurama disse:

    Achei fraco como um todo.
    Designe Precure nunca gostei, então não vai por ser SS que vai melhorar alguma coisa.
    Vilão ridículo.
    Armaduras coladas, parecem mais roupas do que armaduras.

  4. wildcat17 disse:

    Gyabbo (é o nickname do autor, suponho), tens My Anime List?

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      Tenho, sou Fantasma por lá, meu nick original na internet.

      Gyabbo!

      • wildcat17 disse:

        Obrigado, vou deixar lá um comentário e um pedido de amizade ;)

  5. Pelo começo esta muito bom.
    Mais eu não gostei da parte que a Saori kido possa ter um filho com Seiya de pegasus
    pois isso saira do enredo da drama da historia.
    Atena e uma deusa da mitologia grega e pois esse cargo de deusa ela não pode ter relação com niquem pois ela e uma DEUSA DA SABEDORIA

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      O mais normal da mitologia grega eram os deuses terem filhos com humanos, acharia bem normal a Athena ter um filho com o Seiya em sua forma humana de Saori Kido. Tudo bem que na mitologia ela aparentemente se manteve virgem, mas não acharia estranho, principalmente por toda história deles.

      Gyabbo!

    • Lauro disse:

      Saori é uma Deusa encarnada num corpo humano, acho normal o muleque la ser filho dela e do seiya.. so acho que deveriam esclarecer o que aconteceu com cada cavaleiro… se todo morreram, quem é esse novo vilao, etc. Acho que eles estao tentando fazer um misterio igual fizeram com a Seika, pr todos acharem que ela era a irma desaparecida do seiya…

  6. WESLEY CHAVES disse:

    gostei do episodio, bem legal, tambem sou filho da manchete

  7. @Leonardo_ko disse:

    Assisti e não gostei muito. Acho que serve pra pegar o público mais infantil, novos fãs, mas não emana o sentimento do original, mesmo que tente com um certo saudosismo. A trilha sonora e algumas passagens são pra lembrar do original mesmo, mas não é só isso que faria lembrar de Cavaleiros. Pra mim, era caracterizado pelo espírito “macho”, que as vezes era exagerado e parecia reverenciar o homem demais (Shun, é.). As armaduras, antes guardadas em caixas pesadas e que deviam ser carregadas nas costas, agora se tornaram colares de diamante (que chique). Parece que terá até uma mulher no grupo principal. Esse Omega tenta ser saudosista com Cavaleiros dos Zodíaco original, mas acaba sendo simplista demais e pegando pontos fáceis, esquecendo do que realmente faz o original. Não sou extremamente fã do original, mesmo que tenha um apreço sentimental, mas acho esse não é para os fãs antigos, mesmo que funcione com as crianças de hoje em dia, que são mais ‘herbívoras’ e menos ‘machos’. Não é ruim, funciona, mas também não é tão bom, não por não ser como o original, mas por ser médio mesmo. O character design já mostra que não é mais tão ‘macho’…

    Enfim, não é algo pra mim, que sou fã do anterior e vejo os erros no mesmo. É algo bom para manter a “chama” de Cavaleiros acesa com as crianças de hoje em dia. Como fã, eu não gostei e vendo criticamente, achei mediano e pouco interessante. Achei infantil mesmo. Não que ser infantil seja ruim totalmente, mas crianças não se importam tanto com uma certa qualidade (CDZ ser o sucesso que é se mostra uma grande prova), crianças querem apenas ver coisas boas para os olhos. Eu adorava CDZ e não tem uma qualidade tão boa. É bom para crianças de hoje em dia, mediano em qualidade e não é bom o suficiente para os fãs antigos. Não consegue ser saudosista, não consegue ser bom o suficiente, ficando no mediano, e serve “apenas” para as crianças atuais. Eu respeito, não gosto e não acho bom.

  8. Jasque disse:

    Ainda não sei dizer se gostei, porque não gosto do Seiya.

    Mas como ele vai ficar muitos episódios sem aparecer, então de boa.

    Até que gostei do Kouga…
    Por ser um anime infantil, algumas coisas incomodam.
    Como alguns dubladores forçando a voz, como o do Mars e a que faz a Shina.

    Os cenários eu achei meio fraquinhos…

    É muito diferente do CDZ que estamos acostumados esse Ômega.
    Mas ele não foi feito para nós fanáticos de Manchete.
    Por isso achei meio injusto quando anunciaram que ia aparecer o Seiya e os outros,
    mas foi pra mostrar uma transição, passar o bastão pra novos rumos no universo da obra.

    E se der certo isso é sim muito bom!
    Vocês não acham que se der certo não vão surgir outras séries de CDZ voltadas a outros públicos?
    Pensem nisso, quando forem ficar descendo a lenha torcendo pra dar errado.

    Tem muito fã de Lost Canvas que idolatra esse spin off, pisando no original.
    Poxa, se não existisse o original Lost Canvas nem existiria.

    Depois daquele videoquest parece que surgiu um monte de gente com vergonha de admitir que gostava antigamente. Ou que não gostava na época e usa isso pra fazer haterismo gratuito.

    Daí junta tudo isso e está criado um hatedom pra um anime que nem merece tanto.

    Criem um hatedom de BRS TV, aquilo sim merece :D

  9. Preconizador disse:

    Prevejo o protagonista ser o filho do vilão. XD

    Nunca vi ninguém falar mal (muito) do Gundam Age. Olha que vende mais que Cavaleiros.

    • Hidekee disse:

      Qualquer anime bom vende mais que cavaleiros no Japão. Se comprar qqer Gundam então, a coisa torna-se covardia, sério mesmo. AGE é uma boa série, simplificando as coisas mas a essência de todos os Gundams está lá. Pena que aqui no Brasil os fansubers deixaram para escanteio…

  10. darktrickster disse:

    Se não fosse o traço eu “gostaria” da série, apesar de nunca poder superar o LC, supera pelo menos o ND, q tentou seguir a historia do LC, se perdeu em qualidade e em enredo, e agr tenta se reerguer, o kurumada ta envolvido na produção, entao como todos sabem teremos com certeza uma Saori sendo sequestrada e uns cavaleiros lutando com uma fila de inimigos pra salva-la(–‘), se eu fosse a toei, apostaria em um traço mais parecido com o LC (ou pelo menos mais proximo do Shingo Araki) e com uma história melhor estruturada. Resumindo, o episódio conseguiu manter minha atenção durante seus 20 e tantos minutos, msm a arte me incomodando, o ponto positivo foi a ótima abertura (música), tomara q saia uma full version dela; o jeito vai ser esperar e ver o rumo q essa história vai levar…

  11. Pingback: Primeiras Impressões – Saint Seiya Ômega | Chuva de nanquim

  12. lndnfsu2 disse:

    eu também assisto SS desde os tempos de manchete, porem eu vi a saga de Hades, como tambem assisti Lost Canvas, que superou qualquer expectativa que eu tinha…

    quanto ao SS Omega, os traços mais infantis não me incomodam, já que a serie original também não era perfeita, a história até agora está agradável, com poucos “fatos inexplicados” que costumam aparecer em animes, e o vilão apesar de estranho, é tão misterioso quanto o primeiro vilão da saga original… a trilha sonora ficou ótima, com destaque para a musica de entrada que ja virou minha versão predileta.

    a unica coisa que não gostei foi o fato das armaduras, que “vivem” e são recuperadas com sangue de cavaleiro, perderam as urnas e viraram joias… resta saber se ainda vai ser preciso cortar os pulsos para poder arrumar elas!

  13. Aju disse:

    A questão vai além do fato de ser fã xiita ou SS fazer mais sucesso aqui e na Europa que no próprio Japão. É claro que essa nova versão procura novos fãs, principalmente os mais jovens, não é atoa essa infantilização dos traços.
    Todavia é claro que o anime é ruim, estilo infantil, a personagem feminina parece a sakura card captors as armaduras parecem roupas coladas, o vilão é ridículo foge completamente ao que temos visto como vilões mitologicos “os deuses”.

  14. vivibarbosa disse:

    Gostei da história. CDZ é um dos meus preferidos, mas eu ñ sou do tipo que venera. Tem furo demais pra isso, mas é divertida. Espero que o Ômega tbm seja assim (mas com menos furos). Quanto aos outros cavaleiros de Bronze o CavZodíaco deu uns spoilers que dizem que todos irão aparecer, mas Shun e Ikki ñ serão Cavaleiros de Ouro. Só espero que ninguém apareça de bigode. Tatsumi me traumatizou o suficiente! D:

    PS: Tbm acho que o Kouga é filho da Saori com o Seiya. E tem gente jurando que o mesmo chamou o Seiya de pai no começo do episódio!

  15. Pingback: PA #01 – Saint Seiya Ômega | nicemonkeyz.

  16. Cadmus-Senpai disse:

    A abertura ficou ótima! Muito boa. E, como assim? Não tem o Fenix??? Mas pareceu-me bem aceitável. Vou conferir depois.

  17. Bem, só o que me incomodou foi o enredo batido e fraco, as armaduras coladas ao corpo, o “herói” escr… chato e a ausência de um vilão (No começo, a Saori e o Seiya falavam sozinhos…) Enfim, pode vir a dar certo…. Deixo aqui meus comentários e minha análise http://otakucabeludo.blogspot.com.br/2012/04/saint-seiya-omega-e-diferente-mas-nao.html

  18. Ozlon disse:

    Achei muito fraco péssimo os personagens estão descaracterizados e se eles queriam promover algo mais pra frente, deveriam de ter por personagens não baseados nos anteriores, o seia ficou legal como cava de sagitário mas não gostei , espero que a historia seja bem mais dramática do que as outras e mais entusiasmante como a serie Hades”

  19. Pingback: O seu preconceito é uma imensa burrice – A Homofobia entre os fãs de animes e mangas |

  20. Shyako disse:

    Nó fim das contas todas as sagas de cavaleiros foram boas mas . querendo ou não o original nunca teve bons Gráficos mas sempre amei muito ! mesmo assim ….acho que lost canvas devia continuar , junto com ômega não vai haver Problemas , a Saga G Por exemplo o Mangá e Lindo São as Armaduras de ouro Mais belas que eu já vi , Olha Sou Otaku e sei que esse povo e muito Ignorante quase todos . Só gostaria que o Lost Canvas Voltasse a Passar Pois ele Mostrou U lado totalmente Diferente da Serie ^^
    Acho que Mesmo que foi Muito Errado o Cancelamento Ou Adiamento de LC , Hello Povo Só por que algo não faz sucesso no Japão não quer dizer que não vai fazer no resto do mundo ,
    Ninguém conhece Ômega Nem Lost Canvas POR QUE NÃO PASSA NA TV ABERTA SE VCS QUEREM LUCRO , DIVULGUEM NÃO CORTE SEM SABER OQUE OS FANS ACHAM ….

  21. Pingback: Primeiras Impressões – Saint Seiya Ômega | nicemonkeyz.

Os comentários estão encerrados.