O seu preconceito é uma imensa burrice – A Homofobia entre os fãs de animes e mangas

Recentemente foi publicada no site de um jornal aqui de Manaus uma coluna com o título “Deus não uniu dois homens e nem duas mulheres”, com um claro teor preconceituoso, discrimonatório e homofóbico. Fiz questão de escrever uma resposta ao link do jornal no Facebook (não sendo o único, centenas de pessoas se manifestaram) que você pode ler aqui.

Não seria preciso repetir, mas é notório que vivemos um período onde a questão dos direitos dos homossexuais está sendo muito discutida, uma discussão que nem deveria ocorrer, visto que pauta-se meramente em argumentos religiosos dentro de um estado que deveria ser laico. Casos e mais casos surgem de preconceito, intolerância, violência homofóbica, e, infelizmente, isso não é diferente dentro do fandom de animes e mangas.

Quando era menor, tinha a ingênua ideia de que as minorias deveriam apoiar as minorias, visto que, dentro da singularidade de cada uma, passam por um processo semelhante de exclusão e preconceito. Mas a verdade é que dentro de grupos segregados é muito comum encontrarmos comportamentos segregadores para com outros. É fácil notar; “normalfags”, “narutards”, fãs de yaoi, fãs de hentai, fãs de animes infantis; muitos são os termos e os preconceitos dentro dos próprios fãs de animes e mangas, um grupo que muitas vezes se auto-reconhece como alvo de preconceitos por gostar de “desenhos japoneses”.

E dentro desse quadro, ao assistir os quatro primeiros episódios de Sakamichi no Apollon, essa inquietação foi aumentando e algo que eu já queria comentar a algum tempo teve que vir para o teclado. Não vou fazer sinopse, isso você ver no post que eu fiz de primeiras impressões do anime, mas a questão é bem simples, Sakamichi no Apollon é – até o atual quarto episódio – uma obra-prima! Mas por alguns detalhes e, principalmente, por uma determinada cena, muitas pessoas estão passando longe daquele que pode vir a ser o melhor anime do ano.

Ter preconceitos é algo inerente ao ser humano, atire a primeira pedra quem pode se dizer livre de qualquer preconceito em todos os momentos. Eu não atiraria. A questão é justamente você ter consciência dos seus preconceitos e lutar para acabar com eles, ao invés de entende-los como algo superior. Perder uma obra desse nível por ter (ou não) insinuações ou comportamentos homossexuais é pura e simples burrice.

Mas este fenômeno não se limita a Sakamichi, basta lembrarmos de No.6, ficção científica do ano passado que foi muito criticada por conter [SPOILER] um beijo homossexual entre os dois protagonistas [SPOILER]. Mais perto ainda podemos comentar sobre a nova séria da franquia Saint Seiya, alvo de tantas críticas por sua feminização, por suas armaduras saindo de jóias, por ter um traço mais fino. Muitos nem discutem a história, mas barram materiais pelo simples preconceito e homofobia (ainda que muitos de forma latente, resultado da sociedade em que vivemos, o que não tira a culpa de ninguém).

“Mas Denys, não é você que odeia os animes com fanservice e loli? Agora vem querer pagar de mente aberta?!”.

Sim e não. Minha opinião sobre animes ecchi/loli/fanservice já foi bem desenvolvida no meu post “Por que não simpatizo com a maioria dos animes ecchi?” e seria disperdício de espaço me repetir aqui. O que posso colocar aqui é que eu não tenho problema com fanservice, não naquilo que deveria ser seu propósito: dar um “brinde” ao espectador, algo a mais para agrada-lo além da história. O problema está justamente quando o fanservice deixa de ser um acessório e vira a muleta de uma obra, o que pode ser visto em obras como Seikon no Qwaser, Queen’s Blade, ou no mais recente Highschool DxD.

E aqui chegamos ao ponto fundamental deste artigo. O que está acontecendo com muita frequência é ver pessoas não chegarem perto de um anime, mesmo que seja uma obra incrivelmente bem elogiada como está sendo Sakamichi no Apollon, por ele conter conteúdos ou insinuações homossexuais ou mesmo mais femininas. Ignora-se a qualidade da história para se focar no preconceito com um detalhe. O que importa não é se o casal é hétero ou homo, mas se sim os produtores, animadores, diretores conseguem contar a história de forma boa! Da mesma forma como o que alguém faz na cama não é de interesse de ninguém além da própria pessoa, não deveria importar a sexualidade de um personagem se a história da qual ele faz parte também é.

Repito, deixar de consumir conteúdos ótimos, com histórias bem feitas simplesmente porque um ou outro personagem/casal é homossexual não só é de um preconceito grande, mas também de uma imensa burrice.

E antes que digam “Ah, mas eu escolho ver o que eu gosto e não gosto de gays nos meus animes”, pare para pensar na besteira que está dizendo. Ninguém é obrigado a ver um yaoi com cenas de sexo, na verdade ninguém é obrigado a ver nada, mas pense primeiro qual é a sua prioridade na hora de escolher descartar tal anime/manga, a sexualidade do personagem ou a história em que ele participa? Pense um pouco nisso, não faz mal.

Aguardo os comentários de vocês sobre o tema, vamos fomentar essa discussão que eu sei não se limita a um único post. A vez é de vocês.

PS: Vão logo assistir à Sakamichi no Apollon!

Esse post foi publicado em Artigo e marcado , , , , . Guardar link permanente.

124 respostas para O seu preconceito é uma imensa burrice – A Homofobia entre os fãs de animes e mangas

  1. Qwerty disse:

    Na boa? Pegou o caso errado para tratar desse assunto; as pessoas não estão assistindo Apollon por não ter ação ou drama/romance [pelo menos um carismático o bastante para atrair as massas; só a paleta de cores da série já tem um ar cult/hipster intragável a muitos].

    E concordo com a afirmação, mas será que as pessoas tem que assistir algo que não gostam só por ser considerado ‘bom’? Deveriam, mas gosto é gosto – o senhor mesmo, por que não viu o ótimo Panty and Stocking with Garterbelt. #corre

    E bem, tem histórias mais pesadas e focadas no fandom como Ai no Kusabi [http://nahelargama.wordpress.com/2012/04/29/ai-no-kusabi-2012/], será mesmo que é pra todos? Será mesmo que certos animes são para todos? INFELIZMENTE, parece que não.

    P.S.: Ficou meio sem nexo mas ficou sincero. É a vida.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      Mas Qwerty, não afirmei que as pessoas são obrigadas a ver algo porque alguém disse que é bom. Todos tem direito de não consumir algo que não tem interesse. A questão é pegar um único elemento (os protagonistas sendo homossexuais) e ignorar o resto (animação, roteiro, história, direção). Você (termo genérico, não exatamente você) pode não se interessar em ver romances homossexuais, mas porque isso deveria interferir em você assistir uma obra que não é sobre relacionamentos homossexuais, mas que tem conteúdos desse tipo? Coloco isso como burrice.

      Gyabbo!

  2. Interessante… vou assitir Sakamichi no Apollon e passar á alguns amigos meus. E realmente, reclamar de quem fala “você gosta desse DESENHO” e ter preconceito contra os “desenhos” que assistem é rídiculo.

  3. Concordo com o Cuerti aí em cima, mas gostei do post! o/

  4. WESLEY CHAVES disse:

    o post ficou muito bom, sou apaixonado por HQS ou seja alem de mangas tambem leio comics de super-herois principalmente MARVEL que a muito tempo tem herois gays em suas fileiras, e isso nunca me incomodou porque ao meu ver a editora sempre tratou os homossexuais com muito respeito, opção sexual não define se algo vai ser bom ou ruim mas sim como o assunto e a historia e abordada.

  5. Só acho o seguinte: As pessoas, invariavelmente e sem espaço para discussão, tem o direito de verem aquilo que lhes agrada, independente daquilo ser bom ou não. Muitas vezes, isso é triste, e limita a pessoa somente á sua “zona de conforto” , mas ninguém pode considerar uma pessoa “preconceituosa” ou até mesmo “burra” por não querer ver isso ou aquilo. Querer empurrar goela abaixo de alguém algo que não goste ou não tenha interesse em ver é, no mínimo, falta de compreensão.

    Alguns veem animes por lazer, outros pra relaxar, outros veem para se excitarem e alguns até mesmo para encontrarem algum tipo de arte. Tudo isso é compreensível, e deve ser respeitado. Apollon, por exemplo, pode até ser considerado por muitos o “melhor da temporada” (Assisto, gosto, mas mesmo assim acho que o melhor é Uchuu Kyodai, pelo simples fato de que simpatizo mais com o último), mas em muitos casos ele não vai se encaixar no estilo de anime que a pessoa gosta e nem no uso do mesmo que ela faz. Preconceito? Mente fechada? Burrice? Não, somente uma questão simples de gosto e benefício.

    E se uma pessoa, por causa de seus valores, ou crenças, ou seja lá o que for, não gosta de ver animes mais “femininos”, com conotações homossexuais ou algumas vezes “românticos”, tudo bem. Ela tem o total direito de escolher o que quer consumir, contanto que não saia por aí fazendo apologias fanáticas ou violentas que se relacionem ás suas crenças. A vida é assim em tudo, e não é porque gostamos de algo que temos o direito de criticar quem não goste ou não veja, por maior que seja o preconceito de ambas as partes.

    É isso. Até mais.

    • Andrew disse:

      em nenhum momento ele definiu as pessoas como burras por nao quererem ver o anime ou forçar os leitores a verem o mesmo, ele simplismente disse que e “preconceito, idiotice” deixar de ver por X motivos, o exemplo que dou: vi em varios blogs, sites, etcs o publico cliticando o anime por causa dessa unica cena (começo da materia), muitas pessoas criticaram e deixaram de ver o anime por causa dela, acho que foi o que ele quis definir como “idiotice” deixar simplismente de apreciar uma boa obra por causa de uma unica cena.

      • Denys "Fantasma" Almeida disse:

        Exatamente por aí. Ninguém é obrigado a assistir algo que não queira e eu nem quero obrigar ninguém a fazer isso. Imagine assim, você tem uma obra fantástica que você iria gostar, mas deixa de ver tal obra porque tem uma insinuação homossexual entre alguns personagens. Se os personagens fossem héteros, não teria problema para a pessoa, ainda que isso também não alterasse em nada a história. Essa é a questão, a história não muda se um personagem é gay ou não, mas muitas pessoas deixam de aproveitar ótimas histórias por esse preconceito.

        Gyabbo!

  6. Alice disse:

    Achei muito interessante seu novo artigo.
    Devo confessar que tive um certo preconceito com o novo anime de saint seiya, mas não por motivos citados, e sim porque não gostei muito dos novos traços do anime, mas como uma grande fã de saint seiya, dei uma chance e não me arrependi. Apesar dos traços ainda me incomodarem, a história promete muito e estou ansiosa para acompanhar seu desenvolvimento.
    É simplesmente ignorância de uma pessoa deixar de assistir um anime simplesmente porque o acha “gay” ou porque faz insinuações de homossexualismo. Olhe para os animes de antigamente: sakura card captors possuía dois coadjuvantes homossexuais e só por isso ele deve deixar de ser assistido? Não! Por que? Porque sakura card captors é um grande ícone dos animes, muitas pessoas assistiam esse anime quando eram CRIANÇAS (uma idade onde não se tem preconceitos!) e nunca vi ninguem falar que o anime era ruim porque haviam gays nele!
    A questão é se você não tem interesse em ver um anime simplesmente porque há insinuações homossexuais nele, eu só lhe digo uma coisa: o mundo esta mudando, e acho que já esta na hora de você também mudar!

    • carlos disse:

      SO corrigir vc uma coisa não falaram mal simplismente por que quando passou no brasil FOI TOTALMENTE CENSURADO.

      simples assim.

      • Denys "Fantasma" Almeida disse:

        Sakura no Cartoon Network não foi censurado, veio sem nenhuma alteração. Na Globo eu já não sei, mas não fez muito barulho lá, o principal foi no CN.

        Gyabbo!

    • WolfWoods disse:

      Eu sequer sabia que tinha isso em Sakura.O motivo das crianças não verem problema começa com desconhecimento total do assunto(por isso a palavra “Inocência” é atribuída a elas),dificilmente é por não terem preconceito.

  7. Andrei disse:

    Achei interessante seu artigo… Saint Seiya omega é legal (apesar de ser um típico shonen e nada mais). Um outro anime que teve um beijo entre personagens [SPOILER]foi Mirai Nikki[/SPOILER] e temos Persona 4, que não foi um beijo ou algo assim mas tiveram cenas “yaoi”.E ambos não deixam de ser otimos animes que acompahei até o fim. é incoerente levar o conteudo de um mangá a ser questionado só por causa de um beijo(relacionamento) yaoi/yuri, algo bem legal é : Uma personagem de “ben-to” que não me recordo o nome era “yuri” mas achava ela uma personagem insuportavel, mas não por ela ser “homoafetiva”…já Akise Aru(Mirai Nikki) otimo personagem que era homosexual e de maneira alguma deixa de ser um personagem ótimo. Digo e repito “é incoerente levar o conteudo de um mangá a ser questionado só por causa de um beijo(relacionamento) yaoi/yuri”

    • carlos disse:

      Otimo comentario. vc simplismente falou tudo. axo esse posti simples perda de tempo ou pode ser ate rage por um anime que ele gosta não estar sendo bem visto pelos outros.

      Porem a verdade é so uma Sakamichi no Apollon é um anime de tematica bem “underground” não é para todos. não foi por ter coisas gays no anime que muitos não veram e sim por não gostarem mesmo.

      como o exemplos que v deu tiveram varios outros animes q teve des de incinuação á beijo gays e não foi por isso que vejo gente falando que é ruim.

      • Denys "Fantasma" Almeida disse:

        E nem é sobre isso que estou falando. Sakamichi é só o exemplo de um comportamento que eu vi centenas de vezes de preconceito na hora de ver um anime por ele ter ou não algo homossexual, ao invés do seu conteúdo.

        Gyabbo!

  8. Panino Manino disse:

    Apollon nem tem viadagem de verdade, o yaoi que tem nele é aquele tradicional, fingir e jurar que tem e teimar até a monte até a paciência acabar e as pessoas começarem a acreditar.

    De todo modo, não estão deixando de assistir Apollon por causa disso, se tem viadagem nessa história é no próprio espectador fresco que tem péssimo gosto para animes.
    Anime bom, no Noitama, ignorado pelo público? Grande novidade.

  9. Arch disse:

    Concordo, não vi nenhuma viadagem em Apollon.
    Mas confesso que sou um “burro” e parei de assistir N° 6 por causa daquela cena.
    Sei que não é certo, e tudo mais, mas não suporto ver esse tipo de coisa….
    Como você disse, ninguém está livre do preconceito, mas o que realmente importa é o quanto vc consegue tolerar ele.

  10. WolfWoods disse:

    A única coisa que tenho a dizer é que eu sou contra homossexualismo e ponto final.Mas isso não quer dizer nada,sério.Sou contra muitas outras coisas e nem por isso hajo preconceituosamente contra quem tem características que vão contra meus ideais,até porque eu mesmo faço coisas que não queria fazer muitas vezes por causa de não ser firme nesses ideais,mas nem por isso deixo de ser contra.

    Agora,se tem algo que eu acho besteira é dizer que personagens com traço mais fino e personagens magros como em Saint Seiya Omega é feminizar o anime.Tenha dó né.Qual o problema com personagens magros?É claro que se todos personagens começarem a ser magros vai virar palhaçada,mas não é assim que animes funcionam.Cada anime/mangá tem uma arte e pronto.

  11. Diego disse:

    Simplesmente é isso. Nem tenho nada a comentar. É simplesmente: “não existe tema ruim, existe desenvolvimento ruim.”

    Estou começando a ler mangás undergrounds a pouco tempo, e acho incrível como tem tapa na cara do leitor\espectador nesse tipo de história e você gosta.disso. Sair da sua zona de conforto é algo incrível. Ainda acho que Apollon não foi o melhor exemplo, pois a única coisa que teve foi aquela mãozinha no primeiro epi, besteira pouca é bobagem. Mas também compreendo, porque só por causa disso, vi nos comentários desse episódio: “É yaoi?” “É shounen-ai?” nossa, é muita necessidade viu.

    Isso poderia virar um linda discussão social, mas tô vendo o epi 4 de Apollon agora então deixo isso pra depois xD

  12. Vinícius disse:

    Apollon é um excelente anime, não vejo porque o preconceito com ele, não vi nenhum teor homossexual nele, mesmo que ouve-se não importaria o anime tem personagens tão carismáticos e uma história tão inovadora que realmente nem se colocar fan service estraga.
    ps: Anime muito bom, carisma, história, animação linda, dentre outras coisas que poderia citar, realmente é um anime imperdível.

    • Andrew disse:

      “ahh se nao indendi rapez.. aqui no brasil pega na maozinha de otro homi e coisa de viado” hsuahsuahsa, cara como ja comentei em outro comentario, vi varias pessoas falando que e anime de viado e que iria “dropa” o anime, so tonho uma coisa a disser para essas pessoas: vao toma no cu seus merda, preconceituosos e hipocritas, se fosse duas mulheres se arancando o sutia os loko iam botar a nota do anime la encima

  13. Rafael A. disse:

    Muita gente também se apega aos gêneros querendo classificar tudo, não só em desenho, mas também em música etc..A parada é assistir, se for bom ou ruim acredito que seja independente do gênero.

    • Andrew disse:

      o povo gosta de generalizar para definir em que grupo esta^^, sao uns idiotas.

      • Igor Soares disse:

        Preciso mesmo falar alguma coisa depois do Rafael A. e do Andrew terem resumido tudo pra mim nesses últimos dois coments? Preciso sim: alguém pode baixar apollon pra mim? Net ruim é fogo…

  14. Lucas disse:

    Mas não vejo em Apollon nada muito homossexual, não.

  15. chronadsi disse:

    Sabe o que eu acho, esse texto é só a ponta do Iceberg.
    Como você mesmo disse Gyabbo, terão outros posts, então comentarei se em algum deles o foco for Nº6 e não Sakamichi no Apollon. Até porque sobre isso todos já comentaram muito bem.

    Fico aguardando…

  16. Hashimoto disse:

    Entendo o que você disse. Muitas vezes esses preconceitos realmente nos impedem de ver animes que são incríveis, mas por causa “desse” ou “aquele” detalhe acabamos deixando de lado. E como o Panino disse: “Anime bom, no Noitama, ignorado pelo público? Grande novidade.”

    Há muito tempo tenho altas expectativas com os animes do bloco. Sempre espero pelo melhor desses animes e foram poucas as decepções que tive, mas até chegar no que eu gosto hoje, falando de estilo de animês e tals, vi muitas coisas underground e underrated. E Noitamina é o caso perfeito pra falar disso: Yojohan Shinwa Taikei, Higashi no Eden, o próprio Sakamichi no Apollon, são animes diferentes, com propostas mais “cult”, e por causa disso o público que se propõe a assistí-los é mínimo. E da mesma forma que curti esses, animes como Guilty Crown e BRS, do próprio bloco, foram fadados ao (meu) esquecimento, tal qual foi a superficialidade delas (IMO). Mas enfim, não convém falar disso.

    Sobre os preconceitos, tem um tal de NO.6 com umas cenas aí, um certo Hourou Musuko com umas “trocas” ali, sem falar nos yaois e yuris da vida. Confesso que não vi os dois que citei por comodismo , mas planejo vê-los, mas só pra exemplificar, assisti há um bom tempo o Ouran Koukou Host Club e curti bastante, e nele tem muitas cenas que os mais ortodoxos torceriam o nariz, os olhos, a cara toda. Várias das cenas dos gêmeos e do Honey-senpai com o carinha lá (que não me recordo o nome) tem insinuações yaois que servem unicamente pra “entreter” as frequentadores do clube, mas conheço alguns que deixaram a série por isso.

  17. Lemes disse:

    Falo e falou de preconceito, porem estabeleceu um no próprio tópico. Eu acompanho Apollon e não vejo viadagem explícita em lugar algum. Entretanto me incomodei com Nº6 e parei de acompanhar, gosto é gosto.

  18. Não sei o que é pior: gente droppando apollon por parecer gay ou gente falando que o anime não é gay sem NINGUÉM SEQUER TOCAR NO ASSUNTO. Quando isso o saco até das fushojis, é porque algo está errado. Não, não estou me referindo à essa postagem.

    • Andrew disse:

      sim claro, pq um homem segurar na mao de outro e muito gay.

      • Estou dizendo que se você teima que uma coisa não é gay, as outras pessoas vão pensar que ela é gay, mesmo não sendo. Entendem onde quero chegar?

        • Panino Manino disse:

          Foi o que eu falei lá no Subete, isso de “teimar que não é só faz ser mais gay” é justamente o ponto.
          Além do preconceito e discriminação contra a boiolagem, que não tem nada demais, uma outra coisa muito chata é isso, os boiolas que cismam que tudo tem que ser boiolagem. A estratégia é teimar até a morte até que alguém acredite que o ship fantasioso é real, que aquela cena, aquela fala, aquele tom de voz, ou então o que eles estavam fazendo fora de cena, não são apenas são pistas, são provas irrefutáveis que eles estão se comendo e ai de quem discordar que é preconceituoso.

          Isso é muito chato, essa cena que ilustra a capa da postagem do Quiabbo do Kaoru e Sentaro de mão dadas são um grande exemplo de como isso funciona. Uma cena totalmente fora de contexto que as pessoas dão a interpretação que melhor for mais conveniente.
          Um monte de gente antes mesmo da estreia do anime estava sacudindo essa imagem na cara de todos gritando feliz pelo casal, e gente que já tinha lido o mangá que ia falar que não era nada daquilo estava sendo preconceituosa ou então só estava reforçando o romance ao negá-lo.

          Isso é muito idiota.

  19. Lucas waroshi disse:

    Eu também não vi nada demais naquela cena do Apollon. Assim como algumas pessoas acima disseram, outros animes como Mirai Nikki, Persona 4 tem insinuações a homossexualidade. Isso não deixa a história menos interessante, acho que é o contrário. Esse tipo de detalhe é que diferencia a história de um anime/mangá a de outros. Acho bem legal o fato do autor não se limitar por esse tipo de coisa, pena que as pessoas que assistem os animes/leêm os mangás se limitam. Infelizmente não podemos mudar esse tipo de coisa nas pessoas.

    • Lemes disse:

      Mudar a opinião é possível sim, e desde pequenos somos moldados, vai de cada um quando percebe (se perceber) que está sendo manipulado e desenvolver seus próprios conceitos que ainda sim não fogem a regra, é vir uma opinião mais valiosa que entra no lugar. O que vai de cada um, é o nível para perceber o tanto de ignorância dele em relação a determinadas coisas.

  20. uruhi disse:

    Amei o post… Não conhecia esse anime :D obrigada pela indicação…
    Parece que as pessoas gostam de cultivar a intolerância, parece não neh, elas gostam… as pessoas são tão horriveis T_T Já vi cada coisa dentro da comunidade que se diz “otaku”, é mtu triste… Choquei com aquele texto lá… é uma pena mesmo, estão distorcendo tudo…

  21. Leviotto disse:

    Cara, acho que faltou comentar o ótimo anime de Hourou Musuko que trata especificamente do assunto, que na minha opinião, foi um dos melhores do ano passado sem dúvida( só não foi o melhor por causa de Madoka e AnoHana) e acredido que o menos assistido pelo tema abordado. Me senti vendo uma aquerela animada, que traço e que historia …

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      Tenho que concordar, Hourou Musuko é fantástico e muita gente não viu simplesmente por causa da temática.

      Gyabbo!

  22. Andore disse:

    Eu por ser homossexual acredito que no meu convivio com os otakus, n encontrei pessoas que fossem homofobicas, na verdade muito pelo contrário, encontrei pessoa que, de certa forma, admiravam-nos por sermos “diferentes”, mas apesar disso essas mesmas pessoas tinham preconceito especificamente com os mangas e animes yaoi e shonen-ai. Justamente porque a grande maioria desses títulos estão cheios de fanservice, o que é realmente desagradavel de ver. Mas nem por isso eles insitavam as outras pessoas a n consumirem esses titulos de diversas formas, ou seja, eles eram pessoas sensatas e eu sou feliz por conviver com pessoas assim. E na minha humilde opinião, eu n gosto de muitos yaoi e shonen-ai que existem por ai, sinceramente.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      Bem, o texto não é sobre yaoi e/ou shounen-ai.

      Gyabbo!

  23. Ronaldo disse:

    Agora é obrigatório gostar de cenas de viadagem em animes? Não gosto e não assisto conteúdo gay. Não adianta querer me forçar a isso, uns não assistem alguns animes pq é violento, outros pq é romance. Eu não assito anime com conteudo gay… Algum problema? Ou vc tem preconceito comigo?

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      Sim, eu acho que você é preconceituoso e isso é uma imensa burrice. Um anime ter conteúdos homossexuais não diz o seu genêro (comédia, ação, drama, slice of life) e muito menos sua qualidade. Se uma obra é fantástica, mas você não vê só porque tem algo de homossexual nela, tem algo errado aí. E não estou falando de coisas explícitas ou obriga-lo a ver yaoi/BL com sexo pesado e explícito. Mas se você não consegue ver algo que é menor que a história em si e por isso não consegue vê-la, reflita um pouco.
      Da mesma forma que eu não gosto de fanservice, mas isso não me impede de ver animes que contenham fanservice, mas em um nível que não seja maior que a história e nem o seu foco, percebe a diferença?

      Gyabbo!

      • Lemes disse:

        Em que mundo você vive ? Será que não percebeu a variedade de gêneros que existem, é claro que se tem homossexualismo num anime, ele vai ter como gênero o homossexualismo, o mesmo vale pra qualquer outra coisa. Uma obra é constituída de muitos fatores, o ser “fantástico” depende de pessoa pra pessoa, pra uma obra se tornar fantástica tem que agradar a pessoa com todos os fatores presentes nela, eu considero Code Geass uma obra fantástica, porem conheço pessoas que não gostam, alguns assistiram inteiro outros não, isso porque pra obra ser fantástica tem que agradar em TODOS os aspectos presentes nela.
        Existem muitas pessoas no mundo com opiniões diferentes pra ficar taxando gostos como burrice, falar que uma pessoa é burra porque tem um leve preconceito sobre determinada coisa é ridículo, acredito que hoje em dia falam muito sobre o certo e o errado, entretanto as pessoas não sabem diferenciar o seu certo do certo de outras pessoas. Não vejo problema em homossexualismo, não vejo problema em lolicons, não vejo problema em guro, não vejo problema em fanservice. Porem mesmo não ligando não consigo levar em diante algo que vai contra meus gostos, não é por isso que saio taxando pessoas e também que sou burro, preconceito existem e NUNCA vai sumir do mundo. Dai já vieram me falar, sem preconceito o mundo seria muito melhor, eu digo, é impossível existir sociedade sem preconceito.

        • Denys "Fantasma" Almeida disse:

          Concordo que é impossível termos uma sociedade sem preconceitos. Mas isso não nos tira da obrigação de lutar contra os preconceitos para termos um mundo melhor em que as pessoas possam viver bem.

          Sinceramente acho bem difícil um anime agradar em “TODOS” os aspectos. E lembrando, eu não chamei ninguém de burro, mas sim o preconceito da pessoa.

          Gyabbo!

          • Panino Manino disse:

            Mas todos tem o direito de não assistir o que não lhes interessa, seja viadagem ou não.
            Também não vamos jogar na fogueira qualquer um que não queira assistir romance gay em anime, porque senão teria que me jogar também por não assistir um monde de animes com outras temáticas já que eu estou sendo igualmente preconceituoso.

  24. Michael Kyle disse:

    Texto interessante e que abre margem para muita discussão, mas só digo uma coisa…Até Naruto tem mais homosexualismo que Sakamichi no Apollon, incluindo um beijo entre protagonistas hehe #corredosnarutards

    Mas esse teor de yaoi ou yuri é extremamente comum na grande maioria dos animes, diria até que um fetiche japonês, a diferença é que uns disfarçam melhor, seja com muita ação, comédia, um romance hétero, etc. Apollons não carrega tais características, então muitas pessoas acabam dando atenção, até de mais, pra uma cena bem comum.

  25. Felipe disse:

    Você vê que as pessoas são carregadas de homofobia e misoginia em um post como esse do Gyabbo,quando se fala em traços “femininos” já associam automaticamente aos homossexuais.Homens não podem ser delicados,mostrarem afeto de forma mais aberta porque senão serão taxados de gay,veado e etc.E outra coisa que me dá nojo é sobre como esses traços “femininos” carregam vergonha pro homem aos olhos dessa sociedade podre que acha que ser mulher é vergonhoso e fraco,mas né QUESTÕES DE GÊNERO.
    Parabéns pelo post Denys,alguém realmente precisava falar dessa nojeira que rola dentro e fora do fandom otaku.

    • Trash disse:

      Aaah, que comentário perfeito. Sério, nem tenho mais nada a acrescentar além de um grande “+1”.

  26. :x disse:

    Como dizia minha vó: Tão caçando piolho em cabeça de prego.
    Não vou negar que o Kaoru e o Sentaro são bem próximos, mas em momento algum se vê segundas intenções entre eles – engraçado é alguem enxergar segundas intenções.
    Independente do que disserem, vou continuar acompanhando o anime como sempre. E a todos que possuem essa mentalidade limitada, meu pêsames! Não sabem o que estão perdendo.

    • Lischan disse:

      Realmente, as pessoas que estão dizendo que essa cena foi homossexual nem prestaram atençao direito. O Sentaro estava dormindo e acordou de repente, ele nem viu que tinha pegado na mão do Kaoru e até levou um susto quando percebeu ._.
      E tirando essa cena, não teve mais nenhuma “insinuação” no anime inteiro até agora, Afinal [SPOILERS], ambos Kaoru e Sentaro tão afim das duas garotas lá.

      Enfim, concordo com tudo que o Dennys disse, também acho esse preconceito uma tremenda burrice. Em que ponto um casal homossexual é diferente de um hétero gente? É porque eles não podem se reproduzir? Oras, mas tem muito casal hétero infertil por aí, tem muito casal hétero que tem filho e abandona. E ainda há aqueles que acham que homossexualismo é doença! Outro dia no meu colégio uma garota disse que isso só pode ser doença, pois “se a pessoa sabe que vai sofrer preconceito e continua com essa escolha, só pode ser doente”. Eu só não disse nada porque não queria criar confusão na sala, mas fiquei com uma puta vontade de levantar e dizer para ela, “Oras, então você está me dizendo que meus gostos pessoais estão escritos no meu código genético. Pois eu sofro preconceito frequentemente porque sou metaleira, porque sou otaku e porque sou bi. Quer dizer então que gostar de heavy metal e gostar de anime também são doenças? Ah, puta que o pariu, vê se abre a mente garota! Se sigo com essas escolhas mesmo com todo o preconceito é porque elas são realmente importantes pra mim, a ponto de superar essa merda toda que gente como eu tem que aturar por conta de gente como você” hehehe

      Também tenho a impressão de que as pessoas acham que só porque alguém é homossexual ela é tarada e quer comer todo mundo. Acho que é por isso que muitos acabam não vendo um anime assim que vêem qualquer insinuação. Não pode ser assim, se um anime for hentai ou tiver cenas de sexo/nudez, independente de ser homossexual ou não, as staff dos sites vão avisar. Fora isso se um anime é considerado romance, ele vai ser de romance, se é de aventura, vai ser de aventura, e assim por diante. Não se pode inferiorizar uma história por conta de pequenos detalhes que nem a alteram.

      E digo mais, tem Yaoi com uma história e um desenvolvimento melhor do romance do que muito shoujo por aí!

  27. Natália disse:

    Eu acho que é preciso ter certa maturidade para decidir assistir animes sem preconceito. Tanto quanto ao conteúdo (nesse caso “underground” como diriam alguns) como com relação aos relacionamentos discutidos no mesmo. É preciso maturidade para sair da sua zona de conforto e tentar conhecer uma outra sem preconceitos. E eu acho que falta isso em muitos otakus, seja pela falta de experiência, seja pela mente fechada; enfim, se você for parar para pensar são poucos os otakus que conseguem assistir de tudo um pouco sem nenhum problema. Geralmente se prefere assistir algo similar ao que você já viu e aprovou. O problema é que fazendo somente isso, sem arriscar conhecer novos gêneros, você perde a oportunidade de conhecer obras maravilhosas.

  28. Kyobotte disse:

    Você “Gyabbo”, é um homossexual reprimido. Fim de assunto.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      Acredito que se eu for ou não homossexual isso não interferiria no meu argumento, mas é bem ridículo seu argumento se basear nisso. Parabéns pela infantilidade e falta de conteúdo em debater.

      Gyabbo!

      • Igor O. disse:

        Estou lendo Todos os comentários e nunca vi um argumento tão chulo como o do Kyobotte, se o “Gyabbo” é gay não é da sua conta, e esse argumento não tem nada a ver com o assunto, tente melhorar esse jeito estúpido e ignorante de pensar!

        _|_

        • Kyobotte disse:

          Eu não “argumento” com babacas, eu simplesmente sou grosseiro para que elas tenham a oportunidade de entender alguma coisa.
          Eu posto o que eu quiser, aonde eu quiser, do jeito que eu quero. Só tento me manter no nível do local em que estou e como estou num blog de baixo nível, me comporto assim. Obrigado.

          • Denys "Fantasma" Almeida disse:

            Percebe que sua grosseria não vai fazer ninguém entender nada, certo? É só ignorância mesmo, não se iluda achando que assim você vai fazer o outro mudar de visão. E pelo menos o seu nível o blog não tem, felizmente.

            Gyabbo!

            • Kyobotte disse:

              Eu me adapto ao territorio em que estou, quando estou fora do meu, como eu já disse. O texto está bem escrito, mas não deixa de ser “ignorante” como você diz, e foi como eu agi.
              Diferente de você, eu não tenho a necessidade de impor meus gostos às pessoas. Não preciso escolher o que os outros tem que assistir ou deixar de assistir.

    • Lua Mae disse:

      E tem gente que acha que o Gyabbo ta exagerando…¬¬

    • Hahahahaha. Ser uma pessoa sensata e livre de preconceitos é ser gay agora?

      Isso tudo é culpa da “bendita” religião! Está impregnado nas pessoas!

      • André Alves disse:

        Engraçado ,você fala mal do preconceito sendo preconceituoso…

      • “Hahahahaha. Ser uma pessoa sensata e livre de preconceitos é ser gay agora?

        Isso tudo é culpa da “bendita” religião! Está impregnado nas pessoas!”

        Ou não.

  29. . disse:

    vo ser odiado mas foda-se…
    eu acho que viado só serve (Censurado pelo autor do blog)

  30. aliceechan disse:

    Acho que sou a única que não vê insinuações nesse anime.
    Talvez,se parassem de fantasiar tanto,as pessoas não olhariam torto pra Sakamichi.

  31. Lucas Pires disse:

    Bem Anime não vai ficar bom ou ruim, ou sua história mudar pelo personagem ser gay ou não, porém quem não gostar e se sentir incomodado claramente pode deixar de ver. O que acho errado é essas pessoas darem sua opinião de que não quer ver, de uma maneira pejorativa ao anime, dizendo que aquilo é algo totalmente escroto, ou sem história, ou sem vergonhice só pq tem cenas Yaoi. Cada um tem sua opinião e pode manifesta-la com respeito a alguma coisa vista, pq isso é o minimo pra tentar se viver em sociedade com o minimo de conflitos.

  32. amangaraviti disse:

    Acho assim: tudo bem se vc não quer assistir ou não gosta de determinada obra por “n” outros motivos (não é seu estilo, não é o tipo de história q vc normalmente assiste, ou até mesmo as cores como já citaram acima não te agradam…), não é pq todo mundo elogia e fala q é bom que vc é obrigado a achar tb… mas se é um anime que se encaixa no que vc normalmente gosta de assistir em todos os outros aspectos e vc não vê só por causa das insinuações homo… não sei… não acho que seja um bom motivo… acho besteira… mas ainda assim é válido… não quer ver, não veja. a escolha ainda é sua. O que não pode é sair por aí gritando aos quatro ventos q o anime é uma merda! sendo q o q vc não gostou foi só o fato do shonen-ai (levinho)… ninguém pode ser impedido de ter preconceito, mas q o tenha para si. e mantenha o limite do respeito para com o outro. o errado é não respeitar, falar mal e difundir pensamentos de raiva. radicalismo é ruim em qualquer assunto.
    uma lição q é muito pertinente: “se não tem nada de bom a dizer então não diga nada” então não posso criticar? claro q pode! mas só se a critica for construtiva e vc tiver bons argumentos. se não qual a razão de falar mal de algo só pra espalhar maus sentimentos?! fica na sua que é melhor…

  33. “Repito, deixar de consumir conteúdos ótimos, com histórias bem feitas simplesmente porque um ou outro personagem/casal é homossexual não só é de um preconceito grande, mas também de uma imensa burrice.”

    Se a pessoa não gosta de ver um anime ou filme por que ele tem conteúdo homosexual isso é opção dele. O importante não é a historia e sim o entretenimento, se a obra não entretém muito pouco importa a historia para esse tipo de consumidor.

    Apollon eu achei um anime que apela para o lado gay, isso não é algo que gosto de ver, sou hetero sexual e gosto de ver mulher ou uma relacionamento homo sexual entre uma mulher, isso me agrada, não quero ver homem esfregando o pinto na cara do outro. Mas nem por isso deixei de ver o Apollon.

    Ninguem é obrigado a ver o que não gosta, isso não é burrice é so livre escolha das pessoas e se elas não gostam de gay elas tem o livre direito de não gostar. Isso so se aplica caso a pessoa faltar com o respeito ou partir para a arrogância. Ninguem precisa ver um desenho gay para respeitar gay, da mesma forma que ninguem precisa virar evangélico ou católico para respeitar a religião do próximo.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      Novamente, eu afirmei que o preconceito é burrice.
      Ninguém é obrigado a ver nada, nunca disse em lugar algum que alguém é obrigado a ver algo, seja tendo ou não tendo questões homossexuais. Só porque você é hétero não significa que você tem que não gostar de coisas relacionados a questões homossexuais, quer dizer apenas que você sente atração sexual por mulheres (ou homens no caso das mulheres). Não tente naturalizar coisas que não são naturais, mas sim criadas historicamente.

      Gyabbo!

      • Não estou tentando naturalizar nada, e mesmo se quiseste isso é problema meu não é verdade? Isso é uma opinião e não estou pondo goela abaixo minhas opiniões e crenças religiosas em cima de ninguém. Se eu sou hetero e não gosto de ver homem com homem isso é um direito individual meu, estarei errado a partir do ponto que eu ofender e desrespeitar uma pessoa com essa sexualidade, coisa que no momento não estou fazendo.

        Pode ser anime, filme ou jogo. Não quero ver homem se pegando, é desagradável e nojento. E se gays, otakus e emos sofrem preconceito isso não é problema meu, não entro em lutas que não são minhas.

    • inclino disse:

      “não quero ver homem esfregando o pinto na cara do outro.” porque Sakamichi no Apollon é claramente um anime sobre homens esfregando seus pintos na cara de outros.
      (Respeito o gosto de todo mundo, mas essa parte é meio paranóia…)

  34. andre disse:

    mellllllllllllllllllllllllllll DEUXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
    isso é um safadeza oculta

  35. andre disse:

    meuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu mundoooooooooooooooooooooooooooo desabouuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu atolado na bostaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa seu papel higiênico para ir ao banheiroooooooooooooooooooooooooooooooo masculinooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo nesse mundooooooooooooooooooooooooooo,nesse mundooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo MASCULINOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

  36. Judson disse:

    Sou estudante de psicologia ultimo ano e cristão vou tentar discutir seus argumentos, primeiramente disse-se: “uma discussão que nem deveria ocorrer, visto que pauta-se meramente em argumentos religiosos dentro de um estado que deveria ser laico”, o estado é laico e não laicista , de modo bem simplista isso significa que não tem religião oficial vai com o povo. Logo acho valido a argumentação. Após falasse: ” o que alguém faz na cama não é de interesse de ninguém além da própria pessoa” Isso até discuti em aula, a praticas como sexo anal faz mau a saúde logo as condeno,tanto homo quanto hétero, é de meu interesse avisar sobre isso, e não quero ser chamado de doente de homofóbico por não concordar com o que “alguém faz na cama” como disse-se. Posso odiar uma ação e não quem a faz, tenho um colega que diz ser homossexual trabalho com ele sem problema. Também disse-se “Perder uma obra desse nível por ter (ou não) insinuações ou comportamentos homossexuais é pura e simples burrice” para ser mais fácil de entender sitarei harry potter que até hoje não vi o final, a história é boa é mas não me empolga já que o protagonista é um bruxo logo torso pelo menou ruim, logo não me anima uma obra “por ter (ou não) insinuações ou comportamentos homossexuais” já que não vou torcer pelo personagem . Acho que isso não é burrice, pois não digo que a história é ruim só que não está de acordo com os meus valores, conceitos etc.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      “o estado é laico e não laicista , de modo bem simplista isso significa que não tem religião oficial vai com o povo”

      Isso não só significa que o estado não tem uma religião oficial, mas que ele deve permitir a todos e de maneira igualitária (o que obviamente não acontece no Brasil, controlado majoritariamente por grupos cristões) que possam professar seu credo ou a falta dele, além de não permitir que uma religião interfira em questões políticas. Logo, mantêm-se meu argumento.

      “Isso até discuti em aula, a praticas como sexo anal faz mau a saúde logo as condeno,tanto homo quanto hétero, é de meu interesse avisar sobre isso, e não quero ser chamado de doente de homofóbico por não concordar com o que “alguém faz na cama” como disse-se.”

      Primeiro gostaria de ver as fontes que você tira para dizer que sexo anal faz mal a saúde, que problemas de saúde seriam esses e, se controlados, não seriam riscos a saúde que as pessoas pudessem aceitar para viver felizes (açúcar em exceço também faz mal à saúde, vamos baní-la?). Além disso, ser homossexual não é simplesmente fazer sexo anal, acredito que como quase psicólogo você já deve ter estudado sobre as questões de sexualidade, afetividade e identidade de gênero.

      “para ser mais fácil de entender sitarei harry potter que até hoje não vi o final, a história é boa é mas não me empolga já que o protagonista é um bruxo logo torso pelo menou ruim, logo não me anima uma obra “por ter (ou não) insinuações ou comportamentos homossexuais” já que não vou torcer pelo personagem .”

      Existe uma diferença entre você não querer ver algo onde todo o enredo se dá sobre o contexto da bruxaria e você não querer ver algo por conter algum conteúdo homossexual. Se os seus valores dizem que você deve condenar uma pessoa pela atração sexual que ela tem, sério, seria bom refletir um pouco sobre isso.

      Gyabbo!

      • Judson disse:

        “além de não permitir que uma religião interfira em questões políticas” No caso o que interfere nessa questão não é a religião mas os religiosos usando da democracia por isso usei o termo vai com o povo. “Primeiro gostaria de ver as fontes que você tira para dizer que sexo anal faz mal a saúde” Aqui uma http://www2.uol.com.br/vyaestelar/sexo_anal_saude.htm Como disse a psicologa provoca microcortes na mucosa que reveste o ânus. “açúcar em exceço também faz mal à saúde, vamos baní-la?” se você for contra o consumo e querer defender isso por min tudo bem, isso me fez lembrar os livros sugar blues e o livro negro do açúcar. “Além disso, ser homossexual não é simplesmente fazer sexo anal” sim eu sei, só comentei a ação. “Existe uma diferença entre você não querer ver algo onde todo o enredo se dá sobre o contexto da bruxaria e você não querer ver algo por conter algum conteúdo homossexual” Foi infeliz no exemplo, vou colocar o homem aranha e seus incríveis amigos num episodio aparece o doutor estranho que usa magia não é um dos episódios favoritos, não nego a qualidade de um anime por ter algum conteúdo homossexual posso citar Nodame Cantabile que gosto muito mas como comentei não é algo que me atrai posso até ver mas não será prioridade e estou vendo Sakamichi no Apollon!. “Se os seus valores dizem que você deve condenar uma pessoa pela atração sexual” eu não falei isso, tanto que disse: ” Posso odiar uma ação e não quem a faz” condeno ações nunca pessoas.

        http://www2.uol.com.br/vyaestelar/sexo_anal_saude.htm

        • Mirukage disse:

          Nossa cara, sua formação é feita no UOL…Desculpa mas que ***** de faculdade vc faz?
          Se quer fontes procure Scielo, Lilacs, Bireme, PubMed com estudos prospectivos com pesquisas Científicas com alta amostragem e abandone suas revistas UOL, AnaMaria, Contigo e novela das Globo.
          Não estou comentando sobre o assunto, mas sim sobre a sua ignorância científica.
          Se vc dissesse que a fonte é a Bíblia, eu ficaria quieto, pois você estaria valorizando a sua religião. Seria crença. É justo.
          Desculpe tive que falar.

  37. dan disse:

    falar é prata,silêncio é ouro

    • Andrei disse:

      Na boa, acho esse ditado uma merd*, dizer que o silencio é de ouro é um erro. Tudo tem que ser contestado, pois “penso logo existo” se eu parar de descutir sobre algo isso é idiotice. Silencio só é de ouro em poucas ocasiôes.
      Isso é um tema a ser discutido, que causa polémica e nada melhor que conteudo que causa polemica.
      Silencio é de OURO ? No maximo um latão…

  38. Ryogachan_Michelangelo disse:

    Sou um cara que não curte Yaoi. Já tentei ler algo do tipo e sinceramente não me caiu bem. Mas mesmo não curtindo o gênero não tenho um preconceito extremista ou coisa do tipo que me faça deixar de ver/ler algo por ter uma ou outra cena do tipo(só procuro evitar mesmo animes cujo o tema central seja o romance entre homens) até por que se tivesse já teria parado de ler há muito tempo Naruto, teria dropado o anime de Ouran(e esse foi ainda mais tenso pois qndo vi era ainda um iniciante nesse mundo otaku), não teria lido Angel Sanctuary e etc…

    Sinceramente, eu nem vi nada demais nessa cena pra taxarem esse anime como gay ou coisa do tipo…Prefiro acreditar que a pessoa largou de assistir por que não é um tema que lhe agrade, afinal por causa de seu tema esse anime é para poucos(assim como muitos outros animes do noitamina) do que por uma cena que nem tem nada demais.

  39. Carlos disse:

    A escolha do anime foi bem infeliz , ja que logo no começo é mostrado que os dois protagonistas gostam de Muié mesmo , No.6 cairia melhor como tema , Anyway…

    Eu acho que há níveis. Desde que o foco da serie não seja a relação Homossexual entre os personagens , eu vejo tranquilamente [No.6]. Agora se chegar ao ponto de a história ser focada no relacionamento dos dois machos… Ai ja não da para mim. E isso passa longe de ser preconceito , estou apenas escolhendo não ver algo que não é do meu agrado e que não tem absolutamente nada que me interesse. Será que tem problema eu ter esse direito de escolha ? ò.ó

  40. Jader disse:

    Gosto de comédias e mistérios, por isso não assisti Apollon.
    To andando e c****** pro plot e pra qualidade da animação. Não entendo bulhufas disso.
    Tem Yaoi? Não sei, não assisti.
    No caso de N0.6, eu larguei quando os dois terminaram de mãos dadas no primeiro episódio. Nem esperei pelo beijo gay.
    E no final uma pessoa inocente morre, então era uma merda mesmo.

  41. Flavia disse:

    Admito que estava com um pé atrás de Sakamichi justamente por causa nas insinuações BL no anime. Não pela relacionamento em si, estava mais é com medo disso ser usado como mero fan-service desnecessário só para atrair o publico pagante.

    Sorte que não foi o que aconteceu e hoje assisto o anime religiosamente -q

  42. kkk eu ri do comentário do “Kyobotte”
    belo post Denys, um assunto que cabe bem ao momento mesmo, afinal, esse preconceito sem sentido baseado na burrice e ignorância realmente tem que parar, enfim… mais um anime que com certeza verei!

  43. Não sei dizer se o grande número de pessoas que não estão vendo Sakamichi no Apollon é por motivo de homofobia, mas acredito sim que muitos deixaram de ver devido a imagens como essa que ilustra esse post ^^(isso não foi uma crítica). Acho o meio otaku super homofóbico e acredito que esse seja um dos maiores motivos de eu nunca ter me identificado com eles, mesmo fazendo parte deles (além da mania de muitos de não usarem desodorante em eventos rs). E como bem pontuado no texto, a galera tem preconceito com tudo que é feminino. Aliás o preconceito com gays vem daí. Ligam a coisa ao feminino, e tudo que é feminino é amaldiçoado por essa gentinha de mente pequena.
    Curti a iniciativa do texto Denys!

  44. Fernando disse:

    Eu acho particularmente que este post vai ser mais reponsável (prejudicialmente) por pessoal droparem ou deixarem de ver Sakamichi no Apollon do que seu (ótimo) contéudo. Até agora e a princípio NÃO teve contéudo propriamente homossexual. A Imagem é (esta) descontextualizada e dá margem a acharem que tem amor entre homens, o que não é verdade, e…. [SPOILLER] esta claro que esses dois personagens estão apaixonados por garotas.

    O discurso pode ser bonito mas pegou o anime errado pra exemplificar, foi criado uma polemicazinha à toa, existem pelo menos uns 20 animes antes de Apollon pra se encaixar este discurso.

    Acho isso uma coisa mais fantasiosa da cabeça de quem escreve, procurando bruxas onde não existe do que um fato a se discutir.
    Como a Mara diz … imprensa especializada (puuhf)

    e Assistam Sakamichi no Apollon por ele ser ótimo!

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      No dia eu alguém ler o texto e perceber que Sakamichi no Apollon foi só um exemplo de anime fantástico que algumas pessoas deixarem por verem cenas que poderia ter teor homossexual, eu ficaria muito feliz.

      O post não é sobre yaoi, não é sobre shounen-ai, não é sobre Sakamichi no Apollon. É sobre deixar de ver boas séries por preconceito, homofobia.

      Se alguém deixar de ver Sakamichi no Apollon por causa desse post ou a pessoa tem sérios problemas de interpretação de texto ou se encaixa na crítica.

      Gyabbo!

      PS: Leia os outros comentários e veja se estou criando esse quadro.

      • “Se alguém deixar de ver Sakamichi no Apollon por causa desse post ou a pessoa tem sérios problemas de interpretação de texto ou se encaixa na crítica.”

        Ou simplesmente ele não gostou do anime.

  45. Pingback: Shonen-ai em Sakamichi? « Baú de Guardados

  46. Mirukage disse:

    Denys, vc está certo.
    Desculpe o comentário acima e aceito se vc deletar, mas estou pasmo que um estudante de Psicologia pudesse estudar pela internet literalmente.
    Sou da Área da Saúde e fico preocupado com esse tipo de formação. Imagine que em meus 6 anos de faculdade fosse confiar e estudar por notícias de saúde do Uol.
    Nesse caso, vc gostaria de ser atendido por mim?

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      Eu entendo Mirukage, pra ser sincero quando ele disse que era da área de Psicologia (da qual eu também sou) eu fiquei interessado achando que ele viria com fontes realmente boas para alimentar o debate. E de repente ele me aparece com uma fonte dessas, e pior, mesmo essa fonte dela não justifica o argumento dele. Me preocupa que se estejam formando psicólogos com uma base teórica, científica tão pobres.

      Gyabbo!

  47. Igh disse:

    Muito interessante seu ponto de vista. E concordo que é muito pobre reduzir uma obra inteira à uma única caracteristica que pode ser desinteressante, quando isso nem sequer influencia a historia. Acho que muita gente ta surtando pq nesse caso especifico se trata de homossexualidade, com a qual varios individuos se sentem ameaçados.
    Sakamichi no Apollon é um anime bem diferente do usual, e pode agradar a muitas pessoas que nem dão a oportunidade à ele por causa de uma cena que ganha dimensões inacreditáveis por pura especulação.

  48. Irion_TM disse:

    E continuo não querendo ver. Nunca fui chegado a vadiagem, mesmo que em pequenas doses direcionadas para adolescentezinhas em fase de descobrimento amoroso (que são o público alvo de Sakamichi no Apollon), e não será agora que serei.
    Uma “burrice”, como citou? Não. Apenas não sou obrigado a aturar homossexualismo. Não é por eu respeitar gays que preciso assistir algo com vadiagem (mesmo que parcial). É um direito meu, a burrice está em quem acredita que todos precisam ter a mesma opinião sobre algo.
    “Ah, mas você estará perdendo uma boa historia”.
    Se tem insinuações de vadiagem e ela é utilizada como um dos principais elementos, já não será boa para mim.

    • Vinícius disse:

      Não há teor homossexual em Apollon, para você ter falado isso, não deve ter assistido nenhum episodio dá série.

  49. LUccasd disse:

    Se vc num tivesse falado eu naum ia nem reparar.Pq pra mim naum há esse teor homossexual nesse anime , é um anime muito bom e talvez o fato d naum atrair tantos pod ser pq a maioria dos q se dizem otakus so ve shonen (e na minha opiniao isso naum e otaku) e qnd ve q tem romance passam longe.Isso e um otro tipo d preconceito q e muito injusto ja q e mt mais facil vc achar um bom shoujo doq axar um shonen bom.

    • Zeh disse:

      Sim, mas assistir animes é coisa de otaku, sendo shounnen ou não. Não é preconceito alguém ver só shounen, shoujo, yaoi, hentai, ou seja lá qual for o gênero favorito do indivíduo, o preconceito é falar mal de quem assisti tal. Acho que alguém que não assisti um romance bom por ser romance é mente fechada, mas cada um escolhe o que consome. Além do mais, as pessoas possuem fases na vida, hoje alguém pode preferir mais shounens e amanhã não se importar com isso, eu fui assim. No começo só assitia naruto, bleach, one piece, etc…já hoje vejo de tudo que eu acho bom, independente se é shounen ou se possui lutas, inclusive vejo menos animes com combates e mais animes slice of life.

  50. Natan disse:

    Me parece que agora querem transformar a tolerância em uma forma de opressão, as pessoas tem toda a liberdade de escolher a opção sexual que quiserem, da mesma forma que tem o direito de não gostar de algo porque esse algo vai contra suas crenças pessoais. Para muitas pessoas demonstração de afeto entre pessoas do mesmo sexo é ofensivo e incomodo, gostos pessoais precisam ser respeitados, ninguém é liberal e progressista em todos os aspectos, todos temos preconceito com alguma coisa.
    Desde que não evolua para discriminação ou violência é preciso se respeitar o direito a escolha.

    • Vinícius disse:

      Natan a culpa não é sua por ter essa mente preconceituosa e generalizar a sua forma de pensar, a culpa é de uma cultura de ignorantes que não conseguem aceitar algo que os tire da sua zona conforto

      • LUccasd disse:

        Ai ta sendo preconceito seu em relaçao ao Natan.A unica coisa q precisa existir e reispeito.Eu naum peciso aceitar ou ser a favor do homossexualismo contanto q eu respeite.
        Alem do mais eu q decido oq eu quero e oq eu naum quero em meus animes.em coisa q pod ofender a mim e naum ofender a vc , por exemplo e se tiver um anime q fale q Hitler foi bom e falarem q o anime tem uma otima historia continuara sendo ofensivo.So pq eu naum quero ver bejo d homem nos meus animes naum quer dizer q eu seja preconceituoso.

    • estranhow disse:

      Agora releia seu argumento, trocando gay por negro e veja se sua posição é válida.

      “Para muitas pessoas demonstração de afeto entre pessoas do mesmo sexo é ofensivo e incomodo”… como foi dividir um mesmo banheiro com um negro algumas décadas atrás. Essas pessoas que se incomodavam com o negro deveriam ter seus gostos respeitados?

      • Ronaldo disse:

        Totalmente diferente pois ser gay é opção, seu comentário é inválido.

        • estranhow disse:

          Você acha mesmo que é opção da pessoa ser algo que é odiado e privado dos direitos mais básicos por pessoas iguais a você? A ser espancado na rua, a ser expulso de casa e coisas do tipo?
          Você acha MESMO que a pessoa QUER ser assim? Dá pra ver de quem o argumento é inválido realmente.

          Mas não desistirei de você. Perca um pouco do tempo do seu dia e veja este vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=Gn0R-gb9SMc
          E depois me diga se realmente continua achando ser uma “opção”. Mas por favor, desta vez embase suas opiniões em algo factível.

        • Denys "Fantasma" Almeida disse:

          Ser gay é opção? Vamos sair um pouco do senso comum e ler mais artigos científicos para embasar os comentários antes de “invalidar” o dos outros.

          Gyabbo!

          • Ronaldo disse:

            Opa ja li muito sobre isso, me mostre um artigo elaborado através da metodologia científica que prove que ser gay não é opção. Por favor cite fontes.

      • Natan disse:

        Nos Estados Unidos a liberdade de expressão e respeito ao pluralismo é tão grande que até mesmo os chamados “hate speech” são aceitos, manifestações e passeatas de neonazistas, da mesma forma que podem haver passeatas de orgulho GLBTS, é preciso perceber que isso tem um lado beneficio, o de propiciar o debate, nem que seja para mostrar o absurdo de certas ideias, muito melhor do que esconder debaixo do tapete e fingir que vivemos em uma sociedade totalmente livre de preconceitos.

  51. Zeh disse:

    Sim, concordo e acho escrota essa moda sou “cult/ hipster” que acontece nos animes. As pessoas podem não querer assistir algo, e até criticar algo que não consomem, mas não criticar as pessoas que assistem tal anime. Muitos otakus se consideram “melhores” que pessoas que assistem naruto, one piece, ou algum outro shounen mais popular…pelo amor de Deus! Por mais que seja uma forma de arte audiovisual, animes são entretenimento e assim são consumidos! Lógico, acho preferível alguém consumir algo com qualidade e um trabalho de refinamento maior que algo chulo, mas isso não torna quem ouve Mozart mais inteligente que alguém que ouve funk. O mesmo ocorre com animes, você pode se aprofundar na narrativa, em sua semi-ótica, analisar a arte e trilhas? Pode, mas isso apenas vai te deixar mais informado em relação a alguns aspectos de uma forma de comunicação audiovisual, e não te tornará mais inteligente que outro indivíduo.

    Sei que o post se focava mais no fato das pessoas serem mente fechada e até preconceituosos com relação a questões homossexuais, mas mesmo assim quis falar desse fenômeno de otaku cult que vem me chamando a atenção a algum tempo…

  52. Mestre dos Debates disse:

    Cara, homossexualismo não é de Deus, não sou a favor, em qualquer circunstância, pra mim é errado e ponto final.
    Ser contra homossexualismo não significa ser homofóbico, eu não agrido nenhum homo, nem fisica nem verbalmente, mas sou extremamente contra essa campanha Pró-homossexualismo que vem sendo feita hoje em dia, até com a Dilma querendo implantar Kit Gay nas escolas para crianças de 9, 10 e 11 anos, no começo da campanha(recentemente que mudou para 13, 14 anos, ou 14, 15, o que ainda é um absurdo).
    Eu não chego num gay e digo, “vira homem, comece a gostar de mulher” e talz, mas a sociedade acha que os heteros tem que curtir a campanha para os jovens “olhaaaaa, ser homo é fofo, olha aquelas duas lá, ou aqueles dois ali, não são kawaii? tem problema nenhum gostar de alguém do mesmo sexo, bla bla bla…”. Isso é o fim do mundo, ninguém percebe nada forçado nisso?! Nada que vá contra a ética, a moral e os direitos iguais?!
    Se homossexual ficar no canto dele, não mexendo comigo, beleza, que seja feliz lá com os homos parceiros dele, mas que fique longe de mim. Se entre nós heteros, se um homem vira pra uma mulher e diz “GOSTOSAAAAA!” e ela se sentir ofendida com isso, voltar até o cara e lhe dar um tabefe é a coisa mais normal do mundo, se um gay vai na rua e mexe com qualquer homem e acaba levando uma porrada, não é justo? Mas do jeito que as coisas estão indo, os bixas locas estão ganhando super poderes, pra poder fazer o que quiserem e no final acabarem ganhando processo, acusando de homofobia.
    O tema homossexual hoje é defendido, até nos animes/mangás, porque DÁ AUDIÊNCIA, apenas por isso. Os homossexuais são muitos, elegem deputados federais, senadores, governadores e até presidentes, imagina se os sites na internet deixariam de postar algo que agradasse a esse público específico e que chamasse a atenção deles para aquela matéria, aquele site! Ser pró homossexualismo hoje é vantajoso.
    Só sei que obras puramente heterossexuais estão cada vez mais raras hoje em dia e em breve não terão mais, e eu não vou “evoluir” junto com as massas, pois embora eu respeite todos, na medida que me respeitam também, isso não quer dizer que devo concordar, ficar a favor de todas essas mudanças no mundo, pode até ser que eu veja ou leia algo, não sabendo que tenha conteudo suspeito de ser homossexual, e acabe gostando enquanto tiver hetero e quando chegar na parte homo eu pare, interrompa e não volte a ver mais, porque pra mim, hoje em dia, muitas das vezes, o autor quer apenas agradar ao publico, para vender mais, com essas obras mistas de alcance maior.
    Concluindo, hoje, acusar alguém de ser “homofóbico” ou “preconceituoso” é uma arma(muitas vezes, não sempre) que os homossexuais possuem para tentar obrigar os heteros a aceitá-los. Imagine a cena em um anime, “3 crianças de 12 anos, uma menina e dois meninos, um dos meninos gosta da menina, o outro menino,gosta desse menino que é hetero” e suponhamos que várias pessoas estejam vendo isso(no cinema por exemplo), e um hetero diz “tomara que quando crescerem o menino e a menina namorem” e um homo que ouvir isso diz “vc é preconceituoso, qual o problema dos dois meninos ficarem juntos?”. Com base nisso, se essa situação realmente acontece,dá para se ver que o homossexual está disposto a atacar o hetero quando ouvir algo que vai contra o que ele pensa. Não que o hetero seja preconceituoso, apenas está defendendo a opção hetero de um casal hetero, de um amor hetero, mas acaba sendo abordado e questionado sobre o seu “preconceito”. Estou vendo que no futuro, ser hetero talvez seja a opção mais discriminada, do jeito que as coisas estão indo, não duvido nada.

    • Felipe disse:

      Seus argumentos são rasos,fúteis e extremamente conservadores.Aposto como você é aquela parcela do branco,cristão e heterossexual,pobres oprimidos,não? Passaram séculos de perseguição e exclusão social,assim como outros grupos minoritários *mas só na ideologia porque pra mim de minoria mulheres e negros por exemplo não tem NADA* Sou negro,tenho inúmeros amigos homossexuais tanto homens quanto mulheres,amigos brancos heterossexuais,asiáticos e etc.Amo cada um deles do jeito que eles são,sou ativista dos direitos dos homossexuais,um homem feminista com MUITO orgulho e defensor dos animais.Vi muita gente ignorante xingando o Gyabbo aqui,até dizendo que ele é homossexual inrustido como se isso fosse uma grande ofensa.Um dos motivos da maldita questão de gênero me deixar enojado é que os homofóbicos e sua turminha vêem homossexuais como homens que supostamente querem ser “mulheres” e pra machistas e cia não há nada mais inferior e vergonhoso que ser mulher não é mesmo?Imagine um homem que “deseja” ser mulher então!
      Acordem pra vida,homossexuais são seres humanos como QUAISQUER outro e se você tem problemas com relacionamentos alheios de pessoas do mesmo sexo então é
      porque além de machista e homofóbico,você é um INSEGURO de merda. Casamentos homo-afetivos não vão DIMINUIR casamentos heterossexuais,não sei da onde os conservadorezinhos de merda tiraram isso.
      Eu tive um amigo muito especial que é homossexual e foi espancado por um grupo de homofóbicos facistas.Não vou entrar em detalhes mas quando o vi na cama do hospital com o braço quebrado e o corpo todo cheio de cortes eu chorei de desespero.Naquele momento eu decidi que iria fazer a diferença,que a luta dele era a mesma que a minha.
      Por ser negro eu também já senti na pele o que é ser alvo de “piadinhas” de teor extremamente preconceituoso,mas tudo em nome do humor né? Já ouvi sobre o meu cabelo,que cota pra negros é bobagem porque não existe mais preconceito,já ouvi pérolas de cristãos dizendo que negros,mulheres e homossexuais devem saber o seu lugar tsc tsc.E mais uma coleção de pérolas que eu gostaria de esquecer.
      Tenho namorada antes que venham me chamar de inrustido e trato ela como um ser humano da mesma forma que trato homens héteros ou não,mulheres são fortes e capazes como qualquer homem.Procuro honrar todos os dias as mulheres da minha vida,tenho uma mãe e uma irmã que são tudo para mim,minha mãe e minha irmã são mulheres maravilhosas assim como a minha namorada.E respeitar as mulheres como elas merecem ser respeitadas.

      • Ronaldo disse:

        Depois de todo seu mimimi continuo não gostando de conteúdo homossexual. Não gosto e nunca vou gostar, se tiver conteúdo gay não assisto mesmo. Pode me taxar com seus termos preconceituosos como homofóbico etc. Na verdade o preconceituoso aqui é você, pois mesmo não gostando eu aceito os gays na sociedade e convivo com eles pessoalmente e na mídia sem problemas, (aliás, é difícil fugir disso pois a mídia é toda gay e sabe muito bem fazer seu marketing). Mas se a pessoa fala que não gosta de assistir por que viu dois homens se beijando já é homofóbico? Quem é preconceituoso aqui? Quer empurrar suas convicções por minha goela abaixo? O que é isso? Ditadura gay? Inclusive hoje em dia é assim: se vc for espancado sem motivo nenhum mas for hetero blz, ninguém comenta e fica por isso mesmo, mas se vc for gay aí muda de figura, toda a imprensa cai em cima matando mesmo que nada do episódio tenha tido a ver com homofobia. Até parece que na comunidade gay só tem gente fina, se for espancado o único motivo foi homofobia pois os gays são perfeitos e nunca erram nem ofendem ninguém, para né? A violência no Brasil foge de todos os padrões aceitáveis para qualquer classe e não apenas para os gays, somente ano passado foram mais de 50.000!!! homicídios no Brasil.

        • Natan disse:

          Pelo que entendi, além de atacar o autor e não as ideias, em síntese o Felipe defendeu o respeito, parece que então o problema é diferenciar respeito de tolerância, não se pode impor as pessoas a escolha de uma opção sexual, mas também não se pode impor a elas aceitar coisas que vão contra suas crenças pessoais. Não se esta incitando ódio ou atos de violência, apenas expressando uma opinião, não se pode proibir a existências de ideias contrárias, justamente do debate nascerá algo positivo, agora qualquer comentário que não seja progressista é taxado de homofóbico e racista, creio que não é melhor caminho, dessa forma só se evita a discussão civilizada de ideias.

  53. Daninha DasFlores DeCenoura disse:

    sobre o anime em si: sou mto inocente e não vi nada demais? mas algumas pessoas viram, certo? então acho o exemplo dos mais válidos. especialmente esse exemplo, de algo q para mim não tem NADA mas tem louco q v TUDO.
    quanto a simplesmente não gostarem do anime: é um josei. não é pra todo mundo mesmo, esperar que seja de grande publico não tem sentido algum. não estou colocando ele num patamar superior ou inferior, apenas num diferente. eu, particularmente, gosto de estimular minha mente com livros, musicas, filmes, animes que observem o mundo de uma maneira diversa da maioria.
    agora, e o ponto invariavelmente seria esse: o cu coçando da homofobia. pq infelizmente foi nisso que os comentarios do post deram, fazer oq?
    mas q merda, heim? pq tanta frustração? pq tanto odio? pq tanta vontade de enfiar o dedo no brioco alheio? casamento homo vai acabar com casamento hétero? pq? se existe a possibilidade dos homens se casarem entre si eles nunca mais escolheriam uma mulher? pq é essa a conclusão mais simples que qualquer um chega com esse argumento. então vc está dizendo que se por acaso existisse a possibilidade de escolher entre um homem e uma mulher vc escolheria o homem SEM SOMBRA DE DUVIDAS e nunca mais ninguém se casaria com pessoas do sexo oposto.
    mais um argumento homofóbico cai por si só, quem diria…
    jesus ama todos. menos os gays, as mulheres, pessoas de outras religiões … e a lista vai crescendo e crescendo e o ‘todos’ se torna bem restrito. acho q ele teria muita vergonha de quem diz segui-lo hj em dia…

  54. Vinícius disse:

    Putz tem homofóbico que realmente acha que está certo em ser preconceituoso, pelo amor de Deus.
    Bom só para constar uma coisa, o fato de alguém ser diferente não implica que essa pessoa seja sem escrúpulos, mal caráter ou desmereça algo que ela fez,o fato é que todos somos iguais perante a lei não importa a cor,sexo,e opção sexual, portanto não podemos julgar algo com pre-suposto de uma visão antiga e ultrapassada da sociedade, devemos simplesmente abrir nossos horizontes, e tentar ver por uma perspectiva diferente.

  55. Kurama disse:

    texto interessante, gostei do que foi escrito, tema que realmente vale uma discussão.

    Infelizmente o preconceito está até nos integrantes otakus que as pessoas seguem, respeitam e infelizmente tomam a opinião delas para si.
    Na época escutava os casts do anime freak show e estavam comentando sobre os animes da temporada, uma integrante, cujo nome não lembro, acho que é se apresentava como Vanessa, mas não confirmo pra não ser injusto caso não seja, soltou a seguinte frase(não exatamente assim) “Corram de No.6, anime trap da temporada”. Quando ouvi isso fiquei um pouco irritado, se ela citasse falhas de roteiro, animação ruim, designe falho, diálogos sem sentido, aí tudo bem, mas, como você mesmo disse, descartar tudo por causa de algo homo no meio? É para se pensar.

    Sakamichi no Apollon – Realmente fantástico, só digo uma coisa, aquilo é amizade se não verdadeira pois ales acabaram de se conhecer, é daqueles que vão virar uma bem sólida com o tempo, sem homossexualismo. Quem já teve um amigo verdadeiro entende, aquele de contar as cagadas, se meter em enrascadas juntos.
    Concordo, um dos melhores da temporada, do ano, dá gosto ver um anime com tanta qualidade.
    Só que tem um ponto falho aí, o fato de você tentar disseminar esse anime entre preconceituosos, não vai dar certo, apesar de não ter homossexualismo, inclusive a história nem dúvida deixa, pois os homens da trama correm atrás de mulher, mostrar uma imagem daquela, ficar falando de homossexualismo usando ele como base, vai fazê-los passar mais longe ainda, pois seus post não vai mudar a cabeça deles, talvez só de ler o título ou as primeiras linhas, já foram embora.

    Sobre Saint Seiya ômega – Não sei se você é gamer ou conhece algo sobre. vou citar 2 games e a polêmica envolvendo os 2.
    Battlefield 3 e Call of Duty MW 3, ambos de guerra e competem pelo mesmo público, apesar de divertido, cod é defasado visualmente e insiste em não mudar muita coisa, isso irrita muita gente e afasta muitas pessoas, terá fãs fieis, mas quem queria entrar na série, só olha aspectos superficiais e cai fora.
    Isso se encaixa com em ômega, uma vez, no cavzodiaco li que Lost Canvas não foi para a TV para não perder qualidade visual, ficar bem polido. Algumas pessoas usam o termo “animação”, mas na verdade elas estão querendo dizer detalhamento do cenário, algumas partes parecem que ouve capricho, outras não, são pobres, parece um projeto qualquer, um teste, projeto de baixo orçamento.

    Acredito que existe um exagero na hora da colocação de armadura, sequencias muito carnavalescas. No último episódio (7) pra ilustrar o vento, aquela “armadura” estava tremulando como se fosse um pano, tipo, WTF? E sobre o fato dos cristais, não é por ser gay e sim alguns teimam por gostar mais das urnas, apesar de ter uma explicação rasa nos episódios de elas viverem em outra época, evoluíram, pra mim as urnas eram mais interessantes e a mudança só foi feita por um motivo comercial, pois vender caixas é difícil, mas vender colares é mais fácil, barato e até pessoas que não assistem podem acabar comprando por achar bonito.

    Fora elementos que me irritam na trama, é aquele coisa do protagonista saber porque luta, mas do nada perde a confiança e chega o amiguinho pra lembrá-lo do porquê de lutar, me irrita demais, confesso que não dropei por ser “continuação” de Saint Seiya, pelo respeito pela série clássica e adorar Lost Canvas, senão já teria dedo um kick.

  56. aeyr disse:

    Vê quem quer, quem não quer ver, que não veja; sou um desses que não sou preconceituoso com nada, cada um faz o que bem entende da sua vida; quantos aos animes vi quase todos os mencionados e nem por isso achei que foi mostrado algo ruim, até mesmo porque simplesmente nada foi mais além do que é sempre mostrado, como por exemplo o beijo em Mirai Nikki e em No.6 isso não foi nada demais, a não ser para quem é homofóbico; vi um comentário de alguém que parou de ver No.6 depois do beijo do Shion com o Nezumi isso é uma idiotice o anime está no episódio 7 de 11 e não e visto por isso??? Temos que parar com idiotices e prestigiar algo quando é bom, é não ficar sendo preconceituoso não só em caso de relações homofóbicas mas em outros casos também.

  57. Zechs disse:

    Não li todos os comentários , mas peguei metade deles. Vi um problema conceitual na coisa, preconceito. Preconceito:1 Conceito ou opinião formados antes de ter os conhecimentos adequados. 2 Opinião ou sentimento desfavorável, concebido antecipadamente ou independente de experiência ou razão. Deifinição do Michaelis(aka Dicionário foda).

    Alguem que não gosta de cenas homossexuais num anime , tem todo o direito de droppar , sem ser preconceituoso. Ué, se eu não curto ficar vendo dois kras se pegando pra que eu vou pagar de cultizinho?
    Sakamichi no appollon, é um anime mulherzinha, mas não deixa de ter seu brilho, tem uma historia muito bem contada com interações interessantes dos personagens, assim como Karekano, anime mocinha bom pra kct.
    Mas vamos ao que interessa,
    preconceito é o kra olhar e ver:josei , shoujo e deixar de ver por isso , o kra nem viu nada da obra e por preconceito deixa de aproveitar algo bom, mas se pega um anime assiste um pouco e fala: “- pff, que boiolagem…” e droppa é gosto , e gosto é como braço.

    E, kra, pra mim normalmente o povo hetero que fica taxando os outros heteros de homofóbicos, é preconceituoso, pra kct. Todos tem o direito de gostar de algo ou não. Não gostar de boiolagem não significa que vc vai desrespeitar alguem por ser homossexual.
    Eu por exemplo, o kra pode casar com o DS dele, com um cachorro , uma árvore, não to nem aí. Me respeita, tem meu respeito. Simples assim, só não me pessa pra aturar boiolagem pq eu não curto. Acho tudo muito subproduto de um sociedade estereotipada que reduz a pouca coisa uma pessoa, pq convenhamos; você pode ser gay, hetero, mas não precisa ficar cantando aos 4 ventos, fazendo escandalo e impondo suas verdades para os outros.
    É igual vc estar andando de metrô e um kra ouvindo funk/musica gospel no celular altão e pertubando. Você gosta, beleza guarda pra você, pros seus amigos não force ninguem a gostar…

    Pra deixar clara minha opinião, sou hetero, tive amigos gays, não tenho nenhum problema com homossexuais, mas uma coisa que não me agrada é “boiolagem”. O que me irrita é essa cultura que a mídia vem disseminando que distorce tudo, essa sociedade atual prega um negócio de boiolagem que me preocupa.

    O mundo fala: ah, homofobia, homofobia, mas porra, o mundo tá boiola. Eu sou de uma geração que ser homem era foda: Bruce Lee, Chuck Norris, Titio Schwarza, Stalone. Hoje os homens são moças, vide fiuk, restarts, miavis e clouds da vida.
    Principalmente no japão, da pra ver que é legal o cara ser uma “moça”, eu não curto, mas blz. Só que TUDO ser assim? Pera lá né. Tem que ter sempre um equilibrio.
    Pode ter o Saint Seiya Omega, mas ainda bem que tem o Toriko.

    Marginalizar uma cultura ou outra é preconceito, seja pra que lado for.

  58. Pingback: Editorial #00: Seis Meses, Resumo e BlogRoll | Nahel Argama

  59. Kah / Lola disse:

    Ai ai por essas coisas eu adoro o Gyabbo a tanto tempo ( leia-se o Denys ) e a sua forma de pensar e se expressar… Enfim, alguns comentários realmente me assustam aqui, as pessoas dizendo coisas do tipo ” parei de assisti depois da cena tal do episódio tal mas gosto é gosto”, acho que não conseguiram ver através das suas palavras, largaram o anime por causa de UMA cena sem considerar se a história era realmente boa, por causa do preconceito, pois é, é tão chato falar isso mais a religião tem muito haver com esse “nojo/desgosto” que as pessoas disfarçam de “gosto de cada um” afinal de onde mesmo que vc aprendeu que ser gay é ruim/não natural?!

    Vou ver essa promessa de melhor anime do ano Denys o/
    ps: Já estava pegando meus dvds pra ver se achava algo que me agradasse mas vc sempre me salva! Valeu!!!!

  60. Azrael Lima disse:

    Nossa, como esse post rendeu!
    Mas vamos ao meu comentário.
    Eu comecei a assistir Sakamichi no Apollon e digo que realmente tem tudo para ser o melhor anime do ano. Já esta na pauta do meu novo projeto para uma analise quando ele acabar.
    Sobre o tema que você levantou, bem, na minha opinião de merda, tenho todo direito de assistir um anime ou ler um manga/HQ pelos temas que ele aborda. Pois por mais que a historia seja “boa” se o tema central não for do meu interesse, por que eu deveria assistir?
    Eu faço minhas brincadeiras com homossexualismo e tenho certeza que todos acham que sou homofóbico, particularmente não me acho homofóbico, pelo contrario, respeito muito quem resolve assumir sua opção sexual numa realidade tão preconceituosa em que vivemos.
    Enfim, só gostaria de lembrar que vivemos em um país “livre”(?) e que temos sim o direito de escolher o que vemos. Não apoio o preconceito nem a segregação, mas apoio o direito de escolha.

  61. Olha, tendo em vista a “ótima mania” do ser humano de se achar superior e apontar falhas no semelhante, não importa qual é o tema do anime sempre haverão grupos que reajam muito mal ao que é apresentado. Na vida é assim que dirá num produto, ou obra…

    [Confesso que deixei Apollon por ultimo na minha lista pelo fato de se tratar de um tema que precisa de tempo pra ser apreciado… Não dá pra falar de jazz assim superficialmente, aliás música (de verdade) precisa ser apreciada.]

    Essa discussão sobre se tem yaoi ou BL, ou melhor o simples fato de tentar convencer determinadas pessoas sobre alguma coisa cansa… É como um comercial antigo que dizia “Entra na cabeça” nesse caso a necessidade de ir contra é mais forte, porque “assim eu provo que soou melhor do que ele” ou ” minha opinião vale mais do que a dele”.

    Imaturidade eu diria. Frescura também.
    Se serve de consolo muitas grandes obras de arte e literatura foram bastante criticadas pra depois serem reconhecidas. E foi graças ao Gyabbo que eu encontrei ótimas obras.

    Quando eu penso sobre todo o desgaste e o acumulo de besteiras que muita gente acaba gerando quando tento explicar algo como a discussão aqui… Uso o lema do meu marido: “Eu quero mais é que vocês se f****!” Eu vou sair ganhando com o conteúdo do anime mesmo. Não importa se é yaoi, yuri, ecchi, shounen, shoujo… é bom? de verdade? Bora apreciar!E pronto!

    (PS: Não terminei de ler todos os comentários, ainda.)

  62. Pingback: Review – Uma experiência diferente com Sakamichi no Apollon | ChuNan! – Chuva de Nanquim

  63. LKBonato disse:

    O preconceito com SS omega, n eh por causa dos traços ou personagens afeminados, eh mais pela história do anime q saiu do contexto de SS, uma prova q esse preconceito n existe por esse motivo, eh q na saga antiga aviam personagens,digamos, afeminados, como Shun, Afrodite e etc.
    Mesmo assim gostei da materia
    Flw

Os comentários estão encerrados.