Por que as pessoas preferem ver animes a ler mangas?

Na última quinta-feira (12/07) foi lançado um novo podcast sobre mangas – o Mangá² -, resultado da junção de esforços entre O Judeu Ateu do Mangas Undergrounds e o Estranho do Mangatologia.

A ideia do podcast é simples, mas bastante interessante: Divido em três/quatro blocos, comenta-se um assunto diferente a cada semana e depois passa-se para discussão mangas semanais, buscando fazer isso de uma forma mais analítica do que opinativa, diferente do que se costuma fazer nos outros lugares.

E é justamente no primeiro assunto abordado que eu quero conversar um pouco com vocês: Anime versus Manga – Afinal, porque se assiste e comenta mais de animes do que de mangas?

Recomendo, porém, que antes de continuar a ler o texto você confira a própria discussão feita no Mangá², algo em torno de 20 minutos, em uma discussão interessante e bastante dinâmica. Não se preocupe, o post continuará aqui te esperando, pode ir lá, é só clicar AQUI.

Ficou legal o podcast, não? Pretendo ouvir com frequência, mas dependendo do assunto abordado, já que não acompanho semanalmente os manga e não quero pegar spoilers das séries que compro nas bancas como Naruto e One Piece.

Mangas x Animes 

Se você clicou e ouviu (E você aí, por que ainda não foi?) deve ter percebido que foram elencados pelos podcasters várias possibilidades para explicar o fato de que os animes tem mais atenção das pessoas do que os mangas (no que se refere ao público das Américas pelo menos).

Gostaria de aproveitar a deixa do Judeu Ateu e começar essa discussão utilizando-me da argumentação reversa. Porque não ver mais animes do que ler mangas? Como apontou uma das pesquisas feitas pelo Judeu, os animes poderiam ser encarados como uma versão com cores, som e movimento das mesmas histórias que vemos nos mangas, não seria natural eles serem melhores?

No entanto, se eu fizer essa pergunta para 10 fãs, nove irão dizer que não, já que existe uma “regra” extraoficial que diz “Os mangas em praticamente todos os casos serão melhores que suas contrapartidas animadas”. E é aqui que começamos o verdadeiro enigma, se é quase uma lei entre os fãs que os originais serão melhores que suas adaptações, qual é a explicação para a maior parte da atenção recair sobre os animes?

O leitor brasileiro

Um argumento fundamental para nortear essa discussão está em um âmbito mais amplo: O Brasil não lê. A pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil” (2012) aponta que metade da população brasileira não leu um livro sequer nos últimos três meses anteriores à pesquisa. Pior, dos que leem a média é de ler apenas 2,1 livros completos e desistir de outros dois pelo caminho e 75% dos brasileiros nunca sequer pisaram em uma biblioteca. E por mais que os quadrinhos ainda sejam rebaixados muitas vezes à categoria de literatura de segundo nível, ainda é uma leitura e acaba sofrendo da mesma forma.

Se quisermos entender porque se dá menos atenção aos mangas do que aos animes no Brasil, precisaríamos entender – ou pelo menos esboçar algumas conclusões – sobre o porquê do brasileiro ler tão pouco. Nesta equação entra escolaridade precária, falta de incentivo social à leitura, falta de tempo e até mesmo a preguiça.

Um fenômeno ocidental e a natureza das mídias

No entanto, não é possível levar em conta apenas esse argumento se pensarmos que também esse é um fenômeno não só do fandom brasileiro, mas da América como um todo (não estou levando em consideração a Europa e o resto da Ásia por não conhecer o comportamento do fandom de lá). Assim, precisamos pensar em pontos que façam diferença entre animes e mangas como mídias em si.

No último link, do blog americano Just as Planned, temos o post “Are you anime only? Fans not reading originals as much” (“Você é fã só de anime? Fãs não estão lendo muito os originais” em tradução livre) onde o autor elenca 10 motivos pelos quais ele acredita que os mangas acabam sendo menos consumidos por aqui, mas vou me ater a um que eu acho realmente fundamental: Mangas não foram idealizados para se ler online.

É interessante, esse é de fato um dos principais argumentos usados pelas pessoas que não leem muitos mangas. Enquanto o dinheiro, o espaço físico, a qualidade do produto e outras variáveis interferem no consumo do manga licenciado nas bancas brasileiras (e essa é outra discussão interessante), os scans, por mais fáceis que sejam de se ter acesso, não foram objetivados para serem consumidos em um tela brilhante, mas sim impresso em uma página com tinta preta, confortável para os olhos. Já os animes sim, por mais que em sua maioria sejam feitos para a televisão, fazem parte de uma mídia naturalmente eletrônica, o que ajuda na criação de um comportamento mais amigável com as pessoas que não tem acesso ao produto oficial.

O manga digital, pensado para ser consumido nos computadores, e-books, tablets e smartphones, já é uma realidade, mas ainda está engatinhando, muito aquém da quantidade e longevidade do manga feito para o papel.

A história na construção de um círculo vicioso

Chegamos então em pelo menos um ponto de contraste que pode criar uma diferença entre o consumo dessas duas mídias entre aqueles que a usam de uma maneira não-oficial – O que é o caso da grande maioria de nós. Mas pensando um pouco, se olharmos para trás e refletirmos sobre a própria história da vinda dos mangas e dos animes para o ocidente. No artigo “O de “fã para fã” matou a possibilidade de um mercado de animes no Brasil” aqui do Gyabbo! entendemos que a criação de uma comunidade voltada à popularização dos animes começou nos EUA já na década de 70, solidificando-se progressivamente até construir um mercado mais estável na década de 90, “até seu ápice em 2003, quando chegou a ser um mercado de 4.84 bilhões de dólares“. Já os mangas, foram realmente ganhar força em terras norte-americanas apenas no final da década de 90, explodindo nos anos 2000, como pode ser visto neste outro artigo, “Comic versus Mangas“.

Essa diferença temporal, que no Brasil foi mais grosseira já que tivemos o imenso sucesso de Cavaleiros do Zodíaco e Pokemon na década de 90 para só iniciar o mercado de mangas nos anos 2000, acabou por criar no imaginário popular que os desenhos japoneses (sejam eles animados ou não) eram os “animes”. Assim, boa parte da geração atual de quem assiste e lê mangas foi criada dentro de uma concepção onde o anime era o carro chefe, algo que se reflete até hoje no comportamento do fandom.

Desta forma, tanto o público coloca os animes como prioridade, como os canais de comunicação que falam sobre essas mídias também o priorizam, seja por também estarem dentro desse processo de construção do fã, seja por responderem àquilo que é pedido pelo público – entrando aqui os blogs.

A quebra de paradigmas para a manutenção de algo sustentável

Poderia até colocar aqui questões como o fato do manga exigir mais do leitor do que o anime exige do espectador, seja na conexão dos quadros em uma mesma cena, seja na imaginação de vozes e tons para os personagens, seja pela releitura prévia de um diretor e sua produção em um anime. Mas ao fazer isso estaria diminuindo de forma maldosa a relevância das duas mídias. Apesar da co-dependência que existem entre elas desde os tempos de Osamu Tezuka, precisamos ter em mente que ainda são duas coisas distintas, a serem aproveitadas de formas distintas.

A questão não é e nem pode ser qual dos dois é melhor – a experiência ao consumir uma mídia e outra é algo extremamente pessoal. Não podemos pensar no embate cinema versus literatura. São formas distintas da expressão artística e cultural humana. Devemos pensar muito mais de uma forma sócio-histórica, de como se formou o comportamento do fandom até chegar onde estamos.

Mas essa discussão nos traz para outra muito importante que deve ser feita em outro momento. Se temos no Brasil uma população que não lê e que dá mais atenção aos animes do que aos mangas quando nem sequer temos um marcado de animações japonesas por aqui, até que ponto isso é sustentável a longo prazo? E para as pessoas que criam conteúdo acerca dessas temas – críticos, blogueiros, jornalistas -, qual o nosso papel na modificação desse paradigma que em muito tende a se esgotar com o passar do tempo?

Gostaria de ler suas opiniões nos comentários sobre esse tema.

Se você vê mais animes do que mangas, qual é o motivo? E ao contrário, se você prefere ler mangas a ver animes, por quê?

Aguardo vocês aqui em baixo!

Esse post foi publicado em Artigo e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

44 respostas para Por que as pessoas preferem ver animes a ler mangas?

  1. rubiopaloosa disse:

    Eu vejo que cai mais na preguiça mesmo, como falado no cast. No anime você da play e vai deitar ou fica encostado em algum lugar com as mão livros para fazer o que quiser *wink **wink*, já no manga no minimo você tem que ficar junto a mídia e sempre passando de pagina.

    Quando a discussão entra em qual é melhor, normalmente a mídia original “ganha”, por: ou ela ser mais completa, no caso de mangas que são adaptados para anime, porem apenas uma parte. Ou simplesmente ser melhor, por exemplo, todos falam bem de Cowboy Bebop, mas ninguém fala de sua adaptação de manga.

    Quando as mídias tem o mesmo conteúdo, fica a merce pessoal, “qual mídia conversa mais com você”.

  2. mexicano21 disse:

    Livro se compra em livraria, quadrinhos se compra em banca. Mangás são vendidos nos dois “formatos” e podem ser encontrados em ambos lugares. Anime passa na TV. Muitas pessoas assistem TV. Muito mais pessoas assistem TV do que passam em bancas ou livrarias – e editoras não fazem propaganda na TV. Ok, ultimamente não temos tido anime na TV. Então sobra apenas a internet, e aí o artigo já explicou a razão (ou traduziu a explicação do americano): os mangás foram feitos para serem lidos impressos, na mão.

  3. O Judeu Ateu disse:

    Sobre o povo brasileiro não ler é algo que gostaria de ter mais conhecimento pra poder discutir, a única dúvida que tenho é se será que o público que tem acesso aos mangás pode ser encaixado nessas estatísticas?

    De qualquer jeito, certamente é um fato a se notar, mas pessoalmente, ainda gostaria de frisar na falta de conhecimento.

    Primeiramente no desconhecimento da mídia do mangá-virtual como um todo. Mesmo dentro do público que lê bastante mangá, conheço vários que desconhecem por completo ferramentas para leitura como CDisplay ou HonewViews e leem somente pelo “Visualizador de fax do Windows” ou por leitores online. Sim, o mangá não é uma mídia que se encaixa tão bem ao computador quanto o anime, mas a falta de conhecimento e divulgação da mídia virtual acaba só piorando ainda mais. É como se amanhã você fosse abrir a internet e descobrisse que a partir de hoje só existem animes em .rmvb. A experiência não é perfeita, mas é bem melhor do que a que muitos acabam por experimentar.

    E se bem que a incompatibilidade do mangá com o virtual seja um justificativa no caso de adaptações, isso se perde um pouco no caso de mangás originais. É neste caso que o meu “comentário final” no podcast mais faz sentido. De novo, apesar das pessoas terem o conhecimento de que “o original é melhor”, poucos lerem um original que não possuísse uma adaptação, poucos leram um mangá realmente excelente.

    Muitos acham que o mangá de Naruto ou One Piece é melhor que seus respectivos animes, mas poucos leram um 20th Century Boys, um Slam Dunk ou um The Music of Marie, apesar destes já terem visto Hotaru no Haka e Cowboy Bebop, por exemplo.

    E é aí que bate a diferença pra mim, apesar do mangá não ser uma mídia facilmente adaptável para o virtual, a quantidade de obras simplesmente EXCELENTES acaba compensado esse fato. É aquilo que conversamos nos podcast, por questões estatísticas e de custo mesmo, existem muito mais mangás ótimos do que animes ótimos (e sim, como o Estranho comentou, isso é reclamação de um cara com “mangá” no nome do blog)

    Enfim, acho que como foi comentado, é uma soma de fatores e uma questão MUITO pessoal. Acho que nunca no podcast tentamos comparar as duas mídias diretamente e sobrepor uma à outra… e se fizemos foi pra provocar mesmo XD

    Ótimo texto Denys!

    • Igor Snow disse:

      Concordo com o judeu quando ele diz que a falta de divulgação é bastante responsável. Vou enumerar os motivos pelos quais acho que animês são mais populares.

      1- Tamanho. Um episódio do animê costuma ter normalmente 2 capítulos de um mangá semanal, então é mais interessante pra quem quer acompanhar logo os episódios atuais.
      2- Linguagem. Além das cores, vozes, sons, e trilha, as batalhas – se houver – tendem a ser mais emocionantes quando em movimento (“nossa, então a luta era assim? no mangá eu não entendi nada” diziam alguns amigos meus sobre Naruto)
      3- Concentração. No animê as cenas vão simplesmente passando e você pode se desligar do mundo… agora, como terminar de ler um mangá, se a cada página é uma olhada no facebook?
      4- Divulgação (blogueiros inclusos!). Não sei se é por causa de parcerias com editoras, mas, peguemos como exemplo os mangás não publicados no país; quando resenham esses mangás, ninguém (ou quase ninguém) passa o link de um site para as pessoas baixarem, o que acaba rendendo milhões de comentários, mas fazendo apenas umas 7 pessoas irem em busca do material. E antes que venham me falar “Joga no Google!” joguem Pandora Hearts no google e me tragam um scan brasileiro que traduza (e esse é apenas um exemplo). Grato.

  4. Atualmente a situação ta meio balanceada pra mim, to lendo bastante mangás e assistindo bastante animes, mas antes dava mais prioridade ao anime, acho q pelo fato do anime ser mais “descompromissado”, são apenas 20 min por episódio (qndo não se está acompanhando toda uma série de uma só vez), passa bem rapido e tbm, pelo já citado, conforto de simplesmente dar play no episódio e somente assistir deitado em algm lugar, do modo q quiser, além disso sempre tive preferencia em ler o mangá físico ao invés de ler scnas, mas isso não influi na quantidade de titulos q eu acompanho, de qlq jeito acredito q a principal causa de tds assistirem mais animes do q lerem mangás eh a preguiça msm…(ambos exigem leitura, mas enfim)

  5. estranhow disse:

    Foi um bom texto mesmo, e só quero fazer uns acréscimos à discussão:

    Entendo pessoas reclamarem no que diz respeito à ler mangás online, justamente pelos mesmos motivos que o Judeu citou agora. E concordo que há um desconhecimento de ferramentas que facilitam (e muito a leitura).
    Sobre o mangá não ser feito para ser visto digitalmente, concordo e não concordo. Concordo pois a mídia original e o planejamento é no papel, mas discordo porque acho “adaptável” (como já citado, novamente, pelo Judeu). Imagino que muita gente que veja anime seja sentado em uma cadeira na frente de um desktop, e não na TV de sua casa (via cabo HDMI ou USM). E esse também não foi o jeito em que a mídia foi concebida pra ser vista; mas pode ser vista sem problemas, depende da pessoa.

    E enquanto o problema de ler mangás no computador é pela “dificuldade de leitura”, quando passamos pra versão física, a grande questão é financeira: você não paga (deveria, mas não paga) pra ver anime, mas paga pra comprar um mangá. Muitos “otakus” são adolescentes sem independência financeira, e talvez esse seja outro grande entrave pra eles.
    Mas não desculpo ninguém com mais de 20 anos com esse papinho :)

  6. Pode ser por diversos fatores, não apenas por que o cara tem preguiça de ler. Entre Manga e HQ(quadrinhos americanos) eu dou preferencia a HQ, não gosto de ler manga primeiro pela arte e pelos poucos recursos usados no quadrinho como ter paginas não coloridas e sua maioria ser em preto e branco.

    Quadrinhos japoneses prefiro algo mais shonen. No momento estou lendo apenas Zetman e Magi que achei uma historia e enredo bons, a arte de Zetman é muito boa, e Magi gosto dos combates e a cultura egípcia impregnado nele apesar que não gosto muito do sombreamento do manga.

    E outro fator é o fato de querendo ou não ter mais fansubs focados em tradução de animes do que de mangas, os fansubs de mangas aqui no Brasil em sua maioria perdem de lavada para os fansubs gringos que são bem mais rápidos na tradução do mesmo. Para min o que me afasta de leitura do manga é primeiramente pela falta de não ser colorido e os traços fracos(logico não todos) e pelo fato de eu ser bem seletivo.

    Bem esse é minha opinião e ponto de vista, e fatores que levam as pessoas não lerem mangas são muitos.

  7. alchemistnany disse:

    Eu acho que não tenho tanta preferência de um para outro visto que vejo animes e leio mangás com quase a mesma frequência, mas acho que para shounen ou algo do gênero é válido ter uma animação, pois quando bem feita faz mais sucesso e considero melhor ver o movimento de golpes e afins. Gosto muito mais de ver anime shounen do que ler o mangá, porém com shoujo não vejo tanta necessidade em uma animação, é legal claro, mas ler o mangá acredito que seja o suficiente. Leio mangás online porque gosto de estar bem atualizada semanalmente com alguns, mas sempre que posso e/ou vejo uma oportunidade compro a obra a fim de reconhecer todo esforço e trabalho do autor e gosto de boas coleções. ^^

    E não sei, pode ser uma doideira, mas acho que nosso cérebro capta melhor uma animação que uma leitura se GENERALIZARMOS aqui no Brasil. No anime são ativados pelo menos dois canais de aprendizado que são o visual e auditivo, lendo um mangá você tem de prontidão apenas o visual o que pode não ser muito atraente para alguns, e talvez nem para “os visuais”, pois temos páginas em preto e branco e não tudo colorido bonitinho como em animes.

    Admito que vejo mais animes que mangás, mas seria bom incentivar mais a leitura por aqui nem que fosse mais um pouco e como o mercado vem crescendo a passos pequenos, mas vem, a esperança é mantida. XD

  8. amaimon disse:

    Eu nunca me esforcei para ler um livro ou mangá, pra mim um livro comum e um mangá não tem diferença, tanto que não leio nenhum dos dois, acho que a maioria prefere ver animes porque é melhor ver o personagem sair do livro e ir pra tv, porque é muito mais divertido assistir do que ler, e porque é bom ver cada movimento ganhando vida.

    Eu prefiro ver anime mais sei que os mangás tem a história contada melhor, o anime seria melhor ainda que o mangá se os seus criadores trabalhassem para fazer a versão em anime.

  9. Ayronn Quatermain disse:

    Por bastante tempo preferi ler mangás a assistir animes, por culpa de files infernais, censura e etc… mas voltei a ver alguns animes que estão sendo lassados de um tempo pra cá, e continuo com os mangá(em numero menor mas continuo).
    Não acho que as pessoas que não tem o habito de ler se incluem nos que preferem ver animes, afinal de contas, nós assistimos animes legendados, não?
    Por fim, são obras diferentes que tem cada qual seu valor; entretanto acredito que essa discussão se tem por mangá(a maior parte dos que eu leio ou li) possuírem uma trama mais madura em alguns pontos e com um clima diferente; e não com “nyan, nyan’s” e “moe, moe” para todos os lados…
    Parabéns pelo texto, ficou ótimo!

  10. Ótimo texto, muito bom com informações curiosas e bem informativas.

    Eu prefiro a obra original justamente pela comodidade, mas pela comodidade em que acompanho a obra. Se eu ver um episódio de anime de 20 minutos, considerando que esse anime seja uma adaptação de mangá, eu acabo vendo 2 ou 3 capítulos (no máximo 4, estourando) da adaptação do mangá, só que em 20 minutos eu poderia ter lido um volume todo ou um pouco mais da metade dele, e isso me faria perder um pouco o ritmo. Eu assisti Slam Dunk na época em que eu não lia mangás em inglês, e vi muito da “lentidão” na adaptação, 101 episódios pararam no capítulo 197 do mangá (volume 22), sendo assim, menos de 2 capítulos adaptados por episódio. Isso cansa, com vários closes nos personagens e do tempo que extra que está sendo tomado de você.

    BUT, eu ainda assisto animes, só que os filmes, porque são comprimidos e eles tem duas horas pra botar o máximo da história possível nele. Uma coisa que talvez eu vá fazer algum dia é assistir animes originais, como Cowboy Bebop e por aí vai. Mas a verdade é que eu me cansei um pouco dos animes, pelos motivos do segundo parágrafo.

  11. Essa discussão do porquê as pessoas preferirem animes à mangá, é bem obvia. A mídia audiovisual sempre foi mais forte que a mídia impressa. O motivo é o fato do audiovisual ser um amalgama de cores, músicas e contornos que dão forma à imaginação. E é esse mesmo motivo que quem prefere a mídia impressa, sempre terá algum problema com adaptações. Na mídia impressa, você pode imaginar àquilo [na maioria das vezes] da forma que quiser, mode fazer sua própria moldagem, dá sua própria interpretação. Como disse o Sato Tatsuo na entrevista pro EXPO 2012, transpor, adaptar do original é sempre mais difícil que criar uma obra original. Você precisa captar bem o espírito do material de origem, a personalidade dos personagens, àquele sentimento.

    Enquanto na mídia impressa, o autor pode simplesmente contar o que personagem sente, descrever atráves de imagens estáticas, enquanto o diretor precisa mostrar através de uma sequência animada, as vezes criando cenas inexistentes, porque essas mídias funcionam de modo diferente. Na maioria das vezes, ele perde a profundidade e essência do original. Isso independente da adaptação ser melhor ou pior, boa ou ruim. Mas de um modo geral, as pessoas preferem assistir à ler. Fato. E isso na minha opinião não tem nada, mas nada mesmo, haver com o fato de ler mangá no pc, sendo que foram feitas pra ser ler em mãos. Não acho que seja uma justificativa plausivel, afinal, é um fenômeno mundial. As [ao menos, a grande maioria] pessoas sempre vão optar pelo formato audiovisual, não exatamente porque têm preguiça, mas porque parece muito mais atraente aos olhos.

  12. Olá!
    Estou entre as quais vêem mais anime do que leem mangá. Quanto aos pontos que você citou, discordo da parte em que diz que o brasileiro não tem o hábito de ler. Isso realmente acontece, porém não acho que seja motivo para os mangás ficarem de lado. Conheço muitas pessoas que leem muito mangá e não conseguem lembrar da última vez que abriram um livro. Em contrapartida, eu leio em média 10 livros por ano, este ano foram 20, e não me interesso tanto por mangas.

    No meu caso, o ponto principal é que, a maioria dos mangás que tentei ler não me prenderam. Ao ler livros você tem tudo a imaginar. Você pega as ideias do autor do zero e trabalha aquilo em sua mente: a cena; a aparência dos personagens; o cenário; vozes; etc. Você é livre para interpretar do seu jeito e o “trabalho” de interpretar isso é todo seu. Ao ler manga você tem algo semipronto, as imagens estão lá e você tem que dar movimentos e sons a elas. Pra mim não é uma atividade completamente interessante. Não quero desmerecer o manga, porém é uma arte que não me chama tanta atenção, apenas isso.

    Um segundo ponto é que o anime tem todos aqueles fatores bonitos de se ver: efeitos de imagem e sonoros; cores; tom/timbre de voz dos personagens; etc. São fatores que contribuem para a personalidade dos personagens e para a cena em si, tornado-a mais emocionante; mais dinâmica; mais engraçada; dependendo do que o autor quer passar.
    Quem imaginou logo de primeira ao ler o manga de One Piece, sem ter visto o anime, o quão cômica era a voz de Luffy, por exemplo? Ao ver o anime você tem a completa ideia do que o autor quis passar.

    Por fim, como o autor do blog “Just as Planned” citou, mangas são dropados/entram em hiatus. Sei que não ocorre com todos, porém é uma prática bastante frequente, principalmente o segundo caso. Se você está assistindo um anime daquela obra eles improvisam o final, que na maioria das vezes não fica tão, infelizmente, mas é um desfecho de qualquer forma. Não deixa o telespectador esperando por eras o final da obra. Embora muitas vezes de má qualidade, eu encaro como algo melhor que nada. Tenho um receio imenso de começar a ler uma obra que não terminou de ser lançada e rezo para que as que eu comecei não sigam por este “caminho obscuro do hiatus”.

    Então, resumidamente, acho animes mais interessantes por causa de todos os fatores que citei que levam você a conhecer melhor a obra e a intenção do autor, além de serem mais dinâmicos e prenderem mais minha atenção. É melhor ver o movimento de um personagem segurando algo do que ler a palavra “grab/segura” em um mangá.

    • oberdanorris disse:

      Concordo muito do que você disse sobre livros, tenho o mesmo felling. Também acho que não há relação direta entre os brasileiros lerem pouco e “as pessoas preferirem anime do que mangá.” Sou bastante balanceado em quantidade de animes e mangás que vi e li, apesar de horas que passei vendo anime são consideravelmente maior do que li mangás por causa dos animes originais e filmes. Discordo da parte em que você diz que o mangá não é uma “leitura completamente interessante”, entendo que seja totalmente pessoal, mas há cenas em que no anime eu sinto algo e no mangá sinto algo mais acentuado.
      Pego por exemplo a série NHK, vi primeiro o anime e achei bom, gostei, tanto que fiquei com aquela vontade de querer mais, daí que surgiu o interesse de ler o mangá que é superior ao anime, que é mais intensivo mesmo sem o apelo musical, sem a movimentação do anime. E alias, achei no mangá até uma forma de complementar o que eu não havia entendido direito na animação direito.
      Algumas obras li primeiro o mangá e depois senti a necessidade de ver o anime, e vice-versa.
      Você deveria dar uma nova chance ao mangá, é diferente de um livro em que você tem que imaginar tudo (Ainda é mais interpretar), mas não deixa de ser intenso como, não deixa de passar uma mensagem, ainda há a necessidade de interpretar como nos livros. Não digo que o mangá substituiu o livro, mas assim como uma HQ não deveria ser negado o título de literatura como, geralmente, fazem. (E você não fez isso)

      • Apesar de tudo que eu disse ainda dou chances aos mangás como você falou. ^^ Porém em casos especiais. Por exemplo, eu amo xxxHolic (anime) e fiquei super feliz recentemente, pois ganhei a coleção completa de mangas. Além do fato de eu gostar muito sei que nem tudo é exibido no anime, principalmente a relação entre xxxHolic e Tsubasa que é praticamente inexistente no anime de xxxHolic.

        Outro que gosto muito é One Piece, li compulsivamente do início aos atuais, porém o considero uma exceção, pois foi o único que me prendeu de verdade.

        Concordo que ainda há a necessidade de interpretar, mas fico com a preocupação, talvez tola, de me perguntar se estou interpretando aquilo do jeito que o autor escreveu. Então se tenho a alternativa de conhecer a obra do jeito que o autor imaginou, dou preferência a ela. A diferença entre mangas e livros pra mim é que nos livros me sinto mais livre pra interpretar do que no mangá, que me mostra qual a feição de cada personagem e as roupas que ele veste, por exemplo, já é “meio caminho andado”. Além de que as adaptações de livros para o cinema são muito mais influenciadas e cortadas do que as adaptações de mangas para animes.

        Mas, novamente, não estou querendo desmerecer os mangas, é como eu disse e você entendeu muito bem, é completamente pessoal… ^^
        Death Note é um dos meus animes preferidos, quando fui ler o mangá o dropei, pois não me prendeu, apesar de eu já saber que a história é excelente.
        Mas não perdi as esperanças, ainda tenho alguns mangas na minha lista de Plan to Read do MAL, espero que, diferente dos que já provei, me prendam. =)

  13. Wildcat17 disse:

    Gosto tanto de anime como de mangá. Pegando num anime/mangá, há casos em que prefiro o anime e há casos em que prefiro o mangá. Há casos em que não consigo optar. No entanto, vejo mais anime do que leio mangá, embora esteja a trabalhar para fazer exatamente o contrário ou, pelo menos, ler tanto mangá como vejo anime. Tenho ainda uma peculiaridade: há vezes em que não me apetece ver anime, mas apetece-me sempre ler mangá! Não consigo explicar porquê, mas parece que ao ler mangá me sinto mais “dentro” da história. Ou melhor, consigo desfrutar de quase qualquer mangá que leio, enquanto que, com um anime, vario de aborrecimento a veneração xD Porém, e esta é a grande explicação para tudo, acho aborrecido ler mangá num computador (e nem sequer cogito a hipótese de o ler num aparelho com um ecrã mais pequeno). Se qualquer mangá me diverte quando o leio fisicamente, um ótimo só me diverte pela metade se eu o ler online. Ora, como comprar mangás custa dinheiro, não posso comprar tantos mangás como posso ver anime gratuitamente. Não tenho outra razão – dinheiro.
    Leio muito menos mangá do que gostaria porque não posso gastar tanto dinheiro como gostaria – ou seja, muito, muito dinheiro.

    • Wildcat17 disse:

      Ah!, há outra razão. Para além de não apreciar ler mangás num computador, tenho sempre medo que o mangá em andamento que estou a ler seja droppado pelos scanlators.

  14. A Minha Opinião é a seguinte Mangá se Lê em PAPEL, o mesmo vale para livros, ler um livro ou um mangá inteiro na frente do PC é Massante, Desconfortável e cansa as vistas.

    Como não temos todos os mangás que temos em Papel aqui no Brasil, e quando tem as vezes a tradução não agrada o público, como foi o caso de Fairy Tail, A maioria prefere ver animes.

  15. Panino Manino disse:

    When you fall in the illusion that people prefer assistir animes a ler mangás?
    Tá muito errado isso.
    Existem animes originais, assim como mangás que não tem animação. Se você gosta de animes E mangás você precisa dos dois. Se fica em um só é porque você é um consumidor ocasional e ainda não chegou na fase de preferir um ao outro. Você nunca precisou escolher um ao outro.

    Tem mangás que são mais completos que suas adaptações, muitos animes acabam sendo adaptados enquanto o original ainda está em publicação e para não tirar o atrativo do original que é ter um final completo acabam em aberto ou em um final tolo. Entretanto algumas vezes ele consegue ter um final ainda melhor e mais satisfatório que os originais, vide os exemplos de Full Metal Alchemist e Chrno Crusade principalmente que tem finais originais excelentes, no caso do segundo um final ainda mais fiel a proposta da história do que o mangá original
    Em animes algumas cenas ficam mais legal de se assistir por causa da animação, dublagem e músicas, enquanto que no mangá por não ter limitação de tempo você tem cenas extras.

    Enfim, essa discussão é besta, coisa de 2004, e “não vale a pena ver de novo”.

    • Kabala disse:

      Concordo com você.

      É questão de necessidade, gosto e opção. Se algo lhe chamar atenção, irá querer saber tudo sobre aquilo, e não ignorar se realmente quiser.

  16. Pers disse:

    Acho que o fato de animes como “Cavaleiros dos Zodíacos”, “Dragon Ball”, “Sailor Moon”, “Yuyu Hakusho” terem chegado ao Brasil através de animes e não mangás influenciou bastante os brasileiros. Muitas vezes tenho vontade de ler um mangá depois de descobrir seu anime e não o contrário! Vejo mais animes pq é mais fácil o acesso, não tenho paciência para esperar os mangás chegarem nas bancas, se fosse no Japão talvez eu tivesse mais opção de leitura enquanto espero por um ou outro anime. Atualmente adquiri o hábito de baixar os mangás, mas geralmente tenho que recorrer a outras línguas para poder ler a história completa, porque às vezes não tem em português!

  17. Eu ja prefiro mangá, mesmo lendo no pc, eu prefiro… engraçado que eu sinto + preguiça em ver anime do que ler mangá ._.’

  18. Douglas F disse:

    Prefiro mangá, coleciono a mais de 10 anos, tenho muitos, só não gosto de ler mangá em PC, gosto de ir trabalhar lendo mangá no ônibus ^^
    Anime eu comecei baixar mesmo faz uns 3 ~ 4 anos mas bem pouco por causa que a internet era ruim, nos últimos 2 anos melhorou a internet e assisti bastante e consegui acompanhar os melhores animes de cada temporada.
    De qualquer forma os animes que tb li em mangá, na sua maioria era bem melhor ler, me envolvia mais nas histórias

    Abraços

  19. Muryel Death disse:

    Primeira vez que paro aqui no Gyabbo para ler alguma matéria, adorei a matéria e seria uma daquelas questões como “o mundo foi feito por Deus ou foi o Big Bang” e que todo mundo tem uma opinião feita ( sobre isso acredito que é só junta, Deus uso uma técnica chamada Big Bang e aqui estão nos).kkkkk
    Tirando a piada infame, concordo com muitos acima e principalmente com o poste em si, que ambos animes e mangás são farinha do mesmo saco que seria um erro tenta fazer uma rivalidade.
    Assim como alguns eu apenas conhecia os animes da tv aberta e em 2009 comecei entra de cabeça em assistir animes na net e apenas no fim do ano passado que comecei a ler mangas online, mas é claro procurei mangas de animes que já gostava. Para mim é fácil ler uma manga de anime que curto do que ler mangas sem sabe algo
    E é bem difícil encontra sites especializados em mangas e ainda mais em mangas completos e o grande crescimento de diversos animes nos últimos anos especializados em animes, mas é claro que os mesmos tentam trazer mangas porem em sua grande maioria são de animes conhecidos ou mangas que fazem sucesso lá os EUA. Por exemplo é mais fácil encontra mangas ou animes de gênero especifico com ação ou comedia do que terror ou suspense.

  20. nintakun disse:

    Excelente artigo, Gyabbo.

    Bom, como todos que me conhecem devem saber, sou extremamente birrento pra ver anime e prefiro bem mais passar meu tempo lendo mangás. Eu raramente assisto animes (99% das vezes por culpa da preguiça, falta de tempo, paciência e disposição), quando costumo ver é porque é um anime com roteiro original ou se é uma adaptação de algum mangá que eu conheça, só pra ver como ficou animado/adaptado,etc.

    Também tem outra razão, no meu caso, meu ritmo de leitura é um pouco rápido (apesar de que depende da obra também) e eu poder ler os mangás no meu próprio ritmo, enquanto nos animes, eu tenho que acompanhar no ritmo deles, que costuma ser mais lento que o meu. Mas eu não tenho esse problema só com animes, com mídias audiovisuais em geral no computador (exceto filmes, que é mais por preguiça mesmo) eu tenho essa falta de paciência. Só costumo assistir adaptação de um mangá que eu não li em último caso, só se não tiver scans dele na internet em inglês e se o anime for 100% fiel à obra e ser capaz de transmitir a mesma sensação do original (como é o caso da parte 1 de Kaiji, que tive que assistir antes de começar a partir pro mangá, cujas parte 2 e 3 já tem tradução pro inglês na internet). Eu penso da forma “se eu tenho acesso fácil à obra original, pra quê vou ver/ler uma adaptação? Quero ver o que o autor original planejou para a obra, o que ele quis passar com ela, e por aí vai.” (tanto que isso, há um tempo gerou uma certa discussão no twitter que levou a mal-entendidos e quase quiseram a minha cabeça numa mesa, LOL)

    Quanto ao Scan vs. Mangá em papel. Eu devo ser um alienígena, só pode. Me habituei TANTO, MAS TANTO com scans que eu perdi o jeito pra ler em papel. Senti esses dias isso quando fui pegar uns mangás que comprei pra ler. Não sei exatamente qual é a causa disso, mas provável que deva ser pelo fato de muitos dos mangás que me interesso em ler não terem a menor chance de verem a luz do dia por aqui ou fora do Japão, cabendo assim aos scanlators divulgá-lo, mas enfim, é só uma questão de costume. E nesse caso das scans, partilho da mesma opinião que o Estranho e o Judeu Ateu aqui nos comentários.

  21. Olha, eu vejo muito ambos, animes em maior quantidade, mangás não me atraem pela falta de que a adaptação em anime tem, anime tem aquele movimento, closes que dão analisar melhor as cenas, o trabalho dos seiyuus, toda a movimentação, a trilha sonora, isso acaba pesando a favor dos animes, mas isso é claro, é válido quando a adaptação é boa.

    Mas achar mesmo, eu acho que deveria ter mais pessoas como eu, não leio lá muitos mangás por vontade própria, os ditos mangás sem adaptação, mas quando o anime teve algo em potencial, eu não fico choramingando “BUAAAAA, KD 2º TEMPORADA”, não, eu vejo se o mangá tem a disponibilidade pra que eu possa ler, tanto que 90% do que eu leio, vem do que eu vi antes animado, é meio chato de se adaptar? É, afinal, eu conheci aquilo animado, é estranho ver aquilo “parado”, digamos dessa forma.

    Mas que as pessoas deveriam ler mais alguns mangás deveriam, mas acho que pesa as vezes, é também o fato do mangá não estar disponível, eu leria Moyashimon e Hen Zemi, mas em ambos, os scans pararam, qual a motivação de ler ao invés de conhecer outro anime?

  22. eiko-chan disse:

    Como já disseram, são duas mídias diferentes – logo, não tem como comparar. É a mesma coisa que livro vs. filme. Cada um tem suas peculiaridades, seus altos e baixos; tem livro que é mil vezes melhor que o filme adaptado e vice-versa; tem gente que só lê ou só vê e tem gente que é tão fissurado na obra que faz os dois.

    Quanto ao mangá não ter sido feito pra ler num computador… Concordo que ficar lendo o dia inteiro no computador cansa, mas, obviamente, quando se usa muitos os olhos (seja para ler num computador ou impresso, para ver no pc ou na televisão) cansa! E tem uns scans que fazem um ótimo trabalho,é só saber escolher.

  23. Gouka disse:

    *Escrevendo esse comentário antes de ler o post e de ouvir o podcast. Vou responder a pergunta como se fosse direcionada a mim, e ao ouvir o podcast e ler o post eu responderei da forma que ela foi feita*

    Eu não faço ideia. Até porque eu vou contra a corrente, afinal leio mais mangás (fora alguns animes que vejo pela inacessibilidade ao mangá do mesmo). Mas o que me faz escolher anime ou mangá, é o quesito “originalidade”, ou seja, quem veio primeiro. Não gosto de adaptações, gosto de aproveitar a obra “no original”, e ultimamente não tenho visto animes que não sejam adaptações de mangás que me agradem, ao contário dos mangás, que geralmente são a obra original, o que me dá uma gama maior de títulos.

    • Gouka disse:

      Depois de ver todos os argumentos de ambas as partes, eu acho que a falta de gosto pela leitura do brasileiro por si só é um fator crucial pra explicar o gosto pelos animes. Jogando pra um contexto mais amplo, a maioria prefere cinema à literatura. (Me arrisco a dizer que não só no Brasil), e eu acho que isso já é o suficiente para responder a pergunta. Somado a isso ainda há o fato de que o “otaku” em sua maioria foi atraido ao mundo da cultura da terra do sol nascente, justamente pela TV, o que faz a pessoa se manter no que conhece. Quanto à falta de “divulgação” da blogosfera citada no podcast, eu acho que isso não criaria tanta curiosidade pelo mangá justamente por causa do primeiro argumento, a falta de gosto pela leitura.

  24. Hegff disse:

    Ótimo texto.

    Eu prefiro ver animes à ler mangás, isso é facilmente percebido comparando a quantidade que consumo de cada um. Comigo [o que também acredito que acontece com os demais], é por causa do conjunto de dois pontos citados na discussão. A preguiça, porque o mangá ‘exige’ mais do leitor que o anime, e por utilizar movimentos, sons (seja pela trilha sonora ou seiyuus), ser colorido, me cativando mais facilmente.

    Além disso, o hábito da leitura não estar presente na vida de grande parte da população, enquanto assistir televisão está presente [até demais] no cotidiano de não só brasileiros, mas da população mundial como um todo também interfere nessa preferência e é mais que necessário ser ressaltado.

    Em hipótese alguma é pela diferença de qualidade. Em ambos, encontramos ótimas obras e outras que você se pergunta como alguém conseguiu fazer algo tão ruim. Também não acho que seja pelo fato do mangá ser, geralmente, lido online. Eu compro alguns mangás mensalmente e sei o quão melhor é lê-los em mãos, mas não acho que isso chegue a influenciar tanto.

  25. ringochi disse:

    Adorei o texto. Como já dito a mídia visual, desde sua ascensão, se tornou mais forte que a impressa e o comodismo de “ingerir” aquilo que é animado e cheio de firulas que agradam ao olhos, ajudam e muito a fama e consumo de animes serem maiores que mangás. Eu particularmente prefiro assistir animes, só leio mangás caso eu me interesse muito sobre a história ou queira saber mais sobre o enredo e isso não se dá ao fato da falta de habito de leitura, até porque eu gosto muito de ler, porém eu não gosto, nem um pouco de ler um livro cheio de figuras ou ficar vendo imagens com balões, é esquisitice, mas é uma questão de gosto mesmo. Sobre a qualidade de uma e outra, bem adaptações são adaptações se fossem rigorosamente idênticas ao original, n seriam adaptações e sim versões animadas, o que seria bem chato alias.Sobre ler pelo pc, acho que é uma questão de interesse mesmo, se vc está curioso e animado com a história, você lê 5 volumes na tela , quase sem piscar, se não for tão interessante assim você logo abandona.

  26. Leecher Maldita disse:

    Eu prefiro mangas, acho mais interessante e envolvente, a ideia de ter que imaginar toda a cena, as vozes, as cores(vejo tudo praticamente colorido)… Eh divertido, não importa se eh online\baixado ou manga real. Porem as pessoas estam com preguiça ate de fazer isso na nossa sociedade comodista (não que todos sejam assim)…Espero que um dia isso mude pq eh muito divertido conversar e discutir sobre manga assim como sobre animes! Povo abram os olhos, não sabem o q estam perdendo XD

  27. Kurama disse:

    Eu estou começando a ficar irritado com os animes, pois eles estão muito incompletos.
    Tipo Nazo no konojo X, dificilmente terá segunda temporada, fora que eles limaram muita coisa do mangá. então na hora de ler, vou ter que ficar passando as coisas apresentadas no anime.

  28. Passo boa parte do tempo em frente ao PC lendo diversas coisas, desde informática à assuntos de animes em geral. Pelo menos no meu caso posso dizer que não tenho preguiça de ler. Mas eu vejo mais animes do que mangás.

    Li Tsubasa Chronicles apenas pra poder ver o final da história, que não foi mostrado no anime. Já tentei começar a ler Pokémon Special (até por eu ser fã de Pokémon e ter um site sobre isso), mas não passei muito do começo, creio que foi por pura preguiça mesmo, ou falta de tempo (mesmo a temporada Best Wishes do anime estou penando pra acompanhar). Depois tentei ler Pokémon RéBurst, só que não encontrei NENHUM scanlator que traduzisse o material para o português (mesmo em inglês é raro achar).

    Fairy Tail eu estava acompanhando o anime até agora, e me recusava a ler o mangá, em parte porque via como os próprios defensores do mangá eram muito CHATOS, defendendo com unhas e dentes o impresso como sendo melhor, o que me deixou com um bloqueio (“se é tão bom assim, não quero ler o mangá para não perder a graça de ver o anime, que eu gosto tanto”). Era assim que eu pensava, ou melhor, que me fizeram pensar. Mas na última semana tomei coragem e li o mangá de Fairy Tail. Foi aquela chuva de spoilers, naturalmente. Mas não me fez perder a graça de assistir o anime. Não vi uma “superioridade” que devesse ser tão defendida assim. Ainda prefiro o anime, por causa da trilha sonora, das vozes e da animação (até a arte desse anime considero superior ao mangá, Happy que o diga). MAS comecei a acompanhar o mangá, porque, sei lá, gostei (me perdoem se isso não contribuir para a discussão xD). Fui capaz de ver mais de 25 capítulos em menos de um dia.

    Bom, o que os blogueiros podem fazer para tentar incentivar a leitura dos mangás… uma idéia seria fazendo comparações com suas versões animadas, assim como o Subete Animes fez ao falar de Nazo no Kanojo X (http://www.subeteanimes.com/2012/07/nazo-no-kanojo-x-uma-temporada-em.html). Foi uma análise sincera, bem estudada. Ao defender qualquer mangá que seja, é bom ter um motivo melhor do que simplesmente dizer “no mangá tem sangue, por isso é melhor”.

    • Ah, uma coisa interessante aqui que esqueci de comentar. Quem acompanha o anime e/ou o mangá de Fairy Tail deve ter percebido que o autor decidiu contar uma parte da história somente no ANIME. Muitos estão chamando a saga do relógio no anime de “filler”, sendo que não é. Na verdade é uma parte canônica da história que não foi contada no mangá (mesmo que tenha sido usado para distanciar o anime do mangá, visto que estavam ficando muito próximos). Seria uma tentativa de incentivar os fãs do mangá de Fairy Tail a acompanharem também o anime? Estaria Mashima nadando contra a maré? xD

  29. Amorim disse:

    Bem, muitas opiniões por aqui então vou por a minha também.
    Se formos categorizar uma comparação entre mangás e anime o que mais me ressalta são os suportes que cada um desses utilisam para serem veiculados ao seu publico alvo. Entre isso abre espaço pra discursão da vizualização em formato digital, impresso, mercado, disponibilidade, mobilização de fãns entre diversas outras coisas mas queria pontuar o comportamento do publico brasileiro. Vejamos, o publico brasileiro teve um crescimento no consumo de arte oriental apartir de animes vinculados por programas de tv, logo foi posto na mesma área que as demais animações que costumavam consumir que vinham do mercado norte-americano quando europeu. É sobre isso que fundamento o meu posicionamento. O brasileiro vem a anos consumindo aquilo que é apresentado a ele, não tem nenhum custo financeiro, nenhum trabalho em procura e nenhuma argumentação sobre qualidade. Ele começa a consumir aquilo que “indicam” pra ele e se ele pode passar a consumir aquilo sem nenhum dos custos ditos, ele vai dar preferencia por aquilo.
    Nos temos uma cultura que nos apresenta animações através de programas de tv diários sem qualquer relação entre os desenhos, vide que era possível ver x-men evolutions, blue dragon, naruto e super choque um seguido do outro. Alguma relação entre eles? Todos são desenhos animados, apenas isso. Aproveitando essa estagnação do publico brasileiro que, acredito eu, o mercado de anime passou a se desenvolver.
    Logo não é bem uma discursão sobre qual consume mais porque é melhor e sim qual dos meios é mais fácil consumir. É possível acompanhar alguns mangás comprando em bancas de jornais ou livrarias, mas ainda assim vem em discursão o mercado de mangás no Brasil que imagino que todos saibam mais ou menos a situação. Tem que pagar para ler. Se não for essa a opção pode-se ler mangá disponibilizados online. Mangás não foram idealizados para serem lidos online, mas ficarem estagnados em um veiculo impresso limita o acesso dos leitores. Não?
    Agora animes são vinculados por meio eletronicos e com a costume que o público brasileiro tem, nos vamos atrá primeiro do anime. Então se você conhece um único site que seja atualizado com os animes de cada temporada, terá todos os animes a sua disposição. SE o anime satisfazer o telespectador, ele pode se enclinar a se tornar um leitor daquela obra. Veja que não há em momento algum um confronto de “qual o melhor”. Um é uma extensão do outro.

  30. Mystical disse:

    Bem,eu gosto muito de ambos,porém é digamos “mais facil” assistir o anime.Porque? porque se voce conhece um anime,é porque voce sabe que existe um fansub traduzindo ele,que é só voce ir em um site que você já acha e assiste,ja o mangá,ou voce tem que rodar a net pra achar algum fansub que traduza,já que a maioria dos Sites só posta animes além dos vários fansubs que traduzem o mesmo anime.Se voce conhece um título,geralmente é pelo anime,então voce assiste e não tem vontade de ver a mesma coisa denovo,porque acha que só o anime ja tá bom.
    Além de que o que MUITAS pessoas falaram e inclusive está no post ,o mangá não foi feito pra ler online,não tem nem comparação voce folhear um mangá e voce apertar a seta –> pra passar a próxima página,ou clicar na página pra ver a outra.No anime tem apenas uma tela,onde tudo acontece ali,ja o mangá tem vários quadros,e ainda tem aqueles quadros pequenos,ou falas de personagens que ficam por trás de outros. Além disso,tem aquilo do anime ser mais emocionante
    Isso acontece em muitos animes shounen e seinens de luta,e até em alguns Mahou Shoujos( Card Captor Sakura por exemplo) quem ja viu o anime e o mangá do título,concerteza concorda que é muito mais legal e emocionante ver a Sakura capturando as Cartas no anime do que no mangá.Tem também a OST,que deixa tudo mais emocionante ainda,e quando voce lê um mangá,uma coisa que voce não “ouve” “imagina” é algo instrumental pra tal cena,o que acaba deixando a cena meio “sem graça”
    Porém isso depende do gênero,eu assisto muitos shounens e seinens,mais leio muitos shoujos e vice versa,acho que o Shoujo é mais facil de entender todas as situações,já que não tem ação,batalhas e tudo mais,e na animação acho que fica menos legal do que ir vendo as coisa irem acontecendo do que no mangá,onde voce pode interpretar mais.Ja em um shounen,muitas vezes voce não entende NADA nas batalhas,é o caso de Freezing ( é seinen,mas tudo bem) eu só entendo todas as batalhas que vejo no Anime. Porém no fim,não da pra dizer que assistir é melhor,porque acho sinceramente que ler um mangá é bem mais prazeroso que assistir um anime.Além de claro,as adaptações porcas que acontecem em alguns animes que estragam os mesmos.

  31. leokiko disse:

    Eu prefiro mangás. Não tenho muita paciência para assistir mais.

  32. Jasque disse:

    Eu prefiro anime, até porque minha leitura é muito lenta.
    Mas costumo evitar ver anime que terminou com final diferente do mangá, mas estou começando a mudar isso com adaptações que se saíram muito bem como Sakamichi no Apollon e Nazo no Kanojo X e eu não me arrependi nem um pouco de ter assistido.

    Aliás, essas 2 obras adicionam ao mangá.
    Ver um anime sobre jazz e ler um mangá sobre jazz é diferente.
    No caso do Nazo, só a dubladora da Urabe já é um atrativo e tanto, sem falar na trilha sonora que é ótima.

    Mas se for aqueles animes que vão chegar no episódio 50 pra ter um final filler…
    Pra que assistir? Ainda mais quando muda a história do mangá várias vezes, você acaba tendo de ler o mangá inteiro. Eu nunca assistiria o anime de Gantz(que eu já li um bocado) ou de Soul Eater, por exemplo.

    Animes com roteiro original tem me agradado também ultimamente.
    E tem também vários animes adaptados de light novel e essas dificilmente são traduzidas.
    Então, no final fico com os animes, mas de vez em quando dou uma lida em algum mangá, como estou fazendo com Monster no momento.

  33. Rafaga disse:

    Eu gosto dos dois^^
    Leio o mangá pela sua arte(eu desenho e é uma ótima referência) e por ter um final original.
    Tem muito anime que o final é grotesco ou está incompleto.
    Um grade exemplo foi o fullmetal(o primeiro), ñ que ele foi ruim, mas foi totalmente diferente do mangá.
    Já o anime tem a sua trilha sonora, a ação e tudo mais.
    Tem animes que são muito melhores do que as suas obras originais
    e quando o anime é de música e tal o melhor é assistir.

  34. Lisy disse:

    Buenas onde eu moro são poucos os lugares que vende manga (tipo vem 4 só) e vão super rápido quando vou comprar já não tem, acabo ficando com a serie incompleta, não curto ler no pc gosto do prazer de carregar um manga na bolça e quando da tempo ler. Gosto muito dos traços do manga, em geral acho os personagens mais bonitos do que no anime.
    No anime curto a trilha sonora, a voz dos dubladores, os movimentos. Cada um tem algo que me atrai mas, amo os dois, gosto de ler o manga e depois ver o anime em geral nunca são iguais.
    Sinceramente tenho visto mais animes ultimamente nem ando frequentando as 6 bancas, que passava uma vez por semana, mais.

  35. Eu particularmente sempre vou atrás do trabalho original, seja ele light novel, mangá ou visual novel (é mais difícil, mas há também casos onde o original é o próprio anime), porque geralmente se tem uma ideia muito melhor do que o autor quis passar com a história.
    Como gosto muito de ler, preferir mangás à animes foi algo meio natural para mim, além de que felizmente nunca tive dificuldade em ler coisas no PC.(Agora que tenho um tablet ficou ainda mais fácil =p).
    Na minha visão essa preferência a animes, pelo menos no Brasil, realmente se dá ao fato da falta de costume da leitura dos brasileiros. É muito mais confortável simplesmente sentar na frente do seu PC/TV e dar play do que sentar e ler um volume de mangá.
    Bom, para completar, só queria deixar um desabafo: Queria muito que alguma editora brasileira desse atenção às light novels. Existem diversos títulos ótimos lançados no Japão, e eu não hesitaria em pagar para ter. Além de que é um sonho meu existir uma empresa brasileira equivalente à “MangaGamer”. Mas enfim, sonhar é de graça né?

Os comentários estão encerrados.