Samurai Flamenco – Primeiras impressões

Samurai-Flamenco-1A máscara do Kamen Rider conta como capacete quando ele está andando na sua moto ou ele é um herói fora da lei?

Samurai Flamenco é uma obra original do estúdio Manglobe (Samurai Champloo; The World god Only Knows) para o prestigiado bloco noitaminA (Nodame Cantabile, Higashi no Eden) com direção do diretor  Takahiro Omori (Durarara!!; Baccano!, Hotarubi no Mori e). Eu sei que é chato sair jogando nomes em japonês como se isso fosse resultar automaticamente em uma obra de qualidade, mas se você se preocupa um pouco mais em conhecer quem faz os desenhos animados que tanto gostamos é meio difícil dizer que essa combinação não chama muita atenção, no mínimo, e cria expectativas para algo bom, no mínimo…

Mas a verdade é que, pelo menos nessas primeiras impressões deixadas pelo episódio um, o resultado de tudo isso pode ser bem resumido pela imagem abaixo:

Samurai-Flamenco-2Na história temos o jovem e sonhador Masayoshi Hazama que cresceu assistindo e adorando os heróis dos tokusatsu e utilizando o senso de justiça idealizado desses personagens como seu próprio ideal de mundo. Seu grande sonho era ele mesmo se tornar um herói, mas depois que descobriu que isso não seria possível ele acaba virando modelo já que não saber fazer mais nada na vida além de usar as belas características físicas que Deus lhe deu – nem idol ele pode ser pois não sabe dançar, cantar ou mesmo falar direito com as pessoas.

Bem financeiramente com sua carreira, Hazama sente que precisa seguir seus sonhos. Pedindo para um amigo estilista criar uma roupa de herói ele acaba encarnando Samurai Flamenco, aquele que deve proteger a paz e a justiça, ainda que isso seja simplesmente não deixar as pessoas jogarem lixo no chão ou fumar em área proibida, afinal, no mundo real, e principalmente em um lugar como o Japão onde a criminalidade é baixa, não existe um real vilão para ser seu antagonista.

Samurai-Flamenco-3É assim que em sua primeira incursão como o melhor amigo da vizinhança, Hazama é nocauteado por um engravatado embriagado que atravessou na faixa de pedestres na hora errada e acaba nu em uma viela perto de onde mora o policial Hidenori Goto para quem acaba sendo obrigado a revelar suas ideias. Assim começam as aventuras desse “herói” idealisticamente ingênuo, mas que justamente por ser assim começa a acender uma fagulha de inconformismo nos poucos que não riem dele.

Olhando para o lado positivo do que foi apresentado nesse primeiro episódio continuamos com a franca imagem de que temos uma história com alto potencial nas mãos de pessoas qualificadas para transformar em algo divertido de se assistir. Samurai Flamenco pode, sim, ser interpretado em mais de uma camada onde apresenta um discurso de “Hey, não fique aí parado, faça algo pelo mundo, mesmo que algo pequeno!” – como podemos ver bem na cena contra o grupo de colegiais “vadios” -, confrontando um conformismo próprio das sociedades democráticas atuais (e que nós vemos começar a balançar em tempos recentes) que só poderá mudar a partir de visões de mundo tão estranhas ao que temos hoje que ao primeiro olhar soam até ridículas.

Essa é a ideia principal de Samurai Flamenco, esse é Hazama quando coloca sua fantasia. Goto, o policial prosaico representa toda sociedade estagnada que prefere ignorar as coisas a fazer algo a mais.

Isso é interessante, não? Pena que a execução tenha sido tão ruim.

Samurai-Flamenco-4Começando por uma questão pessoal, Samurai Flamenco funcionaria bem melhor se utilizasse uma paleta mais coloridas, menos escura, menos “pálida”. É difícil comprar os sonhos de Hazama com uma arte – feita a toque de caixa – que não acompanha aquilo que se quer passar. Algo mais parecido com o ótimo Gatchaman CROWDS (que parte de pressupostos semelhantes) teria dado um efeito bem melhor aqui.

Mas se arte, animação e cores não colaboram com o projeto apresentado, o que falar da narrativa lenta, arrastada e repetitiva que vemos nesse primeiro episódio? Sério, até cena repetida tivemos. Antes essa lentidão fosse usada para criar um real elo entre os dois protagonistas da série, mas não, é exatamente nessa parte que as coisas correm e temos que simplesmente aceitar que aqueles dois viraram amigos e que o modo de ser do Hazama faz toda uma diferença em Goto em um curtíssimo espaço de tempo.

Samurai-Flamenco-5De todas as minhas grandes apostas para essa temporada de outono 2013, Samurai Flamenco foi a única a me decepcionar, conseguindo fazer isso com grande magnitude. É claro que o potencial ainda existe, a prévia do próximo episódio já começou a mostrar como membros da cidade vão aos poucos conhecendo o herói Samurai Flamenco e, claro, isso trará consequência bem maiores que um simples soco de um bêbado.

7imq9r4r4r4rvgh copy copy

Porém, enquanto primeiras impressões não há como forçar a barra demais, temos uma material chato e que não empolga para mais um episódio. Torço para estar errado e dobrar a língua mais tarde, mas realmente tenho minhas dúvidas.

E vocês, o que acharam da estreia de Samurai Flamenco? Você pode ver a série com legendas em português de forma oficial pelo Crunchyroll.

Samurai-Flamenco-6 Samurai-Flamenco-7 Samurai-Flamenco-8OBS: Apesar de termos Meganebu! nessa temporada, acredito que Samurai Flamenco será facilmente a nova série das fujoshi – algo que a produção do anime fez questão de ajudar.

30 respostas em “Samurai Flamenco – Primeiras impressões

  1. Compartilho da decepção, principalmente pelo fujoshi. Tava muito animado pelo título, e meu ânimo caiu por água abaixo, logo na abertura. Tive a impressão de que os personagens que vão aparecer serão os mais genéricos possível. Ainda assim, acho que vou dar uma chance pra ver se vou acompanhar até o final ou se vou dropar.

    Curtir

    • Não achei o “fanservice fujoshi” algo incomodante. O anime teve problemas piores nesse primeiro episódio, duvido muito que chegue aos pés de algo como free.

      Curtir

  2. Ainda estou baixando o episodio para assistir.
    Também sou do time da expectativa o/ Mas só lendo essa matéria, até a parte da “decepção”, parecia uma versão japonesa, de Kick Ass, mas sem sangue…

    Curtir

    • Pensei a mesma coisa. Quando li a descrição, logo de cara me veio Kick Ass na cabeça. Mas, no caso de Kick Ass, o filme é mais agitado e o personagem principal é um nerd sem noção.

      Curtir

  3. nao sabia de nada dese anime antes, pensei que seria que seria um Kamen Rider em anime cheio de monstros e vilões malucos tentando conquista o mundo e muitos efeitos luminosos e frases de efeito pelo que vir na capa do anime. mais nao e ruim do jeito que fico pelo menos ainda tem as frases de efeito (concordo deveria ser mais colorido ou melhor pode ir colorindo o anime conforme o tempo passa e os ideais si difundem )

    Curtir

  4. tambéma chei bem fraco, fiquei sem animo de continuar assistindo… se eu o fizer é muito mais pelo “fator fujoshi”, pq eu estava esperando a qualquer momento que um clima começaria a rolar! xD
    vou esperar como vai repercutir no tumblr pra ver se vale a pena

    Curtir

    • Exatamente o que eu pensei, principalmente pela personalidade dos dois principais (e as respectivas profissões que, quer queira quer não, meio que estereotipam). Espero estar errado e esse ser um anime bom com um primeiro episodio fraco

      Curtir

  5. bem, eu realmente não achei tão ruim assim.. ‘-‘
    até as cores eu curti. achei um padrão de cores bem leve.
    não acho que ele seja um anime de peso. acho que é um daqueles animes leves que servem para divertir e distrair, então não deve julgá-lo como um shounen tenso ou algum anime de drama ou suspense.
    particularmente gostei bastante. achei bom pra dar uma ou outra risada e distrair, esquecer problemas, entre outros.
    na minha opinião, esse é o objetivo desse anime, sem contar, é claro, a forma simples de trazer questões um tanto polemicas, que a maioria da pessoa finge não ver, à tona, e de uma forma divertida e descontraída.
    e acho que o fator BL (pq, pra mim, fujoshi são yaoi fan girls, assim como fudanshi são yaoi fan boys) serve para trazer um tema à mais para a história, um tipo mais emblemático de relação entre os personagens, de forma que os que assistirem fiquem o tempo todo imaginando se vai rolar algo ou se é apenas uma amizade.
    particularmente acho que não vai passar disso, mas nunca se sabe, né? -qq
    enfim, acho que tem vários outros animes nessa temporada que terão uma carga sentimental, dramática e de suspense maior, e que chamarão muita atenção por isso, mas não devemos comparar animes com objetivos diferentes, pois não faz sentido. este, para mim, é um anime para relaxar e descontrair e, as vezes, esses são importantes de uma forma que algumas vezes nem se imagina. ^^

    Curtir

  6. Serio cara, tu assistiu o mesmo anime que eu? ._.
    Não entendi a critica ao padrão de cores sendo que o anime tentou deixar bem claro que tudo se passa no mundo real, não é algo futurista como um anime de super heróis de verdade como Tiger&Bunny ou Gatchaman. Nisso, a paleta de cores e o design “normal” dos personagens acaba se ficando muito melhor na proposta do anime.
    Por mim foi um excelente primeiro episódio, apresentou bem a proposta e os personagens (bem carismáticos, por sinal, e eu quero muito ver o amadurecimento do superhero wannabe) e fechou redondo. Não entendi a crítica a repetição de piadas, acho que nem reparei nisso, me pareceu natural com o personagem em questão, não é como se fosse uma piada pastelona irritante.
    O que dá pra reclamar é da animação beeeem econômica. Peninha porque o character design é bem bonito.
    PS: A abertura é a melhor da temporada em questão de música;

    Curtir

      • também achei que as cores combinaram com a ambiente. muito melhor retratar o mundo real com cores frias do que cores alegres. porque o mundo de verdade não é tão bonitinho e colorido. e_e

        quanto a ritmo, eu achei bom. foi gostoso de assistir do começo ao fim. o episodio apresentou bem os dois personagens principais, e nem preciso de um background.

        estou curioso pra saber o que vai acontecer daqui pra frente na historia. pra falar a verdade, to torcendo pro protagonista conseguir se tornar um super heroi no final. ou que pelo menos ele se torne um heroi de alguma forma.

        Curtir

  7. Achei sim um pouco lento, mas o potencial é muito e, como você mesmo disse, a equipe é boa, então por que não ir até o epi 5 com ele e ver no que vai dar?

    Curtir

  8. Eu nunca tive tanto hype assim em Samurai Flamenco, já sabia de relance que seria uma obra mediana, mas nesse primeiro episódio, ao contrário de todos os comentários, vi si um potencial por trás dessa lentidão toda. Ainda não dá pra definir o rumo que o enredo vai tomar, espero que os personagens a serem introduzidos façam valer a expectativa e o peso do Noitamina, não que de tempos pra cá o bloco não tenha decepcionado, é só se lembrar de C…

    Quanto ao aspecto fujoshi, acho que isso já é um pouco de paranoia, claro que, pelo que tudo indica, vai haver romance e todo um melodrama, mas a interação entre os dois personagens principais não foi tão bishounen como dizem.

    Ao todo eu gostei desse episódio inicial, um anime com um tema diferente que serve como diversão e nada mais.

    Curtir

  9. “OBS: Apesar de termos Meganebu! nessa temporada, acredito que Samurai Flamenco será facilmente a nova série das fujoshi”

    HSIODHISOHDIOSHDISHD Pensei na mesma coisa enquanto assistia.

    Curtir

  10. “Apesar de termos Meganebu! nessa temporada, acredito que Samurai Flamenco será facilmente a nova série das fujoshis – algo que a produção do anime fez questão de ajudar ”
    Claro bem, na verdade esse mecha já está na boca das fujoshis u.u Impossível não shippar! Yaoi fanservice for life ♥~ hehe Masayoshi e sua personalidade infantil e fofa Não sei porque alguns acharam que o anime não foi atraente…depois de KnB II, Samurai Flamenco com certeza fica entre um dos primeiros mais excitantes da temporada! E os gráficos podem ser não atraentes, mas retrata o mundo real então não vai colocar cor neon igual de Meganebu véi *—* além do mais o design dos persos são muuuito lindos. Assisti o primeiro ep. de boa, sem me sentir ‘forçada” xD
    Vou acompanhar até o fim, com certeza!

    Curtir

  11. Não foi um primeiro episódio arrasa-quarteirão mas achei interessante e fiquei com vontade de ver o próximo. Não tive problema com o relacionamento dos protagonistas – inicialmente o Goto salva o Hazama por dever, afinal mesmo não estando de serviço ele é policial, não pode simplesmente ignorar um cidadão que precisa de ajuda. Depois, ele ficou curioso – quem não ficaria ao conhecer um cara doido como o Hazama? E quando soube um pouco mais sobre ele, ficou meio com pena, talvez meio que se identificou com o idealismo do cara. Afinal todo homem já foi um dia um garotinho que sonhava ser herói.

    Do lado do Hazama, logo sabemos o quanto ele é imaturo: além da loucura de querer ser herói, trabalha como modelo por que não sabe fazer nada (nem pensa em aprender) e gosta da profissão por que “tem um monte de gente pra me ajudar”. Só faltava alguém “pra ajudar” ele a se tornar um herói. E aí aparece o Goto, um cara que “fala como os meus professores”. Alguém que aconselha, dá bronca, e ainda por cima consegue tirá-lo de encrencas. Claro que ele ia atrás do Goto.

    Concordo que o ritmo do episódio não foi muito bom, mas não chegou ao ponto de achar tedioso. Vamos ver como será o próximo episódio.

    Curtir

    • Foi exatamente isso que eu achei do episódio. Na verdade, *acabei* de escrever uma resenha falando as mesmas coisas – sobre a curiosidade do Goro pelo Hazama, e a dependência e imaturidade do Hazama, e como essa dinâmica funciona naturalmente. Fico feliz em ver alguém que compartilha das minhas opiniões sobre Samurai Flamenco!

      Curtir

      • *highfives* =D
        Pois é, agora estou curiosa para ver se o foco vai continuar nos dois e o Hazama vai crescer no decorrer da série ou se vai ser algo mais do tipo “vilão da semana”.

        Curtir

        • Aah, nem tinha pensado nessa segunda possibilidade. Por favor não!! Considerando que os “vilões” da primeira semana foram um bando de ginasiais, acredito que eles nem tenham material pra isso. Ou, pelo menos, quero acreditar.

          Curtir

  12. …e quanto a Meganebu! acho que as fujoshi – pelo menos parte delas – não gostaram muito do objetivo dos caras de inventar um óculos raio X para poderem ver mulheres peladas…

    Curtir

  13. Dos reviews de Samurai Flamenco q vi, acho q esse foi o melhor, bem detalhado mesmo. Só que no final, discordo um pouco com o Gyabbo, uma vez q acho q o anime ainda há como crescer. Sei que o primeiro episódio é o cartão de boas vindas, mas acho cedo pra dropar.

    Curtir

  14. Bom , gostei do primeiro EP tem um bom tema , mesmo sendo um pouco batido , deu animo de assisti os próximos. Estou achando essa temporada bem fraquinha tirando uns 5 animes esse foi acima da media ao meu ver …

    E parece mesmo que ira agradar as fans de fujishi quem quiser ver alguma coisa a mais vai conseguir .

    So o que eu lembrei assistindo foi Kick ass(divertido) e Robotic;notes(decepcionante) …

    Bom post …

    Curtir

  15. Concordo parcialmente com a resenha, que foi de longe a mais interessante que eu li sobre esse episódio, (apesar de eu ser algo como a-única-pessoa-da-blogosfera-que-curtiu-o-ep) mas tem uma coisa que eu queria comentar sobre a sua interpretação num nível socio-cultural… Eu não sei, mas compreendi quase o contrário. Enquanto você vê de uma maneira “não fique parado, faça algo pelo mundo, mesmo que algo pequeno”, eu vejo um discurso bastante conservador velado aí. O Hazama não é um cara que faz algo pequeno; Ele é um jovem-adulto com uma vontade vagamente esquizofrênica de ser herói. E aí ele briga com um bando de crianças no parque, em prol da moral e dos bons costumes e do futuro da juventude, quando na real *ele* é o adulto meio maluco, pelado na rua, estagnado por opção. Sim, concordo tem uma coisa bem atual em Samurai Flamenco – desde as redes sociais, as mídias, influências e tal, – mas o discurso *até agora* não é uma dessas coisas, IMO, e acho que uma boa ilustração disso é o discurso do “you’re settling for even less than curry udon, we’re talking artificial curry”, da parte do Goro, que é de fato o cara normal que faz uma coisa pequena no seu trabalho de policial… (e acaba fazendo grandes coisas, levando em conta que ele salva o nosso protagonista-viral-do-youtube?? idk..)

    Enfim, só queria falar disso haha e agradecer pela resenha, que eu gostei bastante. <3

    Curtir

Comente e participe da discussão

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s