O “de fã para fã” criou e matou a possibilidade de um mercado de animes no Brasil

Você alguma vez já se perguntou do porquê da existência dos fansubs de anime?

“Mas isso é óbvio, as séries não chegavam no ocidente, então os fãs resolveram fazer de tudo não só para ver aquilo que queriam, mas também para montar uma base maior de fãs e mostrar para as empresas que elas deveriam investir nesse mercado”.

Continuar lendo

Comics versus mangas

Na última quarta-feira (18/01), durante as comemorações do 3º aniversário do blog, fui surpreendido genuinamente pelo conteúdo de um post do Qwerty em seu blog Nahel Argama – Seu porto seguro para animes (depois do Gyabbo!, é claro) – com a imagem que ilustra o início deste post. Trata-se de um panfleto de uma loja de quadrinhos americana de Orlando, a “A Comic Shop”, onde, em claro patriotismo exarcebado informa: “Robama (Uma mistura de um ciborgue com o president Barack Obama) quer que VOCÊ compre [produtos] americanos” em tradução livre feita por mim. A ideia é que o cliente poderia trocar o volume #1 de qualquer manga pelo volume #1 de qualquer série do reboot da editora DC (entenda melhor sobre esse reboot AQUI).

Ao primeiro olhar, certamente esse panfleto soa um tanto quanto ofensivo não só para a mídia manga quanto aos fãs desse tipo de quadrinho, mas de certa forma também ao povo japonês. Um segundo olhar mais calmo pode até retirar todas essas impressões ou pelo menos minimiza-las, ainda mais após um dos donos da loja ter afirmado que tudo não passa de uma brincadeira e que não havia nenhuma ideia exageradamente patriotista ou anti-manga por trás do panfleto, além de que os próprios mangas trocados serão (ou seriam?) vendidos por $1 na própria loja. E ainda mais, estamos falando de apenas uma pequena loja. Porém, a questão se torna mais complicada quando sabemos que a própria editora DC não somente permitiu oficialmente o uso da imagem de seus personagens icônicos da Liga da Justiça, como também arcará (ou arcaria?) com 75% dos custos dessa ação de “marketing”.

Continuar lendo

Punch versus sites de reencodes: Onde os fãs se encaixam?

Você viu o discursão que tá rolando entre a punch e os encodes? Como blogueiro do meio o que você acha? Via: ighorhenrique

http://www.formspring.me/Gyabbo/q/283079746781195634

Não ia entrar nessa discussão, mas recebi essa pergunta esses dias pelo formspring (e mandem mais!) e como acabaria falando muito, resolvi trazer para o blog e expandir como já fiz anteriormente.

Para quem não ficou sabendo do que aconteceu no sábado, recomendo a lida deste link para melhor entendimento. Mas resumindo a história, de acordo com vários sites de reencode, estes estariam sendo alvos de ataques hackers feitos por um membro (mas especificamente conhecido como Tetsu) do speed fansub, Punch, o maior do Brasil em lançamentos e em acessos.

Continuar lendo

Coordenando uma sala de exibição de animes

Nesta última terça-feira (11/01) aconteceu em Manaus a 1º Amostra Cosplay realizada pelo grupo Zona Negativa e pelo SESC. A ideia do evento era possibilitar de forma gratuita um lugar para que os fãs desse hobbie se reunirem, se divertirem e conhecerem mais. Apesar de ser realizado em uma terça-feira marcada por uma forte chuva na cidade, o público compareceu em ótimo número (cerca de 1000 pessoas no dia inteiro) e pelos comentários que surgiram posteriormente, parecem ter se divertido.

Mas não é sobre isso que venho comentar hoje no blog. Juntamente com as atividades voltadas para o cosplay, havia na Amostra uma exibição de animes, algo obrigatório em eventos do tipo, da qual eu e o grupo Anime Sharing Day ficamos responsáveis.

Como fã de animes e mangas já fiz várias coisas que poderiam estar em uma daquelas listinhas para seu nível de fã, mas nunca havia feito parte de um evento por dentro. Acho que nunca comentei isso por aqui, mas tenho uma grande vontade de realizar meu próprio evento, muito para sanar a falta de certos elementos voltados realmente para animes e mangas que infelizmente não se vê nos chamados “Eventos de anime” hoje em dia. Continuar lendo

Anime, manga, fãs e religião – É possível?

Hoje é Natal! Gostaria de desejar a todos um ótimo dia de Natal e que Deus abençoe a todos. Aproveitando o momento, gostaria de convidá-los a um debate acerca da relação dos animes, mangas, os fãs, a sociedade em que vivemos e o cristianismo. 

Antes de começar a desenvolver a minha ideia preciso comentar da minha própria religosidade. Com uns 11 anos me considerava ateu, muito mais por rebeldia pueril do que por convicção verdadeira. Mais ou menos com essa idade que fui obrigado pelos meus pais a fazer aulas de cataquese, com o intuito de fazer a primeira comunhão. Não irei entrar em muitos detalhes, mas esses são pequenos “ritos” de crescimento dentro da religião católica; batismo, primeira comunhão, crisma e outras.

Ao contrário do que se poderia pensar, o fato de ter sido obrigado a ter “aulas sobre Deus” todos os sábados durante dois anos não aumentou minha vontade de ser ateu, ao contrário, abriu meu coração para receber Deus e crer em Jesus. Mesmo não sendo praticante, não indo muito a missa e tendo me confessado apenas uma vez, ali eu havia me tornado um católico de corpo e alma. Continuar lendo