O “de fã para fã” criou e matou a possibilidade de um mercado de animes no Brasil

Você alguma vez já se perguntou do porquê da existência dos fansubs de anime?

“Mas isso é óbvio, as séries não chegavam no ocidente, então os fãs resolveram fazer de tudo não só para ver aquilo que queriam, mas também para montar uma base maior de fãs e mostrar para as empresas que elas deveriam investir nesse mercado”.

Continuar lendo

Comics versus mangas

Na última quarta-feira (18/01), durante as comemorações do 3º aniversário do blog, fui surpreendido genuinamente pelo conteúdo de um post do Qwerty em seu blog Nahel Argama – Seu porto seguro para animes (depois do Gyabbo!, é claro) – com a imagem que ilustra o início deste post. Trata-se de um panfleto de uma loja de quadrinhos americana de Orlando, a “A Comic Shop”, onde, em claro patriotismo exarcebado informa: “Robama (Uma mistura de um ciborgue com o president Barack Obama) quer que VOCÊ compre [produtos] americanos” em tradução livre feita por mim. A ideia é que o cliente poderia trocar o volume #1 de qualquer manga pelo volume #1 de qualquer série do reboot da editora DC (entenda melhor sobre esse reboot AQUI).

Ao primeiro olhar, certamente esse panfleto soa um tanto quanto ofensivo não só para a mídia manga quanto aos fãs desse tipo de quadrinho, mas de certa forma também ao povo japonês. Um segundo olhar mais calmo pode até retirar todas essas impressões ou pelo menos minimiza-las, ainda mais após um dos donos da loja ter afirmado que tudo não passa de uma brincadeira e que não havia nenhuma ideia exageradamente patriotista ou anti-manga por trás do panfleto, além de que os próprios mangas trocados serão (ou seriam?) vendidos por $1 na própria loja. E ainda mais, estamos falando de apenas uma pequena loja. Porém, a questão se torna mais complicada quando sabemos que a própria editora DC não somente permitiu oficialmente o uso da imagem de seus personagens icônicos da Liga da Justiça, como também arcará (ou arcaria?) com 75% dos custos dessa ação de “marketing”.

Continuar lendo