Guest Post – A história de Nana Mizuki, a maior seiyuu do Japão – Por Leo Kusanagi

“There is no dream that can’t come true”: A história de Nana Mizuki, a maior seiyuu do Japão

Olá pessoas, como estão?

Hoje é dia de surtar! Não, eu não sou o Denys do Gyabbo!, sou o Leo-Kusanagi do blog Mithril e a pedidos do brother Denys vim fazer um post sobre a Mizuki Nana aqui no Gyabbo!. Mas não é qualquer post, muito menos um post de notícias. Aqui, amigos, irei contar sobre a vida da Nana, desde a infância passando pelos anos de escola até chegar aos dias de hoje se tornando a seiyuu mais importante do Japão. E isso não é falácia de fanboy, ela é reconhecida oficialmente por tal feito. Agradeço ao Denys por ter me convidado a escrever sobre ela e espero que vocês curtam este post.

OBS: A maioria das informações deste post tiveram como base a autobiografia oficial da Mizuki Nana, Shin Ai.

OBS 2: Tanto faz escrever Nana Mizuki ou Mizuki Nana, EU prefiro o jeito japonês com o sobrenome (Mizuki) na frente, mas vai de cada pessoa.

Continuar lendo

Professor Layton and the Eternal Diva

Existe dentro da cultura popular brasileira uma certa afirmativa que eu acho extremamente errado: Aquilo que é infantil é ruim. Essa afirmativa pode ser especialmente percebida no fandom de animes e mangas, onde para muitas pessoas dizer que animes são coisas para crianças é uma verdadeiro insulto. Mesmo obras como Naruto e One Piece, voltadas para o público infanto-juvenil, são alçadas por muitos como algo “maduro” simplesmente por não aceitarem que algo infantil pode ser bom (também há o caso das pessoas não quererem ser relacionadas à coisas infantis e por isso essa distorção, mas esse é um papo para outro post).

A questão é que essa é uma das maiores falácias enraízadas na formo como entendemos o entretenimento. Uma obra para ser boa, independente de quem a está consumindo, não precisa sair do infantil. Lá podemos sim encontrar coisas de imensa qualidade, como é o caso do movie que irei comentar hoje; Professor Layton and the Eternal Diva – Layton Kyouju to Eien no Utahime.

Continuar lendo

Senki Zesshou Symphogear – Primeiras impressões

Senki Zesshou Symphogear, apesar de possuir um manga lançado antes do anime, pode ser considerado praticamente um anime original, visto que o manga começou a sair em Dezembro recente, tendo o anime estreado em 06 de Janeiro deste ano. Começamos o anime com uma triste cena onde a jovem Miku chora aos pés da lápide de sua sua grande amiga (e possível interesse amoroso pelo que vemos nos primeiros episódios) Hibiki Tachibana, a protagonista da série.

Continuar lendo

Temporada de Verão 2011

Se tudo der certo na próxima quinta-feira começam as minhas férias da faculdade. Mês de Julho, aquele Verão vai começando; sol, praia… opa, não tem praia em Manaus? O sol é de lascar? Bem, então tem temporada nova de animes! Sim, porque está prestes a começar a aguardada temporada de Verão 2011.

Como de costume aqui no Blog Gyabbo! você confere as principais apostas, cinco no total, aqueles animes que devem ser comentados pelos próximos três meses por todos os fãs.

Continuar lendo

Os melhores de 2009

E chegou o momento! Uma das coisas que eu mais queria fazer quando criei o Gyabbo! era poder fazer a minha escolha dos melhores do ano. O esquema será assim, direi quem é o melhor em cada categoria com rápidos comentários, incluindo ainda duas menções honrosas para o segundo e terceiro lugar. Por isso, sem mais delongas, vamos lá!

Melhor Shounen

Primeiro lugar: Fullmetal Alchemist: Brotherhood

Conseguiram transformar uma série ótima, em uma série em que cada episódio é ótimo. Não tem como haver outra escolha.

Segundo lugar: Nyan Koi!

Terceiro Lugar: Dragon Ball Kai

Melhor Shoujo

Primeiro lugar: Kimi ni Todoke

As vezes o mais simples realmente é o melhor. Possivelmente o melhor shoujo animado que vi.

Segundo lugar: Aoi Hana

Terceiro lugar: Taishou Yakyuu Musume.

Melhor movie

Primeiro lugar: Summer Wars

O próximo Miyazaki? Hosoda Mamoru  mostrou mais uma vez por que é um dos diretores mais observados do momento nessa grande obra.

Sem outras menções

Melhor personagem feminino

Primeiro lugar: Sawako Kuronuma (Kimi ni Todoke)

Com sua ingenuidade e coração puro Kuronuma conquista a todos e carrega boa parte do carisma desse ótimo anime.

Segundo lugar: Fumi Manjoume (Aoi Hana)

Terceiro lugar: Kaede Mizuno (Nyan Koi!)

Melhor personagem coadjuvante feminino

Primeiro lugar: Olivier Mira Armstrong (Fullmetal Alchemist Brotherhood)

Um character design muito bem construído aliado a uma personagem marcante desde o primeiro momento resultam em uma das mulheres mais temíveis de toda animação japonesa.

Segundo lugar: Riza Hawkeye (Fullmetal Alchemist Brotherhood)

Terceiro lugar: Juiz (Higashi no Eden)

Melhor personagem Masculino

Primeiro lugar: Hei (Darker than BLACK – Ryuusei no Gemini)

*spoiler* Mesmo sem seus poderes de contratante, Hei conseguiu ser mais incrível ainda na segunda temporada de Darker than Black.

Segundo lugar: Roy Mustang (Fullmetal Alchemist: Brotherhood)

Terceiro lugar: Junpei Kousaka

Melhor personagem coadjuvante masculino

Primeiro lugar: Sanada Ryuu

Sanada é o típico cara forte, alto e caladão que já se viu em vários mangas. Mas certamente ele consegue ser um clichê bem carismático no grupo de Kimi ni Todoke.

Segundo lugar: King Kazma

Terceiro lugar: Nyamsus

Melhor abertura

Primeiro lugar: Dragon Ball Kai – Dragon Soul

Substituir a clássica “Chala Head Chala” foi acusado por muitos como quase uma heresia, mas Dragon Soul conseguiu expressar de forma perfeita o poder de Dragon Ball.

Segundo lugar: K-On! – Cagayake! Girls

Terceiro lugar: Fairy Tail – Snow Fairy

Melhor encerramento

Primeiro lugar: K-On! – Don’t Say “Lazy”

Há poucos dias anunciaram a segunda temporada de K-ON!. Não sei se será tão bom quanto antes, mas certamente não fará o mesmo sucesso pelo simples fato de não ter como encerramento “Don’t Say “Lazy””.

Segundo lugar: Dragon Ball Kai – Yeah! Break! Care Break!

Terceiro lugar: Fullmetal Alchemist: Brotherhood – Uso

Melhor estúdio

Primeiro lugar: Production I.G

Escolha difícil, mas a Production I.G mostrou toda sua qualidade, seja de que lado for, como Higashi no Eden e Kimi ni Todoke, com certeza um dos maiores estúdios atuais do Japão.

Segundo lugar: Bones

Terceiro lugar: MADHOUSE

Melhor seiyuu feminino

Primeiro lugar: Mizuki Nana

Se já não bastasse o enorme sucesso que Mizuki Nana faz na sua carreira de cantora, ela mostrou ainda uma versatilidade gigantesca nos mais diversos papéis que teve em 2009, merecendo com certeza esse posto!

Segundo lugar: Hirano Aya

Terceiro lugar: Paku Romi

Melhor seiyuu masculino

Primeiro lugar: Nakai Kazuya

Nakai Kazuya não é nenhum novato e sua voz marcante faz com que os seus personagens ganhem sempre visibilidade, seja quem forem.

Segundo lugar: Asanuma Shintaro

Terceiro lugar: Kimura Ryohei

Melhor lançamento nacional

Primeiro lugar: Ranma 1/2

Um grande clássico, injustiçado por décadas no Brasil, Ranma 1/2 retorna para mostrar novamente o sucesso da autora Rumiko Takahashi.

Segundo lugar: 1 Litro de Lágrimas

Terceiro lugar: Futari H

Melhor editora nacional

Primeiro lugar: Panini

Com uma qualidade cada vez maior e segurando os preços, a Panini marca cada vez mais seu território no mercado brasileiro de mangas.

Segundo lugar: NewPop

Terceiro lugar: JBC

Maior surpresa

Editora Savana


Surgindo quando ninguém esperava, a Editora Savana promete revolucionar o mercado brasileiro de mangas. Apesar dos erros iniciais, é preciso estar de olho no seu 2010!

Maior FAIL

Dragon Ball Evolution

Peguem um dicionário ilustrado de inglês. Procurem pela palavra “Fail”. É isso aí de cima que vocês irão encontrar.

E por último, a categoria mais importante:

Melhor série

Primeiro lugar: Fullmetal Alchemist: Brotherhood

Os irmãos Elric retornaram em meio a muitas suspeitas, visto a qualidade da sua primeira série, mas o estúdio Bones mostrou episódio por episódio que Fullmetal Alchemist poderia ser melhor, muito melhor. Se títulos incríveis como o realista Tokyo Magnitude 8.0 e o fantástico Higashi no Eden seriam escolhas certas em outros anos, tiveram o azar de cair no mesmo ano de Brotherhood.

Segundo lugar: Tokyo Magnitude 8.0

Terceiro lugar: Higashi no Eden

E que venham os de 2010!