Guest Post – A história de Nana Mizuki, a maior seiyuu do Japão – Por Leo Kusanagi

“There is no dream that can’t come true”: A história de Nana Mizuki, a maior seiyuu do Japão

Olá pessoas, como estão?

Hoje é dia de surtar! Não, eu não sou o Denys do Gyabbo!, sou o Leo-Kusanagi do blog Mithril e a pedidos do brother Denys vim fazer um post sobre a Mizuki Nana aqui no Gyabbo!. Mas não é qualquer post, muito menos um post de notícias. Aqui, amigos, irei contar sobre a vida da Nana, desde a infância passando pelos anos de escola até chegar aos dias de hoje se tornando a seiyuu mais importante do Japão. E isso não é falácia de fanboy, ela é reconhecida oficialmente por tal feito. Agradeço ao Denys por ter me convidado a escrever sobre ela e espero que vocês curtam este post.

OBS: A maioria das informações deste post tiveram como base a autobiografia oficial da Mizuki Nana, Shin Ai.

OBS 2: Tanto faz escrever Nana Mizuki ou Mizuki Nana, EU prefiro o jeito japonês com o sobrenome (Mizuki) na frente, mas vai de cada pessoa.

Continuar lendo

The Kira Justice – O Gatilho da Justiça

Neste sábado (17/03) a banda gaúcha The Kira Justice lança seu novo projeto, chamado “O gatilho da justiça” com a estréia do clipe “O início”. O lançamento será feito a partir das 21hr, em um projeto que junta ” elementos de CD, filme, livro e mangá/comic com os integrantes da banda”. Continuar lendo

Entrevista: Banda The Kira Justice

Olá pessoal, hoje é com muita alegria que trago para vocês mais uma entrevista no Gyabbo!. Depois de muito tempo sem nenhuma (a única foi com o Maurício de Sousa) venho hoje com uma conversa com os integrantes da famosa banda The Kira Justice.

Continuar lendo

Nodame Cantabile – Dorama

Voltando à programação normal do Gyabbo! depois dessa participação do nosso amigo rosado dos rios amazonenses, vou sair um pouco dos animes e mangas (mas nem tanto) para falar do dorama que terminei de assistir essa sexta-feira; Nodame Cantabile.

NodameNos últimos tempos Nodame Cantabile foi pra mim uma das melhores surpresas que eu tive em se tratando de animes. Apesar de gostar um pouco de música clássica, nunca foi algo que tenha realmente me prendido, então ver um anime josei sobre esse estilo me deixava com um pé atrás, porém, depois uma temporada e meia, Nodame se tornou um dos meus animes favoritos.

Mas eu vim aqui para falar não do anime, mas do dorama baseado no manga que, para minha surpresa, é anterior ao anime, tendo sido feito em 2006 e contando com 11 episódios, um especial e um futuro filme.

A história se passa na Faculdade Momogaoka de música do Japão, onde temos Shinichi Chiaki, um homem arrogante, impaciente, filho de um famoso músico, musicista genial, principalmente com piano e violino, além de ter o sonho de virar um grande maestro. Do outro lado, temos a maluca Noda Megumi, estudante de piano, mas que tem como pretensão virar professora do jardim de infância.

Será que ela é organizada?

Será que ela é organizada?

O relacionamento improvável entre um homem perfeccionista e uma garota avoada e desleixada por si só já tornaria NC um dorama interessante, mas o fato da história se passar em uma universidade de música, com grandes apresentações de música clássica, fazem do dorama algo incomum.

Apesar do anime ser muito bom, o custo alto para animações detalhadas fez com que a versão animada de Nodame perdesse os ricos detalhes dos instrumentos musicais. Assim, cenas de orquestras chegam a um nível incrível em sua versão atuada, pois todo o envolvimento com a história é somado com o ar embelezador e clássico desse tipo de apresentação.

OrquestraUeno Juri, atriz que representa Nodame, conseguiu dar ao papel a entrega que era necessária para uma personagem tão única, tão peculiar. Na verdade, acho que toda a novela dependia da sua atuação. Se não convencesse, ver o doroma perderia todo seu sentido.

Ueno Juri como Nodame

Ueno Juri como Nodame

Contando com um elenco muito bem escolhido, o programa conseguiu manter-se extremamente fiel ao manga, sem mesmo perder os exageros visuais que são típicos de animes e mangas. Para quem nunca viu um dorama, Nodame Cantabilepode ser um bom começo, e para aqueles que já são fãs do estilo japonês de fazer novela, NC inova e é com certeza algo a ser assistido! Estou até agora tentando me decidir se o anime é melhor ou não que o dorama, difícil dizer!

Fiquem com um dos concertos, Rachmaninoff, concerto para piano n.°2:

PS: Agradecimentos ao Leo do Mithril que gravou um CD com a primeira temporada do anime e os 11 episódios do dorama de Nodame Cantanbile, emprestou para uma amiga em comum que me repassou!