Editora Panini anuncia One Piece, Dragon Ball, Monster e muito mais

Acaba de ser anunciado no pelo JBox e pelo Panini Fã que a editora Panini virá para o ano de 2012 com TUDO. Sério, ela chega dando um GOMU GOMU PUNCH na concorrência (leia-se editora JBC), continua com um FINAL FLASH e termina cruelmente aniquilando qualquer concorrência leal.

Sim, porque se vocês não entenderam as referências a editora acaba de anunciar a volta de One Piece (que foi parar nos TTbr do Twitter, junto com o nome da editora), Dragon Ball e Monster. Além disso (Como se fosse pouco), também foi anunciado o mais do que esperado Black Butler, a incrível obre Urasawa, 20th Century Boys (AÍ SIM) e o inesperado (pelo menos por mim) Mad love Chase.

One Piece chega logo em Janeiro (menos de um mês, galere!!!) em formato tankohon, por R$10.90. Ao mesmo tempo serão lançadas as edições bimestralmente do mesmo número de onde a Conrad parou, #36. Segue a ficha técnica de ambos:

FICHA TÉCNICA: One Piece 36 (inédita)
Formato: 13x20cm Páginas: 216
Periodicidade: bimestral
Valor: R$ 10,90
Distribuição: setorizada
Lançamento: janeiro/2011

One Piece 1
Formato: 13x20cm Páginas: 208
Periodicidade: mensal
Valor: R$ 10,90
Distribuição: setorizada
Lançamento: janeiro/2011

Via Papo de Budega

Por último, mas também muito importante, a editora anunciou que em 2012 retoma os títulos Gantz, Ouran e Brave 10, o que é uma ótima notícia, principalmente porque falta apenas um volume para terminar Ouran.

Se essa não é a melhor notícia da década eu não sei qual seria. A única ressalva é pedir que tragam com a qualidade gráfica que a Panini já tinha (se possível, melhor, principalmente no caso de Dragon Ball), mas que andou derrapando com Sora no Otoshimono e suas páginas transparentes.

Para isso não acontecer, não fique calado, elogie os lançamentos, mas fale que quer qualidade nos produtos que compra. Aqui os caminhos oficiais da editora para exigir qualidade:

http://www.paninicomics.com.br/web/guest/contacts

Também, quando forem comentar sobre isso no Twitter, não esqueçam de mencionar o @PaniniMangas e o @Planet_Manga.

Fontes extra-oficiais ainda indicam que a editora lançaram também Sailor Moon e Beelzebub nesse próximo ano.

Não sei porque, mas agora acredito mais ainda no fim do mundo em 2012!

O surto é livre nos comentários!!!

SOS Sailor Moon Project

O que?! Post em uma segunda-feira?! É a Festa da Uva (Ok, velha piada que eu li uma vez em uma revistinha do Cebolinha, uso até hoje mesmo sem ninguém entender)!

Bem, na verdade não. Esse post vem na verdade para colaborar com um projeto de longa data e que me pediu “pessoalmente” (por DM no Twitter, claro) uma ajuda na divulgação. Estou falando do SOS Sailor Moon Project. Segue do que se trata:

As negociações de Sailor Moon no Brasil e em toda a América Latina estão adiantadas. As chances de sermos o primeiro país do continente americano a reexibir a série são grandes. Aguardem um pouco mais, pois logo confirmaremos a emissora que exibirá Sailor Moon em 2011.

A situação é vital. As masters da Gota Mágica e da BKS estão perdidas. A redublagem é uma realidade, 100% confirmada. O estúdio e o elenco ainda não foram escolhidos, mas dessa vez poderemos acompanhar tudo de pertinho. A equipe do SOSSMP vai cuidar para que não tenhamos nenhuma surpresa desagradável. Vamos fazer o possível e o impossível para que Sailor Moon receba uma nova dublagem com qualidade.

O primeiro passo é sabermos a opinião de vocês. Então estamos lançando a 2ª Fase da Campanha “Queremos Sailor Moon”. As  questões se baseiam na dublagem da primeira temporada, que será o ponto de partida para a nova exibição. Abriremos enquetes separadas para todas as fases, fiquem ligados!

A pesquisa vai ser entregue pessoalmente ao Sr. Luiz Angelotti, que novamente representa Sailor Moon no Brasil. Não temos muito tempo, precisamos que o maior número de pessoas responda à pesquisa. Então divulguem, se envolvam, façam a sua parte. Contamos com a ajuda de todos! Afinal… Juntos somos mais fortes!

Espero ter ajudado de alguma forma o projeto. Mesmo não sendo um grande fã das Sailors, acompanhei todas as séries que saíram no país, seja na época da Manchete, na Record ou no Cartoon Network. Mas o que me faz criar esse post não é exatamente o apreço pelas séries, mas o reconhecimento dos fãs e dos criadores do projeto que até onde eu me lembre já vem há uns bons anos.

Então, se queremos ver animes na televisão brasileira novamente, que seja com uma boa qualidade, e é isso que o SOS SMP busca, então eu só posso apoiar!

Boa sorte para os fãs e não deixem de responder a pesquisa, eu já respondi!

Vendo animes antigamente e agora

Olá  para todos, como estão? Eu não estou no meu melhor momento, ainda doente, os exames que fiz não deram nada, o que praticamente impossibilita um tratamento por enquanto. Estou usando uns remédios e espero que eles façam algo, mais de dois meses assim praticamente, bem frustrante. Torçam por mim.

Bem, hoje o post vai ser meio filosófico (ok, não). Dois posts atrás, quando comentei sobre aquilo que pretendia assistir da nova temporada de outono, comentei sobre o sentimento de nostalgia que as obras da CLAMP me dão, e é justamente sobre isso que vou falar hoje.

rayearth

Hoje em dia assistir animes, ler mangas, ver doramas é muito fácil. Indo do Google ao camelô do centro que vende dvds piratas dos mais diversos animes, a acessibilidade que existe hoje para os animes é imensamente maior do que aquilo que se via na década de 90 ou mesmo nos anos 00’s. Eu posso até estar confundindo esse sentimento com nostalgia, mas a verdade é que o ato de assistir animes  hoje tem um sentimento muito diferente daquele que eu tinha anos atrás.

Não estou aqui querendo dizer o que se ouve muito por aí, que a indústria de animes está morrendo, está saturada, não se fazem mais animes como antigamente e outros blablabla’s, acho tudo isso bobagem, animes como Baccano!, Higashi no Eden e Nodame Cantabile, apenas para citar alguns, mostram que existe muita coisa original e de qualidade sendo feita no Japão. O que eu quero falar é da forma como tudo isso era encarado.

551A2E_2

Antes de tudo acredito que eu preciso me contextualizar para que vocês possam entender melhor. Eu tenho 20 anos, sou de 1988, logo, a infância que eu lembro começou na segunda metade da década de 90. Como muitos que gostam de animes hoje em dia e tem essa idade, tudo começou na extinta Rede Manchete e no Sábado Animado do SBT. Na primeira foi onde conheci os animes Shurato, Sailor Moon, Yuyu Hakusho e o que teve mais sucesso, Cavaleiros do Zodíaco. Já no SBT, mesmo com sua programação maluca, lembro de acompanhar Dragon Ball (que nunca passava para a saga do Piccolo), Guerreiras Mágicas de Rayearth e Fly. Nessa época eu ainda via tudo como desenho animado, sem fazer distinção alguma quanto às nacionalidades das obras. Foi apenas com mais ou menos 11 anos, quando meu pai assinou pela primeira vez uma Tv por Assinatura e voltei a ver Dragon Ball, agora na sua fase Z,  que comecei a entender e dar maior atenção aos animes.

Nesse momento a internet ainda era uma realidade limitada, o máximo que eu tinha eram alguns minutos de uma conexão discada à 64kb. Tudo que eu consumia era o que aparecia na televisão, El Hazard, Tenchi Muyo, Pokemon, Monster Rancher, Digimon, Sakura Card Captor etc, não havia uma real escolha, você (ou pelo menos eu) assistia todos os animes que surgiam pela escassez de possibilidades.

E é nessa escassez que estava metade de graça! As (poucas) informações que eu tinha eram as que apareciam em revistas como a Herói, então a maioria das estreias eram uma grande e feliz surpresa. Não existia para mim a possibilidade de ir na ANN ou na MAL para ver sobre o que se tratava aquele anime, você ficava na apreensão total até que assistisse ao primeiro episódio.

1ShamanKing

Não sei quantas aqui fizeram parte da geração de animes por VHS, eu admito que não estive muito presente nessa época, foi de uma geração mais antiga que a minha. Toda a escassez de informações e de possibilidades tornava a experiência quase mágica. Lembro de quando um amigo me emprestou uma fita VHS com dezenas de aberturas de animes diversos, todas em original japonês. Eu basicamente não conhecia praticamente nenhum anime dali, mas só aquelas aberturas já eram suficientes para me entreter durante boas horas, mesmo com uma imagem e som péssimos. Já hoje, com a popularização da Internet, as informações estão na sua frente bem antes mesmo do anime estar no ar. Em blogs, como o Gyabbo! mesmo, você sabe de tudo sem ao menos ter visto a obra. Antigamente subar alguma produção era um trabalho incrivelmente árduo, hoje em dia novos fansubers surgem todos os meses, trabalhando em praticamente dos os animes disponíveis.

Não é que eu esteja reclamando, se não gostasse de tudo isso não teria um blog para comentar sobre animes. Mas às vezes, talvez por nostalgia mesmo, aquela época faz falta. Toda a dificuldade de se conseguir um episódio, um AMV, um filme, tudo isso parece que fazia a experiência toda valer muito mais.

O que vocês acham?