K-ON! – O filme

Logo do filme de K-ON!Um dos maiores sucesso recentes da animação japonesa – pelo menos nas vendas, visto que divide opiniões entre o fandom (atualizando: os discos desse movie já venderam mais de 140 mil cópias) -, a série K-ON! recebeu em Dezembro do ano passado, o após o sucesso de duas temporadas que juntas contabilizaram 39 episódios e dois OVAs, seu primeiro longa-metragem, sendo lançado apenas em Julho desse ano em DVD/BD para finalmente poder ser visto pelo público ocidental.

Conforme você pode ler no meu post de conclusão para a segunda temporada da série, eu sou um verdadeiro fanboy de K-ON! e por isso o filme estava sendo muito aguardado por aqui, assim que saiu virou prioridade máxima e na última semana pude finalmente assistir aos 109 minutos desse longa-metragem.

Valeu a pena? Vejamos…

Continuar lendo

Joshiraku – Primeiras impressões

Um anime cheio de diálogos comuns para que os espectadores possam realmente aproveitar o quão fofas são as personagens. 

“Actioni contrariam semper et aequalem esse reactionem”. 

Continuar lendo

Tsuritama – Conclusão

Talvez não seja um conhecimento tão comum aqui no Brasil com seus milhares de lugares para comer sushi e temaki, mas o gengibre que acompanha as iguarias tem uma função bem particular: limpar o paladar entre um prato e outro

Ao falar de Tsuritama, anime que fez a dobradinha na temporada de Primavera com Sakamichi no Apollon no bloco noitaminA, acredito que esta é a melhor definição para essa obra, uma verdadeiro gengibre; não vai marcar com seu gosto, mas é bom para limpar o seu “paladar” entre uma série e outra.

Continuar lendo

Mangas Undergrounds #3 – Yotsuba&!


Depois da marretada na cara que foi Freesia no ultimo post, está na hora de curar as feridas. Por isso dessa vez iremos descobrir o porque dessa obra já ser considerada um “cult moderno”, praticamente obrigatório. O mangá mais emotivo e aconchegante já escrito em todos os tempos: Yotsuba&!

Continuar lendo

Solanin – Editora L&PM Pocket Mangá

Um dos principais eixos do sistema onde vivemos – o capitalismo – é a permissão do sonhar. A ideia de que todos somos livres para sermos aquilo que quisermos, bastando que nos esforcemos muito para isso. Não vou entrar aqui em discussões sociológicas, já que não é o objetivo deste texto, mas seja aqui no Brasil ou no Japão, de maneira geral é permitido às pessoas sonharem, e, bem, elas sempre sonham pelo melhor.

Continuar lendo