Monster – Editora Panini – Vol.1

Depois de longos anos de espera, finalmente temos a volta ao mercado brasileiro de Naoki Urasawa, um dos grandes mestres atuais dos mangas, com a obra Monster, considerada por muitos seu melhor trabalho.

Quem não lembra, Monster começou a ser publicado pela editora Conrad no ano de 2006 em um belo formato que infelizmente foi cancelado com a triste situação que a editora viveu em meados dos anos 2000. No entanto, fomos pegos de surpresa quando ano passado a editora Panini revelou que estaria retornando a série ao mercado, desde o seu início.

Continuar lendo

Another – Primeiras impressões

Há 26 anos atrás, na escola Yomi North da cidade interiorana de Yomiyama, a morte de uma popular estudante da Classe 3 da nona série, Misaki, deixa uma marca profunda entre seus colegas. Tanto que os mesmos resolvem seguir até a gradução como se nada tivesse acontecido e Misaki continuasse estudando entre eles, chegando a colocar uma cadeira para ela na cerimônia de gradução.

Já no presente, nesta mesma escola e sala, vem estudar Kouichi Sakakibara, jovem transferido da grande Tóquio após seu pai precisar passar um tempo na Índia. Por causa de problemas pulmonares, Sakakibara perde o início das aulas e fica hospitalizado por um mês. Lá, em uma noite silenciosa, ele conhece Mei Misaki, uma estranha garota que se dirige para o andar do hospital onde se encontra o necrotério, afirmando precisar entregar algo para sua outra metade. Continuar lendo

Psychic Detective Yakumo – Primeiras impressões

Olá pessoal! Como estão? Faz tempo que eu não apareço aqui para comentar um anime, não? Acabou que essa semana foi muito atarefada e não tive tempo de postar nada domingo, por isso o post em uma sexta-feira. Para não perder tempo, Psychic Detective Yakumo.

Mas antes não esqueça de votar na enquete do Censo Gyabbo! no menu ao lado!

Continuar lendo

Durarara!! – Primeiras impressões

Hello folks! Dando um intervalo na semana de comemoração de 1 ano do blog, hoje finalmente sai meu post sobre as primeiras impressões do anime Durarara!!

A primeira coisa que eu pensei quando esse anime foi anunciado foi: Como diabos se fala o nome desse anime em não-japonês? É tipo,  “Kuririn”, podia ser “Kulilin”, “Krilin”, “Klilin” ou “Kuririn” mesmo! Da mesma forma ficava Durarara!!, são L’s, R’s?! Ah, meu Deus! E agora?

Bem, fazendo minhas pesquisas sobre o anime antes de começar a escrever, descobri de onde vem esse título: Durarara na verdade vem de Dullahan, uma lenda irlandesa sobre um ser que carregava sua cabeça nos braços enquantava cavalgava um cavalo também sem cabeça (com algumas variações de acordo com a região, algo natural em qualquer lenda). Acredita-se que Dullahan seja a personificação de um deus céltico, Crom Dubh, deus da fertilidade, que todos os anos exigia um sacrifício humano. Com a chegada dos cristões e consequente diminuição na crença nos deuses pagãos, Crom Dubh foi obrigado a tomar uma forma humana, Dullahan, e tomar seus sacrifícios ele mesmo. As variações são muitas, mas essa é a lenda no geral. Dullahan praticamente não fala, apenas diz um nome quando sai, e a pessoa do nome terá certeza que não conseguirá sair viva.

Ok, depois desse pequeno resumo folclórico céltico, voltamos à animação japonesa. Baseado em uma light novel de mesmo nome e que hoje conta com 6 volumes, o anime Durarara!! é animado pelo estúdio Brains Base e dirigido por Takahiro Omori. Isso tudo é familiar pra você? Bem, deveria! Do mesmo criador, estúdio e diretor do fantástico Baccano!, Durarara!! chega com uma qualidade extrema, já se colocando à disposição para ser o melhor anime do ano se manter a média.

A história é rápida, assim como seu “irmão”, Durarara!! não dá tempo do espectador respirar, muitos personagens são apresentados logo no primeiro episódio. Para quem viu Baccano! sabe que não precisa se preocupar, no fim todos terão seu sentido explicado na história.

Mas qual é a história afinal? O anime tem como protagonista Mikado Ryūgamine, um garoto que passou a vida em uma cidadezinha até aceitar um convite de seu amigo de infância, Kida Masaomi, para ir estudar em Tóquio, mais exatamente em Ikebukuro, um distrito da cidade. O lugar, como qualquer metrópole, está sempre pulsando, o que amedronta e fascina Mikado ao mesmo tempo. Além disso, a área é conhecida por brigas entre gangues.

Sim, falei, falei, falei e ainda nada do cavaleiro sem cabeça. Ele está lá, mas dessa vez em uma moto negra, trabalhando como uma espécie de entregador, cumprindo missões. É interessante notar a atualização de uma lenda céltica ao entretenimento japonês do século XXI. Sua cabeça fica em um capacete com orelhas de gato e sua característica de falar pouco é adaptada para um Dullahan que se comunica através de mensagens do seu celular.

Durarara!!, nesses dois primeiros episódios que assisti se mostrou um anime completo. Ótima abertura, sound track bem adaptada às cenas, sequências de ação bem feitas, sem fanservice, personagens únicos e carismáticos, sem contar com a animação afiadíssima do estúdio Brains Brase.

Resumindo tudo, é um must seen.

Fonte: http://www.dullahan.com/

Imagens retiradas de: http://randomc.animeblogger.net/

Feliz Halloween – Ghost Hunt e Ghost Stories

anime-14

Olá a todos! Estão aproveitando o Halloween? Muitas doçuras e travessuras? Não que eu esteja muito preocupado com isso, não sou muito festeiro. Mas é sempre uma data diferente, por isso vou aproveitar o momento pra fazer o post de hoje temático de Halloween! Vou comentar sobre Ghost Hunt e Ghost Stories, duas séries sobre fantasmas, mas que foram executadas de maneiras bem diferente.

Continuar lendo