Editora JBC anuncia Death Note Black Edition

Death-Note-Black-Edition-LogoBakuman termina, mas Tsugumi Ohba e Takeshi Obata continuam no mercado brasileiro!

Continuar lendo

O final de Bakuman

Este post possui muitos spoilers sobre Bakuman, incluindo seu final. Leia por conta e risco.

Depois de quase quatro anos de publicação, totalizando 20 volumes encadernados, esta semana marcou o final de um dos grande sucessos atuais da Shounen Jump: Bakuman.

Um final péssimo. Continuar lendo

A metalinguagem idealista de Bakuman

Esse post irá conter fortes spoilers sobre Bakuman e Death Note, leia por conta e risco.

Na época do colegial, no meio de tantas obras lidas e estudadas nas aulas de literatura, uma que me chamava muito a atenção era Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis. Não exatamente pela história – sendo sincero, nunca completei o livro -, mas pela habilidade do autor com as palavras. Não somente sua prosa era das melhores que eu havia lido, mas uma característica específica me causava grande satisfação ao ler: suas digressões, intertextualidade e metalinguagem. Certamente um dos momentos literários que mais me marcaram até hoje foi ver o imortal culpar o leitor pela sua ignorância frente à leitura complexa do autor.

Desde aquela época esses recursos criativos sempre me chamaram muito a atenção, chegando a influenciar nas (poucas) coisas que escrevi nada vida. Dessa forma, é fácil entender que para mim (e para muitos) grande parte da diversão ao ler o manga Bakuman está justamente no seu caráter metalinguístico e nas frequentes intertextualidades.

Continuar lendo

Bakuman – Primeiras impressões

Olá pessoal! Mais um domingo, feriado prolongado para alguns, ótimo momento para relaxar e, por que não, começar a assistir um novo bom anime? Hoje, no dia em que é comemorado o aniversário da minha mãe (ela não vai ler isso, mas parabéns mãe!), venho com um dos posts mais esperados dos últimos tempos; Bakuman!

Mas não esqueça de votar na enquete do Censo Gyabbo! no menu à direita.Iniciado em 11 de Agosto de 2008 nas páginas da principal antologia de mangas do Japão, a Weekly Shounen Jump, Bakuman rapidamente estourou no gosto do público, apoiado inicialmente nos nomes dos seus autores Tsugumi Ohba (escritor) e Takeshi Obata (desenhista), já muito populares no meio e vindos de um grande sucesso que foi Death Note. Porém, posteriormente a série ganhou pernas próprias, saindo da sombra do Caderno da Morte.

Definir Bakuman não é uma tarefa muito difícil; se trata de um manga shounen que fala sobre o processo de criação de mangas (e autores) shounen, principalmente envolvendo a mecânica de funcionamento da Shounen Jump. Logo, temos aqui um manga metalinguístico.

O manga conseguia manter um ótimo nível de vendas, sempre figurando nas primeiras colocações dos rankings de vendas, mas muito se perguntava se um manga sobre fazer mangas daria certo em uma adaptação animada. Afinal, Bakuman se pautava muito em diálogos extensos e explicações técnicas, diferente de Death Note, que apesar de também contar com diálogos longos, ainda sim era um thriller policial.

Esse ano, depois de mais de 10 volumes compilados, foi anunciada a adaptação do manga, ficando a cargo do estúdio J.C. Staff, o que pegou muita gente de surpresa, já que se esperava a Madhouse no comando (e olhando para Iron Man eu só posso agradecer que isso não tenha acontecido).

Moritaka Mashiro, perto de se formar na escola, não tem nenhuma grande pretensão na vida. Faculdade, trabalho, futuro, tudo parece distante demais, Mashiro só não quer atrapalhar sua família. Se há algo certo na vida de Mashiro é seu amor por uma garota da sua classe, a bonita e singela Azuki Miho, fazendo com que ele passa boa parte das aulas desenhando sua amada no seu caderno.

Um certo dia Mashiro acaba esquecendo seu caderno na escola e sem querer que ninguém descubra sua paixão por Miho, volta lá para busca-lo, mas alguém já o havia encontrado. Takagi Akito, não somente estava com seu caderno e sabia dos seus sentimentos pela garota, mas também conhecia as habilidades com o lápis e o papel de Mashiro. Desta forma, surpreendendo Mashiro, o garoto mais inteligente da escola, que certamente teria um futuro brilhante nas melhores faculdades do país, confessa que seu grande sonho é se tornar um grande manga-ka e quer que Mashiro desenhe suas histórias!

É claro que Moritaka acha aquilo tudo uma maluquice e tudo ficaria de lado se Takagi não o fosse até a casa de Miho. Desesperado, Mashiro vai até lá e descobre que o sonho da sua amada é se tornar uma seiyuu. Em um momento de maluquice, o garoto acaba confessando seus sentimentos para ela e a pede em casamento. Que é aceito. Mas com uma condição, ambos só poderão se ver novamente e casar quando ela representar a heroína de algum manga da dupla.

Talvez você pense que isso tudo é absurdo demais, quem aceita se casar no colegial com uma pessoa que nunca havia falado antes? Mas a questão aqui não é o romance da série, a graça de Bakuman reside justamente na sua metalinguística, sem esquecer, porém, da humanidade de cada personagem.

Em termos de adaptação, o estúdio J.C. Staff fez um ótimo trabalho, seu Character Design consegui transmitir bem a arte de Obata e seu estilo de cores dá o tom certo para a série, que em momento algum procura ser extravagante demais (talvez por isso a preocupação com a sua adaptação que eu tinha).

A história de Bakuman começou, e o estúdio a iniciou muito bem, criando o background perfeito para os personagens, principalmente Mashiro e sua relação com o mundo dos mangas, mas a verdadeira saga da dupla em busca do sucesso ainda está por vir.

Personagens, mangas, problemas, alegrias, toda uma vida em torno daquilo que nós, fãs de animes e mangas amam tanto, está logo à frente de Takagi e Mashiro e pessoalmente eu tenho que dizer: eu recomendo!

PS: Um movimento de gênio do diretor Kasai Kenichi (Aoi Hana, Honey & Clover, Nodame Cantabile) certamente foi criar uma falsa abertura, cantada pelo tão conhecido em terras brasileiras, Hironobu Kageyama, representando o anime do tio do protagonista. Veja e entenderá!

Temporada de Outono 2010

Olá a todos, sentiram minha falta (Ok, acredito que não, mas espero que do blog sim!)? Depois de 10 dias em São Paulo onde pude conhecer mais da cidade, alguns amigos da internet e sobre Psicologia, estou de volta para a rotina de posts (e eu realmente tenho muita coisa para comentar).

Mas antes, não esqueçam de votar na enquete do Censo Gyabbo! aqui do seu lado direito. Ainda essa semana ela terminará, por isso, não perca tempo!

E mantendo a tradição, com a aproximação do início de mais uma temporada de animes, dessa vez o Outono 2010, venha com um dos principais tipos de posts do blog, onde comento os animes que pretendo assistir com toda certeza.

Psychic Detective Yakumo

Olhando rapidamente a sinopse dessa série parece que temos clichê atrás de clichê. Na verdade eu não duvido disso, mas a questão não é o fato da quantidade de clichês, mas sim como eles são utilizados.

Psychic Detective Yakumo foi baseado inicialmente em uma novel de 2004, e que com o tempo foi se desdobrando nas mais diversas mídias, com versões para manga, outras novels, dorama e até mesmo peça teatral. Alguma coisa tem aí que vai além das aparências.

A história gira em torno de Yakumo Saitou, um estudante com o olho esquerdo vermelho e a habilidade de ver espíritos. Acreditando que esse espíritos continuam na Terra por alguma razão, Yakumo resolve ir em busca dessas razões e “libertar” os espíritos.

Anunciado para 13 episódios, Yakumo será adaptado pelo estúdio Bee Train, famoso por animes como Noir, El Cazador de la Bruja, Tsubasa Chronicle e por que não, Medabots aqui no Brasil (mas saibam separar o tipo de traço por favor, é só comparar). Nunca um anime desse estúdio me decepcionou, e com o material que têm em mãos, aparentemente fácil de adaptar, temos um prognóstico muito bom para esse anime, misturando o sobrenatural com algo de fácil digestão.

Kuragehime

Vejamos: Diretor de Baccano! e Durarara!!, estúdio Brains Base, o mesmo dessas duas séries, baseado em um manga que este ano venceu o Kodansha Manga Award  como melhor shoujo e tudo isso passando no horário do noitaminA!? Se isso já não faz você querer assistir, não sei o que fará.

Talvez a história totalmente maluca ajude. Kurashita Tsukimi é uma otaku de águas-vivas (no Japão existem otakus de TUDO), sim, aquelas criaturas marinhas gelatinosas. Depois de se mudar para Tóquio com o desejo de virar ilustradora, Tsukimi vai morar em um lugar cheio de fujoshis (fãs muito fortes de Yaoi), onde homens não são permitidos. A questão é que Tsukimi sem querer acaba levando para morar com ela uma “amiga”… se é que vocês me entendem.

Não há muito o que falar, espero desse anime uma comédia maluca, mas com a direção primorosa de Omori Takahiro, que sempre soube medir os passos de suas narrativas. Programado para 11 episódios, não é possível criar expectativas para algo profundo, prevejo o Arakawa da temporada (tirando que teremos a segunda temporada de Arakawa, mas tudo bem).

The World god Only Knows

Agora as coisas começam a ficar um pouco mais pessoais. Se você é leitor assíduo do Gyabbo! já deve ter lido minha review sobre o manga de The World god Only Knows e sabe como eu gosto da série, então esse lançamento é mais do que obrigatório para mim.

Você pode estranhar e se afastar da série em um primeiro momento, afinal é uma história sobre um garoto otaku de date-sim’s. Seu vício é tão grande que ele é conhecido no meio como o deus desse tipo de jogos, chegando a tirar dúvidas de outras pessoas e zerar basicamente todos os jogos. Com toda essa experiência acumulada nos simuladores de encontro, Katsuragi Keima é convocado (obrigado na verdade) a ajudar a demônio Elsea que precisa capturar espíritos que fugiram do inferno e se instalaram nos corações de garotas de verdade. Apesar de não ter a mínima vontade de se envolver com garotas “3D”,  preferindo usar seu tempo para os jogos, Keima acaba ajudando Elsea utilizando as habilidades aprendidas durante os anos de jogatina.

O manga é muito bom, engraçado, bem narrado, um traço bonito e sua adaptação, que ainda não tem uma previsão de episódios, está a cargo do estúdio Manglobe, que apesar de não ter um currículo muito extenso, em todos os animes que fez mostrou uma qualidade de animação acima da média com animes como Saraiya Goyou e Samurai Champloo.

Bakuman

Certamente um dos mangas mais comentados por essas bandas, Bakuman finalmente chega às telas (apesar de eu achar um pouco cedo pra ser sincero) e promete ser o carro-chefe dessa temporada de Outono 2010.

Criação de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata, os mesmos de Death Note, Bakuman foi uma grande guinada na carreira dos dois após o grande hit que o caderno da morte causou. Eu mesmo estranhei muito a temática escolhida no início, mas facilmente fui ganho por esse manga fantástico.

Mas o que esperar da série de TV? Pelo que se lê por aí o anime deve ir até os 25 episódios, mais do que o suficiente para desenvolver alguns arcos do manga (difícil que todos estejam presentes, o que é algo natural) e termine com o final feliz que todos esperam para o desenhista Mashiro. Não é spoiler, mas parece ser a saída mais óbvia. Não acredito que o manga termine agora e ao mesmo tempo não acho que haverá uma segunda temporada, por isso creio que será assim.

O estúdio que fará a adaptação será o J.C. Staff, sinônimo de qualidade, mas pessoalmente não seria minha escolha. Acredito que as cores apagadas do estúdio não combinem muito com Bakuman que possivelmente ficariam melhor na própria Madhouse que fez Death Note. Mas pelo menos foi para um bom lugar. Além disso, teremos na direção do anime o experiente Kasai Kenichi, de animes como Aoi Hana, Honey & Clover, Major e Nodame Cantabile.

Com tudo isso as minhas expectativas estão muito altas, espero não ser decepcionado, hoje em dia Bakuman é um dos poucos mangas que me empolgam tanto para ler, torço que sua passagem para a animação seja realizada da forma que merece.

————————————————————————————————————

Esses são os quatro animes que irei assistir com toda certeza, mas essa temporada está cheia de animes que podem surpreender. Além das continuações de Hakuouki, Arakawa Under the Bridge e Letter Bee, temos animes que podem render bons frutos como Iron Man, Togaihu No Chi, Soredemo Machi Wa Mawatteiru, Otome Youkai Zakuro, Yosuga no Sora e My Little Sister can’t be this cute. São todos animes com potencial e que eu pretendo dar uma olhada e quem sabe me surpreender.

Mas e vocês, quais animes pretendem assistir dessa nova temporada?