Rinne no Lagrange – Primeiras impressões

Um anime novo da temporada de inverno onde uma colegial é chamada a comandar uma nave espacial. Poderíamos estar aqui felizes falando de Mouretsu Pirates, grata surpresa da temporada, mas estamos na verdade falando do decepcionante Rinne no Lagrange.

Produção original da Production I.G com animação do estúdio Xebec, Rinne no Lagrange conta a história da energética Madoka Kyouno, uma garota sempre disposta a ajudar as pessoas. Por isso mesmo, ainda que saiba no máximo andar de bicicleta, Madoka aceita o pedido da estranha recém amiga, Lan, de pilotar o poderoso Ovid – uma aeronave/mecha – Vox Aura e lutar contra outros Ovids utilizados por forças inimigas extraterrestres (ainda que humanos) que atacam a Terra.

É como assistir a uma versão alegre e infantil de Evangelion, só que ainda sendo um produto voltado para adultos (passando às 22hr no canal Tokyo MX – canal pequeno, próprio para servir como propaganda dos futuros dvds da série como você pode entender melhor no artigo “Dossiê: Emissoras de TV” do Qwerty, ainda no Subete Animes), o que torna tudo meio constrangedor.

Eu comecei esse post comparando superficialmente o enredo desse anime com o de Mouretsu Pirates por um motivo: capacidade de desenvolvimento. Enquanto em Mouretsu, se ainda temos todo o lado moe (mas sem fanservice de teor erótico), é de se elogiar o fato de não terem pego um colegial e a jogado diretamente dentro de uma nave espacial pirata para viver altas aventuras com uma carinha feliz. Não, na verdade até o segundo episódio a personagem não tomou decisão alguma e ainda está confusa com tudo que lhe foi revelado. Já em Rinne no Lagrange, temos uma espécie de Yui de K-ON! um pouco mais alta e menos preguiçosa, mas totalmente fora de contexto.

Não desgostei do início da série por causa do seu fanservice ou por ter mechas (dois fatores que não contribuem para o meu divertimento em animes), mas sim por ele ser bobo demais. Não consigo engolir, ainda mais com um exemplo semelhante na mesma temporada para comparação, que Madoka tenha simplesmente entrado em uma nave simplesmente porque “era divertido”, muito menos que toda uma força bélica coloque nas mãos dela a paz da Terra.

Não é uma simples questão de eu estar sendo cético demais com o que eu vejo. Sim, eu sei que isso é uma ficção!, mas custa ter calma (principalmente para uma série planejada em 24 episódios, sendo que entre os 12 primeiros e os 12 últimos haverá um intervalo de uma temporada) e preparar o terrano antes? Infelizmente o anime parece que precisa colocar o mais rápido possível suas menininhas pilotando grandes mechas com design da montadora Nissan.

Rinne no Lagrange certamente é bem animado, apesar do seu Character Design genérico, possui um uso decente de CG’s, conseguindo fluir as cenas de ação em uma média aceitável. Ainda assim, pelo menos pelos dois primeiros episódios, não serão essas cenas que irão tapar o buraco de um enredo sem muita lógica feito pela Production I.G.

Quando apostei em Rinne no Lagrange como uma série que prometia muito, esperava um feeling completamente diferente do que foi apresentado. Ao invés de algo mais contemplativo, tivemos que nos contentar com um monte de clichês jogados em cena para ver garotas bonitinhas em posições sugestivas com alguns fanservices. Me desculpem, mas dropei.

Esse post foi publicado em Animes, Primeiras impressões e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Rinne no Lagrange – Primeiras impressões

  1. Kyobotte disse:

    “É como assistir a uma versão alegre e infantil de Evangelion, só que ainda sendo um produto voltado para adultos”
    Heresia. Neon Genesis Evangelion é essencialmente uma obra para reflexão, mecha foi só um complemento para justificar alguns fatos que ocorrem e também para atingir um também um público fanático que adora robôs gigantes. Vender, vende até hoje. Quem quer ver apenas robôs gigantes se batendo vai ver isso em Evangelion, ignorando todo o resto do enredo.
    Evangelion não é famoso por ser mecha, referência mecha é Gundam.

    Deixando de lado as comparações, temos que ter em vista que Rinne no Lagrange não é uma série para reflexão, nem para surpreender. A frase inicial de Kyouno M. descreve praticamente todo o possível enredo. O que teremos é uma estória simples, para passar o tempo, juntando um pouco de ecchi, um pouco de comédia, robôs gigantes e talvez, slice of life. Não vão exagerar na ficção científica, mas sim na maneira feliz como as coisas acontecem.
    É uma obra feita para um público específico, não esperem lógica demais, até porque o objetivo de RnL não é esse.

  2. topheira disse:

    Não sei se é porque tem mecha, ou se é porque acabei de ler a sua review, mas agora, desisti de ver RnL D8 como não sou fan do gênero, eu veria se o anime fosse realmente bom (bom vírgula, veria se fosse ótimo xDDDD), mas como não é… ahn, me privarei de vê-lo, just that.

  3. Hidekee disse:

    “Ao invés de algo mais contemplativo…”

    Na boa, vc criou expectativa demais por um anime proposto para vender produtos da Nissan e divertir o público que o assiste. Só isso. Seria o mesmo que esperar reflexão filosófica de Missão Impossível, por exemplo. Não é o foco, só isso. Por isso sua decepção.

    Eu por outro lado, sinceramente, achava que seria um anime ruim mas bom produzido, pelo mostrado nos trailers. E por não esperar nada além da boa produção estou curtindo o anime e verei até o final.

    Por isso que sempre critico o excesso de expectativa que as pessoas passam as outras, as vezes na ânsia de que o amigo/colega também veja o que ele viu, mas cada um tem seu gosto e isso é bem variável. Vi gente que foi ver Madoka e Steins;Gate esperando algo que não era e odiaram dois animes ótimos… Mas isso é assunto para uma postagem até e fica como uma dica para assunto futuro, se achar que vale, claro.

    • Denys "Fantasma" Almeida disse:

      @Hidekee
      Na verdade isso foi só um pensamento, eu só fui entrar em contato com Rinne no Lagrange na hora de escrever as apostas da temporada, eu não tinha expectativas altas para ele, o anime é ruim pelos outros pontos que eu coloquei. Acho que às vezes se exagera muito na consequência de se esperar algo de um anime, isso realmente daria um post.

      Gyabbo!

  4. Gustavo Hara disse:

    Achei ridículo esse 1° episódio e dropei a série. Não acreditei quando vi a menina aceitar a proposta de pilotar o mecha sem nem saber do que se tratava, me perturba saber que aceitarão fazer a animação de um roteiro desses que vai depender e muito do fanservice.

  5. Acredito que falar sobre “enredo” no primeiro episódio ou mesmo de qualquer coisas que não está acabada é um tanto arriscado. Claro que pra muitos o primeiro episódio é decisivo, mas se fosse assim Madoka não seria o que foi, pq o primeiro episódio não é praticamente nada muito relevante ou surpreendente como o restante da história. Estou gostanto de RnL, se foi feito pra entreter e não ser nada além disso, está cumprindo seu papel, mas o último episódio foi bem diferente do que se viu no começo do anime( eu sei que é um post de primeiras impressões rs) , não aposto nada e nem crio expectativas altas com nada, foi assim que fiz com madoka, que até então muita gente achava que seria mais um mahou shoujo.Claro que racionalmente é dificil de acreditar que alguém aceite algo sem saber absolutamente nada, mas se tratando de animes isso não é algo que realmente seja relevante, afinal, os protagonistas – não no geral – sempre sabem os nomes das magias/poderes e o diabo sem se quer conhecer um pouco do que realmente aquilo é. Enfim gostei do texto e do que o blog apresenta, vou começar a acompanhar *-*

  6. Weverton disse:

    Parem de ser tão negativos! o anime pode não ser uma obra de arte mas e bom!.Realmente falta algo que eu não me lembro de ter visto na MAIORIA dos animes: Um coração emocional ou uma mente racional;ou até mesmo um personagem perdido entre os dois.Como eles conseguem aceitar algo sem fazer perguntas??como??,e quando fazem e não recebem resposta!…o que eles fazem?? em vez de dizer: eu não faço mais essa XXXXX então!,que se XXXXX vocês!.Eles continuam fazendo o que um metido desconhecido ordena a eles pra fazer.

    MAS O ANIME CUMPRE O SEU PAPEL!,ELE E DIVERTIDO!, O QUE E IMPORTANTE(se você não se importar em fazer vista grossa a alguns defeitos).

  7. Hmm… Detesto quando pessoas querem colocar lago ” + ” em mim anime que é para um público específico. O cara chega aqui e começa a depredar o anime. Sim! Cada um tem a sua opnião, e dai que a garota aceitou a pilotar um mecha de primeira? E dai que o anime e fofo e etc… Vi o anime até o EP 12 e sim, gostei bastante. Animes que decepcionam são aqueles que mostram uma coisa e são outra completamente diferente, tipo Another, não sei como tiveram coragem de produzir aquele lixo. Agora Rinne a historia está estampada do começo ao fim e pra quem viu o primeiro EP sabe do que estou falando. Se não gostaram do anime blz, cada um gosta de um tipo de anime. O projeto é bom e estou ansiosa pra Madoka encontrar a Lan logo *-* .

Os comentários estão encerrados.