Golgo 13 – Editora JBC – Vol. 1

Golgo 13, manga lançado desde 1969 nas páginas da revista seinen Big Comic pelo autor Takao Saito – um dos expoentes do quadrinho Gekiga -, contando atualmente com 160 volumes encadernados, é um dos grandes ícones dos quadrinhos japoneses tanto por sua qualidade quanto por sua longevidade.Com tantos volumes era improvável pensar que Golgo 13 um dia chegaria às bancas brasileiras, mas acabamos surpreendidos pelo anúncio em Setembro de 2009 que a editora JBC iria publicar uma coletânea de suas histórias, totalizando três volumes com dois capítulos em cada. Isso porque Golgo 13 é completamente episódico, onde um capítulo pode ser lido de forma independente dos outros.

Um minuto depois da meia-noite

Na primeira história a que somos apresentados, “Um minuto depois da meia-noite” – originalmente o capítulo #377 publicado em Setembro de 1998 – temos o caso de um ex-agente da CIA, Henry Mitchell, setenciado ao corredor da morte pela morte da ex-esposa. No entanto, Mitchell se mostra bastante calmo, seguro de que receberá um telefonema do governador impedindo sua execução após chantagens políticas feitas através de documentos do período da Guerra Fria. Para assegurar que o ex-agente não receberá a indulgência, Golgo 13, mais conhecido pelo seu pseudônimo Duke Togo, é contratato.

O curto espaço para contar a história acaba dando um ar de correria, principalmente para quem está tendo com ela seu primeiro contato com o personagem de Golgo 13. Ainda sim, é um conto interessante, conseguindo juntar bem em suas poucas páginas uma intriga política com fundo histórico. Certamente poderia ter sido melhor desenvolvida com alguns capítulos a mais, porém, acaba sendo bastante satisfatório quando se fecha. Infelizmente não era o melhor capítulo para apresentar o personagem, visto que ele pouco participa da trama, servindo meramente para apertar um gatilho, com pouco sendo apresentado ao leitor para que este entenda quem é Golgo.

Zdrowas Maryjo

A segunda história, “Zdrowas Maryjo”, publicada em Dezembro de 1981 como o capítulo #179 de Golgo 13, pega o evento histórico do atentado ao Papa João Paulo II ocorrido naquele mesmo ano e o coloca dentro de uma conspiração política e ideológica contra a aproximação que João Paulo II fazia para com outras formas de religião. Golgo 13 é então contratado para se infiltrar em uma conferência a ser realizada no Vaticano que iria dar as diretrizes futuras da Igreja Católica e resolver o caso.

Esta história é mais bem amarrada que a primeira, conseguindo atrelar fatos históricos à ficção, algo comum nas histórias de Golgo 13. O ritmo é mais bem estruturado e por mais curto que seja, consegue surpreender com um interessante plot twist conspiratório. Também conhecemos melhor a personalidade do personagem principal, como sua predileção ao uso do seu rifle M16, suas habilidades impressionantes e um temperamento frio.

Lançado dentro do selo “Graphic Novel” da editora JBC (que por sinal anda bem parado), Golgo 13 possui um acabamento bem melhor que os mangas de banca. Desde a capa cartonada envernizada com orelhas, uma boa cola que possibilita o manuseio do manga sem grandes preocupação, até o papel offset branco, é óbvio o maior esmero com os títulos desse selo, apesar de Golgo 13 não ter a mesma qualidade de Hiroshima – A cidade da calmaria, outro título “Graphic Novel”, principalmente por uns problemas com a cola.

No entanto, pesquisando para este post descobri que essa coletânea lançada em três volumes pela JBC na verdade se trata de apenas alguns volumes de uma coletânea maior feita pela editora americana Viz, contando na verdade com 13 volumes! É de se entender a impossibilidade de lançar todos os volumes de Golgo 13 por aqui, mas teria sido bem melhor lançar a coleção completa dos capítulos selecionados. O que temos aqui no país correspondem às edições #6 (#1 brasileira), #4 (#2 brasileira) e #9 (#3 brasileira).

Outro ponto negativo é que nas edições americanas cada volume vinha com um extra falando mais do personagem e suas histórias. Sendo um título voltado para livraria, era de se esperar algo assim na edição brasileira. Infelizmente não há sequer um texto que apresente ao leitor quem é Golgo 13 e porque ele é um ícone tão forte dos quadrinhos japoneses.

Este foi um post para sobre o primeiro volume do manga e assim que eu for adquirindo os outros dois cada um deles receberá outro post. Eu não diria que Golgo 13 vale os R$19.90 que custa, principalmente se pensarmos que títulos como A dama de Pharis vieram com qualidade bem superior, muito mais páginas e com um preço menor. Mas sendo um personagem tão importante aos quadrinhos japoneses e contando com apenas três volumes no Brasil, até vale a pena gastar um pouco mais de dinheiro. Diversão não vai faltar, mas não espere algo muito impressionante.

Esse post foi publicado em Mangas, Mangas lançados no Brasil e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Golgo 13 – Editora JBC – Vol. 1

  1. Jorge (@mahoutail) disse:

    Estava na dúvida se devia comprar esse mangá quando (o_o) Gyabbo lança um post meio que simultâneo com minha dúvida, indo agora comprar online a coleção.Valeu Gyabbo

  2. Mauricio disse:

    Pena que manga adulto tenha tão pouco espaço no Brasil. Pelo visto vende muito pouco, já que nenhuma das editoras anda apostando em novidades nessa área.
    Eu compraria tranquilamente toda a coletânea de Golgo 13.

  3. Angélica disse:

    Eu li os três volumes lançados pela Jbc. A leitura é agradável, as histórias prendem e as tramas são muito interessantes…Mas falta alguma coisa, sabe? Quer dizer, é aquele tipo de leitura que te prende, mas que você logo esquece. Não existe nenhum elemento que te faça ficar lembrando e pensando sobre as histórias depois que elas acabam (a única história que eu lembro bem é uma que envolve um evento histórico – mais por causa do evento do que da história do capítulo, btw). Achei uma leitura “passatempo” demais para os R$19,90 que a Jbc cobrou por cada volume. Deve valer mais a pena para quem gosta de colecionar clássicos.

  4. Evaldo disse:

    Muito boa resenha Denys.
    Li a edição da JBC e gostei bastante.
    Gostaria de sugerir que você postasse algo a respeito de GeGeGe no Kitaro. Apesar das chance de algo do título sair no Brasil, é uma obra essencial para quem gosta de mangá.

  5. Digo disse:

    Lembrei de um mangá que a muito tempo quero ler chamado EROICA, achei uma vez uns scans, mas estavam em japones!

  6. Cadmus-Senpai disse:

    Com um título com tantos volumes publicados, não me surpreende nada a editora cancelar a série daqui a algum tempo. Não quero comprar algo que vai ser cancelado…

Os comentários estão encerrados.