Puella Magi Madoka Magica – Conclusão

ATENÇÃO: Esse post irá conter spoilers sobre o final da série Mahou Shoujo Madoka Magica. Leia por conta e risco!

Para primeiras impressões do anime clicar aqui.

Há pouco mais de um mês deveríamos ter assistido ao 11º episódio da série Mahou Shoujo Madoka Magica, que próxima do seu final deixava seus fãs extremamente ansiosos pelo que aconteceria em seguida. Devido a diversos fatores, incluíndo aí o grande desastre que foi o terremoto que assolou o Japão, os dois últimos episódios foram adiados e somente nesta semana pudemos vê-los para concluir a saga de Kaname Madoka e Akemi Homura na apocalíptica batalha contra a bruxa Walpurgis Night.

Se o hype pode fazer estragos em séries antes mesmo delas estreiarem, o que dizer de uma série já estabelecida e na sua reta final? O mundo estava aguardando por esses episódios, há tempos eu não via tanta comoção pelo fim de um anime. O que é plenamente justificável, Madoka Magica veio conquistando fãs com suas cenas chocantes, sua desconstrução do estilo Mahou Shoujo, animação de excelente qualidade, que ainda se permitia um pouco de experimentalismo, mas principalmente por um enredo bom, construído de maneira sólida em que cada episódio só fazia a série crescer mais.

Recapitulando um pouco, descobrimos qual é a real motivação de Kyuubey para firmar contratos com garotas humanas, transformando-as em garotas mágicas em troca de um desejo aparentemente sem limites. Apesar de ainda configurar um dos maiores vilões dos animes para mim, Kyuubey na verdade não tem nada de maligno, sua natureza é amoral, não existem sentimentos ou emoções em sua espécie. Como ele mesmo comenta, antes de conhecer os humanos a eles era impossível sequer imaginar a possibilidade de emoções.

Kyuubey segue apenas um pensamento lógico, o todo é mais importante que suas partes, sacrifícios são necessários e bem-vindos se para ajudar o bem maior (alguém mais pensou na sociedade Japonesa e sua anulação do indíviduo em prol da sociedade?). Nessa lógica, Kyuubey, um Incubator, vem à Terra a fim de gerar energia para outras sociedades universo a fora. Energia essa gerada pelas transformações das garotas em Mahou Shoujo ou, com suas mortes ou perda de esperanças, bruxas. Os Incubatores seguem uma lógica simples, eles querem essa energia, aos humanos é dada a escolha de trocá-la, ainda que isso não seja especificado, por um desejo. Kyuubey não engana, ele dissimula, a escolha é e sempre será dos humanos.

Descobrimos também a história de Akemi Homura, que pelo amor e devoção que possui por Madoka, vem lutando seguidas vezes tentando mudar o seu destino.  Sua amizade se torna uma obsessão, sua vida uma luta contínua pelo tempo-espaço, sempre em vão, trazendo apenas sofrimento a si e no fim, sendo o motivo do grande poder que Madoka apresenta. Se todas as Mahou Shoujo tem o seu poder por causa do desespero em suas vidas, Homura é levada por si própria ao limite, não se entregando à insanidade e virando uma bruxa somente pela devoção à sua amiga.

Esse é possivelmente um dos desenvolvimentos de personagem mais interessantes que eu vi em muito tempo em um anime. Homura tem uma personalidade não-linear, vulnerável a tudo que acontece ao seu redor. Seus comportamentos frios são explicados, entendidos e ainda sim mutáveis. O que não impede Urobochi, roteirista da série, de fazer com que todo seu trabalho tenha sido em vão.

Sim, porque se o final de Madoka não é triste, por outro lado ele deixa um gosto amargo marcado. Apenas em seu último episódio Madoka se transforma em uma Mahou Shoujo, impossibilitando com que Homura consiga salvá-la desse destino. Em um ato até previsível (o que de maneira nenhuma deprecia o momento) a protagonista utiliza-se do seu desejo para, ela mesma, pôr fim a todo sofrimento e desespero que as Mahou Shoujo passaram, passam e poderiam passar por terem acredito nas palavras de Kyuubey e lutado por um mundo melhor. Assim, Madoka exige a destruição de todas as bruxas, em todo o espaço temporal, em todos os mundos. Sua existência é esquecida já que ela mesma irá do começo ao fim dos tempos realizar esse ato. Madoka deixa de ser um garota ou mesmo uma garota mágica, para transcender a matéria, o tempo, a vida, tudo.

Salvo a prória Homura, seu final é o mais cruel, ser esquecida por todos, seu trabalho é o mais pesado, mas Madoka, que não fez muita coisa a série inteira, se mostra idealizadamente bondosa. Ela simboliza em si toda a razão de ser de uma Mahou Shoujo. Com a sua transcendência Madoka carrega o sofrimento do mundo em suas costas, ainda que não sinta esse peso por entender de forma não-humana a sua importância. Coincidência ou não, é a mesma simbologia do sacrifício de Jesus Cristo na Páscoa do Cristianismo. Acho difícil que Urobochi, Akiyuki e o estúdio SHAFT tenham realmente estabelecido essa metáfora como fez C.S. Lewis n’As Crônicas de Nárnia com Aslam, mas o paralelo é óbvio e a data escolhida para o lançamento da Madoka é bem suspeita.

Mahou Shoujo Madoka Magica se transforma assim, no melhor anime do estúdio SHAFT, o que não é exatamente tão fácil. Mas vai além, marcando a indústria como uma das suas maiores obras, para ser lembrada como um clássica durante décadas. Para muitos o melhor anime já feito, o que eu discordo, provavelmente fruto da empolgação do momento, mas ainda sim um dos maiores.

Não somente por chocar com suas cenas de morte e crueldades que pegaram muitas pessoas de surpresa, mas principalmente por uma narrativa que em momento algum deixa-se diminuir, que não faz de suas cenas um agrado aos fãs, mas um acréscimo à história. Quase tudo se encaixa, quase tudo tem um sentido, sendo um anime para ser revisto várias vezes, descobrindo algo novo em cada uma delas.

Madoka Magica é um tapa na boca daqueles que apregoam a indústria dos animes como morta, sem novas obras de qualidade. O estúdio SHAFT conseguiu reescrever a fórmula, sem deixar de lado o seu próprio estilo. Dessa forma, a história das cinco garotas mágicas deve perdurar como exemplo do que a indústria ainda pode e irá fazer.

Esse post foi publicado em Animes, Conclusões e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

27 respostas para Puella Magi Madoka Magica – Conclusão

  1. Power Otaku ^^x disse:

    Agradeçam ao Estúdio Shaft, sério. Pq se não fosse ele séria muito difícil aguentar esse anime. Acho o roteiro de razoável a bom, e a maior qualidade de Madoka é mesmo o visual que o Shaft empregou. Mas agora acabou… opa, falam que vai ter segunda temporada né?

    Olhando o final do Anime vc não entende pra quê né? Mas pelo que parece vai ser um Slice of Life genérico pra tirar as ultimas moedinhas escondidas nos bolsos dos Otakus. Isso, não acabou, tem mais vindo ai.

    Depois que eu conseguir um Pikachu de Pelúcia, eu vou querer um QB de pelúcia tb XP.

  2. Roberta disse:

    Eu ainda estou com a cabeça meio que a mil já que não faz muito tempo que terminei de assistir a sessão final de Madoka, uma autêntica premier e a qualidade tecnica estava incrível. Esses episódios vale a pena assistir numa tv de tela grande e com um som home teather hehehehe. Homura é o exemplo, de como uma personagem clichê, pode vir a transcender isso e se tornar autentica e original e não apenas mais cópia de muitas já existentes.

  3. Saudações

    Uma única palavra para expressar o que quero sobre este anime: sensacional!!!

    Ótimo texto, Denys.

    Até mais!

    OBS: Spoiler Master! Kyuubei dará um jeito em você!

  4. Feiqueman disse:

    Mesmo que já tenha minimizado, ainda estou sob “efeito fanboy”, mas vamos comentar assim mesmo.
    Se a expectativa pela estréia de um anime já é prejudicial, a expectativa pelo final é ainda pior. Quando se prolonga por 1 mês então, torna-se um monstro insaciável, quase impossível de ser superado. Mas, para felicidade geral da nação, Madoka Magica conseguiu, creio eu, não só corresponde às expectativas de todos, mas também, arrebatar uma legião de fãs
    Não achei o final tão previsível assim, digo, era óbvio que ela se tornaria uma Mahou Shoujo, como ocorreu todas as vezes que a Homura tentou impedir, bem como que ela usaria seu desejo para salvar a amiga, mas a forma como isso ocorreu, os resultados deste desejo, foram totalmente imprevisíveis para mim (um desejo, por sinal, bastante impensado a meu ver).
    Concordo que a Madoka não fez nada durante boa parte do anime, mas também, não poderia ser diferente já que esse foi o plano temporal em que a Homura mais se aproximou do seu objetivo. Talvez em outros planos temporais ela tenha sido mais expressiva. Desculpinha fajuta eu sei, mas é o “efeito fanboy” falando mais alto. Acho que vou até mudar de identidade secreta. XD
    Fora isso, concordo com tudo que dissestes.
    Madoka Magica foi um anime simplesmente surpreendente e, embora se encontre bem baixo no rank de pontuação do Myanimelist, e mais baixo ainda no rank de popularidade, é uma questão de tempo até despontar no Top 30.

  5. Joyota disse:

    Conclui essa serie ontem. Eu nao estaria nem aih pra essa serie senao fosse o overrated que esse anime ganhou em varios sites. Mas pra ser sincero ateh que gostei do anime. A Shaft faz a diferenca principalmente no quesito de qualidade (vide Bakemonogatari e Arakawa) com varias cenas surreais. O final jah era meio que previsivel com a Madoka se transformando numa Mahou Shoujo mas o seu desejo que se tornou algo que eu nao esperava. A Homura e seus loops me lembrou muito a segunda temporada de Suzumiya mas com a diferenca de que eles souberam usar o tempo-espaco de maneira adequada resumindo brevemente oque ocorreu de importante em cada loop. E a Kyuubei me lembrou muito o Homunculus pai de FMAB, sendo um ser diferente, sem emocoes e usando o seres humanos como fonte de energia. Fazendo essas pequenas referencias conclui que o anime se tornou algo cliche em varios sentidos, mas nao perdendo o seu credito de anime bom. A Shaft soube usar isso de maneira adequada, digamos que eles fizeram uma mistureba do que ha de bom no mundo dos animes atuais e introduziram isso em um anime Mahou Shoujo, mas nao perdendo o seu brilho. Omedetou Shaft!!

  6. Eu disse:

    Negativem com louvor o primeiro post do cara que falou besteira.

  7. Joyota disse:

    Hah! E esqueci de mencionar o soundtrack!! Mas que p&%$ de soundtrack eh esse?!!
    Eu jah adorava a Yuki Kajiura (compoe a banda Kalafina que fez o ending do anime) pelo soundtrack do Kara no Kyoukai mas agora ela se superou nesse anime! Tah certo que algumas das musicas eram quase identicas com relacao ao KnK, mas nao deixa de ser algo lindo e melancolico!! E nem esperava que combinasse com o clima Mahou Shoujo mas acabou se encaixando perfeitamente!! Outro ponto positivo!

  8. JonhMaster disse:

    a historia foi boa porem o final foi forçado demais ele poderia ter sido mais racional, nos ja temos Mokona como o deus dos otakus agora vamos ter madoka como jesus cristo dos otakus.

  9. Power Otaku ^^x disse:

    “Negativem com louvor o primeiro post do cara que falou besteira”

    Pode fazer isso quantas vezes quiserem, nem dou bola pra isso, pq eu não morrer por causa disso. O que vai acontecer? Mais fácil dar calo no seu dedo de tanto clicar lá do que acontecer algo comigo. Minha opinião não é pra te agradar mano, não sou teu pai ou sua mãe pra mimar com docinho na boca. Mas clica lá quem quiser, com louvor assim como disse o cara. Um clique num negativamento é o maior louvor que existe no mundo XP

  10. JonhMaster disse:

    Power Otaku para que se aborrecer com besteira leve a vida menos a serio afinal todo mundo nasceu de uma gozada.

  11. Pingback: Review – Quando surge um clássico: Puella Magi Madoka Magica | Chuva de nanquim

  12. Marcelo disse:

    De todos os seus posts este foi o melhor, naum sei se por Madoka ser uma das maiores sensações da animação japonesa dos ultimos tempos, ter ajudado o seu dom para escrever sobre animes, esta sensacional este post!. Realmente a muito tempo (desde a época de Dragon Ball Z) que eu não gosto tanto de um anime (ah teve também Angel Beats! e Claymore, que eu também acho ter desconstruido um pouco o estilo RPG de animes medievais, estilo guerreiros e monstros…) foi realmente sensacional este anime. Espero que venham outros tão bons quanto. Madoka é Madoka!

  13. Jilberto disse:

    “Negativem com louvor o primeiro post do cara que falou besteira.”

    Sim, o anime é uma besteira. (quer dizer que devemos negativar os que falam bem do anime? FOi que eu entendi, besterol)

  14. Watanuki disse:

    Seu post foi muito bem escrito parabéns, Mahou Shoujo Madoka Magika é um animê realmente para ser visto, revisto e indicar aos amigos.

  15. RaphaelSoma disse:

    Meu único cometário por hora é…CHUPA KYUUBEY!!!

    Espero que na “provável “segunda temporada, que mantenham o ritmo e não flatulem na farofa.

    (bem, o Shinbo se manifestou querendo fazer uma S2, e eu não duvidaria disso…)

  16. eu tambem adorei o anime eu tb cabei de assistir a pouco tempo e um otimo anime especialmente faz a gente refletir um pouco melhor no mundo e ver que ele nao e bonito como por exemplo o kino no tabi que aborda esse tipo de tema.
    Achei triste muito triste pra ser mais sensato me sentir mal pela modoka no final de tudo sua existencia ser esquecida e que tudo que a homura fez foi cido em vão me pergunto se na continuação ela voltara ou continuara esquecida espero que as palavras que ela disse a homura antes de ir embora seje verdade de que ainda havera milagre e que um dia se encontre-se de novo.
    ahh tirando isso tudo a uma coisa que critico um pouco pelo menos eu achei um pouquinho zuado foi o ambiente onde é desenvolvido aluta achei muito esquesito apesar de reprentar algo relacionado a arte e outro ponto que tambem nao gostei foi das bruxas sao completamente zuado, e que sao piores que os desenhos que minha irmã de 2 anos faz.

  17. Eu disse:

    Pode ficar de mimimi a vontade.
    Todos sabemos o quão esse anime é incrível

    Os haters como sempre ficam chorando

  18. Pingback: Mahou Shoujo Madoka Magika « Yo Nihon!

  19. SpockBR disse:

    Olha, só assisti há alguns dias Madoka Mágica.
    No começo gostei, fiquei impressionado com a qualidade do anime, com a trilha musical e com o fato de se estar fazendo um Mahou Shoujo de temática mais adulta.
    Mas o final me decepcionou muito, talvês até mais do que o final, digo, o último filme de Star Wars. O final foi por demais infantil e, desculpem os fãs, BURRO!
    Vou dizer primeiro porque BURRO! Porque se viram que o anime está dando pano pra manga (de camisa) podiam fazer um final inconclusivo e criar uma segunda temporada, mas no final quiseram dar um final, e o final foi pateticamente infantil.
    Vou dizer porque o final foi infantil. Porque a Madoka resolve se tornar DEUS! Quer dizer, se o mundo não é como eu gosto, eu vou mudar o mundo. Se eu estou perdendo o jogo, fácil, mudo as regras no meio, levo a bola. Ah, tenha dó!
    O desejo que o Kiubey concede tem de guardar um mínimo de racionalidade. Ela poderia fazer um desejo tão simples: “Quero que os Incubators jamais tivessem existido!” Pronto, resolveria tudo. Ou “quero depois dessa batalha voltar a ser uma garota normal”.
    Mudar o passado contradiz todo o anime. Diferentemente da Homura, porque esta não quer mudar o passado, ela volta no tempo e vive novamente a sua própria história.
    Ela quer se sacrificar? Então é só morrer e o mundo não terá a mais poderosa das Mahou Shoujo e nem a mais poderosa da bruxas capaz até de destruir a terra.
    O gancho do anime não é novo, e foi muito bem explorado naquele filme Feitiço do Tempo, onde o personagem interpretado por Bill Murray ficou preso há um dia específico. Ele usa o seu tempo para se aperfeiçoar, para crescer até conseguir conquistar a sua amada.
    Quanto a finais trágicos e reviravoltas num desenho, ou temática adulta, parece que todos se esqueceram de Guereiras Mágicas de Rayearth, do CLAMP. Aquilo é que foi reviravolta na história, aquilo é que foi traição dos amigos, uma conspiração contra as três heroínas apunhaladas nas costas e enganadas por todos para elas fazerem o trabalho sujo por eles.
    Querem um final inconclusivo, para dar gancho para uma segunda temporada? O anime acaba justamente na hora que a Madoka se transforma em Mahou Shoujo e a Homura dá o comando para se voltar no tempo.
    Quer um final trágico? A história se repete mais uma vez, Madoka vira Mahou Shouje, Homura volta no tempo e mata Madoka, ao ver que “shit” happens” e que nem sempre as coisas podem ser como queremos.
    E outra, essa história de desconstrução já tá enchendo a paciência. Não é desconstrução nenhuma do gênero Mahou Shoujo. É só um Mahou Shoujo de temática mais adulta. Só.
    Eu gostei do anime, apesar de infantil gostei da história, não gostei do final. Não acho que seja um anime nota 10, mas somente por causa do final.
    Querem ver um Mahou Shoujo de temática adulta onde o final é feliz e triste ao mesmo tempo, e onde a heroína tem de fazer um grande sacrifício no final? Assistam Princess Tutu e verão o quanto é superior a MADOKA MÁGICA.
    Espero que a 2ª temporada anunciada de Madoka Mágica seja mais ou menos como FMA Brotherhood, ou The End of Evangelion e os produtores consigam dar um final decente para o anime.

    • Heilung disse:

      “ela podia isso”,”ela podia aquilo”,Se ela quer X? Então faz Y!”
      Seus argumentos são fracos, você pode não ter gostado do desenrolar final mas é inquestionável que foi original e bem feito, isso que li foi uma opinião, não crítica.

  20. Iara disse:

    Discordo do cara aqui de cima! Se o incubators não tivessem vindo pra terra você estaria nú em uma caverna! Foi muito infeliz esse seu comentário sem levar em questão detalhes como esses! E o universo? Iria ser destruído? E sinceramente? Teve desconstrução sim!
    E se ela desejasse virar uma garota normal o desespero da Mahous Shoujos continuaria…
    Pensou nisso? Levou em conta a personalidade bondosa e meio ingenua da Madoka? Não,né?
    Saiba criticar, antes de abrir a boca.

  21. Tiago disse:

    Foi um tapa na minha cara isso sim!!! Não sou fã de historinhas kawaii, magia, transformação e derivados. Mas falaram tanto, não só aqui, mas em geral sempre tem comentários do tipo: Melhor anime do ano! Mesmo com outros que assisti e gostei muito, desacreditei e resolvi ver esse. O primeiro episódio nada de anormal mas continuei vendo pela qualidade da animação, depois não parei mais até ver seu ultimo episódio. Com certeza fica entre os 20 melhores da história.

    Ao meu ver, o anime não pode ter continuação, assim se tornando perfeito, mas…

  22. Pingback: Temporada de inverno 2011/2012 |

  23. Pingback: Os melhores de 2011 |

  24. rafaelhri disse:

    Nossa,é do estúdio SHAFT agora que percebi a grande semelhança
    com nisemonogatari/bakemonogatari \o/

  25. Pingback: Ichiban Brasil 3 – Resultados e considerações dos animes e mangas |

  26. LeoMangakaDream disse:

    SpockBR, me perdoe mas “Burro” e voce! Se não entendeu o anime não comenta ao inves de abrir a boca e so falar besteira. Ela desejou ser uma deusa para que as mahou shoujo que lutam pela esperança não caissem no desespero, para que elas não sofram mais. Foi o desejo mais puro, porque se ela tivesse desejado virar mahou shoujo so para destruir o innimigo, o sofrimento das mshou shoujo continuaria, e reconstruir o universo ou voltar no tempo nao contradiz o anime, pelo contrario, so esclarece mais ele, pois explixa o modo da homura agir e garante as mahou shoujo um final melhor, se sentir satisfeita e simplesmente desaparecer para não cauzar sofrimento a ninguem. E mesmo que o final seja triste e feliz ao mesmo tempo, foi a melhor coisa que aconteceria, porque se ela desejasse continuar como uma pessoa e que Sayaka, Mami e Kyoko voltassem do nada ia ficar muito sailor moon( mesmo gostando de sailor moon), ai sim ia ser infantil, mas se voce quer ser ignorante, problema e o seu, eu levei um choque com o episodio 3 que destruiu minha visao de mahou shoujo e pra mim, agora os melhores animes que ja vi sao Mahou Shoujo Madoka Magica, Naruto, Sailor Moon(mesmo tento fescurite rs), Card Captors Sakura, Saint Seya e Inuyasha, se voce achou infantiu voce tem problema porque Madoka foi tudo menos infantil, teve horas que me pareceu ate shonen, entao entenda os animes primeiro antes de criticar ou entao voce não e um verdadeiro OTAKU. PS: aprenda a escrever corretamente : é Kyubey, e não Kiubey.
    PSS: Aos donos do blog, adorei a materia e me perdoem pelos erros de portugues se tiver feito um e tambem se pareci grosseiro, mas eu acredito que se deve entender o anime antes criticar!

Os comentários estão encerrados.