Ano Natsu de Matteru – Conclusão

Esse post contém muitos spoilers, recomendo assistir à série antes. Garanto a qualidade, deixe para vir aqui depois de assistir.

Há poucos dias, em uma supervisão no laboratório de intervenções sociais do qual faço parte na Faculdade de Psicologia da UFAM aqui em Manaus, a professora comentava sobre o que alguns teóricos (que não vou detalhar aqui já que não é o espaço) chamam de “Evento de vida”. O que seria isso? Seriam acontecimentos onde podemos perceber claramente a mudança na vida de uma pessoa entre o antes daquele evento e o depois.

Ano Natsu de Matteru (“Waiting in the Summer” no nome ocidental oficial) em seus 12 episódios conseguiu com seus 12 episódios expor de forma muito bem construída o verão de cinco adolescentes e como esse verão em especial se tornou um “evento de vida” para eles. Continuar lendo

Guilty Crown – Conclusão

Depois de longas 22 semanas, um plot extremamente duvidoso, uma qualidade gráfica acima a média e uma animação que conseguiu enganar bem quem assistia, chega ao fim Guilty Crown no bloco noitaminA.

Antes de falar do seu final, vamos retornar 22 semanas e relembrar das expectativas construídas a partir do primeiro episódio dessa série. Tomando meu post de Primeiras Impressões é fácil perceber a minha grande empolgação com aquele que foi pra mim um dos melhores primeiros episódios do ano passado, juntamente, apesar de completamente oposto, do primeiro episódio de Usagi Drop.

Ambientação, apresentação dos personagens principais, combinação de ação com as músicas, roteiro instigante, character design bonito, tudo isso criou um sólido primeiro episódio que me deixou realmente empolgada para ver Guilty Crown.

Até que o episódio dois veio.

Continuar lendo

Ben-to – Conclusão

OBS: Pode contar com leves spoilers.

Quando eu fui fazer meu post de comentários rápidos da Temporada de Outono 2011, encaixei Ben-To lá na categoria “Milagres acontecem” com a seguinte definição:

Garotas (e garotos, mas isso é um detalhe) lutando pelo bento mais barato do mercadinho. Pois é.

Esse “Pois é” já dava o tom do que eu esperava do anime. Afinal, como esperar grande coisa de algo cuja premissa básica são lutas malucas pelo bento (uma espécie de prato-feito japonês feito para ser prático e barato) mais barato do mercadinho? Pior, o traço e a animação mostravam um enorme corte de custos no já não muito dispendioso estúdio David Production.

Mas como apostas são apenas apostas, o milagre realmente aconteceu e Ben-to conseguiu ser um dos animes que mais me divertiu neste ano de 2011, mas não por ser uma série “desligue o cérebro”, mas por ser realmente bom! Continuar lendo

Boku wa Tomodachi ga Sukunai – Haganai – Conclusão

Quando escrevi sobre Boku wa Tomodachi da Sukunai (ou Haganai) nas minhas primeiras impressões, escrevi de forma positiva sobre a série, ressaltando sua bom equilíbrio entre um drama simples e uma comédia moderada. Minha preocupação única se baseava no fato da abertura e do enredo mostrarem um alto potencial para o fanservice, algo que nos primeiros episódios não havia sido muito explorado. A série conseguiu manter o bom padrão inicial ou caiu nos erros de sempre desse tipo de material? Veremos. Continuar lendo

Hanasaku Iroha – Conclusão

Um tema muito comum em obras de ficção em geral é o do amadurecimento. Você certamente conhece muitas obras que trabalham com isso; da série literária Harry Potter ao filme “Quatro Amigas e um Jeans Viajante” para citar apenas dois exemplos.  Com um foco maior nos personagens, especialmente no protagonista, temos nesse gênero uma atenção maior para os diálogos, e os relacionamentos dos personagens. A importância está muito mais nos momentos cruciais que irão proporcionar uma mudança de A (estágio inicial do personagem) para B (estágio “final” onde o mesmo amadureceu). Hanasaku Iroha, série que comemora a primeira década do estúdio P.A. Works, é mais uma obra desse gênero, mas falha justamente naquilo que deveria ser o seu forte.

Continuar lendo