Natsuyuki Rendezvous – Primeiras impressões

Em uma temporada considerada (e que vem se provando) fraca, se destacar com um pouco de qualidade não seria exatamente muito difícil. Mas Natsuyuki Rendezvous vai muito além e com seu primeiro episódio promete que pelo menos uma série da temporada de verão poderá entrar na briga entre os melhores títulos do ano.

Eu cheguei a comentar no post sobre a temporada de como eu estava encarando Natsuyuki como o sucessor de Sakamichi no Apollon como o drama romântico do bloco noitaminA. Fazer isso já era colocar um peso bem forte nas costas da série visto que Apollon teve uma qualidade bem acima da média, mas se pudéssemos julgar uma obra por um único episódio (o que obviamente não podemos se o intuito é dizer com certeza o que ela será), poderíamos dizer com segurança que Natsuyuki faz jus ao espaço que lhe foi dado.

OBS: Esse post possui um pequeno spoiler, leia por conta e risco. Não acho que spoiler de primeiro episódio em post de primeiras impressões seja um problema, mas fica o aviso.

Continuar lendo

Mangas Undergrounds #2 – Freesia

Criado em 2003 por Jiro Matsumoto e publicado na revista Ikki, “Fressia” conta a historia de um Japão alternativo no qual, devido à superpopulação nas prisões, foi aprovada uma lei que permite os assassinatos por represália, ou seja, caso uma pessoa tenha tirado a vida de alguém muito querido a ti, você terá o direito legal de contratar um assassino para matar esta pessoa, ou até assassiná-la com as próprias mãos, criando assim uma sociedade podre, em constante guerra, corrupta e… parecida com a nossa.

Continuar lendo

Sankarea – Primeiras impressões

“Zumbi, otaku de zumbi, garota depressiva, ecchi. Milagres acontecem…”

É, e a julgar pelo primeiro episódio de Sankarea estamos presenciando um milagre acontecer. Continuar lendo

Ano Natsu de Matteru – Conclusão

Esse post contém muitos spoilers, recomendo assistir à série antes. Garanto a qualidade, deixe para vir aqui depois de assistir.

Há poucos dias, em uma supervisão no laboratório de intervenções sociais do qual faço parte na Faculdade de Psicologia da UFAM aqui em Manaus, a professora comentava sobre o que alguns teóricos (que não vou detalhar aqui já que não é o espaço) chamam de “Evento de vida”. O que seria isso? Seriam acontecimentos onde podemos perceber claramente a mudança na vida de uma pessoa entre o antes daquele evento e o depois.

Ano Natsu de Matteru (“Waiting in the Summer” no nome ocidental oficial) em seus 12 episódios conseguiu com seus 12 episódios expor de forma muito bem construída o verão de cinco adolescentes e como esse verão em especial se tornou um “evento de vida” para eles. Continuar lendo

Mangas Undergrounds #1 – Eden: It’s an Endless World!

Bom, agora a coisa ficou séria! Depois das respostas positivas (mesmo com alguns falando que eu exagerei) ao post-convidado sobre Soul Eater, o Sr. Denys me chamou pra fazer uma coluna mensal sobre mangás undergrounds. Fiquei muito feliz, sempre guardei muito respeito pelo Gyabbo! e ser chamado pra escrever aqui… caramba! encheu o meu ego. No entanto, devo confessar que logo de começo fiquei um pouco confuso. Acontece que para esse primeiro post como coluna o Denys pediu para que eu falasse sobre o que eu considero serem mangás undergrounds. Isso pode ser um pouco estranho, mas eu nunca tinha parado pra pensar sobre como eu seleciono os mangás que eu falo, eu simplesmente falo.

Pensando um pouco, a solução veio com certa naturalidade, “mangás undergrounds” são mangás desconhecidos, no entanto, mais do que obras desconhecidas, são obras  desconhecidas e de qualidade. Nunca falei sobre um quadrinho sequer que eu considerasse ruim, se não gosto simplesmente não falo, e é isso que pretendo fazer aqui. Claro que “mangás de qualidade e desconhecidos” é um pouco amplo, não falo de qualquer mangá, eu tenho uma personalidade, um gosto próprio, então dentro desse “gênero” eu acabo falando de obras mais adultas, que contenham um maior teor psicológico, mas a premissa inicial é simples: apresentar ao público obras que ele não tenha lido, mas deveria.

E pra começar nada melhor do que esse mangá, uma ficção científica que não poderia ser mais realista: Eden, It’s an Endless World!

Continuar lendo